Últimas Notícias
Banca de DEFESA: REBECA DEOLINDO MAVIGNIER
Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: REBECA DEOLINDO MAVIGNIER
DATA: 29/06/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO: Avaliação da técnica de alimentação artificial para colonização de Lutzomyia longipalpis (Diptera: Psychodidae)
PALAVRAS-CHAVES: Insetos hematófagos; Repasto sanguíneo; Biologia de vetores.
PÁGINAS: 58
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

A manutenção de colônias de insetos hematófagos requer o uso de animais como fonte alimentar sanguínea, o que constitui um problema para a maioria dos laboratórios de pesquisa com este fim. Desse modo, o aprimoramento de técnicas alternativas para a alimentação artificial é fundamental para atender esta demanda e assim manter colônias de insetos em laboratório.  Neste trabalho, a eficiência da técnica de alimentação artificial para a manutenção de uma colônia de Lutzomyia longipalpis foi avaliada. A pesquisa foi conduzida a partir de uma colônia estabelecida no Laboratório de Leishmanioses vinculado ao Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela e Universidade Federal do Piauí. Para este fim, um alimentador artificial de vidro (SPELLGLASS) foi acoplado a um banho-maria com fluxo constante de sangue e água a 36ºC para simular as condições de repasto sanguíneo. As variáveis: membrana, tipo de sangue e anticoagulante foram testadas e os resultados comparados com a técnica padrão, que consiste no uso de animais como fonte alimentar sanguínea. As membranas empregadas foram: pele de pinto (Gallus gallus domesticus), cápsula de Glisson, intestino bovino, intestino suíno, intestino suíno preparado industrialmente, Parafilm®, látex, plástico filme e luva de vinil. Como fonte alimentar sanguínea foi empregado sangue humano e bovino, desfibrinado ou previamente preparados com anticoagulantes como ácido etilenodiamino tetra-acético (EDTA) e heparina. Em todos os experimentos, fêmeas de L. longipalpis permaneceram expostas ao dispositivo de alimentação por uma hora. Considerando as variáveis elencadas, os parâmetros avaliados para estimar o sucesso do experimento foram: o número de fêmeas alimentadas, número de ovos postos e número de larvas eclodidas. Entre todas as membranas testadas, a pele de pinto e intestino bovino resultaram em fêmeas alimentadas. Ao avaliar a atratividade dos insetos à fonte alimentar bem como o desenvolvimento de formas imaturas de L. longipalpis após o repasto sanguíneo, observou-se que a membrana de alimentação pele de pinto, aliada ao sangue humano, revelou resultados significativos. O uso de diferentes anticoagulantes não influenciou na progressão do ciclo biológico do inseto nos experimentos. A análise dos resultados obtidos permite-nos inferir que as técnicas da alimentação artificial avaliadas, embora bastante promissoras, ainda não substituem o uso de animais vivos em condições laboratoriais para alimentação de L. longipalpis.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423457 - CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
Externo ao Programa - 423281 - IVETE LOPES DE MENDONCA
Externo ao Programa - 1734767 - LEONARDO HENRIQUE GUEDES DE MORAIS LIMA
Externo à Instituição - REGINALDO PEÇANHA BRAZIL - FIOCRUZ

Cadastrada em: 26/06/2020
Mais Notícias
Processos Seletivos Veja abaixo os processos seletivos disponíveis para nosso Programa de Pós-Graduação.
Calendário Fique por dentro dos eventos relacionados ao nosso Programa de Pós-Graduação.
  • 20/02/2020 - 21/02/2020 · Matrícula para o período 2020.1.
  • 02/03/2020 · Início do período letivo 2020.1.
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 04/07/2020 15:17