Dissertações/Teses

2019
Descrição
  • MILENA MARIA GALENO PATRÍCIO RODRIGUES
  • Polimorfismo de genes candidatos associados ao desenvolvimento ósseo e muscular em ovinos Santa Inês
  • Orientador : FABIO BARROS BRITTO
  • Data: 30/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil, o rebanho de ovinos é de aproximadamente 18 milhões de animais. No entanto, apesar do elevado potencial em termos produtivos e às condições favoráveis à produção de carne, o Brasil ainda fica aquém de outros países que investem em tecnologias e no melhoramento. Nesse trabalho objetivou-se identificar polimorfismos nos SNPs presentes nas sequências de genes candidatos do genoma ovino e associa-los à característica de desenvolvimento ósseo e muscular. Foram coletadas informações de escore corporal, peso, altura da cernelha, altura da garupa, comprimento corporal, altura da pata, profundidade torácica, perímetro da canela, circunferência torácica, largura do ílio, largura do ísquio, comprimento da garupa, comprimento da perna, perímetro da perna, área do olho do lombo, comprimento do olho do lombo e profundidade do olho do lombo em 113 animais. Foram selecionados sete genes candidatos na literatura (HFG, CACNA2D1, BMP3, SPP1, BMPR1B, CCKAR, TP53) para busca de SNPs e genotipagem via PCR-RFLP. Os polimorfismos foram associados às características de interesse por meio de análises de regressão linear. O gene CACNA2D1 apresentou polimorfismo tipo SNP com sítio de restrição da enzima EcoRI. Os demais genes não apresentaram SNPs possíveis de serem genotipados. As análises estatísticas demonstraram que o gene CACNA2D1 está significantemente associado às características de Área de olho de Lombo (P=0,0032) e Profundidade de olho de Lombo (P=0,0006). O gene expressa a “Subunidade do canal de cálcio dependente de voltagem alfa-2 / delta-1”, que medeia o influxo de íons cálcio nas células. A posição do SNP indica que o mesmo localiza-se em uma região de íntrons. Apesar de não ser expressa, a associação positiva do SNP com as características avaliadas indica que o íntron pode interferir em processos como controle da expressão gênica ou em atividades de splicing alternativo.

  • MARCONDES SOARES DIAS
  • Citogenotoxicidade e efeito protetor da piperina e capsaicina em células meristemáticas de Allium cepa L.
  • Orientador : ANA PAULA PERON
  • Data: 23/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • A piperina e a capsaicina são substâncias bioativas várias de atividades biológicas e farmacológicas, no entanto estudos quanto aos aspectos toxicogenéticos ainda são incipientes. Sendo assim, o presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito citogenotóxico e antigenotóxico da piperina e capsaicina nas células meristemas de Allium cepa. Raízes de A. cepa foram expostas ao controle negativo (CN) (Dimetilsulfóxido, DMSO à 2%) e ao positivo (MMS, Metilmetanosulfonato, 10 µg/mL). Nos tratamentos, as sementes de A. cepa germinadas foram expostas aos compostos (piperina ou capsaicina) nas concentrações de 25, 50, 100 e 200 µM para avaliar a citogenotoxicidade. A antigenotoxicidade (efeito protetor) foi realizada pela admiexposição ao composto isolado (piperina ou capsaicina) antes, simultaneamente ou após a exposição do MMS, representando os protocolos pré, simultâneo e pós, respectivamente. Para a confecção das lâminas, as raízes foram hidrolisadas em HCl (10 min.) e coradas com Reativo de Schiff (2h). Cinco mil células meristemáticas foram analisadas em microscópio óptico (400x). Os dados foram analisados pelo teste de Kruskal-Wallis e pelo teste de Student-Newman-Keuls (p < 0,05) “a posteriori” no programa BioEstat 5.3. A piperina e a capsaicina foram citotóxicas nas maiores concentrações (50, 100 e 200 µM), pois houve redução significativa do índice mitótico das células meristemáticas de A. cepa em relação ao CN, sendo dose dependente quando expostas a capsaicina. O efeito citoprotetor não foi observado nas células de A. cepa quando expostas a piperina ou a capsaicina, o que evidencia que os compostos isolados não foram capazes de neutralizar a ação citotóxica do MMS. A piperina provocou aumento significativo na média total das alterações cromossômicas (efeito genotóxico) nas maiores concentrações (50 a 200 µM), destacando-se a presença significativa de micronúcleos e brotos nucleares. Para a capsaicina, o efeito genotóxico foi dose-dependente com aumento significativo para todas as concentrações testadas com a presença de micronúcleos, brotos nucleares e aderências cromossômicas significativas. Quanto ao efeito modulador de danos ao material genético, foi observado a redução significativa da média total das alterações cromossômicas de A. cepa quando expostas a piperina no pré (50 a 200 µM), simultâneo (todas as concentrações) e no pós-tratamento (todas as concentrações) em relação ao MMS. O efeito protetor também foi observado para a capsaicina, principalmente no pré (todas as concentrações) e no simultâneo (todas as concentrações), enquanto no pós-tratamento apenas a maior concentração (200 µM) reduziu as alterações cromossômicas. Além disso, a redução da maioria das alterações cromossômicas analisadas individualmente nas células de A. cepa reforçam o efeito protetor exercido pelas duas moléculas. Portanto, o presente estudo evidenciou a importante atividade quimiopreventiva da piperina e capsaicina, que estão indiretamente relacionadas com a prevenção e/ou tratamento de doenças degenerativas como o câncer, sendo complementar aos poucos estudos toxicogenéticos que foram realizados para investigar seus efeitos no DNA.

  • SAMIRIA PINHEIRO DOS SANTOS
  • Controle genético dos caracteres relacionados à maturação e produção em feijão-caupi
  • Data: 30/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • A obtenção de populações segregantes é uma importante etapa inicial em programas de melhoramento. Os estudos de herança de caracteres constituem informações valiosas para a escolha de métodos mais eficientes para a condução dessas populações. Este trabalho teve como objetivo investigar o controle genético de caracteres relacionados com a maturação e produção e estimar parâmetros genéticos e as correlações entre caracteres em populações de dois cruzamentos de feijão-caupi. Primeiramente, realizaram-se dois cruzamentos: BRS Xiquexique e MNC01-631F-15,  e MNC05-828C-1-9-1 e MNC04-792F-146, obtendo-se as populações F1, F2, RC1, RC2. As gerações e os genitores foram avaliadas em dois experimentos de campo, um para cada cruzamento, na área experimental da Embrapa Meio-Norte, Teresina, PI, no período  de outubro de 2018 a janeiro de 2019. Utilizou-se o delineamento de blocos casualizados, com três repetições, totalizando-se 10 populações por experimento. Foram mensurados os seguintes caracteres: número de dias para o início da floração (NDIF), número de dias para a maturação (NDM), comprimento da vagem (COMPV), número de vagens por planta (NVP) , número de grãos por vagem (NGV), peso de cem grãos (P100G), índice de grãos (IG), produtividade de grãos (PROD), tipo de porte (TP) e valor de cultivo (VC). Maior variabilidade para os caracteres foi observada no cruzamento entre MNC05-828C-1-9-1 e MNC04-792F-146. Ausência de efeito materno foi evidenciada para todos os caracteres estudados. Os parâmetros genéticos estimados mostram que é possível obter ganhos com a seleção, desde que realizada concomitantemente dentro e entre populações. O estudo de controle genético do NDIF, NDM, COMPV, NGV e P100G evidenciou uma natureza quantitativa e predominância da ação gênica aditiva em todos os caracteres, com presença de contribuições menores de epistasia e/ou ação gênica de dominância, indicando a possibilidade de ganhos com a seleção no  melhoramento desses caracteres. Altos graus médios de dominância foram encontrados para os caracteres NDIF, NDM e COMPV. O número de genes evidenciou que esses caracteres apresentam controle genético variando de oligogênico a poligênico. O melhoramento para aumento da produtividade via componentes de produção e precocidade será mais fácil no cruzamento 1; genótipos superiores em tamanho de grão e produtividade serão mais difíceis de se conseguir no cruzamento 2; genótipos com porte da planta mais ereto e ao mesmo tempo altamente produtivos serão mais difíceis de se obter em ambos os cruzamentos.

     

  • GIOVANA SARAH SALES BATISTA
  • Diversidade genética em Spondias mombin L. na região Meio-Norte do Brasil
  • Orientador : SERGIO EMILIO DOS SANTOS VALENTE
  • Data: 25/06/2019
  • Mostrar Resumo
  • O cajá (Spondias mombin L.) é uma fruta bastante apreciada por seu sabor e propriedades nutricionais e medicinais. É explorada de forma extrativista e o conhecimento e tecnologias disponíveis para a espécie ainda são escassos, dificultando sua produção em escala comercial. Assim, torna-se evidente a necessidade de estudos de caracterização e conservação dos recursos genéticos da espécie. Como estudos de caracterização genética são essenciais aos programas de melhoramento e conservação, neste trabalho avaliou-se a diversidade e estrutura genética de 31 acessos de cajá mantidos no Banco de Germoplasma da Embrapa Meio-Norte (Teresina-PI, Brasil) e dois acessos de porte anão através de marcadores ISSR e marcadores morfológicos. Para a caracterização morfológica foram avaliados 5 caracteres quantitativos do fruto e para a caracterização molecular foram utilizados 12 primers ISSR. Com base nos caracteres morfológicos e moleculares, verificou-se que há variabilidade genética entre os acessos de cajá analisados e que a maior parte da variação genética total foi encontrada dentro das populações, que já era o esperado pois a maioria das espécies do gênero Spondias é preferencialmente alógama. Os cinco pontos de coleta não constituíram subpopulações isoladas reprodutivamente, evidenciado pelo moderado fluxo gênico. Entre os acessos analisados, foi observada alta diversidade baseada nos índices de diversidade de Nei e Shannon. Os caracteres massa do fruto, comprimento do fruto e massa de semente apresentaram maior contribuição para a variação. Os acessos anões e o BGC-12 foram os mais divergentes e agregam características de importância econômica, sendo recomendados para programas de melhoramento genético de cajá.

  • MATHEUS DE MORAES CUNHA GONÇALVES
  • Potencial fitotóxico, citogenotóxico e mutagênico do lodo de curtume compostado
  • Orientador : ANGELA CELIS DE ALMEIDA LOPES
  • Data: 22/04/2019
  • Mostrar Resumo
  • O processo de refinamento do couro é responsável por gerar uma grande quantidade de efluentes, estes contendo em sua composição elevados teores de matéria orgânica e diversos componentes químicos com potencial tóxico. Portanto o descarte desse material no ambiente pode apresentar um risco de poluição ambiental. Entretanto, por apresentar conteúdo rico em matéria orgânica, o lodo de curtume pode ser um material interessante para o uso agrícola, após sua detoxificação. A compostagem tem sido indicada como um método eficiente para tratamento de resíduos. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o potencial tóxico do lodo de curtume compostado por meio de análise química e de bioensaios de germinação de sementes e crescimento radicular em Lactuca sativa, e aberrações cromossômicas em Allium cepa. Foram avaliados os potenciais fitotóxicos, citotóxicos, genotóxicos e mutagênicos do lodo de curtume não compostado e de três períodos de compostagem (15, 45 e 90 dias) de suas amostras sólidas e dos extratos aquosos (solubilizado). Para a análise foi realizado os bioensaios de germinação de sementes e crescimento radicar com L. sativa e o teste de aberrações cromossômicas com Allium cepa. Os resultados da análise química mostraram que o lodo de curtume compostado apresentou quantidade de cromo acima do permitido pela legislação ambiental. O bioensaio com L. sativa, para as amostras sólidas, mostraram que o lodo não compostado afetou a germinação e o crescimento das raízes desse organismo, já o lodo compostado afetou apenas o crescimento radicular. Com relação a germinação e crescimento das sementes de alface nos extratos aquosos, foi observado efeitos significativos no crescimento de raiz apenas para o lodo de curtume não compostado. No bioensaio de aberrações cromossômicas com A. cepa, foram observados efeitos citotóxicos, genotóxicos e mutagênicos no lodo não compostado e em todos períodos de compostagem, tanto nas amostras sólidas, quanto no solubilizado. Dessa forma, os resultados mostraram que a compostagem empregada para o lodo de curtume, não foi eficiente no processo de detoxificação do material. Portanto, o lodo de curtume compostado nesse estudo, não é recomendado para o uso agrícola, podendo apresentar riscos para contaminação do solo e de recursos hídricos.

  • GABRIEL DE MORAES CUNHA GONÇALVES
  • Adaptabilidade e estabilidade produtiva de genótipos de soja por REML/BLUP e GGE biplot
  • Orientador : REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
  • Data: 22/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • A soja apresenta grande importância socioeconômica no cenário nacional. Para a Região Meio-Norte brasileira, apesar das suas condições edafoclimáticas favoráveis para a produção de grãos, ainda são escassos, na literatura, trabalhos objetivando a seleção de genótipos de soja adaptados e com comportamento produtivo estável. O objetivo deste trabalho foi selecionar genótipos superiores quanto a adaptabilidade, estabilidade e produtividade em ambientes dos estados do Maranhão e Piauí, a partir de duas diferentes metodologias. Foram avaliados 16 genótipos de soja, em oito ambientes, formados pela combinação local x safra agrícola. Em todos os ensaios, empregou-se o delineamento em blocos casualizados, com três repetições. Avaliou-se os seguintes caracteres: número de dias para maturação, altura da planta, peso de cem sementes e produtividade de grãos. Foram realizadas análises de variância individuais, conjunta e análise de adaptabilidade e estabilidade a partir da produtividade de grãos, utilizando duas metodologias: GGE Biplot e REML/BLUP. Pela análise conjunta, a interação genótipos x ambientes foi altamente significativa para todos os caracteres avaliados. Os genótipos com maior adaptabilidade e estabilidade produtiva pela metodologia REML/BLUP são: BRS8980 IPRO, BRASBT13-0528, M8372 IPRO e BRASBT13-0621. Observou-se concordância com os resultados obtidos pela metodologia GGE Biplot, a qual considerou os genótipos M8372 IPRO, BRASBT13-0528 e BRASBT13-0621 como os mais próximos do ideal. Pela facilidade de identificação e seleção de genótipos superiores quanto a adaptabilidade, estabilidade e produtividade, a metodologia REML/BLUP mostrou-se mais vantajosa que a GGE Biplot.

  • MARINEIDE RODRIGUES DO AMORIM
  • Caracterização de isolados rizobianos noduladores de feijão fava em solo dos estados do Ceará, Maranhão e Piauí.
  • Orientador : ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
  • Data: 13/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os rizóbios são bactérias nodulíferas que apresentam grande diversidade filogenética e genética. Podem associar-se a várias leguminosas, entre elas o Phaseolus lunatus L. formando estruturas específicas, chamadas nódulos em suas raízes, responsáveis pela fixação do nitrogênio atmosférico, podendo assim contribuir para um melhor desenvolvimento da planta. Objetivou-se caracterizar a partir de uma abordagem polifásica, a diversidade genética de isolados rizobianos nativos noduladores do P. lunatus L. coletados em solos dos Estados do Maranhão, Ceará e Piauí. Os genótipos de feijão-fava UFPI-491 (Boca de Moça) e UFPI-468 (Fava Miúda), foram utilizados como planta isca para captura dos isolados, em amostras de solos coletadas de regiões produtoras da cultura nos municípios de Tianguá - CE, São Domingos do Maranhão - MA e Várzea Grande - PI. Foram obtidos 155 isolados, sendo 49 do CE, 61 do MA e 45 do PI, dos quais após realização de coloração de Gram, 75 isolados (17 – CE, 41 - MA, 17 - PI) foram classificados como bastonetes Gram-negativos e caracterizados morfofisiológica e bioquimicamente. Os testes bioquímicos realizados foram: urease, protease, amilase, lipase, carboximetilcelulase (CMC), catalase, gelatinase, solubilização de fosfato e produção de ácido indol-3- acético (AIA). Baseados nos resultados das análises filogenéticas, 12 isolados (quatro-CE, quatro-MA, quatro-PI), foram selecionados e submetidos a técnica molecular BOX-PCR. Os resultados identificaram a presença de diversidade morfofisiológica entre os rizóbios noduladores de feijão-fava nos três estados, onde a produção de muco (abundante, moderada, pouco e escassa) e detalhes ópticos (translucido, opaco, incolor) foram os caracteres fenotípicos mais variáveis mesmo entre os isolados do mesmo estado. Nas análises dos testes bioquímicos o isolados que reuniram em cada estado o maior número de resultados positivos em relação aos nove testes avaliados foram: MA28 (seis testes), MA17, MA25, MA31, MA55, MA62 (cinco testes) no Maranhão, CE06, CE32 e CE40 (quatro testes), CE19, CE36, CE43, CE49, CE52 (três testes) no Ceará, PI04, PI26 (cinco testes), PI8, PI10, PI11, PI12 (quatro testes) no Piauí. A diferença entre a quantidade de testes positivos observados entre os isolados dos três estados exibiu maior diversidade dentro e entre os estados quando comparado com as análises morfofisiológicas. O oligonucleotídeo BOX foi capaz de identificar diversidade entre os isolados confirmando ser uma ferramenta simples e de fácil aplicabilidade para esse estudo.

2018
Descrição
  • BRUNA MARIA PRADO DA SILVA
  • Bandeamento cromossômico e identificação botânica de pimentas pertencentes ao Banco de Germoplasma de Capsicum da UFPI
  • Orientador : LIDIANE DE LIMA FEITOZA
  • Data: 28/11/2018
  • Mostrar Resumo
  • O gênero Capsicum é nativo das Américas e compreende as espécies de pimentas e pimentões cultivados em todo o mundo. Estas hortaliças se destacam pelo sabor e versatilidade demonstrada nas diferentes formas de uso de seus frutos e valor econômico que agregam. Considerando a importância do gênero, suas espécies são motivo de estudo e preservação em Bancos de Germoplasma. Assim, este trabalho teve como objetivo avaliar citogeneticamente acessos de pimentas Capsicum conservados no Banco Ativo de Germoplasma de Capsicum da Universidade Federal do Piauí (BAGC-UFPI) a partir das metodologias de coloração convencional e de bandeamento com fluorocromos e avaliar botanicamente os acessos por meio de chave morfológica de identificação. Os citótipos foram avaliados de acordo com as variações morfométricas e do padrão de bandas heterocromáticas já conhecidas para o gênero. Todos os acessos mostraram 2n = 24 cromossomos com cariótipos simétricos, núcleos semi-reticulados e padrão de condensação da prófase proximal. Os tamanhos dos cromossomos variaram de 1,30 µm em C. frutescens (BAGC 225) a 6,51 µm em C. annuum (BAGC 98) com polimorfismo morfométrico entre diferentes acessos. A partir da análise por meio do bandeamento com fluorocromos CMA3 e DAPI foi observado o padrão de bandas rico em GC, variáveis quanto a quantidade e localização, não sendo encontradas bandas de heterocromatina rica em AT. Foram observadas também ao menos duas bandas altamente ricas em GC subterminais em todos os acessos avaliados que possivelmente corresponderiam as RON’s. Foram identificadas bandas pericentroméricas em todos os cromossomos nos acessos BAGC 95, 98, 100, 205 e 225, aparecendo como pontos fracos de marcação CMA+/DAPI-, enquanto nos acessos BAGC 204, 207, 226, 229 apareceram somente em um ou poucos cromossomos. Os demais acessos BAGC 96, 112, 202 e 206 apresentaram somente bandas terminais visíveis pela técnica utilizada. As marcações CMA+/DAPI- variaram de quatro bandas em C. frutescens BAGC 112 a trinta e seis em C. baccatum var. pendulum no acesso BAGC 95. As bandas fortemente marcadas CMA++/DAPI- variaram de duas (na maioria dos acessos) a seis no BAGC 206, aparecendo sempre na região terminal. A maior complexidade de bandas foi observada nos acessos BAGC 95 e 204. Nestes acessos foram vistas 36 bandas CMA+/DAPI- e 2 CMA++/DAPI- e 26 marcações CMA+/DAPI- e 2 CMA++/DAPI-, respectivamente. No BAGC 204 apareceram em ambos os braços de quatro cromossomos. Por meio da identificação botânica foram identificados 28 acessos de Capsicum, sendo dez pertencentes a espécie C. annuum L. (BAGC 98, 100, 199, 202, 203, 207, 220, 229 e 230) sendo um acesso C. annuum var. annuum (BAGC 228), catorze a espécie C. chinense Jacq. (BAGC 96, 97, 108, 113, 127,146,195,197, 200, 201, 204, 205, 223 e 226), dois a espécie C. baccatum var. pendulum L. (BAGC 95 e 206) e dois a espécie C. frutescens L. (BAGC 112 e 225). Os resultados obtidos são de grande importância para a ampliação do conhecimento necessário a utilização destes recursos genéticos contidos em Bancos de Germoplasma.

  • LEONARDO FURTADO DE OLIVEIRA
  • Estudo de expressão gênica em pau-ferro: estratégias otimizadas para a detecção e análise de genes associados com tolerância à seca
  • Data: 31/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • A seca é o problema que mais afeta a produção e a sustentabilidade de muitas culturas agrícolas. Quando submetidas ao estresse hídrico, as plantas desenvolveram uma série de respostas, incluído a mudança na expressão gênica. O presente trabalho objetivou prospectar, otimizar e validar ensaios RT-qPCR (transcrição reversa do RNA codificante (RNAm) combinada à PCR quantitativa em tempo real) de genes ortólogos relacionado à tolerancia a seca (HSP70, NAC e DREB) e genes ortólogos de referência (GAPDH, β-Actina e eEF1A) utilizando o transcriptoma do Pau-Ferro (Caesalpinia ferrea), bem como avaliar protocolos de extração de RNA total de folha e raiz de pau-ferro. Todos os primers desenhados para os genes ortólogos amplificaram por RT-qPCR utilizando RNA de Pau-Ferro como molde. Os resultados das eficiências de amplificação de todos os genes variaram de 93% a 106,87%. Os coeficientes de correlação (reprodutibilidade) variaram de 0,986 a 0,998 e da faixa dinâmica linear igual a 5log evidenciaram a robustez e precisão das reações. O resultado das curvas de melting e os controles de contaminação (NTC e –RT) demonstraram a especificidade dos ensaios RT-qPCR que foram confirmados através de eletroforese em gel de agarose. A avaliação dos protocolos mostrou que o protocolo modificado CTAB-Sílica obteve rendimento de RNA, parâmetros de pureza e integridade superiores aos protocolos comercialmente disponíveis avaliados.

  • ANA PAULA SOARES E SILVA
  • Toxidade e citogenotoxicidade de aditivos corantes utilizados na fabricação de alimentos e rações animais
  • Orientador : ANA PAULA PERON
  • Data: 30/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • Os corantes alimentares são uma categoria de aditivos com importante relevância para a indústria alimentícia por melhorar a aparência dos alimentos destinados a humanos e animais. No entanto, uma série de questionamentos quanto aos níveis de segurança para o uso desses aditivos têm sido feitos nos últimos anos.  Por esse motivo, o corante inorgânico dióxido de titânio, o natural carmim e o corante sintético idêntico ao natural caramelo IV foram avaliados quanto a toxidade e a citogenotoxicidade frente aos bioensaiosAllium cepa e Artemia salina em 24 e 48 horas de exposição. Para o Dióxido de titânio foram avaliadas as concentrações 25; 50; 100; 200; 400 g/1000 mL (corante/água destilada); para o Carmim 10 mL/10; 5; 2,5; 1,25; 0,625 mL (corante/água destilada) e para o caramelo 1; 10; 20; 30; 40 mL/1000 mL (corante/água destilada) em células meristemáticas de Allium cepa. Para Artemia salina as concentrações com intervalo de 125.000 a 122,07 ppm para o dióxido de titânio e carmim e 7.812,50 a 61,04 ppm para o caramelo foram utilizadas para avaliação de toxidade. Em Allium cepa, as células foram analisadas totalizando 3.000 para cada controle e tempo de exposição cuja análise dos resultados para citogenotoxicidade foi feita pelo software R com o teste não paramétrico de Kruskal Wallis a 5%, os resultados mostraram que todas as concentrações do dióxido de titânio causaram significativa redução do índice mitótico, sendo que nas concentrações 200 e 400 g/1000 mL em 48 horas de exposição esse efeito foi ainda mais efetivo apresentando-se como significativo em relação ao controle e também ao tempo de exposição de 24 horas. Não diferente, o carmim e o caramelo também reduziram o índice de divisão celular logo nas 24 horas de exposição, condição que se manteve para todas as concentrações em 48 horas de exposição. Para Artemia salina a análise de regressão mostrou que os produtos foram tóxicos para os náuplios causando mortalidade, condição essa que ampliou em concentrações maiores e maior tempo de exposição. Assim, esses resultados confirmam o efeito tóxico dos corantes dióxido de titânio, carmim e caramelo sobre os sistemas testes avaliados demonstrando a necessidade de controle no uso desses aditivos pelas principais agências reguladoras.

  • TAMIRES DE SOUSA SILVA
  • Avaliação tóxica e citogenotóxica de bioestimulantes vegetais em Allium cepa L. e Artemia salina L.
  • Orientador : ANA PAULA PERON
  • Data: 30/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • Bioestimulantes vegetais são produtos comerciais ou não que quando aplicados em plantas estimulam os processos naturais para melhorar a absorção e a eficiência de nutrientes, a tolerância ao estresse abiótico e a qualidade das culturas. Apesar da eficiência que os bioestimulantes promovem na agricultura, não há estudos de avaliação de efeitos de toxidade, citogenotoxicidade sobre os mesmos. Assim os produtos bioestimulantes Ácido indolbutírico (AIB), Forth® e Aminon® foram avaliados quanto aos potenciais tóxico, citogenotóxico em dois bioensaios padrão nos estudos toxicogenéticos, os sistemas testes Allium cepa e Artemia salina, em 24 e 48 horas de exposição. Foram avaliadas as concentrações 50; 100; 150 e 200g/L do produto AIB, 0,5; 1; 2 e 4 mL/L do Forth®, e 0,5; 1; 5 e 10mL/L do Aminon® em meristemas radiculares de A. cepa. O intervalo das concentrações 125.000 a 30,58 ppm de AIB; 15,625 a 0,061 ppm de Forth®; e 31,25 a 0,122 ppm de Aminon® foram usadas para avaliação tóxica em A. salina. Para detectar diferenças estatísticas entre os tempos de exposição foi utilizado o teste não-paramétrico de Kruskal-Wallis, com pós teste de Dunn, considerando significativo (* p < 0,05), no bioensaio A. cepa. Para a análise da toxidade em A. salina o método de regressão linear foi usado, considerando significativo p< 0,05. Em A. cepa o produto Forth® reduziu significativamente o IM em todas as concentrações, diferentemente AIB induziu um aumento significativo do IM em todas as concentrações, assim como para Aminon® que na concentração 5 mL/L, em 48 horas, e para 10mL/L nos dois tempos de exposição também induziu aumento significativo em relação ao controle. Em relação à genotoxicidade, nesse estudo não foram encontrados alterações cromossômicas significativas em células meristemáticas de A. cepa expostas aos três bioestimulantes. A análise em A. salina mostrou que os três bioestimulantes são tóxicos e causaram 100%, de mortalidade a partir das concentrações 125.000; 7,81 e 3,9 ppm em AIB, Forth® e Aminon®, respectivamente. Esses resultados demonstram os efeitos toxicogenéticos desses produtos, comumente usados em produções agrícolas, relatando dessa forma os riscos ao usar tais produtos nas concentrações testadas nesse estudo. Além disso, para garantir a segurança do uso desses produtos, é importante levar em consideração os efeitos biológicos da interação entre os compostos inorgânicos e orgânicos presentes nas misturas complexas, e quando entram em contato com as substâncias presentes no solo.

  • GISELE HOLANDA DE SÁ
  • Diversidade genética em acessos de pinha do Banco de Germoplasma da Embrapa Meio-Norte, PI, Brasil.
  • Orientador : SERGIO EMILIO DOS SANTOS VALENTE
  • Data: 29/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • A pinha (Annona squamosa L.) é uma fruta bastante apreciada por seu sabor adocicado e por sua riqueza em nutrientes, além de apresentar propriedades medicinais. O germoplasma de espécies da família Annonaceae está disponível em bancos ativos de germoplasma (BAGs), porém, a variabilidade genética deste germoplasma é pouco conhecida, dificultando a sua conservação, multiplicação e utilização em futuros programas de melhoramento genético. Dessa forma, utilizou-se nove primers ISSR que amplificaram 127 locos, além de descritores morfoagronômicos e físico-químicos para estabelecer as relações genéticas dentro e entre acessos de pinha do BAG da Embrapa Meio-Norte, Teresina-PI.  Os 19 acessos apresentaram uma menor variabilidade genética entre as populações e uma maior variabilidade dentro das populações, provavelmente devido o seu modo reprodutivo e suas formas limitadas de dispersão. Os marcadores morfológicos e moleculares ISSR foram eficientes na caracterização de genótipos de A. squamosa. Os acessos G2, M1F1 e M4F4 mostraram-se mais divergentes sendo, portanto, recomendados à introgressão ao BAG da Embrapa Meio-Norte.

  • MANOEL BRAZ DA SILVA JUNIOR
  • Triagem e validação SNPs Para uso em seleção assistida por marcadores moleculares em ovinos Santa Inês
  • Orientador : FABIO BARROS BRITTO
  • Data: 25/06/2018
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil, a demanda por carne ovina é superior à sua produção, levando à necessidade de importação desse produto. A ausência de programas de melhoramento definidos justifica o déficit na produção e indica a necessidade de esforços em pesquisas que busquem o aumento da produtividade. Objetivou-se com este trabalho identificar polimorfismos do tipo SNP em sequências de genes candidatos para características de medidas corporais e de desenvolvimento de carcaça em ovinos. Foram coletadas informações de área, comprimento e profundidade de olho de lombo, altura da garupa, comprimento corporal, circunferência torácica, altura da cernelha, altura da pata, profundidade torácica e comprimento da garupa em 293 animais de ambos os sexos. Onze genes candidatos foram selecionados na literatura (RPL26, SLC2A4, DVL2, CHRNB1, TP53, POLR2A, CTC1, PIK3R5, MYH10, NCAPG e LCORL), para a triagem de SNPs, visando sua genotipagem com técnicas de PCR-RFLP. Os polimorfismos presentes foram associados aos fenótipos dos animais amostrados por meio de análises de regressão. Dos genes avaliados, apenas o LCORL mostrou polimorfismo com sítio de restrição para a enzima BsrI, a qual pôde ser utilizada para genotipar as variáveis Adenina e Guanina, na posição 149.731. Os resultados mostraram que esse SNP é uma mutação não sinônima que causa a substituição do aminoácido Serina, na posição 417, por uma Glicina no peptídeo codificado. As análises estatísticas apontaram que as variáveis genotípicas estão significativamente associadas a medidas de tamanho corporal e de qualidade de carcaça em ovinos da raça Santa Inês. As medias de área, comprimento e profundidade de olho de lombo, altura da garupa, comprimento corporal e circunferência torácica apresentaram diferenças significativas para os diferentes genótipos. O genótipo com menor frequência nos rebanhos estudados (f(GG) = 0,018) apresentou maiores valores médias para todas essas características.

  • AURICELIA SOUSA DE CARVALHO
  • Caracterização morfocultural e identificação filogenética de Colletotrichum spp. causadoras de antracnose em Spondias spp
  • Orientador : JOSE EVANDO AGUIAR BESERRA JUNIOR
  • Data: 21/06/2018
  • Mostrar Resumo
  • Antracnose é uma importante doença de plantas que pode ser causada por espécies de fungos do gênero Colletotrichum. Em frutíferas, os sintomas da antracnose geralmente apresentam-se como manchas marrons acinzentadas com margens escuras visíveis nas folhas, flores e frutos maduros, acarretando perdas de produção e qualidade dos frutos e resultando em perdas econômicos. No Brasil, há diversos estudos reunindo informações valiosas sobre diferentes espécies desse patógeno que apresentam diferentes estilo de vida e afetam uma vasta gama de hospedeiros. No entanto, são poucos os trabalhos que relatam antracnose em fruteiras do gênero Spondias tais como sirigueleira (S. purpurea L.), umbuzeiro (S. tuberosa L.) e cajazeira (S. mombin L.). Essas espécies possuem frutos comercializados principalmente para produção de polpas para sucos ou para o consumo in natura nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. Apesar da importância sócio-econômia dessas espécies para produtores dessas regiões, não existem trabalhos de identificação, que adotem análise multilocus para identificação precisa das espécies. Assim, o objetivo deste trabalho foi identificar e caracterizar por aproximação polifásica sete isolados de Colletotrichum causadoras de antracnose em espécies de Spondias (cajazeira, sirigueleira e umbuzeiro). Os isolados foram caracterizados quanto à morfologia de conídios e apressórios, presença de setas, coloração de colônia e taxa de crescimento. Foi realizado teste de patogenicidade de quatro isolados em mudas de cajazeira. A caracterização filogenética foi realizada com base na amplificação e sequenciamento parcial dos genes actina (ACT), glutamina sintase (GS) e região espaçadora transcrita interna do DNA ribossomal (ITS). Os caracteres morfológicos foram informativos para identificar alguns isolados com conídios oblongos ou cilíndricos de extremidades arredondadas, característicos do complexo Colletotrichum gloeosporioides. Embora pelas análises morfoculturais tenha sido possível observar diversidade entre os isolados, estas são insuficientes para distinguir espécies. A velocidade de crescimento foi bastante similar entre os isolados. Os quatro isolados de Colletotrichum foram patogênicos a S. mombin, causando sintomas típicos de antracnose nas folhas. Filogeneticamente os isolados de cajazeira, sirigueleira e umbuzeiro agruparam em clados dentro do complexo C. gloeosporioides. Além disso, um isolado de cajazeira agrupou com o isolado tipo de Colletotrichum brevisporum. As espécies C. dianesei, C. siamense e C. brevisporum foram identificadas como novos agentes causais da antracnose em folhas de plantas do gênero Spondias.

  • THALES EDUARDO GALDINO ANDRADE
  • Caracterização citogenética e predição de cruzamentos intraespecíficos em acessos superiores de Phaseolus lunatus L.
  • Orientador : ANGELA CELIS DE ALMEIDA LOPES
  • Data: 28/05/2018
  • Mostrar Resumo
  • O gênero Phaseolus é um dos 222 gêneros da Família Fabaceae, originário da Mesoamérica e tem o feijão-fava (Phaseolus lunatus L.) como sua segunda espécie mais estudada e importante socioeconomicamente. O feijão-fava é uma espécie importante na agricultura de subsistência nos ambientes tropicais úmidos da América, assim como, uma fonte de nutrientes para populações rurais na América do Sul e África, oferecendo oportunidades para o desenvolvimento de pequenos e médios produtores agrícolas. Além do mais, essa cultura também é reconhecida como fonte de proteínas, carboidratos, ferro, cálcio, fibra da dieta básica humana, com baixo conteúdo de gorduras, com o potencial na prevenção de doenças cardiovasculares. No Brasil, a região Nordeste brasileira foi responsável por 99,17% do valor da produção no país, onde os genótipos utilizados por produtores são considerados variedades crioulas, não havendo uso de variedades melhoradas, mesmo com necessidade, pois há dificuldades de plantio, colheita, combate a pragas e doenças, além da baixa produtividade. O presente trabalho objetivou caracterizar citogeneticamente 24 acessos superiores de feijão-fava (Phaseolus lunatus L.) do Banco Ativo de Germoplasma de Phaseolus com características agronomicamente superiores, a fim de identificar os possíveis cruzamentos mais favoráveis com base na localização e mensuração da heterocromatina. Os acessos selecionados apresentaram as características: hábito de crescimento determinado, poucos dias para floração, elevado número de vagens por planta, elevado número de sementes por vagem, grande volume das sementes, alta produtividade, resistência à Antracnose e à Macrophomina. Foram observados e mensurados os padrões de heterocromatina constitutiva como forma de diferenciação dos genótipos e ordenação de cruzamentos dirigidos intraespecíficos. O cariótipo se mostrou estável quanto ao número e tamanho cromossômicos dos conjuntos, porém houve variação no padrão de bandas e na proporção da heterocromatina constitutiva, variando de 21,1% a 38,77% do genoma total. Conclui-se que a técnica de dupla coloração com fluorocromos CMA e DAPI é eficaz na caracterização citológica de feijão-fava; a espécie exibe variação no padrão de heterocromatina constitutiva em diferentes genótipos; as informações providas têm importância para programas de melhoramento.

  • CLAUDIANA SILVA PEREIRA
  • Caracterização polifásica da comunidade bacteriana simbionte e endofítica presentes em nódulos de feijão-fava.
  • Orientador : ADEMIR SERGIO FERREIRA DE ARAUJO
  • Data: 24/05/2018
  • Mostrar Resumo
  • As bactérias capazes de estabelecer simbiose com leguminosas a partir da formação de nódulos em suas raízes e/ou caules são genericamente chamadas de rizóbios ou simbiontes. Anteriormente, acreditava-se que todas as bactérias que habitavam o interior desses nódulos tinham capacidade de induzir sua formação e de fixar nitrogênio atmosférico. No entanto, estudos mostram que a comunidade bacteriana presente em nódulos de muitas leguminosas é formada não somente por rizóbios, mas também por bactérias endofíticas que não possuam as habilidades citadas a cima. Dessa forma, o objetivo do presente trabalho foi descrever a diversidade da comunidade bacteriana associada aos nódulos radiculares de feijão-fava (P. lunatus L.) a partir de uma abordagem polifásica, por meio da caracterização morfofisiológica, da análise de fragmentos rep(BOX)-PCR e do sequenciamento parcial dos genes 16S rRNA, glnII e gyrB.  Os 36 isolados foram obtidos em amostras de solos dos distritos de Nova Esperança (07º77’10”S E 93º51’58”W) e Santa Rita (07º71’49”S E 93º60’08”W), pertencentes ao município de Água Branca-PI, classificados como Latossolo Vermelho-Amarelo Distrófico, utilizando feijão-fava como planta isca. A extração do DNA foi realizada utilizando kit comercial, conforme recomendação do fabricante, após cultivo dos isolados em meio YM líquido em agitador orbital. Destes isolados, 34 foram submetidos a uma caracterização bioquímica, 29 a uma análise rep(BOX)-PCR, 32 a uma amplificação do gene 16S rRNA, 14, do gene glnII e 15, do gene gyrB. Uma matriz binária foi construída a partir das características fenotípicas avaliadas e os isolados foram agrupados baseados no algoritmo UPGMA e coeficiente de Jaccard.  As análises dos fragmentos BOX foram realizadas no programa Bionumercs versão 7.5, utilizando o algoritmo UPGMA e o coeficiente de Jaccard. A análise das sequências dos genes 16S rRNA, glnII e gyrB foi realizada a partir do programa Phred. O alinhamento foi realizado usando MEGA softwere versão 6.0 com os parâmetros padrão, o modelo de distância K2P e algoritmo Neighbour-Joining. Tanto o dendrograma fenotípico quanto a árvore filogética gerada a partir de perfis rep(BOX)-PCR mostraram grande diversidade entre os isolados, os quais agruparam-se a um baixo nível de similaridade. Foram detectados representantes dos gêneros Bradyrhizobium; Rhizobium e Burkholderia, os quais possuem espécies de rizóbios, assim como representantes de gêneros de bactérias endofíticas tais como Pseudomas, Enterobacter  Williamsia, Enterobacteriaceae, Agrobacterium, Bacillus, Paenobacillus e Serratia, relatados pela primeira vez em P. lunatus. A preferência desta leguminosa por associar-se Bradyrhizobium foi confirmada. No entanto, uma grande diversidade de bactérias simbiontes e endofíticas também foram contatadas em seus nódulos. Além disso, os isolados UFPI-F16, UFPI-F06, UFPI-F03, UFPI-F15, UFPI-F17 e UFPI-F19 são apontados como prováveis novas espécies.

  • PÂMELA PONCE MARTINS
  • Identificação filogenética do complexo Rhizoctonia solani em coentro.
  • Data: 04/05/2018
  • Mostrar Resumo
  • O coentro (Coriandrum sativum L) é uma planta herbácea que pertence à família Apiaceae. É classificada como hortaliça folhosa e aromática. Possui centro de origem no Sul da Europa e Oriente Médios, e foi disseminado para diversos países do mundo no período da colonização europeia. Sendo Rússia e Índia os maiores produtores mundiais, e México e Brasil grandes consumidores desta hortaliça. É muito usada na culinária de diferentes culturas e de várias maneiras. As folhas frescas e sementes secas são utilizadas como temperos e especiarias em diversos países, além de apresentar interesse para as indústrias de bebida e farmacêuticas. No Brasil, usa-se mais as folhas frescas como tempero e decoração de pratos, principalmente nas regiões Norte e Nordeste Diversos agentes etiológicos causam doenças na cultura do coentro, e os fungos apresentam maior importância devido ao grande prejuízo que causam na produção. Dentre os problemas fitossanitários de maior relevância estão os patógenos que causam problemas no sistema radicular. Fungos que estão frequentemente associados à tais problemas são Fusarium, Rhizoctonia spp e Macrophomina phaseolina. A ocorrência de sintomas de podridão radicular e tombamento em plantas de coentro já foram relatados em trabalhos no Brasil, no entanto, a identificação dos fitopatógenos foi realizada apenas com avaliação dos caracteres morfológicos.  Desta forma, este estudo teve como objetivos: 1. identificar quais são os agentes que causam tombamento e podridão radicular em coentro, através de abordagem morfológica e filogenética. 2. confirmar se os fungos identificados causam tombamento. Amostras de plantas sintomáticas foram coletadas nos estados do Ceará, Piauí e Distrito Federal nos anos de 2016 e 2017. Foram obtidos 25 isolados de fungos das plantas sintomáticas. Inicialmente, os isolados foram caracterizados morfologicamente e identificados como Rhizoctonia solani, Fusarium solani e Macrophomina phaseolina.  Aplicando a técnica de coloração de núcleos nos isolados caracterizados como R. solani, 9 isolados se apresentaram com hifas multinucleadas e 3, com hifas binucleadas. Através do sequenciamento de nucleotídeos confirmou-se que oito isolados avaliados pertencem ao complexo de R. solani, dois isolados são de Waitea sp. e um isolado pertence a Ceratobasidium ramicola . No teste de patogenicidade confirmou-se que todos os 12 fungos inoculados causaram tombamento em plântulas, sendo os grupos de anastomose AG4-HGI e AG2-2 os mais agressivos. Este é o primeiro registro de R. solani AG2-2 e AG4-HG1, Waitea sp e Ceratobasidium ramicola em coentro no Brasil

  • TERESINHA DE JESUS FEITOSA DE SOUSA
  • : Seleção de genótipos de feijão-caupi para adaptabilidade e estabilidade produtiva de grãos verdes.
  • Data: 30/04/2018
  • Mostrar Resumo
  • O mercado de vagens e grãos verdes tem crescido a cada dia, principalmente na região Nordeste do Brasil e representa uma alternativa de produção ao mercado de grãos secos. No entanto, predomina no comércio as cultivares locais, com baixa produtividade e qualidade comercial. O objetivo deste trabalho foi selecionar genótipos de feijão-caupi para adaptabilidade e estabilidade produtiva de grãos verdes em ambientes dos Estados do Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte, por meio de três diferentes metodologias. Foram avaliados 16 genótipos de feijão-caupi em nove ambientes constituídos pela combinação de local (Pentecoste-CE, Acaraú-CE, Teresina-PI e Mossoró-RN) e ano (2012, 2013, 2014, 2015 e 2017). Em todos os ensaios adotou-se o delineamento de blocos completos casualizados com quatro repetições. Foram avaliados os seguintes caracteres: números de dias para o início da floração e maturação, comprimento de vagem, número de grãos por vagem, peso de cem grãos, índice de grãos e produtividade de vagens e grãos verdes. Foram realizadas análises de variâncias individuais e conjunta e agrupamento de médias para todos os caracteres, além de análise de adaptabilidade e estabilidade para a produtividade de grãos verdes, utilizando-se três metodologias: Eberhart e Russel, GGE Biplot e REML/BLUP. Observou-se variabilidade para todos os caracteres dentro de ambientes e, conjuntamente, exceto para o número de dias para a floração e a produtividade de vagens verdes. Os genótipos considerados ideais pela metodologia de Eberhart e Russel são MNC05-835B-16, MNC05-847B-123, MNC05-847B-126 e BRS Guariba, já pelas metodologias GGE Biplot e REML/BLUP são os genótipos MNC00-595F-27, MNC05-847B-123 e BRS Tumucumaque. As metodologias de GGE Biplot e REML/BLUP, por conseguirem informar de forma mais direta os genótipos superiores em produtividade, adaptabilidade e estabilidade, são mais práticos do que a metodologia de Eberhart e Russel no processo de seleção. As linhagens MNC00-595F-27, MNC05-847B-123 e a cultivar BRS Tumucumaque foram superiores em precocidade, produtividade de grãos verdes, adaptabilidade e estabilidade, com maior probabilidade de sucesso de cultivo nas condições edafoclimáticas dos ambientes avaliados neste estudo.

  • GERSON DO NASCIMENTO COSTA
  • Diversidade genética e avaliação do potencial ornamental de acessos de pimentas (Capsicum spp.).
  • Orientador : REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
  • Data: 26/04/2018
  • Mostrar Resumo
  • Avaliação de variabilidade genética entre genótipos é essencial para a conservação de qualquer recurso genético, podendo ser usada para ampliar a base genética de plantas cultivadas e ainda promover a agricultura sustentável. Neste estudo, objetivou-se avaliar a diversidade genética e o potencial ornamental de 50 acessos de Capsicum spp. por meio de descritores morfoagronômicos. O experimento foi conduzido em telado, localizado no Departamento de Fitotecnia, do Centro de Ciências Agrárias, da Universidade Federal do Piauí, no período de fevereiro a novembro de 2017, onde os acessos foram delineados inteiramente ao acaso, com quatro repetições, uma planta por parcela, e caracterizados com base em 35 descritores, sendo 23 qualitativos multicategóricos e 12 quantitativos. Foram realizadas análises de comparação de médias, componentes principais, agrupamento pelo método de Tocher modificado e UPGMA. Pela análise de variância, evidenciaram-se diferenças significativas entre os acessos de pimentas para todos os descritores quantitativos. Os coeficientes de variação do experimento variaram de 5,2% (NDM) a 31,4% (NFP). Por meio da análise de componentes principais foram acumulados 60,8% da variância nos dois primeiros componentes, e o método de Singh mostrou que os descritores comprimento do fruto e largura do fruto foram os que mais contribuíram para a divergência genética entre os acessos. O método de agrupamento de otimização de Tocher modificado (Sequencial) detectou a formação de nove grupos para os descritores qualitativos multicategóricos. Pelo método UPGMA, formaram-se sete grupos baseando-se na combinação dos descritores quantitativos e qualitativos multicategóricos. Os acessos de pimentas alocados no Banco de Germoplasma de Capsicum da Universidade Federal do Piauí apresentam alta variabilidade genética inter e intraespecífica, atribuídas principalmente às diversas cores e formatos de frutos, morfologia das flores e arquitetura de planta. Oito acessos avaliados possuem potencial ornamental e estão dentro dos padrões estabelecidos pelo Instituto Brasileiro de Floricultura. Os acessos BGC 98, 100, 203, 207, 224 e 236 foram adequados para o cultivo em vasos, enquanto o BGC 220, para cultivo em jardins. Contudo, o acesso BGC 199 destaca-se como o mais promissor por corresponder a todos os critérios de qualidade para porte, folhagem, flores e frutos, propostos pela Cooperativa Veiling Holambra.

2017
Descrição
  • EUGENIA CRISTINA NASCIMENTO MEDEIROS
  • Caracterização citogenética e morfológica de acessos de feijão-fava (Phaseolus lunatus L.) do banco de germoplasma da UFPI
  • Data: 03/07/2017
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho teve como objetivo caracterizar citogeneticamente diferentes acessos da espécie P. lunatus L. (o feijão-fava) provenientes do Banco de Germoplasma da Universidade Federal do Piauí (BAG – UFPI) e classificar as sementes, dos mesmos acessos, morfologicamente. As análises citológicas basearam-se nas técnicas de coloração convencional com Giemsa e no bandeamento com os fluorocromos CMA e DAPI. A caracterização das sementes foi feita com base no comprimento, largura, espessura e peso das mesmas. Todos os acessos de feijão-fava apresentaram um conjunto cromossômico com 2n = 22, tamanho cromossômico variando de 0,85 a 3, 14 mm e fórmulas cariotípicas com 11M, 10M + 1SM e 9M + 2SM, reforçando e corroborando com sugestões prévias de que este grupo apresenta uma forte estabilidade cariotípica. Em todos os acessos, foram encontrados blocos de heterocromatina pericentromérica, além de pelo menos dois blocos de HC (heterocromatina) CMAterminal correspondentes às RONs. As bandas de CMA apresentaram brilho e intensidades diferentes e geraram diversas fórmulas quanto à marcação CMA/DAPI, o que permitiu estabelecer uma relação entre o padrão de coloração e a possível classificação das sementes. Nas sementes “Grande Lima” predominaram as fórmulas 22CMA++/DAPI- e 22CMA/DAPI-, enquanto as sementes “Sieva” tiveram as fórmulas 20CMA/DAPI-/2CMA++/DAPI- e 20CMA/DAPI-/2CMA+/DAPI- e “Batata” tiveram as fórmulas 20CMA/DAPI-/2CMA+/DAPI- e 20CMA/DAPI-/2CMA++/DAPI-. A caracterização das sementes sugere que no BAG-UFPI há representantes dos dois grupos: andino e mesoamericano, segundo Mackie, embora com predominância de sementes pertencentes ao grupo “Grande Lima” (14 acessos). Características citológicas como número, tamanho cromossômico e padrão de bandas de HC sugere que todos os acessos compartilham um ancestral comum. O estudo do germoplasma do feijão-fava é importante para o conhecimento da diversidade do grupo e pode gerar informações úteis para programas de melhoramento da espécie P. lunatus visando à conservação dos recursos genéticos vegetais e um maior entendimento sobre a espécie e o gênero.

  • YÊDA GABRIELA ALVES DO ESPÍRITO SANTO SILVA
  • Análises toxicogenética e físico-química das águas de irrigação de hortas comunitárias do Piauí, Brasil
  • Orientador : ANA PAULA PERON
  • Data: 30/06/2017
  • Mostrar Resumo
  • A preocupação da comunidade científica com o comprometimento da qualidade das águas subterrâneas tem aumentado desde a década de 90, uma vez que, a degradação destes ambientes passou a ser um grave problema de saúde pública, principalmente nos países econômico/socialmente em desenvolvimento, como o Brasil. Assim, surgiu a necessidade de avaliação da qualidade das águas subterrâneas empregadas na irrigação de hortas comunitárias em Teresina (PI). Desse modo, avaliações físicoquímicas (concentração de nutrientes, O2 e do pH), microbiológicas (bactérias coliformes) e teste de citogenotoxicidade realizado em células meristemáticas de raízes de Allium cepa L. foram aplicados, a fim de detectar agentes poluidores nestes locais, bem como suas possíveis fontes de origem. As coletas e avaliações ocorreram em dois momentos, nos períodos chuvoso e seco, durante o ano de 2016 para verificar a influência da sazonalidade nas análises. A partir dos resultados obtidos, verificou-se que todas as águas dos poços analisados apresentaram alterações nos parâmetros físicoquímicos, com destaque para as altas concentrações de nitrato. A presença de coliformes fecais e totais foi verificada, em pelo menos um período analisado, que indicam contaminação desses ambientes. Além disso, todas as águas avaliadas apresentaram-se significativamente citotóxicas no teste de A. cepa e genotóxicas, de acordo com o período analisado. Desse modo, as alterações nas análises realizadas nesse trabalho confirmam o risco de contaminação da água utilizada na irrigação dessas hortas, considerando a influência dos períodos chuvoso e seco sobre a água subterrânea. Essa pesquisa demonstra, também, o risco potencial de contaminação humana via consumo direto da água (físicoquímico e toxicológico) ou via consumo de hortaliças (microbiológico) sem higienização adequada.

  • ELIENE PEREIRA DE OLIVEIRA
  • Fluxo gênico de Apis mellifera L. nos estados do Piauí e Ceará: uma análise molecular
  • Orientador : FABIO BARROS BRITTO
  • Data: 29/05/2017
  • Mostrar Resumo
  • Apesar dos inúmeros estudos sobre a abelha Apis mellifera, pouco se conhece a respeito da dinâmica migratória da espécie. Supõe-se que os vales das bacias hidrográficas possam influenciar de modo preferencial, no direcionamento de rotas migratórias, porém não existem trabalhos que confirmem essa hipótese ou que quantifiquem o fluxo gênico entre populações. Diante disso, objetivou-se analisar a estrutura populacional e o comportamento migratório de abelhas africanizadas em municípios do Piauí e Ceará. Foram utilizados seis loci SSR para análise molecular de 106 operárias amostradas em municípios localizados dentro e fora dos domínios da bacia do Gurgueia, onde é observado potencial para prática apícola. Após verificação da qualidade da genotipagem foram estimados valores de heterozigosidade, número de alelos, análise de variância molecular (AMOVA) e estatísticas F de Wright. O teste de Mantel foi executado para detectar a influência da distância geográfica (em km) na diferenciação genética entre cada par de localidades. Além disto, foram realizadas análises de estrutura populacional e fluxo genético, pelos softwares STRUCTURE e MIGRATE. Os resultados apontaram para alta taxa de heterozigosidade, (HO = 0,93; HE = 0,92), baixa diferenciação populacional (FST = 0,02) e elevada variabilidade genética (18,2 alelos por locus). As estimativas das taxas de migração foram altas, com média de 19,39 migrantes por geração entre localidades. O intenso fluxo gênico influencia diretamente na baixa diferenciação genéticas entre os grupos. Verificou-se que, rios, vales, elevações topográficas e distâncias geográficas, na área estudada, não representam barreiras que possam impedir a dispersão das abelhas africanizadas, que se organizam como um grande grupo, sem estruturação populacional bem definida. O teste de Mantel mostrou correlação positiva entre as distâncias genéticas (FST e Jost’s D) e geográfica, porém apenas a distância de Jost’s D apresentou valores significativos (P < 0,05). Os dados gerados contribuem diretamente para o entendimento da biologia da espécie e para o entendimento da dinâmica migratória.

  • ELIENE PEREIRA DE OLIVEIRA
  • Fluxo gênico de Apis mellifera L. nos estados do Piauí e Ceará: uma análise molecular
  • Orientador : FABIO BARROS BRITTO
  • Data: 29/05/2017
  • Mostrar Resumo
  •  Apesar dos inúmeros estudos sobre a abelha Apis mellifera, pouco se conhece a respeito da dinâmica migratória da espécie. Supõe-se que os vales das bacias hidrográficas possam influenciar de modo preferencial, no direcionamento de rotas migratórias, porém não existem trabalhos que confirmem essa hipótese ou que quantifiquem o fluxo gênico entre populações. Diante disso, objetivou-se analisar a estrutura populacional e o comportamento migratório de abelhas africanizadas em municípios do Piauí e Ceará. Foram utilizados seis loci SSR para análise molecular de 106 operárias amostradas em municípios localizados dentro e fora dos domínios da bacia do Gurgueia, onde é observado potencial para prática apícola. Após verificação da qualidade da genotipagem foram estimados valores de heterozigosidade, número de alelos, análise de variância molecular (AMOVA) e estatísticas F de Wright. O teste de Mantel foi executado para detectar a influência da distância geográfica (em km) na diferenciação genética entre cada par de localidades. Além disto, foram realizadas análises de estrutura populacional e fluxo genético, pelos softwares STRUCTURE e MIGRATE. Os resultados apontaram para alta taxa de heterozigosidade, (HO = 0,93; HE = 0,92), baixa diferenciação populacional (FST = 0,02) e elevada variabilidade genética (18,2 alelos por locus). As estimativas das taxas de migração foram altas, com média de 19,39 migrantes por geração entre localidades. O intenso fluxo gênico influencia diretamente na baixa diferenciação genéticas entre os grupos. Verificou-se que, rios, vales, elevações topográficas e distâncias geográficas, na área estudada, não representam barreiras que possam impedir a dispersão das abelhas africanizadas, que se organizam como um grande grupo, sem estruturação populacional bem definida. O teste de Mantel mostrou correlação positiva entre as distâncias genéticas (FST e Jost’s D) e geográfica, porém apenas a distância de Jost’s D apresentou valores significativos (P < 0,05). Os dados gerados contribuem diretamente para o entendimento da biologia da espécie e para o entendimento da dinâmica migratória.

  • MARIA RAQUEL VERAS DE CARVALHO
  • Compatibilidade sexual de populações de Fusarium sacchari e espécies de Fusarium envolvidas na podridão do topo em cana-de-açúcar
  • Orientador : JOSE EVANDO AGUIAR BESERRA JUNIOR
  • Data: 29/05/2017
  • Mostrar Resumo
  •    No Brasil, observa-se em campos de produção de cana-de-açúcar sintomas de má formação ou distorção do topo, doença conhecida como podridão do topo ou Pokkah boeng. Essa doença já foi relatada em quase todos os países onde a cana-de-açúcar é cultivada, tendo como agentes etiológicos seis espécies de Fusarium. No Brasil, ainda não há relatos consistentes de qual patógeno está associado a essa doença. Também não é conhecida a estrutura de populações desses agentes etiológicos. Desta forma, este estudo tem como objetivos: 1. Confirmar, através da técnica de compatibilidade sexual, se o agente associado à podridão do topo em cana-de-açúcar no Brasil é Fusarium sacchari, bem como conferir a relação de Mating type e o tamanho efetivo da população dessa espécie no Brasil. 2. Identificar e caracterizar espécies de Fusarium causadoras de podridão do topo em cana-de-açúcar no nordeste brasileiro, através de marcadores morfológicos, sequenciamento e filogenia do gene TEF-1α, além de teste de patogenicidade, agressividade e gama de hospedeiros. Amostras de plantas com sintomas típicos de podridão do topo foram coletadas nos estados de Alagoas, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco e Piauí. Setenta e nove isolados de Fusarium spp. foram obtidos, dos quais 68 exibiram microconídios em falsas cabeças e polifiálides. Destes 68 isolados, cinco apresentaram-se homotálicos e 63 heterotálicos, sendo estes identificados pela técnica de compatibilidade sexual como F. sacchari, confirmando esta espécie como principal patógeno associado à podridão do topo em cana-de-açúcar no Brasil. Os isolados heterotálicos exibiram uma proporção de 29 MAT-1 e 34 MAT-2. O tamanho efetivo da população foi de Ne(mt) = 99% e Ne(f) = 95%. Quarenta e um, dos 63 isolados heterotálicos, apresentaram comportamento hermafrodita, enquanto 22 foram fêmeas estéreis.  Portanto, pode-se inferir que a população de F. sacchari está realizando reprodução sexuada em campo no Brasil. Dos 11 isolados identificados apenas como Fusarium spp., seis tiveram o gene fator de elongação 1-α (TEF-1α) amplificados por Reação em Cadeia da Polimerase (do inglês, PCR) e sequenciados. Baseado na filogenia do gene TEF-1α e marcadores morfológicos, 4 isolados foram identificados como F. andiyazi e dois isolados não agruparam com nenhuma espécie de Fusarium conhecida, portanto, são pertencentes a duas novas linhagens de Fusarium, relacionadas à F. musae e F. verticillioides. Os isolados de F. andiyazi foram patogênicos a cana-de-açúcar, milho, sorgo e milheto, enquanto que, as novas linhagens foram patogênicas a cana-de-açúcar. De acordo com teste de Tukey não houve diferença de agressividade entre os isolados.

  • MARILHA VIEIRA DE BRITO
  • Caracterização morfoagronômica e seleção de acessos de feijão-fava resistentes ao Colletotrichum truncatum
  • Orientador : ANGELA CELIS DE ALMEIDA LOPES
  • Data: 20/04/2017
  • Mostrar Resumo
  • A espécie Phaseolus lunatus é encontrada em áreas tropicais e subtropicais sendo cultivada em vários países. Possui uma rica fonte de nutrientes um baixo teor de gordura. Embora detendo sua importância, a cultura possui uma baixa produtividade podendo ser atribuída, em partes, pela ocorrência de doenças, dentre elas pode-se citar antracnose, uma  doença fúngica frequentemente encontradas em plantios de feijão-fava no Brasil, especialmente na região Nordeste. Baseada na importância socioeconômica e nos grandes prejuízos da antracnose para a cultura, objetivou-se selecionar acessos de P. lunatus resistentes a C. truncatum e caracterizar morfoagronomicamente os acessos utilizando descritores agronômicos. Avaliou-se a consistência do padrão de agrupamento dos acessos obtido a partir da combinação de medidas de dissimilaridade e métodos de agrupamento.  Vinte e sete acessos foram conduzidos em dois experimentos de caracterização fitopatológica, no sentido de agrupar indivíduos de acordo com sua resistência a C. truncatum, o agrupamento foi realizado com base nos dados obtidos a partir da avaliação da severidade da doença que foi estimada através de uma escala de notas, além da quantificação da infecção da área foliar a partir de um programa. O emprego dos métodos de agrupamento hierárquicos, além do teste de média, no estudo de resistência gerou a formação de grupos, em que independentemente do método utilizado, os acessos UFPI 842 e UFPI 832 permaneciam no mesmo agrupamento, sendo classificados como resistentes. Além da caracterização fitopatológica, 22 acessos foram caracterizados morfoagronomicamente, no intuito de relacionar algum descritor à resistência. Nesse sentido a partir dos resultados encontrados, as possíveis características relacionadas à resistência a C. truncatum, seriam a forma do folíolo e descritores relacionados ao tamanho e coloração da semente. A realização de dendrogramas associados a características morfoagronômicas dos acessos avaliados do BAG-UFPI, foram satisfatórios no intuito de detectar variabilidade genética, não sendo observado presença duplicatas genéticas.

  • JÉSSICA BARBARA VIEIRA VIANA
  • Diversidade genética e identificação molecular de espécies de Trichogramma Westwood (Hymenoptera, Trichogrammatidae) por meio de marcadores ribossomais ITS2
  • Data: 24/03/2017
  • Mostrar Resumo
  •            As espécies do gênero Trichogramma são parasitoides de ovos de pragas associados a ordem Lepidoptera, utilizados em programas de controle biológico. O sucesso no mesmo depende de algumas etapas como a correta identificação das espécies e caracterização da diversidade genética das populações destes parasitoides. Desta forma, este estudo objetivou identificar espécies e avaliar a diversidade genética entre diversos acessos de espécime do gênero Trichogramma obtidos a partir de diferentes regiões e hospedeiros distintos, por meio de marcadores moleculares da região ITS2 do DNA ribossomal. Foram obtidas 21 amostras de Trichogramma de diferentes regiões do Brasil, e previamente identificadas com base nos caracteres da genitália, antenas e asas dos machos. Foi realizado sequenciamento da região ITS2 destas amostras. As sequências obtidas foram submetidas à busca por similaridade no GenBank, por meio do programa BLAST, as espécies foram identificadas a partir da porcentagem de semelhanças entre as sequências de ITS2 do DNA ribossomal depositadas no banco de dados. As identificações moleculares de todos os acessos corresponderam as identificações previamente realizadas a partir dos caracteres morfológicos. A análise de agrupamento foi realizada por meio do método de máxima verossimilhança, o dendrograma foi montado por meio do método aglomerativo Neighbor Joining. A análise do dendrograma permitiu a identificação de quatro grupos, em que as espécies T. marandobai e T. manicobai encontraram-se bem próximas estando em um único grupo, acessos de uma mesma espécie foram agrupados em grupos distintos, bem como acessos de uma mesma espécie de hospedeiros distintos e diferentes localidades foram agrupados no mesmo grupo. Este estudo demonstra a necessidade de estudos com a espécie T. manicobai, uma vez que até então não há registros de sequências da mesma no banco de dados. Além disso, demonstra a semelhança genética existente entre as espécies T. manicobai e T. marandobai, bem como variações genéticas existentes na região ITS2 da espécie T. pretiosum, tendo em vista que estas variações não estão relacionadas aos respectivos hospedeiros.

  • MARIA FERNANDA DA COSTA GOMES
  • Diversidade e estrutura genética em populações de Anacardium spp. do Parque Nacional de Sete Cidades (PI) por meio de marcadores ISSR.
  • Orientador : SERGIO EMILIO DOS SANTOS VALENTE
  • Data: 23/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • O cajuí (Anacardium spp.) é um fruto nativo do cerrado que apresenta

    potencial para comercialização. Entretanto, a exploração dá-se exclusivamente

    pelo extrativismo, onde não há estratégias de conservação, o que pode levar à

    perda de variabilidade genética. Uma vez que o conhecimento da diversidade

    genética é essencial aos programas de melhoramento e conservação, o

    objetivo do presente estudo foi avaliar a diversidade genética de acessos de

    cajuí por meio de marcadores ISSR, visando à incorporação dos acessos mais

    divergentes ao BAG da Embrapa Meio-Norte. Os acessos foram coletados no

    Parque Nacional de Sete Cidades (PNSC/PI) e distribuídos em três populações

    conforme o ponto de coleta. Amostras de DNA de 56 acessos de cajuí do

    PNSC e 02 acessos de caju (grupo externo) foram amplificadas com 11 primers

    ISSR, gerando 112 locos, dos quais 93 foram polimórficos. A similaridade entre

    os acessos foi estimada por meio do coeficiente de Dice-Soresen que variou de

    0,60 a 0,94. Os acessos apresentam uma moderada variabilidade genética,

    demonstrada pelos índices de diversidade. A diversidade genética de Nei e o

    índice de Shannon variaram, respectivamente, de 0,2227 a 0,2691 e de 0,3322

    a 0,4026. A AMOVA indicou que 96,17% da variabilidade genética encontra-se

    dentro das populações, o que representa pouca diferenciação entre as mesmas

    (Φ ST= 0,03828). A análise Bayesiana indicou a existência de quatro grupos

    genéticos vinculados entre si. Portanto, os três pontos amostrados não

    constituem subpopulações devido ao intenso fluxo gênico (Nm = 6,7)

     

2016
Descrição
  • JESUINO DA SILVA COSTA MARTINS
  • Distribuição e dinâmica populacional de abelhas africanizadas nas áreas de influência da bacia do rio Parnaíba

  • Orientador : FABIO BARROS BRITTO
  • Data: 25/07/2016
  • Mostrar Resumo
  • AAs abelhas Apis mellifera apresentam distribuição em diferentes regiões, com

    características comportamentais, morfológicas e ecológicas acarretando em

    grande diversidade de subespécies adaptadas a cada ambiente. São fundamentais

    no papel de polinizadoras e no fornecimento de produtos de importância

    econômica. No Brasil após a introdução das abelhas de linhagens africanas Apis

    mellifera scutellata, em 1956, surgiram populações poliíbridas chamadas de

    africanizadas devido ao predomínio de caracteres de origem africana. A bacia do

    rio Parnaíba é composta de 278 municípios e abrange uma área de grande

    diversidade geomorfológica. Apesar de a apicultura ser uma atividade praticada há

    anos na região, poucas informações técnicas a respeito da estrutura populacional

    das abelhas africanizadas são conhecidas. Nesse contexto, o presente trabalho

    teve como objetivo avaliar a influência da bacia hidrográfica do rio Parnaíba na

    distribuição populacional e fluxo gênico nas populações distribuídas dentro e fora

    de seus domínios. Foram coletadas operárias adultas de seis municípios

    piauienses e dois municípios do Ceará. Foram amostradas 10 operárias por

    colônia de cada localidade/apiário. Nesse estudo foram realizadas análises de

    morfometria geométrica com a marcação de 19 marcos anatômicos homólogos na

    asa anterior direita, utilizando o software TPSDig. As análises morfométricas foram

    realizadas através de técnicas multivariada, com o auxílio do programa MorphoJ. A

    ANOVA de Procrustes mostrou que existem diferenças significativas (P&lt;0,0001)

    entre as formas das asas nos municípios e localidades amostrados. Os resultados

    demonstram que existe um fluxo migratório intenso e mais expressivo nas

    localidades que compartilham uma mesma bacia hidrográfica. As localidades mais

    distantes dos vales, por fazerem parte de uma região semiárida com rios

    intermitentes, apresentam um fluxo migratório restrito. Apesar de não existir

    estruturação populacional, foi verificada a tendência de variação morfológica com

    relação ao relevo e os vales dos rios.

  • GIZELE DE ANDRADE LUZ
  • Diversidade genética em acessos de mangaba do Banco de germoplasma da Embrapa Meio-Norte

  • Data: 13/07/2016
  • Mostrar Resumo
  • A mangabeira é uma fruteira nativa do Brasil que tem se destacado pelo

    potencial de exploração de seus frutos. Essa espécie está em processo de erosão

    genética ressaltando-se, desse modo, a importância do conhecimento da

    diversidade genética existente para subsidiar programas de conservação e

    melhoramento. Desta forma, este estudo objetivou avaliar a diversidade genética

    dos acessos de mangabeira do Banco de Germoplasma da Embrapa Meio-Norte por

    meio de marcadores ISSR e caracterização física e físico-química dos frutos. Na

    caracterização dos frutos foram avaliadas oito características físicas e quatro físico-

    químicas em 14 acessos, sendo 13 oriundos da Paraíba e um do Piauí. No

    dendrograma formaram-se três grupos. Os dois primeiros componentes principais

    retiveram 71,55% da variação. Os frutos dos acessos de mangabeira estudados têm

    potencial para consumo in natura e industrialização. Dentre os acessos, destaca-se

    o acesso M1 pelas características físico-químicas e rendimento de polpa e o acesso

    M3 pelas características físicas dos frutos. Na análise molecular foram

    caracterizados 29 acessos com a seguinte procedência: um de Sergipe, um da

    Bahia, três do Distrito Federal, 11 do Piauí e 13 da Paraíba. Com as amplificações

    dos 11 iniciadores ISSR obteve-se 186 marcadores dos quais 120 foram

    polimórficos. O número de locos amplificados variou entre quatro (UBC 813) e 25

    (UBC 826) com média de 15,9 bandas por iniciador. O coeficiente de similaridade

    variou de 0,57 a 0,94. A análise do dendrograma permitiu a identificação de sete

    grupos. Os índices de Nei e Shannon variaram, respectivamente, de 0,15 a 0,24 e

    de 0,22 a 0,34. A AMOVA indicou que 70% da variabilidade genética encontra-se

    dentro das populações e as mesmas apresentam alta diferenciação genética (Φ ST =

    0,30). As populações do Piauí e Distrito Federal foram alocadas em um mesmo

    grupo genético, enquanto a população da Paraíba constituiu um grupo genético

    distinto, sendo que houve fluxo gênico entre os mesmos. Em geral, foi observada

    baixa diversidade genética nas populações de mangabeira estudadas.

  • UBIRAJARA SANTANA ASSUNÇÃO
  • Diversidade genética entre germoplasma de soja em Teresina - PI.

  • Orientador : ANGELA CELIS DE ALMEIDA LOPES
  • Data: 25/04/2016
  • Mostrar Resumo
  • A soja (Glycine max) se destaca por ser uma das culturas mais importantes no

    mundo, principalmente por sua riqueza nutricional. A sua base genética no

    germoplasma utilizado para o desenvolvimento de novas cultivares é bastante

    estreita, o que gera grandes problemas como dificuldade no alcance do limite

    produtivo, diminuição da tolerância a estresses abióticos e baixa resistência a

    doenças e patógenos, tornando-se importante o estudo de germoplasma

    exótico para a identificação de novas fontes de genes a serem inseridos em

    programas de melhoramento. Diante disso, o presente trabalho tem por

    objetivo fazer a avaliação da divergência genética em 93 acessos de soja, com

    enfoque no desempenho agronômico em condição de estresse a altas

    temperaturas em baixas latitudes. Para tanto, foram utilizados 16 marcadores

    morfoagronômicos, avaliados em campo e submetidos a análises multivariadas

    para estimar a diversidade genética. Foram formados seis grupos no

    dendrograma gerado pelo método UPGMA, a partir da matriz de distância

    euclidiana média. Os resultados indicaram a presença de variabilidade

    genética, com a maior contribuição para os descritores relacionados à

    produção de grãos. Os genótipos PI 203400, 203404, PI 283327, PI 297550, PI

    315701, PI 407764, PI 281911, PI 306712 e Sambaíba, apresentam potencial

    para a tolerância à altas temperaturas em baixa latitude, podendo ser utilizados

    na ampliação da base genética em programas de pré-melhoramento e

    melhoramento de soja no Brasil.

  • LAÍSE DA SILVA PASSOS
  • Diversidade de espécies e filogenia de begomovírus que infectam plantas não-cultivadas nos estados do Ceará e Piauí

  • Orientador : JOSE EVANDO AGUIAR BESERRA JUNIOR
  • Data: 19/04/2016
  • Mostrar Resumo
  • Os begomovírus, maior e mais importante gênero da família Geminiviridae,

    possuem um ou dois componentes genômicos (DNA-A e DNA-B), cada um com

    cerca de 2600 nucleotídeos, são transmitidos pela mosca branca (Bemisia tabaci) e

    infectam apenas espécies dicotiledôneas. A incidência desses vírus em plantas

    cultivadas e não cultivadas, no Brasil, aumentou significativamente nos últimos vinte

    e cinco anos, em razão da introdução do biótipo B de B. tabaci, mais adaptada e

    com maior gama de hospedeiras. A identificação de vírus que infectam plantas

    cultivadas e não-cultivadas, assim como o próximo relacionamento filogenético entre

    essas espécies virais, sugerem que as plantas não-cultivadas atuem como

    reservatórios de vírus e sejam importantes fontes de inóculo para plantas cultivadas.

    O objetivo deste trabalho foi identificar e realizar um levantamento das espécies de

    begomovírus existentes em plantas não-cultivadas no nordeste do Brasil. Amostras

    de plantas não-cultivadas com sintomas típicos de infecção por begomovírus foram

    coletadas em dois estados do nordeste do Brasil. Após amplificação, digestão e

    clonagem; vinte e seis clones foram sequenciados. Destes, 17 corresponderam a

    DNA-A e 9 a DNA-B. Através da análise de comparação de sequências, foram

    detectadas oito espécies de begomovírus em plantas de Euphorbia heterophylla,

    Macroptilium lathyroides, Sida spp. e Wissadula sp., sendo cinco, até então, não

    identificadas. Todas as espécies possuem características de begomovírus

    bissegmentados do Novo Mundo. Filogeneticamente, a maioria das espécies

    agrupou com outros begomovírus brasileiros, entretanto uma espécie agrupou com

    vírus identificados em plantas não-cultivadas do México, o que reforça a existência

    de uma linhagem distinta de begomovírus do Novo mundo. Eventos de

    recombinação foram detectados em todas as espécies identificadas. Com base nos

    hospedeiros e nos sintomas induzidos por cada isolado são propostos os nomes

    Macroptilium yellow commom virus (MaYCV), Macroptilium yellow bright virus

    (MaYBV), Sida chlorotic vein virus (SiCVV), Sida angular mosaic virus (SiAMV) e

    Wissadula yellow mosaic virus (WYMV). Os resultados deste trabalho demonstram

    que as plantas daninhas são fontes de novas espécies de begomovírus, as quais

    constituem ameaça para o cultivo de espécies agronomicamente importantes.

2015
Descrição
  • KARLA ANNIELLE DA SILVA BERNARDO
  • Seleção de progênies de feijão-caupi com inflorescência composta em geração precoce.

  • Data: 31/07/2015
  • Mostrar Resumo
  • O aumento da produtividade é um dos maiores desafios do

    melhoramento do feijão-caupi, e uma alternativa promissora é melhorar seus

    caracteres componentes e a arquitetura da planta. Em outras leguminosas

    anuais, com maior potencial genético produtivo, as plantas têm inflorescência

    composta. No feijão-caupi, todas as cultivares possuem inflorescência simples.

    Entretanto, há acessos com inflorescência composta. Objetivou-se no presente

    trabalho, obter progênies de inflorescência composta, com pedúnculo curto,

    ciclo precoce e boa arquitetura de planta. A partir de 10 cruzamentos, foram

    obtidas 440 progênies F2:3, que foram avaliadas em um delineamento

    aumentado de Federer. Foi feita seleção entre e dentro de progênies, obtendo-

    se 432 progênies F3:4., avaliadas novamente em delineamento aumentado.

    Destas, foram selecionadas 60 progênies e quatro testemunhas, realizando-se,

    em sequência, dois experimentos em látice 8x8. A seleção precoce foi eficiente

    para fixar os caracteres avaliados. Há uma ampla variabilidade genética entre

    progênies. Os ganhos genéticos estimados e realizados nas progênies F4:5 e F4:6

    indicam que é possível, por meio de seleção, obter progênies precoces, com

    comprimento de pedúnculo curto e tão produtivas quanto, as cultivares

    comerciais utilizadas como testemunhas.

  • ARTEMISA NAZARÉ COSTA BORGES
  • Caracterização genética em germoplasma de cajuí (Anacardium spp.) por meio de marcadores morfoagronômicos e moleculares ISSR.

  • Data: 30/07/2015
  • Mostrar Resumo
  • O cajuizeiro é uma planta característica da vegetação litorânea piauiense de grande importância socioeconômica e ambiental para a população local. A castanha é usada na alimentação ou comercializada em feiras e mercados locais. O pedúnculo possui elevado valor nutritivo, sendo empregado no preparo de doces, bebidas, sucos, tempero ou consumido in natura.  A caracterização e avaliação das relações genéticas de acesos mantidos em bancos de germoplasmas é extremamente importante para a conservação da diversidade genética e sua utilização em programas de melhoramento genético. Este estudo teve por objetivo a caracterização molecular e morfoagronômica de acessos do Banco Ativo de Germoplasma (BAG) do Cajuí da Embrapa Meio-Norte, adicionalmente foi avaliada a diversidade e relações genéticas entre eles. A caracterização morfoagronômica foi realizada por meio de variáveis morfológicas e químicas, sendo submetidas a análises multivariadas de componentes principais e de agrupamento. A caracterização molecular foi realizada usando nove primers ISSR, que amplificaram 104 locos, a partir dos quais foram estimados os índices de diversidade e estabelecidas as relações genéticas entre os acessos. O BAG do Cajuí da Embrapa Meio-Norte apresenta elevada diversidade genética, com potencial para o aproveitamento do pedúnculo na forma in natura e/ou para processamento dos seus derivados. Os resultados deste estudo evidenciaram não existir associação entre os agrupamentos formados e os locais de coleta. Os resultados também demonstram que a diversidade genética apresentada pelos acessos estar organizada em dois grupos genéticos distintos, o que pode ser explicado por diversos fatores, sendo os mais prováveis: o intenso fluxo gênico; a seleção realizada pelo homem; e a possibilidade de cruzamentos interespecíficos. Estas informações serão muito importantes para o melhor manejo do BAG do Cajuí e subsidiar futuros programas de melhoramento genético.

  • BRUNA LIMA BARBOSA
  • Diversidade genética de populações de ovinos Santa Inês no Meio-Norte do Brasil com marcadores de base única (SNPs).

  • Orientador : FABIO BARROS BRITTO
  • Data: 29/07/2015
  • Mostrar Resumo
  • Os ovinos da raça Santa Inês destacam-se em quase todas as regiões do

    Brasil por seu potencial adaptativo e reprodutivo. Embora a raça tenha

    registrado baixos índices produtivos, sabe-se que a mesma apresenta alto

    potencial genético. Porém, a busca de resultados imediatos faz com que

    diversos produtores realizem cruzamentos destes animais com raças exóticas,

    popularmente mais produtivas. Visando a conservação da raça Santa Inês e a

    aplicação deste patrimônio genético em futuros estudos de melhoramento,

    torna-se necessário avaliar a diversidade genética dos rebanhos disponíveis.

    Nesse contexto, esse estudo teve como objetivo avaliar a diversidade genética

    de ovinos puros da raça Santa Inês em fazendas do Piauí e Maranhão,

    utilizando o chip de alta densidade BeadChip OvineSNP50 da Illumina. Dos

    54.241 marcadores de base única (SNPs) disponíveis, foram selecionados os

    que passaram no teste para equilíbrio de Hardy-Weinberg (significância a  

    0,05), frequência do alelo menor (MAF) > 0,1,  GC-score > 0,7, GT-score > 0,5

    e desequilíbrio de ligação (LD com r2 > 0,05), sobrando 1.747 SNPs. Foram

    genotipados animais de seis fazendas (uma em Floriano, PI; duas em Campo

    Maior, PI; duas em José de Freitas, PI; uma em Santa Inês, MA). Os dados

    observados nos SNPs selecionados indicaram valores médios de

    heterozigosidades observada e esperada de, respectivamente, 0,485 e 0,476.

    As estimativas de variação apresentaram valores negativos para o índice de

    fixação F, porém todos próximos a zero. O coeficiente de endogamia (Fis)

    mostrou-se não significativo (-0,023) e a estimativa de número de migrantes

    (Nm = 17,258) corroborou para a hipótese de que os baixos índices de

    endogamia ocorrem devido ao câmbio de animais entre as fazendas. A maior

    parte da variabilidade encontrada (95%, estimada pela AMOVA) está

    uniformemente distribuída entre as fazendas. Porém, por meio da Análise de

    Coordenadas Principais (PCoA) e de análises Bayesianas para avaliação de

    estrutura populacional, observou-se a presença de dois perfis genéticos

    presentes entre as amostras. A maioria dos animais pertence a um grupo

    único, que apresenta baixa introgressão de material genético. Estes animais

    foram observados nos municípios de Floriano e Campo Maior, no Piauí, bem

    como em Santa Inês, Maranhão. Um segundo grupo de animais, encontrado

    nas fazendas de José de Freitas, PI, mostrou material genético mais

    heterogêneo, podendo haver cruzamentos destes com outros de regiões

    distintas.

  • LAÍZE RAPHAELLE LEMOS LIMA
  • Cruzamentos dialélicos para resistência a Macrophomina phaseolina e Thanatephorus cucumeris em feijão-caupi


  • Data: 30/06/2015
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho foi realizado com o objetivo de obter informações sobre as

    capacidades geral e específica de combinação envolvidos no controle genético

    da resistência a Macrophomina phaseolina e a Thanatephorus cucumeris. Para

    isso, 19 genótipos de feijão-caupi foram divididos em dois grupos considerando

    a resistência a M. phaseolina e a T. cucumeris, e cruzados em esquema de

    dialelo parcial 14 x 5. As populações F2 das 70 combinações e os 19 genitores

    foram avaliadas em casa de vegetação quanto à reação a podridão cinzenta do

    caule e a mela. Os genes aditivos atuaram reduzindo a nota de severidade da

    doença com relação à reação a M. phaseolina, sendo os mesmos

    predominantes no controle genético dessa característica, possibilitando o

    ganho com a seleção desse caráter.  Os efeitos de capacidade geral de

    combinação destacaram os genótipos MNC02-675F-4-10, IT98K-1092-1 e

    MNC03-761F-1 à resistência a podridão cinzenta do caule. Sendo os

    cruzamentos BR 14 Mulato x MNC02-675F-4-10, BRS Aracê x MNC03-761F-1,

    BRS Tumucumaque x MNC03-761F-1 e BRS Cauamé x IT98K-1092-1 os mais

    promissores, indicando alto potencial na obtenção de linhagens resistentes à

    podridão cinzenta do caule.

  • RAIMUNDO CARVALHO BORGES
  • Diversidade genética em sapucaia por meio de marcadores ISSR.

  • Orientador : SERGIO EMILIO DOS SANTOS VALENTE
  • Data: 26/06/2015
  • Mostrar Resumo
  • A sapucaia (Lecythis pisonis Cambess) é uma espécie arbórea originária da Amazônia brasileira que produz sementes oleaginosas com grande potencial para comercialização. O germoplasma da maioria das espécies do gênero Lecythis é pouco conhecido, principalmente sobre a variabilidade genética existente, o que é muito importante para sua manutenção. Recentemente, as metodologias mais utilizadas para analisar-se a variabilidade genética têm sido os marcadores moleculares, tais como ISSR (Inter Simple Sequence Repeat). Neste trabalho, utilizou-se a técnica de ISSR para estimar a divergência genética entre acessos, os níveis de variação genética e os padrões da estrutura populacional em L. pisonis. De 22 iniciadores testados, onze foram utilizados para amplificar amostras de DNA de 17 acessos de sapucaia do Banco Ativo de Germoplasma da Embrapa Meio Norte, correspondentes a três populações (duas do Piauí e uma do Maranhão). Foram analisados 96 locos entre os indivíduos estudados. Uma alta variação foi encontrada, tanto em nível de espécie (porcentagem de bandas polimórficas (PPB) = 94,79%; diversidade genética de Nei (h) = 0,3110 e índice de Shannon (I) = 0,4732) quanto ao nível de população (PPB = 20,83-94,79%, h = 0,0863-0,2969, e I = 0,1260-0,4457). Foi detectado um alto nível de diferenciação genética entre as populações (Gst = 18,50%). No entanto, a maior diferenciação genética foi encontrada dentro das populações (81,50%), havendo um elevado fluxo gênico entre elas (Nm = 2,20). Os genótipos BGS 2 e BGS 4 foram os mais divergentes e constituem uma boa combinação para programa de melhoramento.

  • LIVIA DO VALE MARTINS
  • Análise citomolecular em acessos de pimentas do gênero Capsicum.

  • Orientador : ANA PAULA PERON
  • Data: 29/05/2015
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho teve como objetivo avaliar citogeneticamente diferentes acessos

    de pimentas domesticadas C. annuum, C. baccatum, C. chinense e C.

    frutescens provenientes do Banco Ativo de Germoplasma da Universidade

    Federal do Piauí (BAGC-UFPI). Esta avaliação foi realizada por meio das

    técnicas de coloração convencional com Giemsa, bandeamentos C e

    CMA/DAPI e, pela primeira vez no gênero, a técnica de imunocoloração

    utilizando os anticorpos anti-H4K5ac e anti-H3S10f. Todos os acessos

    apresentaram 2n=24 cromossomos, núcleo interfásico semirreticulado e padrão

    de condensação profásico proximal. O padrão de marcação com CMA variou

    de quatro bandas terminais para a maioria dos acessos, ao máximo de 10, 12 e

    18 bandas variáveis de CMA++/DAPI-  e CMA+/DAPI0 nos acessos BAGC 110,

    104 e 194, respectivamente, identificados como C. baccatum var. pendulum.

    Esta espécie está em um agrupamento taxonômico diferente e mais derivado

    em relação às demais espécies domesticadas e exibe características

    particulares como aumento do tamanho do cariótipo e aumento da

    complexidade do padrão de heterocromatina. A marcação com anti-H4K5ac

    ocorreu na cromatina difusa dos núcleos e na eucromatina terminal dos

    cromossomos, sugerindo que estas regiões gênicas são potencialmente ativas

    e ricas em genes, enquanto a anti-H3S10f foi visível apenas na região

    pericentromérica, ausente nos núcleos interfásicos e está relacionada a

    mecanismos de coesão entre cromátides e/ou condensação cromossômica. Os

    resultados obtidos são de grande importância aos programas de melhoramento

    genético de Capsicum, pois além de fornecer características citogenéticas

    adicionais ao BAGC-UFPI, é uma ferramenta útil na localização de acessos

    duplicados, na sua delimitação taxonômica bem como na conservação desses

    recursos genéticos.

  • MÁRIO HENRIQUE RODRIGUES MENDES TORRES
  • Progresso genético com base na seleção simultânea de caracteres em linhagens elite de feijão-caupi.

  • Data: 29/05/2015
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho teve como objetivo estimar o ganho genético com a seleção em linhagens elites de feijão-caupi por meio dos métodos dos níveis independentes de eliminação e de índices de seleção. Foi utilizada uma população proveniente de 25 cruzamentos realizados nos anos de 2004 e 2005. Primeiramente foi realizado um experimento em delineamento de blocos aumentados de Federer, correspondendo ao ensaio preliminar, onde foi realizada a abertura de linhagens endogâmicas, sendo composto de 600 linhagens e quatro testemunhas. A partir deste ensaio, foram selecionadas 164 linhagens, que compôs o ensaio intermediário, avaliado em delineamento de blocos incompletos do tipo látice simples, com cinco testemunhas, conduzido em dois ambientes. Foram selecionadas 31 linhagens nos ensaios intermediários que compuseram os ensaios de Valor de Cultivo e Uso (VCU). Estes divididos em ensaio de VCU de porte ereto/semiereto, composto de 15 linhagens e cinco testemunhas, e ensaio de VCU de porte prostrado/semiprostrado, composto de 16 linhagens e quatro testemunhas, conduzidos, respectivamente, em seis e cinco ambientes, no delineamento de blocos casualizados, com quatro repetições. Foram avaliados os caracteres valor de cultivo, porte da planta, acamamento, peso de 100 grãos e produtividade de grãos. Foram realizadas análises de variâncias individuais e conjuntas a as médias agrupadas pelo teste de Scott-Knott (P0,05). Houve diferenças significativas, para a maioria dos caracteres avaliados, em todos os ensaios, demonstrando a existência de linhagens superiores às cultivares testemunhas. No primeiro ciclo de seleção, o método dos níveis independentes apresentou eficiência na obtenção de ganhos genéticos simultâneos preditos e realizados. No segundo ciclo de seleção, os índices de soma de “ranks” de Mulamba e Mock e multiplicativo de Subandi apresentaram maior eficiência na obtenção de ganhos genéticos simultâneos esperado e realizado.

  • MARCONES FERREIRA COSTA
  • Diversidade genética em populações de Casearia grandiflora no

    Cerrado do Piauí.

  • Orientador : ANGELA CELIS DE ALMEIDA LOPES
  • Data: 06/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • Casearia grandiflora (Salicaceae) é uma espécie típica do Cerrado piauiense que

    ocupa ambientes antropizados, o que permite que seja utilizada em projetos de

    restauração. O conhecimento da diversidade e estrutura genética de tais espécies

    naturais é de grande importância para estabelecimento de práticas e estratégias

    de conservação biológica. O presente estudo teve como objetivo avaliar a estrutura

    genética e populacional de C.grandiflora em duas áreas do Cerrado do Piauí, tanto

    em ambiente natural como antropizado. As populações estudadas foram a unidade

    de conservação do Parque Nacional de Sete Cidades, e uma área em torno da BR-

    341 no município de Cocal de Telha, com distância de 67 km entre as mesmas. A

    caracterização morfológica, utilizando quinze descritores de natureza quantitativa,

    foi realizada através da medição do caule, folha, fruto e semente, seguida

    de posterior análise multivariada (componentes principais e agrupamento). A

    caracterização molecular foi realizada através da transferibilidade de dez iniciadores

    microssatélites nucleares de C. sylvestris para C. grandiflora, e apenas três

    indicadores foram transferidos com sucesso. A estrutura genética e a diversidade

    haplotípica foram estimadas por sete locos de microssatélites cloroplastidiais. Estas

    análises morfológicas e moleculares sugeriram maior variação dentro que entre as

    populações. O número de haplótípos foi maior na população situada na unidade de

    conservação, quando comparada à outra localizada em ambiente antropizado. A

    análise bayesiana realizada no programa Structure indica que as populações não

    estão geneticamente estruturadas. Os resultados fornecem informações importantes

    que contribuem para melhor compreensão da diversidade genética dessa espécie,

    uma vez que a literatura especializada apresenta limitação quanto ao seu perfil

    descritivo.

2014
Descrição
  • UESLEI SILVA LEÃO
  • Seleção para caracteres do grão e resistência a vírus em feijão-caupi de tegumento branco rugoso

  • Data: 30/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil, o feijão-caupi (Vigna unguiculata (L.) Walp.) possui uma

    série de nomes comuns que variam de acordo com a região. No Norte e Nordeste,

    onde se concentra seu maior cultivo, é conhecido como feijão macassar, feijão-de-
    corda e feijão-de-praia. É um prato quase obrigatório das populações rurais e

    urbanas, destacando-se como uma importante fonte de proteína na dieta alimentar

    dos brasileiros das regiões Norte e Nordeste. Há uma preferência nos mercados,

    interno e externo, por grão grande, de cor branca, marron-clara e sempre-verde,

    tegumento rugoso, com hilo e anel do hilo pequenos. A ocorrência de vírus provoca

    perdas na produtividade de até 80 % nas cultivares mais suscetíveis. Os principais

    vírus que infectam a cultura de feijão-caupi no Brasil são: Cowpea severe mosaic

    virus (CPSMV); Cowpea aphid-born mosaic virus (CABMV); Cucumber mosaic virus

    (CMV) e Cowpea golden mosaic virus (CPGMV). Objetivou-se com este trabalho

    selecionar progênies de feijão-caupi de tegumento branco rugoso, com

    características de grão bem aceitas no mercado e expressando resistência aos vírus

    CPSMV (sorotipo I) e CABMV. A primeira seleção de plantas sem sintomas foi

    realizada em duas etapas, uma a nível de bandeja e outra, após transplante, em

    campo. As sementes F3 de três cruzamentos foram inoculadas mecanicamente com

    mistura dos vírus CABMV e CPSMV, num total de 3072 plantas inoculadas, sendo

    selecionadas 260 plantas ao fim dessa seleção. A segunda seleção envolveu

    também duas etapas. Na primeira etapa foi feito um ensaio em delineamento

    aumentado com as progênies das plantas sem sintomas selecionadas em F3 e na

    segunda etapa, as progênies F3:4 selecionadas na primeira etapa, oriundas de

    sementes remanescentes, foram submetidas a uma inoculação mecânica, em

    bandejas, com a mistura dos vírus CABMV e CPSMV, sendo transplantadas para

    telado para a multiplicação de sementes, sobrando ao fim das duas seleções, 40

    progênies F3:5 para avaliação de características agronômicas em dois ensaios de

    campo, um em Teresina (PI) e outro em Tracuateua (PA), nas quais foi utilizado o

    delineamento experimental de blocos casualizados, com quatro repetições. Houve

    diferença significativa entre tratamentos (p ≤ 0,01) nos dois ensaios para a maioria

    dos caracteres, cabendo destacar: peso de 100 grãos; produtividade; comprimento,

    largura e altura do grão; relação comprimento/altura e largura/altura do grão e

    largura e comprimento do hilo. Constata-se também que houve efeito significativo

    de tratamento e da interação ensaio x tratamento (p ≤ 0,01) para a maioria dos

    caracteres. Quatorze progênies apresentaram grãos da classe grande (25-30g).

    Quatro progênies (MNC11-1071B-20; MNC11-1071B-61; MNC11-1071B-123 e

    MNC11-1073B-206) apresentaram resistência múltipla aos vírus CPSMV e CABMV

    e 36 apresentaram resistência somente ao CPSMV.

     

  • JOSEANE INÁCIO DA SILVA MORAES
  • Diversidade da flora apícola no município de São João do Piauí

  • Orientador : REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
  • Data: 30/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • A flora apícola de uma região é constituída pelo conjunto de

    plantas que fornecem os recursos essenciais à sobrevivência das abelhas.

    Assim, para que o apicultor possa desenvolver sua atividade de forma

    sustentável é de fundamental importância que ele tenha conhecimento das

    espécies que compõem o pasto apícola. Dessa forma, ele poderá preservá-las

    e multiplicá-las, contribuindo também para a preservação do meio ambiente. O

    presente trabalho teve como objetivo, estudar a diversidade de flora melitófila

    no município de São João do Piauí, região do semiárido piauiense, buscando

    informações que possam subsidiar os apicultores na escolha das áreas a

    serem exploradas e na escolha das técnicas e estratégias de manejo produtivo

    a serem adotadas. Durante o período de abril de 2012 a setembro de 2013

    foram realizadas coletas de material botânico em florescimento e das espécies

    de abelhas que foram observadas coletando recursos florais na Fazenda

    experimental da Embrapa Meio-Norte, no município de São João do Piauí.

    Foram feitas 222 observações, sendo que em 11,26% das espécies vegetais

    foram observadas abelhas coletando néctar, em 10,81% abelhas coletando

    pólen, em 4,05% coletando tanto néctar quanto pólen. O horário em que houve

    um maior número de visitantes florais coletando algum tipo de recurso foi entre

    8h00 e 10h00 no período da manhã. As abelhas Apis mellifera foram as mais

    representativas da região amostrada, sendo observadas visitando 11 famílias

    botânicas. Euphobiaceae, Fabaceae e Malvaceae foram as mais visitadas por

    esta espécie coletando preferencialmente néctar. A análise de agrupamento

    método vizinho mais próximo classificou as espécies botânicas em seis grupos

    distintos e o índice de correlação de Spearman indicou que há especificidade

    entre a abelha e recurso coletado para a área estudada.

  • MARIA ROSIMERE BEZERRA XAVIER
  • Estudo da estrutura genética populacional do caranguejo guaiamum, Cardisoma guanhumi, por meio da região controle do mtDNA.

  • Orientador : SEVERINO CAVALCANTE DE SOUSA JUNIOR
  • Data: 27/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • Cardisoma guanhumi (Brachyura: Gecarcinidae) é uma espécie de caranguejo semi-
    terrestre de grande importância bioecológica e econômica, atualmente encontra-se

    entre as espécies de caranguejos mais exploradas no Brasil. O conhecimento da

    genética populacional desta espécie auxilia na elaboração de projetos de Manejo e

    Conservação. No presente estudo foram analisados a eficiência da região controle

    do DNA mitocondrial (mtDNA) como marcador molecular em duas populações no

    Brasil: Alagoas e Bahia. O índice de diversidade haplotípica (Hd) foi de 0,99 e de

    diversidade nucleotídica Pi () 0,029, indicando alta diversidade entre as populações.

    Adicionada a esta análise foi verificado o nível de diversidade de 97 indivíduos

    amostrados do Brasil e do Caribe. Foram obtidos 234 sítios polimórficos, 93

    haplótipos únicos, com valor de adenina e timina A+T= 75,6%, taxas de transição

    superior às taxas de transversões, Iss de 0.09 e Issc de 0,8. Diversidade Haplotípica

    (Hd) foi de 0,99 e a diversidade nucleotídica de 0,067. A estruturação genética

    indicou 3 haplogrupos. FST de 0,48 confirmou o valor elevado de diferenciação

    genética entre populações do Brasil e Caribe. O teste de neutralidade: D de Tajima e

    Fs Fu foram negativos o que indicou uma expansão populacional recente.

    Adicionado a estes índices o Raggedness Índex: R e a soma dos desvios do

    quadrado (SSD) foram inexpressivos, confirmando um expansão recente e uma

    Distribuição de Mismatch unimodal. No teste de Mantel a correlação de coeficiente (r)

    foi de 0,94. P=0,01, indicando que a matriz de diversidade de FST está fortemente

    relacionada com a distância geográfica das populações. A árvore de distância

    Neighbor-Joining separou os indivíduos em dois grandes grupos e forneceu a

    distância entre os haplótipos, semelhantemente, com a rede de haplótipos foi

    possível visualizar a ruptura genética entre populações do Brasil e do Caribe. Estes

    resultados foram concordantes com trabalhos anteriores de invertebrados e retificou

    a eficiência da região controle do mtDNA como marcador molecular.

  • SÉRGIO EWERTON MENEZES DOS SANTOS
  • Avaliação da integridade de ácidos nucleicos em sementes envelhecidas de feijão-caupi.

  • Orientador : SERGIO EMILIO DOS SANTOS VALENTE
  • Data: 27/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • A conservação de sementes ortodoxas em câmaras frias é a forma mais

    comum de conservação ex situ de recursos genéticos vegetais. A despeito da

    longevidade, as sementes conservadas sofrem processo de envelhecimento

    culminando com sua morte. Os mecanismos bioquímicos envolvidos nos processos

    de morte e envelhecimento de sementes constituem informações valiosas para o

    monitoramento das mesmas e prevenção da perda de acessos. A deterioração de

    ácidos nucleicos (DNA e RNA) ocorre durante o envelhecimento e por ser facilmente

    avaliada pode ser uma ferramenta promissora para o estudo da perda de viabilidade

    em sementes. No presente trabalho, avaliou-se a integridade de ácidos nucleicos de

    sementes de feijão-caupi (Vigna unguiculata) submetidas a diferentes condições de

    temperatura e tempo durante o envelhecimento acelerado. Submeteu-se sementes

    das cultivares de feijão-caupi, BR 17 Gurgueia, BRS-Marataoã e BRS-Guariba aos

    testes de envelhecimento acelerado (E.A), teste de germinação (T.G) e avaliação da

    integridade do DNA e RNA de sementes envelhecidas embebidas ou não e plântulas

    anormais obtidas no T.G. Foi observada uma correlação entre o grau de degradação

    dos ácidos nucleicos com a perda da viabilidade das sementes de feijão-caupi das

    cultivares avaliadas. As cultivares de feijão-caupi BR 17 Gurgueia, BRS-Marataoã e

    BRS-Guariba manifestaram respostas moleculares variadas, quanto à integridade de

    ácidos nucleicos, frente a iguais condições de E.A.

  • AKEMI SUZUKI CRUZIO
  • Eficiência da seleção em geração precoce para tamanho de grão e seu efeito em outros caracteres de feijão-caupi
  • Data: 25/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • feijão-caupi (Vigna unguiculata (L.) Walpers) é uma leguminosa com elevado valor nutricional, baixo custo de produção e pouco exigente quanto às condições de cultivo. Seu destaque, em relação aos demais tipos de leguminosas, ocorre devido ao seu curto ciclo para maturidade, à sua tolerância à seca e seu elevado valor nutricional. Entretanto, é importante ressaltar que uma cultivar de feijão-caupi para entrar no mercado produtivo deve atender as preferências de produtores, comerciantes e consumidores. A literatura mostra que a aparência visual dos grãos possui forte influência no mercado, e que, de maneira geral, há uma predileção por grãos grandes com tegumento branco e textura rugosa, o que sugere que o melhoramento desses caracteres possui alta relevância comercial. No presente trabalho foi dado ênfase à eficiência da seleção precoce para tamanho de grão e seu efeito em treze caracteres de feijão-caupi da classe branco: número de dias para a floração (NDF); comprimento da vagem (CVG); número de grãos por vagem (NGV); índice de grão (IG); peso de 100 grãos (P100G); produção (PROD); largura (LG); comprimento (CG); altura (AG) do grão; razão entre largura e altura do grão (RLA); razão entre comprimento e altura do grão (RCA); e largura (LAH) e comprimento (CAH) do anel do hilo. A caracterização da forma dos grãos foi efetuada com base nos coeficientes J e H, propostos por Puerta Romero (1961). O material genético utilizado foi obtido de um retrocruzamento, o qual foi avançado até a geração F5. Foram realizados dois ensaios, um com a geração F5:6 e outro com F5:7, ambos em delineamento látice simples 14 x 14. Cada ensaio foi composto por 194 tratamentos (97 progênies não selecionadas, 97 selecionadas) e dois parentais. A seleção precoce para tamanho de grão foi eficiente para o aumento desse caráter, produziu diferença entre a população selecionada e não selecionada e não comprometeu a variabilidade entre progênies dentro da população selecionada. As dez progênies com maior tamanho de grão foram: 77, 89, 66, 33, 88, 86, 74, 90, 6 (população selecionada) e 99 (população não-selecionada).

  • IOLLY TABATA OLIVEIRA MARQUES
  • Caracterização da Diversidade Genética de Ovinos Santa Inês no Estado do Piauí.

  • Orientador : FABIO BARROS BRITTO
  • Data: 30/05/2014
  • Mostrar Resumo
  • A raça Santa Inês é a de maior destaque entre os ovinos deslanados existentes hoje no Brasil. Os animais apresentam vantagens em qualidade da carne, tamanho de animal e o sistema de criação, motivos que justificam a expansão crescente da raça entre os produtores. Diante do manejo reprodutivo em que os animais são submetidos, com cruzamentos intercorrentes e poucos reprodutores, se faz necessário um estudo constante sobre a diversidade genética das populações, visando à conservação de germoplasma. Portanto, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a diversidade genética da raça de ovinos Santa Inês em rebanhos do Piauí, usando marcadores RAPD. Foram analisadas seis populações (Cristino Castro, Bom Jesus, Redenção, São Raimundo Nonato, Teresina e Campo Maior) utilizando 5 primers RAPD. Foram encontrados 36 locos polimórficos e índice de heterozigosidade (Hs) de 0,289. O coeficiente de endogamia (f) da população como um todo foi de 0,172, mostrando um nível médio de endogamia; o índice θII e o valor de ΦST foram de 0,132, revelando diferenciação genética média entre as populações. A AMOVA mostrou que 87% da variabilidade está dentro das populações. Os resultados da analise de grupamento e estrutura populacional mostraram que as populações estão estruturadas em apenas 3 grupos, evidenciando certo fluxo gênico entre localidades. A origem dos animais usados no presente estudo e o comércio entre as localidades podem ser os responsáveis pelos achados no presente trabalho.

  • JOSILANE SOUZA DA PENHA
  • Taxa de fecundação cruzada natural e diversidade genética em feijão-fava no Brasil

  • Orientador : ANGELA CELIS DE ALMEIDA LOPES
  • Data: 28/05/2014
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-fava pertence à espécie Phaseolus lunatus, está na família Fabaceae uma das mais importantes nas angiospermas. É uma importante fonte de alimento no país, principalmente no nordeste onde seu consumo é maior. Para um maior aproveitamento dos recursos genéticos em programas de melhoramento é de suma importância o estudo da diversidade genética nas populações e a determinação do sistema de reprodução da espécie. Assim, no presente estudo objetivou-se estudar a diversidade de genética e estimar a taxa de cruzamento natural em feijão-fava através de marcadores de microssatélites. Foram utilizados 14 populações com 12 progênies cada. A partir das frequências alélicas foram determinados os parâmetros de diversidade como número de alelos total de alelos (61), número de alelos por locos (A = 6,10), porcentagem de locos polimórficos (P = 30%), heterozigosidade esperada (He = 0,60) e heterozigosidade observada (Ho = 0,077). Mostrando alta variabilidade genética nessas populações. O índice de fixação (f) para as populações foi de -0,316. As estimativas de Cockerham (1969) foram obtidas (  = 0,880 e p = 0,908) e mostraram que 90,8% da diversidade genética se encontram entre as populações. Os parâmetros de diversidade de Nei (1973) mostraram uma grande variabilidade total (HT = 0,596), sendo distribuída uma pequena parte dentro das populações (HS = 0,058). Entre as populações a variabilidade foi maior (DST = 0,538), a proporção de diferenciação entre as populações foi de 90,2% (GST = 0,902) do total. No estudo da taxa de cruzamento foram obtidas taxas de cruzamentos multilocos (tm) de 0,381 e unilocos (ts) de 0,078, mostrando uma taxa de cruzamento de 38,1% evidenciando que um sistema de cruzamento misto com predominância de autofecundação. A taxa de cruzamento entre indivíduos aparentados foi alta e significativa (tm - ts = 0,303). A correlação multiloco de paternidade foi muito alta (rp(m) = 0,889) mostrando que as progênies são constituídas principalmente por irmãos-completos. A proporção de autofecundação (1 - tm) foi de 61,9%, confirmando que a espécie é predominantemente autógama. O número médio de indivíduos polinizadores que efetivos por plantas (Nep) foi muito baixo (1,12). O índice de fixação dos genótipos maternos (Fm) foi de 0,945, mostra a grande presença de homozigotos entre esses indivíduos. Assim, essas populações de feijão-fava estudadas apresentaram diversidade genética intra e interpopulacional e um sistema misto com predomínio de autogamia.

  • RAFAEL DA COSTA ALMEIDA
  • Diversidade genética em germoplasma de arroz japonês sob estresse hídrico e térmico



  • Orientador : REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
  • Data: 27/05/2014
  • Mostrar Resumo
  • A seca é uma das maiores limitações à produtividade de arroz em todo o mundo. Diante disto, há a necessidade de ampliar a base genética de variedades melhoradas para atender a demanda de aumento da produção de alimentos, e o primeiro passo nessa direção é a caracterização e avaliação de recursos genéticos armazenados em banco de germoplasma com base em caracteres agromorfológicos para determinar a variabilidade genética. Em virtude do exposto, este trabalho teve como objetivo estudar a diversidade genética em 190 acessos de arroz japonês, pertencentes ao banco de germoplasma de arroz do Departamento de Genética da ESALQ/USP, e selecionar genótipos com potencial para tolerância à seca, que servirão como fonte de genes para os programas de melhoramento. Foram utilizados 17 descritores, sendo todos avaliados como variáveis contínuas, relacionados à planta e aos componentes de produção. O delineamento experimental utilizado foi o alfa-látice, com quatro testemunhas comuns, representadas pelas cultivares brasileiras (IAC 25, IAC 165, Chorinho e Irga 417), com três repetições. Para a seleção dos acessos que continuarão no programa de melhoramento para tolerância à seca, foram realizadas análises univariadas (distribuição de frequência) e multivariadas (análise de componentes principais e de agrupamento). Os acessos japoneses estudados apresentam variabilidade genética, com diferentes respostas às variações ambientais e com características desejáveis agronomicamente, tanto relacionadas à planta (altura da planta, comprimento e largura da folha bandeira) quanto aos componentes de produção (número de grãos por panícula, comprimento da panícula, rendimento total e rendimento de grãos íntegros). Quando considerado as médias dos acessos, observou-se que os cinco primeiros componentes principais explicaram 70,20% da variação. Na análise de agrupamento pelo método UPGMA mostrou a existência de cinco grupos a um nível de aproximadamente 60% de divergência genética. Os acessos 118J, 136J, 203J, 202J, 80J, 293J, 3J e 1J apresentam potencial para a tolerância à seca, podendo ser utilizados na ampliação da base genética em programas de pré-melhoramento e melhoramento de sequeiro da cultura no Brasil. 

  • JÉSSICA DANIELE LUSTOSA DA SILVA
  • Seleção simultânea para desenvolvimento de linhagens de feijão-caupi de porte ereto e do tipo fradinho

  • Data: 25/04/2014
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi é uma importante leguminosa amplamente difundida pelos

    trópicos, principalmente por ser mais tolerante às condições climáticas das

    regiões semi-áridas. No Brasil é produzido e comercializado principalmente nas

    regiões Norte e Nordeste, por ser mais adaptado as condições dessas regiões.

    Dentre os vários tipos de feijão-caupi cultivados nos Brasil, a subclasse

    comercial fradinho vem se destacando por ser um grão muito apreciado pelo

    consumidor brasileiro e por ser considerado um grão com características

    desejáveis para a exportação. Vários estudos a cerca deste tipo de grão vêm

    sendo desenvolvidos com o intuito de melhorar características como a

    produtividade e qualidade do grão. Para obter cultivares superiores, o

    melhorista utiliza de métodos como a seleção simultânea de um conjunto de

    caracteres de importância, objetivando ganhos em vários aspectos da cultura.

    Diante do exposto, é necessário ampliar o número de cultivares da subclasse

    fradinho. O presente trabalho foi conduzido com o objetivo de avaliar linhagens

    de feijão-caupi subclasse comercial fradinho de porte ereto. Inicialmente, foi

    realizado um experimente usando o delineamento em Blocos aumentados de

    Federer para testar 105 progênies de feijão-caupi tipo fradinho. Dentre estas

    avaliadas neste primeiro ensaio, 77 progênies foram selecionadas para serem

    avaliadas em três ensaios posteriores, usando o delineamento Látice simples

    9x9. A partir das avaliações, foi possível selecionar 24 progênies superiores de

    feijão-caupi subclasse comercial fradinho. Estas por sua vez, foram avaliadas

    com o auxilio do Delineamento em Blocos Casualizados. Foram realizadas

    análises de variância individual e conjunta, análises de correlações genéticas e

    análises de trilha e por fim o ganho genético. A análise de variância do

    experimento em Blocos Aumentados de Federer mostrou que apenas o caráter

    produção obteve efeitos significativos para tratamentos (P≤0,01). Nas análises

    de variância dos ensaios em Látice Simples pôde-se constatar que houve

    diferença significativa entre os tratamentos para todos os caracteres nos três

    ambientes avaliados, indicando a existência de variabilidade genética entre os

    genótipos para todos os caracteres estudados. As correlações genéticas e a

    análise de trilha mostraram que há caracteres correlacionados

    significativamente e que a seleção indireta de alguns caracteres pode levar a

    um maior ganho com a seleção. Os ganhos preditos e realizados foram no

    geral baixos para todos os caracteres, porém para alguns ganhos realizados se

    aproximaram dos ganhos preditos.

  • DANIELES GUIMARÃES OLIVEIRA
  • Seleção simultânea para produção, biofortificação e culinária em populações segregantes de feijão-caupi.

  • Data: 25/04/2014
  • Mostrar Resumo
  • Resumo – Este trabalho objetivou avaliar e selecionar genótipos de feijão-caupi para produção, biofortificação e culinária, por meio de estimativas de médias e parâmetros genéticos. Foram avaliados 11 genótipos de feijão-caupi (3parentais e 8 gerações segregantes F3 e F4) em um experimento conduzido em delineamento de blocos completos casualizados com quatro repetições para os caracteres agronômicos e culinário e três repetições para os caracteres nutricionais. Foram avaliados os seguintes caracteres: número de dias para o início da floração (NDIF), número de dias para o início da maturação (NDIM), porte da planta (PP), acamamento (ACAM), valor de cultivo (VC), comprimento de vagem (COMPV), número de grãos por vagem (NGV), peso de 100 grãos (P100G), índice de grãos (IG), produtividade de grãos (PG), tempo de cocção (TC), concentração de proteína (CP), concentração de ferro (CF) e concentração de zinco (CZ). Foram realizadas análises de variância e comparação de médias para todos os caracteres e estimados os seguintes parâmetros genéticos: coeficiente de variação genético (CVg), coeficiente de herdabilidade no sentido amplo (h2), relação CVg/CVe, coeficiente de correlação fenotípica entre caracteres e o ganho com a seleção por meio de índices de seleção. Foram detectadas diferenças significativas entre genótipos (P<0,01) para todos os caracteres avaliados, exceto para CF e CZ. Para a maioria dos caracteres, os genótipos BRS Xiquexique, IT-98K-205-8 e IT-97K-1042-3, destacaram-se com os melhores desempenhos. Os genótipos IT-97K-1042-3, F4C2, F4C3 e F4C4descaram para a CP, com médias acima da média geral (26,14%). Embora a PG tenha apresentado h² acima de 70%, o quociente CVg/CVe obtido foi menor que 1,0, evidenciando uma maior influência ambiental nesse caráter. A CZ foi altamente influenciada pelo ambiente. A seleção indireta via componentes de produção pode levar a aumentos na produtividade de grãos. A seleção no caráter TC não influencia nos demais caracteres.Quanto maior o NDIM, maior a CF no grão e menor a possibilidade de se obter progênies superiores em produtividade e precocidade. A seleção para aumento da PG e IG pode levar a decréscimos na CP e CF, mas não afeta a CZ, nos cruzamentos avaliados.

  • POLYANNA ARAUJO ALVES BACELAR
  • Caracterização citogenética em acessos de Allium sativum L.


  • Orientador : ANA PAULA PERON
  • Data: 24/04/2014
  • Mostrar Resumo
  • O Allium sativum L. é uma herbácea da família Alliaceae com sabor e aroma

    peculiares, cujas propriedades medicinais e nutracêuticas o fazem ser amplamente

    comercializado em diversos países. O Brasil é um dos maiores importadores de

    alho do mundo, apesar de possuir capacidade de potencializar sua produção. No

    entanto, para isso é necessário explorar a diversidade genética principalmente em

    bancos de germoplasma, como por exemplo, com o estudo dos cromossomos. Em

    programas de melhoramento a caracterização citogenética permite que o melhorista

    tenha maior capacidade de manipulação dos genótipos e melhor orientação

    na tomada de decisões. Assim, este trabalho teve como objetivo caracterizar a

    diversidade citogenética em acessos de alho do Banco Ativo de Germoplasma de

    Alho da Escola Superior de Agricultura ‘Luiz de Queiroz’ - Universidade de São

    Paulo (ESALQ-USP). Os cariótipos foram obtidos pela coloração convencional com

    Giemsa e bandeamento com fluorocromos CMA/DAPI. Todos os acessos analisados

    apresentaram número cromossômico 2n=16, fórmula cariotípica 6M+2SM, cariótipos

    simétricos, núcleos interfásicos do tipo reticulado, cromossomos com padrão de

    condensação uniforme. No bandeamento com CMA/DAPI, nenhum dos genótipos

    teve similaridade completa nas bandas, havendo heteromorfismo entre pares

    cromossômicos e entre os genótipos. Foi possível dividir os acessos em dois

    grupos de acordo com os tipos de bandas CMA+

    heteromórficos sejam utilizados como marcadores citológicos para identificação do

    acesso e/ou associados a algum caráter de interesse econômico, pois a aplicação

    dos fluorocromos CMA e DAPI em Allium sativum L. foi satisfatória, permitindo uma

    identificação confiável do genótipo analisado.

    . Sugere-se que os cromossomos

  • RAUL FERREIRA DE MIRANDA MENDES
  • Variabilidade genética de genótipos crioulos de feijão-caupi analisada por marcadores ISSR

  • Data: 17/04/2014
  • Mostrar Resumo
  • A disponibilidade de água na região semiárida do nordeste do Brasil é severamente

    limitada. Assim é grande a busca por cultivares mais produtivas e tolerantes

    a estresse hídrico. Nessa busca a compreensão da variabilidade genética de

    uma espécie é um importante conhecimento primário para orientar a seleção

    e aperfeiçoamento em um programa de melhoramento. O feijão-caupi possui

    uma grande variabilidade genética que o torna versátil, sendo usado para várias

    finalidades e em diversos sistemas de produção. Dessa forma, objetivou-se com

    esse trabalho estimar a variabilidade de genótipos crioulos de feijão-caupi coletados

    no Rio Grande do Norte através de marcadores ISSR. Foram caracterizados 64

    genótipos, sendo 60 crioulos e 4 cultivares comerciais de feijão-caupi pertencentes

    à Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Os 60 genótipos

    crioulos foram coletadas em 13 microrregiões do Estado do Rio Grande do Norte.

    O conjunto de 13 primers selecionados para avaliação dos 64 genótipos gerou

    257 locos ISSR, dos quais 247 foram polimórficos, correspondendo a 96,11% de

    polimorfismo, obtendo-se média de 19,77 marcadores por primer, cujo tamanho

    dos fragmentos variou de 200 a 2000 pb. O dendrograma (UPGMA) formou três

    grupos bem definidos. Não houve relação entre a distância genética e a distância

    geográfica. Para melhor entendimento dos agrupamentos foi utilizado o programa

    Structure, baseado na estatística bayesiana, que permitiu entender melhor os grupos

    formados no dendrograma. Dos 64 indivíduos avaliados, 17 possuem ancestral em

    outras populações. Houve diferenciação genética entre as 14 populações de feijão-
    caupi na análise de variância molecular (AMOVA), sendo à diversidade genética total

    dividida em 8,18% entre as populações e 91,82% dentro das populações. O índice

    de fixação (FST) foi de 0,0818. Os cruzamentos entre os genótipos da microrregião

    Agreste potiguar e as testemunhas; 1-1 (Agreste potiguar) e 50-1 (Pau dos ferros);

    24-1 (Serra de São Miguel) e 10-1 (Angicos); 21-1 (Pau dos ferros) e Guariba

    constituem as melhores combinações para programas de melhoramento.

  • CAROLLINE DE JESUS PIRES
  • Divergência genética em introduções de Phaseolus lunatus L. do banco de germoplasma da Universidade Federal do Piauí.

  • Orientador : ANGELA CELIS DE ALMEIDA LOPES
  • Data: 10/03/2014
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-fava, segunda leguminosa de maior importância do gênero Phaseolus, é a principal fonte alimentar e de renda da região nordeste do Brasil. Além disso, a cultura adapta-se às mais diversas condições ambientais, sendo considerada mais tolerante à seca que o feijão comum, e ao mesmo tempo, apresenta uma grande variabilidade genética a qual tem sido mantida em bancos de germoplasma. A Universidade Federal do Piauí mantém um Banco Ativo de Germoplasma de Feijão-fava, cuja caracterização por meio de descritores botânicos, morfológicos, agronômicos e moleculares é imprescindível para possibilitar a sua utilização. Dessa forma, objetivou-se caracterizar acessos adquiridos pelo intercâmbio com a Universidade Federal de Viçosa, a partir de descritores morfoagronômicos, propostos pelo Bioversity International e marcadores microssatélites. Os acessos foram agrupados pelo método hierárquico UPGMA, adotando-se a distância generalizada de Mahalanobis (D2) como medida de dissimilaridade. O valor máximo de divergência genética, calculado com base na distância de Mahalanobis, foi obtido para o par UFPI-262 e UFPI-252 (D2 = 88,74). A análise do dendrograma,com base na matriz de dissimilaridade dos dados quantitativos, possibilitou a formação de quatro grupos. O método de otimização de Tocher possibilitou a distribuição dos acessos estudados em dez grupos distintos para os caracteres qualitativos avaliados. Na caracterização molecular, dos 15 locos estudados, dez apresentaram polimorfismo e o número de alelos por loco variou de dois a sete. A heterozigosidade média observada (0,0087) foi inferior à esperada (0,3160). O conteúdo de informação polimórfica (PIC) variou de 0,0767 para os locos BM 140 e BM 183 a 0,7240 para o loco PVat001. Assim, a caracterização morfoagronômica e molecular mostraram-se eficientes em quantificar a divergência genética entre os acessos estudados.

     

2013
Descrição
  • MARIANE DE MORAES COSTA
  • Potencial genético de populações segregantes para o teor de ferro e caracteres agronômicos em feijão-caupi

  • Data: 31/07/2013
  • Mostrar Resumo
  • COSTA, M. M. Potencial genético de populações segregantes para o teor de ferro e caracteres agronômicos em feijão-caupi. 70 p. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento) – Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2013.

     

    A seleção para o aumento dos teores de minerais no grão aliado a um bom desempenho agronômico tem sido o foco do programa de biofortificação do feijão-caupi no Brasil. Este trabalho objetivou avaliar o potencial genético de populações segregantes para o teor de ferro e caracteres agronômicos e estimar parâmetros genéticos importantes para a seleção em feijão-caupi. Foram realizados dois cruzamentos entre parentais com altos teores de ferro e zinco e alto potencial agronômico (C1: BRS Xiquexique x BR 17-Gurguéia e C2: IT-98K-205-8 x Evx-63-10E) e obtidas as gerações F1, F1 recíproco, F2, F2 recíproco, F3, e F3 recíproco para C1 e as gerações F1, F1 recíproco, F2 e F2 recíproco para C2, ambos em condições de telado. Posteriormente, conduziram-se dois ensaios em condições de campo na Embrapa Meio-Norte, em Teresina-PI, no ano de 2012, no delineamento de blocos completos casualizados com seis tratamentos e três repetições. Foram avaliados os seguintes caracteres: número de dias para o início da floração (NDIF), número de dias para maturidade (NDMD), número de dias para maturação (NDM), tipo de porte (TP), valor de cultivo (VC), acamamento (ACAM), reação a vírus (RV), comprimento de vagem (COMPV), número de grãos por vagem (NGV), peso de 100 grãos (P100G), índice de grãos (IG) e produção por planta (PP). Foram realizadas análises de variâncias, testes de comparações de médias e estimados os seguintes parâmetros genéticos: coeficiente de variação genética, herdabilidades no sentido amplo e restrito, relação entre o coeficiente de variação genética entre genótipos e o coeficiente de variação experimental, relação entre o coeficiente de variação genética dentro de genótipos e o coeficiente de variação experimental, correlação entre caracteres, e o ganho genético para o teor de ferro. Para C1, os caracteres NVP, COMPV e PP apresentaram-se como os mais promissores para a seleção de genótipos superiores, enquanto o teor de ferro apresentou pronunciado efeito do ambiente e baixa herdabilidade. Para C2, o COMPV apresentou-se como o caráter mais promissor para obtenção de genótipos superiores. As correlações indicaram a possibilidade de selecionar genótipos mais produtivos e ao mesmo tempo precoces para os dois cruzamentos.


  • MASSAINE BANDEIRA E SOUSA
  • Avaliação de linhagens elite de feijão-caupi em regiões do cerrado brasileiro

  • Data: 16/07/2013
  • Mostrar Resumo
  • A produtividade do feijão-caupi varia muito, em virtude, principalmente, das variações climáticas e da utilização de materiais genéticos pouco produtivos ou com características indesejáveis. Portanto, este trabalho teve como objetivos estudar a interação genótipos por ambientes e a adaptabilidade e estabilidade das linhagens elite de feijão-caupi de porte semiprostrado e ereto visando o registro e o lançamentocomo cultivares. Foram avaliados dois Ensaios Preliminares, nove ensaios VCU de porte semiprostrado e nove ensaios VCU de porte ereto em regiões do cerrado no período de 2009 a 2012. Avaliaram-se os seguintes caracteres: peso de vagem (PV), número de grãos por vagem (NGV), peso de grãos por vagem (PGV); peso de 100 grãos (P100G); índice de grãos (IG) e produtividade de grãos (PG). Para as análises de adaptabilidade e estabilidade utilizou-se as metodologias deEberhart e Russell (1966), Cruz, Torres e Vencovsky (1989),Lin e Binns modificado por Carneiro (1998), Wricke (1965) e Annicchiarico (1992).No ensaio de VCU-PP e VCU-PE houve diferença significativa entre os genótipos em relação aos caracteres avaliados, indicando a presença de variabilidade genética. Houve diferenças significativas entre genótipos, interação anos x locais e entregenótipos x anos x locais para a maioria dos caracteres agronômicos. O resultado dessa interação evidência a necessidade de realização de análises de estabilidade. Nos ensaios de VCU-PP as linhagens apresentaram desempenho superior às cultivares, para todos os caracteres exceto para NGV e nos ensaios VCU-PE as linhagens apresentaram desempenho superior às cultivares para NGV. O resultado indica aocorrência de resposta diferencial dos genótipos em relação aos diferentes ambientes de cerrado e o desempenho superior das linhagens em relação as cultivares. A linhagem de porte semiprostrado MNC02-701F-2 e as linhagens de porte ereto MNC02-675F-4-9, MNC02-675F-4-2 e MNC02-675F-9-2 apresentam elevado potencial para registro e lançamento como cultivares para regiões de Cerrado. As metodologias de Eberhart e Russell, Lin e Binns modificado por Carneiro e Annicchiarico foram eficientes em indicar genótipos estáveis e adaptados.

  • JAQUELINE LUZ MOURA SOUSA
  •  

    Seleção de genótipos de feijão-caupi em condições de sequeiro irrigado para o mercado de vagens e grãos verdes


  • Data: 21/06/2013
  • Mostrar Resumo
  • Os objetivos deste trabalho foram: avaliar e selecionar genótipos de feijão-caupi em condições de sequeiro e irrigado com potencial para o mercado de vagens e grãos verdes de Teresina-PI e estimar parâmetros genéticos em caracteres associados com a produção de vagens e grãos verdes em condições de sequeiro e irrigação. Foram avaliados 16 genótipos de feijão-caupi em dois experimentos, sendo um em condições de sequeiro e outro em condições de irrigação, no campo experimental da Embrapa Meio-Norte, em Teresina, PI, no ano de 2012. Em ambos os ensaios, adotou-se o delineamento de blocos ao acaso com quatro repetições. Foram avaliados os seguintes caracteres: números de dias para o inicio da floração (NDIF), tipo de planta (TP), reação a doenças (RD), acamamento (ACAM), valor de cultivo (VC), frequência de colheita de vagens verdes (FCVV), facilidade de abertura de vagens verdes (FAVV), comprimento de vagem verde (COMPVV), número de grãos por vagem verde (NGVV), peso de cem grãos verdes (P100G), produtividade de vagens verdes (PVV), produtividade de grãos verdes (PGV) e índice de grãos verdes (IGV). Foram realizadas análises de variância e estimados os coeficientes de variação genético, determinação genotípica e correlações. Existe variabilidade genética entre genótipos para a maioria dos caracteres, em ambas as condições de cultivo. A linhagem MNC00-303-09E e as cultivares BRS Guariba, BRS Tumucumaque e Sempre-Verde-CE foram superiores para o COMPVV; a linhagem MNC05-847B-123 foi superior para o PP; e a cultivar Azulão-MS foi superior em VC e PVV, em condições de sequeiro. No geral, as linhagens apresentaram comportamentos similares às testemunhas quanto a PVV e PGV, sendo a linhagem MNC00-595F-27 superior em valor absoluto quanto à produção e qualidade do grão verde. As estimativas de parâmetros genéticos foram muito afetadas pelo tipo de cultivo. O PP, o P100GV, a PVV e a PGV apresentaram maior variabilidade genética em ambas as condições de cultivo. Os caracteres NDIF, PP e IGV apresentaram maior confiabilidade do fenótipo na expressão do componente genético em condições de sequeiro, enquanto o P100GV, em condições de irrigação. É difícil a seleção para porte mais ereto e maior NGVV e mais fácil obter ganhos simultâneos para o aumento do COMPVV, P100GV, PVV, PGV e IGV. A seleção para o aumento do COMPVV e da PVV deve levar em consideração o tipo de cultivo, sendo mais vantajoso em condições de sequeiro.

  • KATIA SILENE SOUSA CARVALHO
  • Diversidade genética de Haemonchus contortus em populações de pequenos ruminantes do Piauí.

  • Orientador : FABIO BARROS BRITTO
  • Data: 17/06/2013
  • Mostrar Resumo
  •  

    O nematódeo gastrintestinal Haemonchus contortus é o principal parasita de rebanhos de pequenos ruminantes, devido a sua alta incidência e patogenicidade. Sua presença está associada a grandes perdas nos rebanhos e a prejuízos na cadeia produtora. Informações sobre a estrutura populacional destes parasitas poderiam auxiliar diretamente nas estratégias de controle. Assim, este trabalho teve como objetivo analisar a estrutura genética desse parasita em populações do estado do Piauí. Foram coletados 122 espécimes de três municípios: Bom Jesus (região Sul), Barras e José de Feitas (região Norte). Os parasitas foram coletados de dois hospedeiros infectados de cada município. Foram utilizados quatro marcadores microssatélites descritos na literatura para o estudo de H. contortus. O número médio de alelos encontrado foi de 4,66 por loco, sendo todos os marcadores polimórficos. Todos os locos apresentaram desvios significativos ao Equilíbrio de Hardy-Weinberg (EHW), entretanto este fato pode estar relacionado à presença de alelos nulos. Problemas como este já foram descritos em outros trabalhos da espécie, sendo constatada alta taxa de mutações nas regiões flanqueadoras dos marcadores. No entanto, mesmo nestas condições, os marcadores mostraram-se informativos, de acordo com os valores do Conteúdo de Informação Polimórfica (PIC) encontrados, em média 0,656. Análises de agrupamento e estrutura populacional não evidenciaram relação das características genéticas das populações com seus locais de origem. Análises de Variância Molecular (AMOVA) confirmaram estes resultados, onde as diferenças entre as localidades e entre as regiões (Norte e Sul do Piauí) não foram consideradas significativas. Ficou evidenciada, portanto, ausência de estrutura genética na espécie, que pode estar relacionada com o alto fluxo gênico apresentado por H. contortus.

     


  • KALINE AGUIAR GONZALEZ VALE
  • Diversidade Genética e Estrutura de Populações da Abelha Scaptotrigona aff. depilis no Piauí.

  • Orientador : FABIO BARROS BRITTO
  • Data: 17/06/2013
  • Mostrar Resumo
  • As abelhas da tribo Meliponini estão entre os principais polinizadores da flora brasileira, no entanto a maioria das espécies pode estar ameaçada de extinção. Entre elas, encontra-se Scaptotrigona aff.depilis, que é uma espécie que vive em ocos de árvores com colônias bastante populosas. Ainda não foram descritos trabalhos sobre ela no estado do Piauí, porém, sua importância é ressaltada pelo seu potencial na produção de mel e polinização de culturas, como a do pepino. É necessária a compreensão da dinâmica populacional da espécie para futuras estratégias de manejo e conservação. Assim, este trabalho teve como objetivo analisar a diversidade genética e a estrutura de populações de Scaptotrigona aff. depilis no estado do Piauí, com base emprimers de RAPD (RandomAmplifiedPolymorphic DNA).Foram analisadas populações de três municípios do sul do Piauí (Santa Luz, Bom Jesus e Cristino Castro) e uma da região central do estado (Dom Expedito Lopes). Cincoprimers foram escolhidos com base na consistência das bandas e presença de polimorfismos. Foram identificados 89 locos polimórficos (78,76%) e baixo índice de diversidade genética dentro das populações (HS = 0.1786). Verificou-se que 44,54% da variabilidade genética total encontram-se dentro das populações e 55,46% entre elas. As populações mostraram-se altamente estruturadas, com estatísticas análogas de FST apresentando valores consideravelmente altos (θB = 0,6217 e ΦST = 0,60, p < 0,001).Análises de grupamento, com base no coeficiente de similaridade de Jaccard, indicam que a estruturação genética corrobora com a distribuição geográfica da espécie. Além disso, resultados do programa STRUCTURE evidenciaram forte diferenciação entre as amostras provenientes do sul e do centro do estado. Estas diferenças entre localidades podem estar relacionadas a biologia reprodutiva da espécie, mas também devem sofrer influência da devastação ambiental promovida na região.

  • ROSANA MENDES DE MOURA
  • ANÁLISE DIALÉLICA E DE FAMÍLIAS DE FEIJÃO-CAUPI VISANDO SELEÇÃO PARA EXTRAPRECOCIDADE

  • Data: 12/06/2013
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi (Vigna unguiculata (L.) Walp.) é a leguminosa granífera, utilizada na alimentação humana, mais cultivada nas áreas semiáridas da Região Nordeste do Brasil. É bastante cultivado por pequenos e médios produtores das regiões Norte e Nordeste do Brasil, e, mais recentemente, por grandes agricultores dessas regiões. O caráter precocidade é de suma importância para essa espécie. O principal caráter utilizado, para avaliar a precocidade, é o tempo decorrido entre a semeadura e o aparecimento das primeiras flores. Diante do exposto, objetivou-se o estudo da análise genética de um cruzamento dialélico 5x5, visando identificar parentais e cruzamentos com maior potencial para a obtenção de ciclo precoce. Foram utilizados como parentais os genótipos MNC04-789B-119-2-3-1, MNC05-820B-240, IT82D-60, IT82D-889 e AU94-MOB-816. Foi realizado um ensaio em delineamento em blocos casualizados, no qual foram selecionadas 162 plantas. As plantas selecionadas fizeram parte de dois ensaios em látice 9x9 com cinco tratamentos comuns, foram selecionadas 81 plantas individuais que compuseram dois ensaios em látice 9x9 com dois tratamentos comuns, correspondentes às gerações F3:4 F3:5. Os parentais AU94MOB-816, IT82D-60 e IT82D-889 se mostraram mais promissores para o caráter precocidade. Os cruzamentos que mais se destacaram para a precocidade foram IT82D-60 x AU94-MOB-816, IT82D-889 x AU94-MOB e IT82D-60 x IT82D-889 e IT82D-60 x MNC04-789B-119-2-3-1. De acordo com os ganhos preditos estimados e realizados é possível, por meio de seleção, obter famílias mais precoces do que o parental mais precoce, linhagem IT82D-889. As famílias mais promissoras para a seleção para precocidade são as de número 43, 60, 29, 65, 71, 51, 23, 66, 32, 73, 44, 1, 54, 31 e 20.

     

  • JOÃO PAULO GOMES VIANA
  • Diversidade genética em alho (Allium sativum L.)

  • Orientador : REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
  • Data: 22/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • O alho é uma das hortaliças mais importantes no mercado brasileiro e mundial. No Piauí, mais especificamente na cidade de Picos e municípios vizinhos, o alho semi-nobre foi cultivado em larga escala e supria a demanda de vários municípios do estado. Devido à entrada do alho nobre no mercado brasileiro, houve redução na produção de alho semi-nobre pelos pequenos agricultores, que pode ter gerado perda de diversidade genética. O objetivo deste trabalho foi estudar a diversidade genética existente em doze subamostras de alho, sendo quatro de origem piauiense e oito do Banco Ativo de Germoplasma (BAG) de Alho da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – Universidade de São Paulo (ESALQ-USP). Para isto, caracterizou-se o germoplasma com base nos descritores propostos pelo International Plant Genetic Resources Institute (IPGRI) e realizou-se a genotipagem das subamostras a partir de oito locos microssatélites. Os caracteres agromorfológicos foram eficientes para se estimar a diversidade genética entre as subamostras de alho, enquanto a genotipagem do germoplasma avaliado foi eficiente para estudos de diversidade entre estas subamostras. Os resultados obtidos com a análise morfológica corroboraram com as análises moleculares, evidenciando complementaridade destas duas dimensões de análise no estudo da diversidade genética em alho. Assim, conclui-se que existe divergência genética entre as subamostras de alho estudadas, em função da procedência do germoplasma e sugere-se que o material oriundo da ESALQ – USP se trata de um germoplasma distinto do cultivado no Piauí. As subamostras de Sussuapara-PI e Santo Antônio de Lisboa-PI, oriundas do Piauí, acumularam diferenças em relação a subamostra Branco Mineiro, coletada na microrregião de Picos - PI, na década de 70, enquanto a subamostra Bocaína – PI, compartilha alto grau de similaridade, com base nos estudos agromorfológicos e moleculares, portanto houve pouca diferenciação desta subamostra. A partir da constatação que existe divergência genética entre as subamostras de alho no Piauí, sugere-se que pode haver germoplasma adaptado e que reúna outras características de interesse agronômico, sendo possível a seleção de genótipos superiores que aumentariam a competitividade do alho piauiense frente ao alho importado.

  • CAMILA CAMPÊLO DE SOUSA
  • Seleção recorrente para obtenção de progênies de feijão-caupi tolerantes ao déficit hídrico

  • Data: 08/02/2013
  • Mostrar Resumo
  • O feijão-caupi constitui-se uma importante fonte alimentar uma vez que possui um excelente valor nutritivo. A leguminosa é cultivada em regiões tropicais e subtropicais do mundo, que possuem um longo período de seca, a qual se constitui no principal fator responsável pela redução da produção.Uma vez que o feijão-caupi é cultivado principalmente por pequenos e médios produtores; que, geralmente não usufruem de uma grande infraestrutura, faz-se necessário o lançamento de cultivares produtivas com tolerância ao déficit hídrico,adaptadas às regiões de cultivo. O melhorista deve dispor de variabilidade genética para que, por meio de seleção e hibridação, possa obter e lançar novas cultivares que atendam às exigências do mercado. Um método de melhoramento desenvolvido para alógamas e adaptado para autógamas, que objetiva aumentar a frequência de alelos favoráveis mantendo a variabilidade genética é a seleção recorrente, onde são realizados vários ciclos seletivos, em que cada ciclo consiste na formação de uma população base para obtenção das progênies, avaliação e seleção das melhores para recombiná-las e assim garantir a variabilidade dos ciclos subsequentes.A seleção das melhores progênies para continuação do programa de seleção recorrente pode ser realizada por meio de estatísticas univariadas e multivariadas. As técnicas estatísticas multivariadas vêm se tornando ferramentas cada vez mais utilizadas por melhoristas na seleção de genótipos superiores, pois analisam todas as variáveis como um conjunto e levam em consideração a correlação entre os caracteres, aprimorando a seleção dos tratamentos mais favoráveis.Em virtude do exposto, este trabalho teve como objetivo geral avaliar populações S0:1 de feijão-caupi do primeiro ciclo de seleção recorrente visando tolerância ao déficit hídrico.Partindo de um dialelo completo entre seis parentais com tolerância ao déficit hídrico (BRS-Paraguaçu, BRS-Xiquexique, Pingo de Ouro-1-2, Santo Inácio, CNCx 689-128G e MNC99-510F-16), obteve-se uma população F2, a qual compôs a população base (S0) do primeiro ciclo de seleção recorrente em feijão-caupi visando tolerância ao déficit hídrico.Nesta população, foram selecionadas, com base em uma análise de componentes principais, 219 famílias S0:1 que juntamente com os seis parentais compuseram os experimentos conduzidos em um látice 15 x 15 avaliados em campo experimental e em casa de vegetação, sob condições de déficit hídrico.Para a seleção das progênies que continuarão no programa de seleção recorrente, foram realizadas análises univariadas (análise de variância) e multivariadas (análise de variância multivariada, análise de componentes principais e análises de correlações canônicas).Às análises de variâncias univariadas, os caracteres floração, maturidade, comprimento de vagem, peso de grãos por vagem e peso de cem grãos mostraram efeitos de tratamentos significativos, quando analisados ao nível de significância de 5%. Pela análise de componentes principais no experimento conduzido em campo experimental, obteve-se que os componentes de produção e o ciclo foram os caracteres que mais contribuíram para a variabilidade da população. Enquanto no experimento conduzido na casa de vegetação, o percentual de plantas que murcharam precocemente após o término da irrigação e o percentual que recuperou após o retorno da irrigação foram os que mais contribuíram para a variabilidade. No entanto, a correlação entre os dois experimentos foi baixa (<0,15).A partir dos resultados obtidos no experimento conduzido em campo experimental, as progênies que se mostraram precoces e tolerantes ao déficit hídrico deverão ser selecionadas para a continuação do programa de seleção recorrente; enquanto no experimento conduzido em casa de vegetação, as progênies que deverão ser selecionadas são as que apresentaram menor percentual de plantas que murcharam precocemente e maior percentual de recuperação.

2012
Descrição
  • WILLAME RODRIGUES DO NASCIMENTO SOUSA
  • Caracterização cariotípica de acessos de pimentas (Capsicum sp.)

  • Orientador : ANA PAULA PERON
  • Data: 23/11/2012
  • Mostrar Resumo
  • Capsicum é um gênero da família Solanaceae de significativa importância
    econômica, nutricional, medicinal e ornamental em todo o mundo. De suas 25
    espécies, quatro são extensivamente cultivadas no Brasil, que são: C. annuum, C.
    frutescens, C. chinense e C. baccatum. No entanto, o conhecimento biológico sobre
    estas plantas ainda é incipiente neste país, apesar de nos últimos anos ter ocorrido
    um amplo empenho dos pesquisadores em estudos bioquímicos, moleculares e
    citogenéticos com estas espécies. É fato que a análise do número e morfologia dos
    cromossomos de espécies de importância econômica é de grande relevância, pois
    geram subsídios importantes para programas de melhoramento genético do gênero
    no qual estão inseridas. Assim, este trabalho teve como objetivo caracterizar
    numérica e morfologicamente os cromossomos de acessos das quatro espécies de
    Capsicum pertencentes à coleção do Banco ativo de Germoplasma Capsicum da
    Universidade Federal do Piauí (BGC-UFPI). Os cariótipos foram obtidos pelo método
    de esmagamento e coloração com Giemsa de células dos meristemas das radículas
    dos acessos estudados. A partir dos resultados verificou-se número cromossômico
    2n = 2x = 24 para todas as quatro espécies. Foi observado polimorfismo
    cromossômico para o acesso BGC 37, da espécie C. frutescens, que apresentou 12
    pares de cromossomos metacêntricos, diferindo dos outros que apresentaram 11
    pares de cromossomos metacêntricos e um par de cromossomo sub-metacêntrico.
    Ainda foram visualizadas nos acessos BGC 01 e BGC 37 desta espécie constrições
    secundárias nos pares homólogos 01 e 12, e 6 e 11, respectivamente. O índice de
    assimetria obtido mostrou que entre as espécies os cariótipos analisados foram
    assimétricos, o que corrobora com a grande diversidade genética descrita na
    literatura para as espécies estudadas.

     

  • ERINA VITÓRIO RODRIGUES
  • OBTENÇÃO DE POPULAÇÃO BASE EM PROGRAMA DE SELEÇÃO RECORRENTE PARA TOLERÂNCIA AODÉFICIT HÍDRICO EM FEIJÃO-CAUPI.

  • Data: 30/08/2012
  • Mostrar Resumo
  • A baixa adoção de tecnologias pelos agricultores e a ocorrência de estresses bióticos e abióticos são fatores que limitam a produção do feijão-caupi na região Nordeste do Brasil. A tolerância de cultivares ao déficit hídrico é uma das formas que pode se lançar mão para diminuir os efeitos negativos dos estresses sobre a produtividade. Por se tratar de um caráter complexo, a tolerância ao déficit hídrico de se é um caráter complexo, a obtenção de sucesso com a seleção em um único ciclo seletivo é muita baixa e uso da seleção recorrente pode ser mais eficaz na obtenção de ganhos via melhoramento. Dessa forma o presente estudo teve os seguintes objetivos: obter uma população base com o propósito de iniciar um programa de seleção recorrente para tolerância ao déficit hídrico em feijão-caupi; avaliar populações segregantes na geração F2; identificar genitores e combinações promissoras com maior probabilidade de gerarem populações segregantes tolerantes ao déficit hídrico. Foi realizado um dialelo completo envolvendo seis genótipos de feijão-caupi e conduzidos dois ensaios onde foram avaliados 30 populações F2, juntamente com seus genitores, sendo um sob déficit hídrico, e outro sob irrigação plena, ambos no campo experimental da Embrapa Meio-Norte, em Teresina, PI, no ano de 2011. Utilizou-se o delineamento experimental látice triplo, com parcela de 6 linhas de 2 m, sendo amostradas 16 plantas por parcela. Dados foram obtidos para 15 caracteres agronômicos e submetidos à análise de variância e, utilizando-se das médias, obtiveram-se as estimativas de capacidade geral e específica de combinação. O déficit hídrico reduziu em 26,92 % a produção de grãos. Os efeitos aditivos foram mais importantes que os efeitos não aditivos, sendo também constatado a presença de efeito materno. Os genótipos BRS Xiquexique, Pingo-de-Ouro-1-2 e MNC99-510F-16-1 foram mais promissores para serem usados em programa de seleção recorrente visando tolerância ao déficit hídrico. As combinações híbridas 1x6, 2x3, 6x3, 4x5 e 4x6 apresentam potencial para produtividade e tolerância ao déficit hídrico.

  • JOSÉ RIBAMAR DE ASSUNÇÃO FILHO
  • Seleção de linhas puras de Feijão-fava, variedade crioula boca de moça, por meio de marcadores morfoagronômicos e moleculares.

  • Orientador : ANGELA CELIS DE ALMEIDA LOPES
  • Data: 25/06/2012
  • Mostrar Resumo
  • A espécie Phaseolus lunatus L. é uma das quatro espécies do gênero Phaseolus explorada comercialmente, com potencial para fornecer proteína vegetal, e a segunda leguminosa de maior importância do gênero. No Brasil, é cultivada principalmente na Região Nordeste, sendo fonte de alimento e renda. Mesmo com características que possam ser atraentes ao pequeno produtor, o feijão-fava tem recebido pouca atenção por parte dos órgãos de pesquisa, resultando num limitado conhecimento das suas características Assim, no presente estudo objetivou-se estudar subamostras de feijão-fava por meio de caracteres morfoagronômicos e marcadores moleculares a fim de verificar a diversidade existente e selecionar plantas individuais para compor próximos ciclos de seleção. A primeira etapa do presente trabalho deu-se com a caracterização morfoagronômica das subamostras por meio dos caracteres número de dias para o florescimento, número de dias até a maturação, número de vagens por planta, comprimento da vagem, largura da vagem, espessura da vagem, número de lócus por vagem, número de sementes por vagem, peso de cem sementes e produção de grãos por planta, sendo estes caracteres coletados tanto considerando a média da subamostra quanto o valor unitário da planta.  Quando considerado as médias das subamostras, observou-se que os três primeiros componentes principais explicaram 74,57% da variação. Utilizando a distancia euclidiana média, verificou-se que as subamostras UFPI-667 e UFPI-682 apresentaram maior dissimilaridade (186,62). A análise de agrupamento pelo método UPGMA mostrou a existência de quatro grupos a um nível de aproximadamente 25% de divergência. Verificando a produção das plantas de maneira individual foi possível selecionar 25 plantas distribuídas entre as subamostras UFPI 650, UFPI 651, UFPI 653, UFPI 654, UFPI 657, UFPI 662, UFPI 665, UFPI 666, UFPI 667, UFPI 672, UFPI 673, UFPI 674, UFPI 675, UFPI 676, UFPI 681, UFPI 689, UFPI 690 e UFPI 696. Na segunda etapa do estudo, caracterização molecular, 22 locos microssatélites desenvolvidos para P. vulgaris foram testados, encontrando-se dois polimórficos, BM164 (dois alelos) e PVat001 ( três alelos). Com base nessa genotipagem foi estimada a distancia modificada de Rogers, onde se constatou a maior distancia (0,85) para 36 pares de subamostras. O agrupamento pelo método UPGMA, mostrou a existência de quatro grupos a um nível de aproximadamente 66% de divergência.  De modo geral, encontrou-se variabilidade entre as subamostras estudadas.

     

  • ELLIDA DE AGUIAR SILVESTRE
  • Caracterização genética de caprinos da raça Anglonubiana no Centro Norte do Piauí

  • Orientador : FABIO BARROS BRITTO
  • Data: 21/05/2012
  • Mostrar Resumo
  • O caprino Anglonubiano é um animal resistente, indicado para cruzamentos com as cabras mestiças melhorando a produção de leite e carne, sendo úteis para regiões de clima tropical. Este trabalho teve como objetivo a caracterização da variabilidade genética da raça Anglonubiana em rebanhos no Centro Norte do Piauí. Foram coletados pêlos de 96 animais da raça Anglonubiana em quatro fazendas localizados nos municípios de Angical, José de Freitas, Teresina e Campo Maior, sendo 24 animais em cada fazenda. Para a caracterização da raça foi utilizado um painel de 25 microssatélites sugeridos pela FAO. A extração do DNA foi realizada com o uso da resina Chelex-100 (Bio-Rad) e após as amplificações, as amostras foram genotipadas em gel de acrilamida a 7%, e coradas com nitrato de prata. Foram realizadas análises de variabilidade genética, além da determinação do Equilíbrio de Hardy-Weinberg e os testes estatísticos G de Nei. O nível de estruturação genética foi avaliada, pelo programa STRUCTURE. Dos 25 locos analisados, 8 foram utilizados para a caracterização da raça Anglonubiana por apresentarem amplificações consistentes (ILSTS11, ETH225, McM527, INRA23, ETH10, OarfCB304, OarfCB48 e MAF209). O número médio de alelos por loco foi de 3,88. A maioria dos locos apresentaram desvios significativos para o EHW, indicando certo grau de endogamia. Porém, foi também evidenciada possível presença de alelos nulos nas análises. O coeficiente de diferenciação genética (Gst’) mostrou que 11,9% da variação genética existente, está distribuída entre as populações e 88,1% dentro. O valor de Gis (27,9%) indicou deficiência de heterozigotos nas populações. O programa STRUCTURE indicou a existência de três populações distintas (ΔK=3). Porém os resultados mostram que as populações analisadas estão pouco estruturadas.

  • HENDRIE FERREIRA NUNES
  • ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE DA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE GENOTIPOS DE FEIJÃO-CAUPI DO TIPO FRADINHO EM CULTIVOS DE SEQUEIRO  E IRRIGADO.

  • Data: 16/02/2012
  • Mostrar Resumo
  • O grande crescimento da população em todo o mundo, nos últimos anos, tem proporcionando uma maior demanda por alimentos. Assim, urge a necessidade da obtenção de cultivares que sejam cada vez mais produtivas. Diante desta realidade, estudos de adaptabilidade e estabilidade produtiva avaliando genótipos em diversos ambientes tornam-se imprescindíveis. Nesse estudo, objetivou-se avaliar a adaptabilidade e estabilidade de feijão-caupi do tipo fradinho em cultivo de sequeiro, através das metodologias Tradicional (Yates e Cochran, 1938), Eberhart e Russell (1966), Cruz et al. (1989) e Lin e Binns modificado por Carneiro (1998). O efeito de genótipos e de ambientes foi mais importante que o efeito da interação. O método Tradicional indicou a linhagem MNC05-832B-230-2-3 como a mais estável, porém com baixa produtividade. A regressão linear de Eberhart e Russell (1966) apresentou as cultivares Califórnia Blackeye-3 e Califórnia Blackeye-5 como de ampla adaptação e estabilidade. A regressão bissegmentada de Cruz et al. (1989) demonstrou que nenhum dos genótipos reuniu os requisitos propostos pelo método para ser ideal. O método de Lin e Binns modificado por Carneiro (1998) caracterizou a linhagem MNC04-783B-7-3 como a mais adaptada e estável, tanto em ambientes favoráveis quanto em desfavoráveis. A correlação de Spearman indicou que algumas metodologias utilizadas estão diretamente associadas, não devendo ser utilizadas simultaneamente, enquanto outras não correlacionadas devem ser usadas em complementaridade. Em geral, a linhagem MNC04-783B-7-3 destacou-se com grande potencial para ser lançada como cultivar ou ser utilizada como parental em programa de melhoramento de feijão-caupi do tipo fradinho, para cultivo de sequeiro.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 15/12/2019 12:46