Notícias

Banca de DEFESA: MARCELA ARAÚJO SÁ NOGUEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCELA ARAÚJO SÁ NOGUEIRA
DATA: 31/08/2021
HORA: 18:00
LOCAL: : Plataforma Google Meet
TÍTULO: : nível de atividade física, estresse e sintomas de ansiedade em universitários durante a pandemia de covid-19
PALAVRAS-CHAVES: Atividade Física; Sofrimento Psicológico; Jovens.
PÁGINAS: 62
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

 

Atividade Física é definida por qualquer movimento realizado pelo corpo, que ocasione um gasto energético, podendo ser ocupacional ou laboral, realizados em momentos de lazer, atividades domésticas e na forma de deslocamento (transporte). Possuindo uma função antidepressiva, sendo bastante eficaz de acordo com o tempo do programa e a intensidade da atividade, desde uma simples caminhada até mesmo outras práticas corporais, melhora a saúde mental, devido a adaptações biológicas resultadas pela atividade física, que diminuem a ansiedade e o estresse. O objetivo do presente estudo foi analisar a relação entre a prática da atividade física, os sintomas de ansiedade e estresse em graduando/as de Educação Física (licenciatura/bacharelado) de Teresina-PI, durante o período pandêmico. METODOLOGIA: O presente estudo é do tipo transversal, descritivo, com abordagem quantitativa. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva (percentuais, médias e desvio padrão) e inferencial (teste do qui quadrado). O programa estatístico utilizado foi o STATA 12.0 e o nível de significância adotado para todas as análises foi de 5%. A amostra foi composta por 160 universitários selecionados de forma não probabilística, por conveniência, e realizaram o preenchimento on-line de 4 questionários: um sociodemográfico, o questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) – Versão Curta, Inventário de Sintomas de Stress 

de Lipp (ISSL) e o sintomas de ansiedade por meio do inventário de Beck– BAI. RESULTADOS: O estudo mostrou que a maioria dos estudantes era do sexo feminino (58,13%), com média de idade 24,7 anos (±6). Observou-se ainda que (92,50%) moram acompanhados, (61,88%) sem companheiro e (54,38%) trabalham, maioria é de Instituição pública 59,75% e 41,25% relatam ter uma saúde como “muito boa ou boa”, foi verificado que 88,75% não possui doença crônica e (76,88%) relataram não fazer uso de medicamentos. Quanto à ajuda Psicológica ou Psiquiátrica, 76,88% responderam que não e 59,38% acessam sempre as redes sociais. Verificou-se que 54,70% e 48,43% dos universitários foram classificados como “muito ativo” na Instituição privada e pública, respectivamente. Observou-se um percentual elevado de (55,00%) de universitários em alguma fase de estresse. Quanto à prevalência do nível de ansiedade, 51,90% dos avaliados não apresentaram sintomas. Houve associação estatisticamente significativa no teste do x² qui-quadrado entre nível de atividade e estresse (p=0,038) e nível de atividade física e ansiedade (p=0,025), mostrando que a maioria dos universitários sem sintomas de estresse e ansiedade estão na categoria “muito ativo”. O nível de atividade física não teve associação estaticamente significativa com o sexo (p=0,155). CONCLUSÃO: Portanto, pôde-se observar nesse estudo, a maioria dos universitários pesquisados foram classificados como muito ativo e que o nível de atividade física teve relação com o estresse e a ansiedade nos universitários avaliados.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423325 - VIRIATO CAMPELO
Externo à Instituição - JORGE LUIZ DE BRITO GOMES - UNIVASF
Externo à Instituição - PATRICIA UCHOA LEITAO CABRAL - UESPI
Externo à Instituição - FRANCISCO EVALDO ORSANO - UESPI
Notícia cadastrada em: 27/08/2021 17:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 23/06/2024 18:59