Dissertações/Teses

2019
Descrição
  • LUCINEIDE FIGUEIREDO ALVES
  • Cera de carnaúba como agente encapsulante de ureia: caracterização e avaliação in situ
  • Orientador : MARCOS JACOME DE ARAUJO
  • Data: 13/09/2019
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desse trabalho foi avaliar dois processos de secagem empregados em sistemas de ureia microencapsulada em matriz lipídica de cera de carnaúba, tais como liofilização e secagem em estufa, e se o sulfato de magnésio (fonte de S) influencia na liberação da ureia microencapsulada. Avaliou-se também, a degradabilidade in situ da ureia microencapsulada, submetida a diferentes métodos de secagem. Foram realizados três sistemas de ureia microencapsulada em cera de carnaúba, sendo que em um foi adicionada uma fonte de enxofre. Duas amostras com e sem adição de enxofre foram submetidas à secagem principal em liofilizador e a terceira amostra foi colocada em estufa a 65 ̊C.  Os sistemas foram avaliados de acordo com o rendimento, eficiência de microencapsulação e umidade e caracterizados pelas técnicas de termogravimetria, termogravimetria derivada e calorimetria exploratória diferencial. Os valores de rendimento obtidos foram superiores a 94%. Os tratamentos LIO e EST, apresentaram valores de umidade semelhantes de 2,86 ± 0,57 e 2,86 ± 0,38, respectivamente, já os tratamentos que receberam o mesmo tipo de secagem, apresentaram valores diferentes de umidade, sendo maior a umidade do tratamento LIO + S (3,32 ± 0,05).  A eficiência de microencapsulação do tratamento LIO foi superior ao tratamento EST, porém, a secagem em estufa, também se destacou, pois 91,64% núcleo foi retido pelo material encapsulante. Dos tratamentos secos em liofilizador, o enriquecido com S, apresentou menor eficiência de microencapsulação. Os sistemas LIO, LIO + S e EST, apresentaram Tonset em 163, 163 e 162°C. No tempo máximo de incubação utilizado nesse estudo (72 h), verificou-se, a presença de N residual no núcleo da matriz lipídica dos tratamentos, evidenciando o êxito da microencapsulação, e que esta não foi influenciada pelos processos de secagem, nem pela presença da fonte de S. Não houve efeito significativo entre os sistemas (P>0,05) quanto a degradação do nitrogênio. Conclui-se que, tanto o processo de liofilização quanto a secagem em estufa, foram eficientes para promover de a secagem de ureia microencapsulada em cera de carnaúba. Apesar do tratamento seco em liofilizador enriquecido com S não ter influenciado a liberação da ureia no rúmen, foi o que apresentou resultados inferiores nas demais análises realizadas neste trabalho.

  • PEDRO HENRIQUE FONSECA SILVA
  • Avaliação da viabilidade do sêmen caprino imunossexado e criopreservado em ACP-101c/102c®
  • Orientador : NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
  • Data: 01/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a qualidade in vitro do sêmen caprino imunossexado e criopreservado em água de coco em pó (ACP-101c/102c®). Para tanto, foram utilizados três reprodutores caprinos com idade média de 6 anos. As colheitas de sêmen foram realizadas pelo método da vagina artificial. Foram avaliados os parâmetros espermáticos (motilidade, vigor, morfologia e concentração espermática) de 15 pools de sêmen. Posteriormente formaram-se três grupos: grupo controle Tris/gema (GC), que correspondeu ao sêmen não imunossexado criopreservado em meio padrão Tris (3,786 g de Tris(hidroximetil)aminometano; 2,11g de ácido cítrico mono hidratado, 1g de frutose e 100 mL de água destilada); 2,5% de gema de ovo; 7% glicerol e 40 mg de gentamicina; grupo Tris/gema (G1), sêmen imunossexado e criopreservado em meio padrão Tris (3,786 g de Tris(hidroximetil)aminometano; 2,11g de ácido cítrico mono hidratado, 1g de frutose e 100 mL de água destilada); 2,5% de gema de ovo; 7% glicerol e 40 mg de gentamicina e grupo ACP-101c/102c® (G2), sêmen imunossexado e criopreservado em ACP-101c/102c® (ACP Biotecnologia®, Fortaleza, CE, Brasil); 2,5% de  gema de ovo; 7% glicerol e 40 mg de gentamicina. A sexagem do sêmen caprino foi realizada utilizando anticorpos monoclonais macho específico para imunossexagem de espermatozoides de mamíferos (Hy Biotecnologia Ltda.®). A criopreservação do sêmen foi realizada por meio de congelador automatizado programável TK 3000®. Após a descongelação das amostras foi realizado: avaliação da cinética espermática pelo sistema CASA; morfologia espermática pela contagem de 200 células em esfregaço corado em Panótico® rápido; integridade de membrana espermática, acrossoma e atividade mitocondrial, utilizando sondas fluorescentes; funcionalidade da membrana plasmática pelo teste HOST. Na análise dos resultados o GC obteve melhores resultados (p < 0,05) em todos os parâmetros espermáticos (MT, MP, VCL, VSL, VAP, LIN, STR, ALH, BCF, WOB) avaliados pelo sistema CASA. Todavia, ao comparar os grupos G1 e G2 foi constatado que os parâmetros WOB e LIN foram superiores no grupo G2 (p < 0,05). Pôde-se observar na análise das características estruturais que o GC e o G2 obtiveram uma maior porcentagem de células com membrana integra (25,6 ± 5,6; 21,4 ± 5,9, respectivamente). Foi observado que a atividade mitocondrial foi superior no GC (27,8 ± 6,2) em relação aos grupos G1 e G2 (p < 0,05). Ao comparar os grupos G1 e G2, observou-se que o G2 obteve um maior percentual de células espermáticas com membrana integra (21,4 ± 5,9) e com atividade mitocondrial (16,9 ± 8) (p < 0,05). O percentual de espermatozoides com acrossoma íntegro não diferiu significativamente (p > 0,05) entre os grupos GC (61,2 ± 4,8), G1 (59,73 ± 4) e G2 (56,8 ± 5,9). Na análise da funcionalidade da membrana espermática, observou-se que o percentual de espermatozoides reativos ao teste hiposmótico foi superior no GC (65,6 ± 4,5) (p < 0,05). O G1 obteve maior percentual de espermatozoides reativos ao teste hiposmótico (53,9 ± 4,8) em relação ao G2 (46,2 ± 5,4). Portanto, a água de coco em pó (ACP-101c/102c®) pode ser utilizada para a criopreservação do sêmen caprino imunossexado.

  • RICARDO HOLANDA ALVES
  • NÍVEIS DE UREIA NA ALIMENTAÇÃO DE VACAS LACTANTES CONFINADAS COM DIETAS A BASE DE SILAGEM DE SORGO
  • Data: 12/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o efeito dos níveis de ureia em vacas de leite com dietas a base de silagem de sorgo, verificando parâmetros nutricionais, metabólicos, produtivos, econômicos e o comportamento ingestivo. Este estudo foi realizado após a aceitação pelo Comitê de Ética em Uso Animal da Universidade Estadual do Piauí, caso nº 0356/19. Foram utilizadas 05 vacas lactantes ¾ Holandês x ¼ Gir Leiteiro, no terço médio de lactação, com idade média de 60 meses e peso corporal médio de 518 kg ± 52 kg que foram distribuídas em cinco tratamentos, em delineamento experimental de quadrado latino 5x5. Os tratamentos (U-50, U-75, U-100, U-125 e U-150) forma constituídos de diferentes níveis de ureia no concentrado (5,7; 8,6; 11,4; 14,3 e 17,1 g de ureia/Kg de MS do concentrado, respectivamente). A análise dos dados foi realizada pelo procedimento de análises de variância e regressão, do programa computacional estatístico SAEG (versão 9.0). Adotou-se como nível de significância 5% de probabilidade. Não houve efeito (P<0,05) dos níveis de ureia no consumo alimentar, digestibilidade e parâmetros metabólicos de vacas de leite com dietas a base de silagem de sorgo. Não foram observadas diferenças significativas na produção e composição do leite em função dos níveis de ureia (P<0,05). A variação do escore de condição corporal não variou em função dos níveis de ureia (P<0,05). O custo total com volumoso, concentrado e alimentação não sofreram efeitos significativos (P<0,05). A receita bruta com a venda de leite não sofreu efeito significativo (P<0,05), A taxa de retorno marginal não apresentou diferenças significativas (P<0,05). Não houve efeito (P<0,05) dos níveis de ureia no concentrado sobre o comportamento ingestivo em vacas lactantes alimentadas com silagem de sorgo. O tempo de mastigação total não sofreu efeito (P<0,05) dos níveis de ureia. Não houve efeito (P<0,05) dos níveis de ureia nos aspectos do bocado. Os resultados expostos no presente estudo mostram que os baixos níveis de ureia na não afetam o consumo, a produção e composição de leite, indicadores econômicos e o comportamento ingestivo de vacas de leite de média a alta produção. Servindo para embasar futuras discussões sobre o uso da ureia para este fim em dieta de bovinos leiteiros com silagem de sorgo. 

  • TOBIAS TOBIT DE BARROS MELO
  • Substituição total do Farelo de Soja por Milho mais ureia na dieta de búfalas em lactação
  • Orientador : LEILSON ROCHA BEZERRA
  • Data: 28/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo principal deste capítulo é abordar parâmetros essenciais para a produção do leite bubalino, destacando: consumo e digestibilidade dos nutrientes, produção e composição do leite, balanço de nitrogênio e os componentes sanguíneos. O experimento teve duração de 72 dias, o qual foi dividido em quatro períodos de 18 dias, sendo 13 para adaptação e 5 para coleta de dados. Os tratamentos experimentais consistiram em quatro níveis de substituição do farelo de soja por milho mais ureia. Foram utilizadas 12 búfalas (multíparas) em lactação da raça Murrah com peso corporal médio inicial de 650 kg com período de lactação médio de 100 dias e produção de leite média de 10 kg/dia. O delineamento utilizado foi o quadrado latino com quatro tratamentos, quatro animais e quatro períodos, sendo definido previamente pela produção de leite, consumo de matéria seca e período de lactação. Os dados foram analisados em um quadrado latino 4 x 4, triplo, com aplicação do teste F e análise de regressão adotando-se o nível de 5% de probabilidade. O consumo de matéria seca (CMS) (kg/animal/dia) foi influenciado pelos níveis de substituição (P<0,05), apresentando comportamento linear decrescente variando de 10,70 para 8,89 kg MS/dia. Os consumos de extrato etéreo (CEE) (33,67 para 38,62 g/dia) e extrato etéreo digestível (CEED) (28,46 pra 34,06 g/dia) apresentaram comportamento linear crescente a medida. Em relação a produção e composição do leite, nenhum dos parâmetros foram influenciados significativamente (P>0,05), o mesmo foi constatado para o balanço de nitrogênio e suas subdivisões, assim como para os parâmetros sanguíneos onde foi possível avaliar numericamente as linhas de tendências apresentadas pelos resultados. Recomenda-se a substituição total do farelo de soja por milho mais ureia na dieta de búfalas em lactação, visto que houve um aumento na produção de leite a medida que o consumo de matéria seca diminuiu, destacando a ótima conversão alimentar característica dos bubalinos.

2018
Descrição
  • RANUSCE DE SANTIS
  • DESEMPENHO E MORFOMETRIA INTESTINAL DE FRANGOS DE CORTES SUBMETIDOS A DIETAS COM A INCLUSÃO DO ÓLEO DE BURITI (Mauritia flexuosa l.)
  • Orientador : GUILHERME JOSE BOLZANI DE CAMPOS FERREIRA
  • Data: 08/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho produtivo e a morfometria intestinal de frangos de corte com dietas submetidas à inclusão do óleo de buriti. Para a realização deste trabalho experimental foram utilizados 180 frangos de corte machos, da linhagem Ross, os quais foram alocados em 18 box, contendo 10 aves em cada, de acordo com o seu peso médio. Foi utilizada ração a base de milho e soja, até os 14 dias de idade, de acordo com as exigências de Rostagno et al. (2011). Após esse período foi adicionada a ração, os níveis de 0%, 0,75% e 1,50% de inclusão do óleo de buriti para fase experimental das aves até os 28 dias de idade. A energia metabolizável do óleo de buriti foi de 6854 kcal/kg. Para avaliar o desempenho, foram selecionados três aves de cada box, totalizando 54 amostras. Para morfometria intestinal foi utilizada uma ave de cada box, totalizando 18 amostras. Não houve diferença significativa entre os tratamentos para desempenho e rendimento de carcaça. Para avaliação da morfometria intestinal, ocorreu uma interação entre os tratamentos, para profundidade da cripta da porção média do duodeno, apontando que houve maior proliferação celular para o tratamento de 1,50% de inclusão de óleo de buriti, em relação aos demais tratamentos. No íleo, na camada muscular do jejuno houve uma diferença entre os tratamentos, apontando uma maior espessura da camada muscular para o tratamento com 0,75% de inclusão do óleo de buriti. Maior profundidade da cripta e aumento da espessura da camada muscular pode ser indicativo de alguma injúria. Como não houve alteração nas vilosidades intestinais, entre os tratamentos, podemos afirmar que a proliferação celular não causou prejuízo a mucosa intestinal. Nas demais variáveis, não houve efeito entre os tratamentos. Ao comparar as médias entre os tratamentos para a morfometria intestinal foi visto que conforme maior o nível de inserção do óleo de buriti maior altura, largura e perímetro das vilosidades do duodeno, sugerindo assim que aumentando os níveis de óleo na dieta pode trazer uma melhora nesses parâmetros. Portanto, pode-se concluir que o óleo de buriti não causou prejuízo ao desempenho e morfometria intestinal de frangos de corte no período de 14 a 28 dias de idade.

  • KAROLYNNE DE FREITAS MARTINS E SILVA
  • FATORES QUE INTERFEREM NA TAXA DE PRENHEZ EM VACAS ZEBUÍNAS E CRUZADAS SUBMETIDAS À INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO
  • Orientador : VIVIANY LUCIA FERNANDES DOS SANTOS
  • Data: 14/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar os fatores de interferência na taxa de prenhez de fêmeas zebuínas e cruzadas. Foram avaliados 15.425 animais e suas informações referentes à inseminação artificial em tempo fixo de fêmeas zebuínas e cruzadas, sendo 1.938 fêmeas nulíparas, 3.277 primíparas e 10.210 multíparas.  Todos os animais foram mantidos em regime de pasto com suplementação mineral durante todo o ano.  Foram utilizados sêmen de 59 touros, sendo 14.142 doses de touros da raça Nelore e 1.248 da raça Angus. A taxa de prenhez foi analisada como um evento binomial, com a probabilidade Pi das fêmeas emprenharem (sucesso), e a probabilidade Qi = 1 – Pi das fêmeas não emprenharem (falha) após a utilização dos protocolos. Metodologia logística foi aplicada usando o procedimento CATMOD em SAS (Estatística Analysis System Institute, Cary, NC, EUA) para avaliar a taxa de prenhez. Metodologia de máxima verossimilhança foi utilizada para estimar os coeficientes de regressão e testar os efeitos sobre a taxa de prenhez das variáveis analisadas. As variáveis explicativas foram bioma, raça materna e paterna, escore de condição corporal, mês do último parto, categoria animal, quantidade de vezes do uso de dispositivo de sincronização e todas as interações entre as varáveis. Os intervalos para taxa de prenhez para cada variável explicativa foi de 49,50% no Cerrado e 51,98% no Cerrado/Caatinga; 44,94% para o uso do dispositivo 2 e 47,92% para o uso do dispositivo 3; na variável da raça do touro, 44,10% para raça Angus e 50,37% Nelore; 35,63% para o protocolo 6 e 65,63% para o protocolo 7; 49,86% com IATF e 56,67% com resincronização; na variável mês do parto, 45,63% no mês 9 e 56,83% no mês 11; raça materna 49,28% em zebuínas e 60,10% em cruzadas; 38,11% com escore de condição corporal 2 e 56,75% com escore de condição corporal 4; na categoria das fêmeas 41,59% para novilhas e 54,47% para multíparas. Conclui-se que a taxa de prenhez foi significativamente afetada pelo bioma, tipo do protocolo, mês de parto, escore de condição corporal e categoria animal.

  • HOMERO BATISTA DA ROCHA
  • Polpa do fruto de Mauritia flexuosa como suplemento em solução crioprotetora do sêmen caprino
  • Orientador : NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
  • Data: 31/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a qualidade in vitro do sêmen caprino utilizando diluidor/crioprotetor a base da polpa do fruto de Mauritia flexuosa. Para isso o extrato bruto da polpa do fruto de Mauritia flexuosa foi diluído em solução tampão em diferentes concentrações (0,25%, 0,5%, 0,6%, 0,7%, 0,8%, 0,9% 1%, 2%, 3%, 4%, 5% e 10%) e foram avaliados pH e osmolaridade a 37 °C e após 24 horas de estocagem a 3 °C. Foram utilizados 3 caprinos, com idade média de 6 anos, clinicamente saudáveis. Foram utilizados 30 pools de sêmen dos 3 bodes. A coleta do sêmen foi realizada com auxílio de uma vagina artificial específica para pequenos ruminantes, pré-aquecida (± 39°C) e acoplada a um tubo coletor graduado. O experimento foi realizado em duas fases. Sendo a primeira realizada o teste de toxicicidade in vitro no total de 15 pools, sendo 15 coletas por animal. Os pools foram avaliados com a adição de 0,25%, 0,5%, 0,6%, 0,7%, 0,8%, 0,9% 1%, 2%, 3%, 4%, 5% e 10% do diluente a base do extrato bruto da polpa do fruto de Mauritia flexuosa e avaliados os parâmetros espermáticos. Na segunda fase foram utilizados mais 15 pools de sêmen, que posteriormente foram diluídos em Tris-gema-glicerol GC e tris-glicerol contendo as melhores concentrações do extrato bruto da polpa do fruto de Mauritia flexuosa. As amostras foram submetidas a rampa de criopreservação com auxílio do aparelho Tk 3000®. Posteriormente, as palhetas foram imersas em nitrogênio líquido (-196°C) e armazenadas em botijões criogênicos. Após a descongelação as amostras foram avaliadas no sistema automatizado CASA quanto os parâmetros de motilidade total (MT), velocidade curvilinear (VCL), velocidade linear (VSL), velocidade de percurso (VAP), morfologia espermática pelo método de panótico rápido, atividade mitocondrial e integridade de membrana. A análise estatística dos dados foi realizada pelo PROC GLM do software SAS® e quando verificada significância (p<0,05) procedeu-se o teste de Tukey. Na primeira etapa os grupos contendo baixa quantidade de extrato foram significativamente iguais ao grupo controle. Já na segunda etapa, após descongelação os grupos com menores concentrações de extrato no diluidor Tris-2,5%gema-, verificou-se os melhores resultados nos grupos TRISGLGEMF025, TRISGLGEMF05, TRISGLGEMF06, TRISGLGEMF08, TRISMF08, TRISGLGEMF09 e TRISGLGEMF1 (<0,05) com resultados superiores ao grupo controle. Demonstrando a atuação benéfica do extrato bruto de origem vegetal adicionado ao diluidor Tris-2,5% gema no sêmen caprino. A associação do diluente Tris - 2,5% Gema mais Mauritia flexuosa em baixas concentrações permitiu a manutenção da viabilidade espermática no processamento/criopreservação do sêmen de caprinos, podendo ser uma alternativa viável para aplicação a campo.

  • WEVERTON LOPES DA SILVA
  • Farelo de arroz gordo (Oryza sativa l.) em substituição ao farelo de milho (Zea mays) na dieta de cabras lactantes
  • Orientador : MARCOS JACOME DE ARAUJO
  • Data: 30/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • objetivou-se avaliar a substituição do milho pelo farelo de arroz gordo (FAG) sobre a produção de leite, o consumo e a digestibilidade dos nutrientes, fermentação ruminal e a bioquímica sérica de cabras em lactação. Foram utilizadas oito cabras mestiças, multíparas, com peso corporal médio de 25 ± 2,07. Os animais foram alocados em baias individuais, distribuídas em quadrado latino duplo (4 × 4), com quatro tratamentos, sendo: 0, 33,3 66,7 e 100% de substituição do milho pelo FAG (% da matéria seca; MS) e quatro períodos com duração de 20 dias cada período (15 de adaptação e cinco dias de coleta de dados). As dietas foram constituídas por feno de tifton 85, farelo de soja, milho moído, FAG, suplemento mineral e calcário calcítico. As cabras foram alimentadas duas vezes ao dia. As cabras foram ordenhadas pela manhã, sendo o leite peado para a avaliação da produção de leiteira. O consumo dos nutrientes foi avaliado pesando o oferecido descontando as sobras. Para avaliação da digestibilidade foi realizada a coleta total de fezes, para tanto os animais foram alocados em gaiolas para ensaios de metabolismo. Amostras de fluido ruminal foram coletadas, via sonda orogástrica, sempre às 0, 2, 5 e 8 horas após o fornecimento da alimentação para avaliação do pH, N-NH3 e ácidos graxos de cadeia curta (AGCC). Para a avaliação das dosagens séricas, amostras de sangue foram coletadas por punção da veia jungular sempre às 0, 2, 5 e 8 horas após o fornecimento da alimentação. Todos os dados foram analisados usando modelos mistos. Os efeitos de tratamento sobre as variáveis analisadas foram avaliados usando contrastes ortogonais para determinar os efeitos linear e quadrático, sendo significativos quando P-valor foi ≤0,05. A substituição do milho pelo FAG não afetou (P>0,05) os consumos (g/dia) de MS, fibra em detergente neutro (FDN) e ácido (FDA), nutrientes digestíveis totais (NDT) e energia metabolizável (EM). Por outro lado, os consumos de matéria mineral (MM), extrato etéreo (EE) e proteína bruta (PB) aumentaram linearmente (P<0,05), enquanto que os consumos dos carboidratos totais (CHOT) e carboidratos não-fibrosos (CNF) diminuíram linearmente (P<0,05) com o aumento do nível de substituição do milho pelo FAG. A digestibilidade (%) da MS, matéria orgânica (MO), FDN, CHOT e dos CNF diminuíram linearmente (P<0,05) com o aumento do nível FAG, enquanto que a da PB tendeu a aumentar linearmente (P=0,10), já a digestibilidade do EE não foi afetada (P>0,05). A produção de leite (g/dia) reduziu linearmente (P<0,05) com o aumento do nível de FAG, reduzindo também a eficiência do uso do nitrogênio da dieta. O pH, a concentração de NH3 (mg/dL), ácido propiônico (P; mMol/L), butírico (B; mMol/L), a relação acético (A):P não foram influenciadas, todavia as concentrações de acético (A: mMol/L) e o somatório dos AGCC diminuíram à medida que aumentou a participação do FAG. O pH, o N-NH3, AGCC e a relação A:P foram influenciadas de forma quadrática pela hora de coleta. Os concentrações séricas de glicose, albumina e a atividade da GGT não foram influenciadas pelo nível e FAG. Por outro lado, o colesterol total, o HDL, os Triglicerídeos, proteínas totais as atividades da fosfatase alcalina (FA), AST e ALT aumentaram linearmente à medida que aumento o nível de substituição do milho pelo FAG. Quanto à concentração sérica de colesterol (Tabela 6), observa-se um aumento entre os níveis colesterol total dos grupos alimentados com FAG e controle (P< 0,05). Por outro lado, os animais alimentados com a dieta sem a inclusão de lipídios apresentaram menor concentração de triglicerídeos quando comparados aos que receberam FAG. Não foi verificada interação (P>0,05) entre os níveis de substituição e a hora de coleta, sob as variáveis bioquímicas séricas, com exceção da atividade da GGT que diminuiu linearmente (P = 0,001 com o passar das horas após alimentação. Portanto, recomenda-se a substituição de até 66,7% do milho pelo FAG para animais de baixa produção.

  • LUANA ANDRADE DA COSTA
  • Qualidade da silagem de capim-elefante (Pennisetum purpureum Schum.) contendo vagem de faveira (Parkia platycephala Benth) e ureia
  • Orientador : MARCOS JACOME DE ARAUJO
  • Data: 30/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa foi conduzida com o objetivo de avaliar a composição química, as características fermentativas, as perdas fermentativas, bem como a estabilidade aeróbia das silagens de capim-elefante contendo farelo da vagem de faveira (FVF: 0, 10, 20 e 30% da MN) e ureia (0% e 1,5% da MN). Foram utilizados silos experimentais com capacidade para 3 kg, providos de válvula de Bunsen, para saída dos gases oriundos da fermentação, e areia no fundo, para captação do efluente produzido. Foram conduzidos dois experimentos em delineamento inteiramente casualizado. Para avaliação do nível do FVF, contrastes ortogonais foram testados (linear e quadrático) e para os níveis de ureia, foi realizado o teste de Tukey (P<0,05) e quando a interação foi significativa, procedeu-se o desdobramento dos graus de liberdade. Para a avaliação estabilidade aeróbia o fator dia de exposição ao ar foi considerado no modelo. No experimento I, foi realizada avaliação da composição química antes e após a ensilagem, das características fermentativas por meio da mensuração do pH, da quantificação dos ácidos graxos voláteis (AGVs) e do nitrogênio amoniacal (N-NH3). No experimento II, foram avaliadas as perdas fermentativas (por gases, efluentes e recuperação da matéria seca) e a estabilidade aeróbia, pela mensuração das temperaturas e do pH durante quatro dias (96 horas) de aerobiose. O farelo da vagem de faveira e a ureia elevou os valores de matéria seca (MS), proteína bruta (PB), pH e ácido lático e reduziram os teores de matéria mineral (MM), fibra em detergente neutro (FDN), fibra em detergente ácido (FDA) e hemicelulose. A ureia influenciou a concentração de PB, o pH, ácidos lático, propiônico e butírico, MM, FDA e FDN. A associação do FVF e ureia não teve efeito sobre os ácidos propiônico, acético e butírico. À análise de regressão, detectou aumento quadrático do teor de N-NH3 em função da adição do FVF, com valor mais alto quando ensilado apenas o capim-elefante com ureia (0%FVF+1,5%U), porém as demais silagens apresentaram-se dentro da faixa considerada ideal para uma boa conservação. O FVF e a ureia elevaram as perdas por gases e os valores de temperatura, enquanto reduziram as perdas por efluentes, a recuperação da matéria seca e o pH. A ureia obteve efeito sobre todas as variáveis estudadas. Quanto à estabilidade aeróbia, as silagens contendo 1,5% de ureia apresentaram maior estabilidade à exposição aeróbia.

  • PATRICK ELVIS PARAGUAIO
  • Enriquecimento ambiental para promoção do bem-estar de suínos na fase de creche
  • Orientador : LEONARDO ATTA FARIAS
  • Data: 30/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o uso de artefatos, como forma de enriquecimento ambiental e seu efeito no comportamento e parâmetros fisiológicos de suínos na fase de creche. Foram utilizados 28 suínos, machos, castrados com 38 dias de vida, oriundos das raças landrace e large White, distribuídos igualmente em quatro baias. Os tratamentos foram aplicados em dois períodos consecutivos, com duração de sete dias cada um, onde, no Período 1 (P1) consistiram na presença e ausência de artefato, avaliados durante sete dias e Período 2 (P2) onde foi retirado o artefato das baias que haviam sido instaladas no P1. O artefato consistia em pneus de 45 cm de diâmetro, nas duas baias que o receberam, estes foram oferecidos durante sete dias, com a retirada diária, para limpeza, afim de manter o interesse do animal. Durante os dois períodos foram coletados parâmetros ambientais para caracterização do estresse térmico, a analise comportamental, foi realizada nos três primeiros dias de cada período, para observar o efeito da instalação no P1, e da retirada no P2, os parâmetros comportamentais foram coletados, diuturnamente, por meio de observação visual em tempo real a cada 15 minutos das 8:00 às 18:00 horas. Onde se utilizou os tipos de comportamentos adaptados de Campos et al. (2010) e Kiefer et al. (2009), os parâmetros fisiológicos foi realizado nos três dias consecutivos após a análise comportamental, com coleta realizadas nos turnos manhã e tarde, as variáveis fisiológicas foram frequência respiratória, temperatura retal, temperatura de superfície da carúncula do olho, do flanco e do pescoço. Na análise comportamental foi observado no P1 que houve diferença significativa a 5% de probabilidade para as frequências observadas das variáveis positivas dormindo, bebendo, brincando com o brinquedo (BCB), brigando, fuçando   outro, deitado acordado e comendo, e no P2 houve diferença significativa a 5% de probabilidade para as frequências observadas das variáveis positivas brigando, dormindo deitado acordado, bebendo, BCB, e defecando.

  • TIAGO GUTEMBERG DE JESUS GOMES
  • ESTRATÉGIA DE ADUBAÇÃO NITROGENADA EM PALMA FORRAGEIRA CULTIVADA EM AMBIENTES DE CLIMA TROPICAL
  • Orientador : RICARDO LOIOLA EDVAN
  • Data: 03/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o crescimento, produção e composição química do genótipo de palma forrageira Doce em diferentes localidades de clima Tropical, submetida a diferentes estratégias de adubação nitrogenada. Foi utilizado um delineamento experimental em blocos ao acaso em parcelas sub-subdivididas no espaço, com cinco repetições. As parcelas corresponderam de duas frequências de aplicação da adubação nitrogenada (aplicação total aos 30 dias e aplicação fracionada aos 30/60 dias) as subparcelas de quatro doses de nitrogênio (0, 100, 200 e 400 kg ha-1 ano-1) e as sub-subparcelas corresponderam de duas localidades de cultivo da palma forrageira (Localidade 1 e Localidade 2). Houve efeito (P<0,05) com relação a frequência de dose da adubação para as variáveis, produção de massa verde (PMV), produção de massa seca (PMS), eficiência do uso da água (EUA), acumulo de água (ACA), capacidade suporte (CAPS) e uso efetivo do nitrogênio (EUN). Enquanto para dose de adubação, houve significância para todas as variáveis, exceto, largura. Para localização houve efeito significativo para todas as variáveis, exceto, largura e UEN, já para as interações, frequência × dose, dose × localização e frequência × dose, não houve significância (P<0,05), enquanto a interação frequência × localização houve significância (P<0,05) para PMV, PMS, EUA, ACA, CAPS e EUN. Houve influência das doses de adubação nitrogenada (P<0,05) em relação a produtividade da palma forrageira variedade Doce, obtendo-se 68,0 toneladas PMV por hectare e 3,7 toneladas PMS por hectare, com a utilização de 400 kg-1 N ha-1 ano-1. A produção da palma forrageira variedade Doce, teve um aumento na produção em relação a aplicação de diferentes doses e frequências de adubação nitrogenada, observando-se que a localidade 2, obteve uma maior produção em número de cladódios, espessura, comprimento, perímetro, largura e altura. Na análise de composição química não foi observado interação (P>0,05) para frequência × doses × localidade, doses × localidade e frequência × localidade (Tabela 3). Houve interação entre a frequência × dose para o teor de matéria mineral (MM). Foram observadas significância (P<0,05) somente para a influência da localidade, nos teores de matéria mineral (MM), extrato etéreo (EE), fibra em detergente neutro (FDN) e fibra em detergente ácido (FDA), onde observou-se maiores valores de MM, FDN e FDA na localidade 1 e EE para a localidade 2.   Conclui-se que a palma forrageira responde positivamente à adubação nitrogenada para as variáveis número de cladódios, comprimento, perímetro, altura, PMV (t ha-1), PMS (t ha-1), EUA, ACA, CAPS, obtendo os maiores valores com adubação de 400 kg N ha-1 ano-1.

  • LEANDRA POLLINY MORAIS MACHADO
  • Curva de crescimento e característica de carcaças de galinhas Canela-Preta em diferentes sistemas de criação
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 30/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com este trabalho descrever a curva de crescimento e avaliar o rendimento de carcaça e cortes de maior valor comercial de galinhas Canela-Preta em diferentes sistemas de criação. Foram utilizadas 400 aves, machos e fêmeas, Canela-Preta provenientes da aquisição de pintainhos de um dia. As aves foram criadas em dois sistemas diferentes, confinamento e semi-confinamento, com 200 animais em cada sistema, sendo alojados sem separação por sexo. Para a determinação das curvas de crescimento do peso corporal das aves, os dados coletados foram avaliados a partir dos modelos não lineares: Brody III, Polinomial Inverso, Quadrático Logarítmico, Papajcsik e Bodero, Logístico, Richards, Von Bertalanffy, Gompertz, Função Gama Incompleto e Linear Hiperbólico. Os parâmetros dos modelos foram estimados pelo método de Gauss Newton. Os critérios estatísticos utilizados para a seleção do melhor modelo para descrever a curva de crescimento foram: quadrado médio do resíduo, coeficiente de determinação, percentual de convergência e desvio médio absoluto do resíduo. Com relação ao estudo de carcaça as medidas de peso e carcaça foram realizadas com balança (precisão 0,005 kg) e fita métrica em dois momentos (post-mortem e resfriada). E os cortes foram: peito (PPT), coxa (PCX), sobrecoxa (PSC), comprimento do peito (CPT), altura do peito (APT), largura do peito (LPT), comprimento da coxa (CCX) e comprimento da sobrecoxa (CSC).  Para o cálculo dos rendimentos da carcaça, foi tomado como base o peso vivo após o jejum, imediatamente antes do abate. Os rendimentos dos cortes foram obtidos pela relação entre o peso dos cortes post-mortem e o da carcaça resfriada. Os dados foram submetidos à análise de variância, para avaliar os efeitos de sexo e sistema de criação. As médias foram comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Todos os modelos estudados atingiram a convergência, sendo que os de Richards e Von Bertalanffy foram os mais adequados para descrever o crescimento dessas aves. Fatores como sexo e sistema de criação influenciam significativamente no crescimento das aves. O coeficiente de determinação não foi um bom critério para escolha dos modelos devido aos altos valores encontrados em todos os modelos. As taxas de crescimentos observadas indicaram que estratégias de manejo podem ser implementadas de forma a aumentar a eficiência produtiva de galinhas Canela-Preta. Os machos tiveram peso de carcaça, rendimento de carcaça e de cortes superiores às fêmeas devido ao fato da maior deposição de tecido muscular, principalmente nas partes mais valorizadas da carcaça. Quanto ao rendimento de peito as fêmeas mostraram-se superiores quando comparadas com os machos. O sistema de criação mais adequado foi o semi-confinado, pois promoveu melhor crescimento e características de carcaça para as galinhas Canela-Preta.

  • JOSÉ PIRES DE CARVALHO NETO
  • METIONINA MICROPARTICULADA EM MATRIZ LIPÍFICA DE CERA DE CARNAÚBA (Copernicia prunifera)
  • Orientador : LEILSON ROCHA BEZERRA
  • Data: 20/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • A metionina é um dos principais aminoácidos componente das proteínas dos seres vivos vertebrados. A partir dela, são sintetizados mais dois aminoácidos, a cisteína, e da creatina, e as três exercem papel importante na formação da principal proteína que atende os requerimentos dos animais ruminantes, a Proteína Microbiana. Nesse estudo, objetivou-se microencapsular metionina em matriz lipídica de cera de carnaúba, através do método de Melt emulsification, protegendo o aminoácido da degradação ruminal, e tornado ele disponível para o uso diretamente no intestino, o que é denominado proteína by pass. Para isso, buscou-se avaliar e caracterizar a eficiência da metionina microencapsulada, em duas formulações 2:1 ou seja 66,7% de cera de carnaúba e 33,3% de metionina e 4:1 ou seja 85% de cera e 20% de metionina, através da cinética de degradabilidade in situ da matéria seca e da proteína. O método utilizado para proteger a metionina apresentou resultado satisfatório quanto ao seu rendimento, 82,3% e 78,5% nas formulações 2:1 e 4:1, respectivamente, sendo o primeiro com maior aproveitamento devido a quantidade menor de cera na formulação. A eficiência do microencapsulado baseado na determinação da carga obteve-se resultados satisfatórios, para os dois sistemas, tornaram perceptível o potencial promitente da metionina protegida pela cera, matéria-prima regional de fácil aquisição. A cinética de degradação in situ demostrou uma alta eficácia na proteção da metionina, nos dois sistemas estudados. No teste de degradação in situ, os sistemas microencapsulados 2:1 e 4:1 apresentaram teores remanescentes de metionina correspondentes a 83,2 e 88,7%, respectivamente, ressaltando a capacidade da cera de carnaúba de carnaúba de proteger a metionina frente ao ambiente ruminal.”O perfil de liberação de nitrogênio mostrou uma proteção do núcleo de 91,0% na formulação 2:1 e 95,8% para a 4:1. Na microscopia eletrônica de varredura observaram-se possíveis ataques por microrganismos ruminais e as micrografias após teste in situ não apresentaram sinais de erosões sofridas pelos microrganismos ruminais, mantendo assim sua integridade, reforçado a justificativa de que a cera é um produto que protege eficientemente o aminoácido da ação bacteriana. Portanto, a cera de carnaúba é um microencapsulante promissor e com alta capacidade de proteção de aminoácidos da ação de microrganismos ruminais, sendo a formulação 4:1 mais favorável à disponibilidade de proteina by pass.

  • FELIPE ADALBERTO DE SA
  • ALIMENTAÇÃO DE COLÔNIAS DE ABELHAS AFRICANIZADAS Apis mellifera L., 1758 NO SEMIÁRIDO DO PIAUÍ
  • Orientador : SINEVALDO GONCALVES DE MOURA
  • Data: 22/06/2018
  • Mostrar Resumo
  • SÁ, F. A. Alimentação de enxames de abelhas Apis mellifera Linnaeus, 1758 no período seco. 2018, 41f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) – Universidade Federal do Piauí, Bom Jesus, 2018.

     

    As abelhas Apis mellifera são insetos de grande importância ecológica e econômica, no setor rural atual, em condições favoráveis e intensa florada as abelhas coletam e armazenam alimento na colmeia, que lhes fornece os nutrientes essenciais a sua dieta, contudo em períodos de escassez de florada natural, é essencial que o apicultor forneça alimentação adequada as colônias. Com o presente estudo objetivou-se avaliar o desenvolvimento de enxames de abelhas Apis mellifera durante o período seco. A pesquisa experimental foi conduzida em dois apiários localizados no município de Campo Grande do Piauí, estado do Piauí, de janeiro a dezembro de 2017. O delineamento adotado foi o de blocos causalizados com três tratamentos e cinco repetições, no qual cada tratamento correspondia a tratamento 1: enxames sem alimentação suplementar, presentes em área de caatinga, tratamento 2: enxames em área de caatinga alimentados com xarope de açúcar mais Promotor L, etratamento 3: enxames em área representativa de cajueiro. O desenvolvimento das colônias foi avaliado, pela metodologia adotada por Al-Tikrity et al. (1971), em quadro de mapeamento constituído de áreas de 4cm2 para a contagem do número de secções em 15 colmeias, em áreas de favos com crias de operária (ovo, larva e pupa) e alimentos (mel e pólen). As variáveis dos elementos climáticos foram coletadas com um auxílio de termômetros instalados nas colmeias. Realizou-se ainda a pesagem mensal das colmeias. Os enxames alimentados mantiveram uma área maior de reservas alimentares nas colmeias, em comparação aos demais. O estabelecimento de colônias próximas a áreas de cajueiro constitui-se em uma excelente alternativa para a manutenção da oferta de alimento natural, sendo que, o uso de xarope de açúcar com adição de Promotor L na alimentação das colônias no período seco apresentou custos operacionais e de produção que não resultaram em maior desenvolvimento dos enxames, quando comparadas aos mantidas em áreas de caju.

     

  • DONÁRIA MIRANDA DE SOUSA
  • Produção de Calor de Frangos de Corte: Efeito do Balanço Eletrólitico Dietético
  • Orientador : LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
  • Data: 25/04/2018
  • Mostrar Resumo
  • A adição de eletrólitos na dieta é essencial para estabelecer o equilíbrio ácido básico, levando em consideração as condições ambientais das aves, assim promovendo melhor desempenho produtivo dos animais.  Objetivou-se avaliar o efeito da inclusão de cinco níveis de balanço eletrolítico dietético (BED) (110, 175, 240, 305, 370) sobre o desempenho, e produção de calor em frangos de corte. Foram conduzidos dois ensaios, um com 245 pintos machos na fase de 8 a 21 dias e outro com 210 frangos de corte de 22 a 34 dias de idade, ambos da linhagem Cobb®, distribuídos em baterias metálicas, constituídas por gaiolas de 1x1x0,5 m como unidades experimentais, utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado, com cinco tratamentos, 7 repetições de 7 aves e 6 repetições com 6 aves em cada tratamento, respectivamente para cada fase. As variáveis de desempenho e produção de calor foram avaliadas no final de cada fase, aos 21 e 34 dias de idade. Na fase de 8 aos 21 dias verificou-se efeito quadrático (P<0,05) para peso médio (PM), ganho de peso (GP), conversão alimentar (CA), energia metabolizável ingerida (EMI) e produção de calor (PC), porém os piores resultados foram obtidos nos níveis de 249, 254, 260, 264, e 260 mEq de balanço eletrolítico/kg de ração, respectivamente, indicando que o desempenho dos animais melhora a partir desses valores até o nível de 110 ou 370 mEq/kg. Na fase de 22 a 34 dias de idade os níveis de balanço eletrolítico testados influenciaram de forma linear crescente (P<0,05) a variável CA, e decrescente o GP e PM dos frangos de corte. Verificando melhor desempenho das aves que consumiram dietas com 110 mEq de BE/kg. Entretanto as aves apresentaram menor produção de calor nas dietas que continham 240 mEq de BE/kg de ração. Desta forma, pode se utilizar BED de 110 ou 370 mEq/kg para máximo crescimento e menor produção de calor de frangos de corte na fase de 8 a 21 dias de idade e de 110 a 240 mEq/kg na fase de 22 a 34 dias de idade.

  • RUTE RIBEIRO MARINS MOTA
  • Caracterização de Genótipos de Palma Forrageira em Microrregiões de Clima Tropical do Sul do Piauí, Brasil
  • Orientador : RICARDO LOIOLA EDVAN
  • Data: 28/03/2018
  • Mostrar Resumo
  •  

    O presente estudo teve como objetivo de avaliar as características agronômicas e composição química de três genótipos de palma forrageira em microrregiões do estado do Piauí de clima Tropical (Aw) com inverno seco. O delineamento utilizado no experimento foi o inteiramente casualizado com sete repetições em esquema fatorial (3x7). Os fatores corresponderam de três genótipos de palma forrageiras, Miúda e Baiana (Nopalea cochenillifera) e Orelha de Elefante Mexicana (OEM) (Opuntia stricta) e de sete localidades, Bom Jesus e Currais, pertencendo a microrregião do Alto Médio Gurgueia, Curimatá, Corrente, Júlio Borges, Riacho Frio e Avelino Lopes, pertencendo a microrregião das Chapadas do Extremo Sul Piauiense. A palma foi irrigada com equivalente a 1mm de água a cada 7 dias com sistema de gotejamento. O corte foi realizado após um ano do plantio para avaliação das características agronômicas e composição química dos genótipos. Para as características agronômicas (espessura, comprimento, largura, perímetro de cladódio, altura da planta, número de cladódios, biomassa verde e seca de forragem, eficiência do uso da água, acúmulo de água pelas plantas e capacidade de suporte) houve interação (P<0,001) entre genótipos e localidades. O genótipo Baiana apresentou maior espessura de cladódio (18±1,23 mm) na localidade de Júlio Borges. O comprimento, largura e perímetro do cladódio para o genótipo OEM apresentou os melhores resultados (62,3±1,29, 24,4±1,48 e 64,6±2,21 cm, respectivamente) e para altura da planta o genótipo Miúda destacou-se entre os demais genótipos (76,5±3,82 cm), na localidade de Riacho Frio. O genótipo Baiana apresentou maior produção de biomassa verde e seca (266,9±19,3 e 31,93±0,83 t ha-1) na localidade de Bom Jesus, e o genótipo Miúda apresentou maiores número de cladódio de 14,5±1,1 em Avelino Lopes. Para composição química houve interação (P<0,05) para matéria seca (MS), proteína bruta (PB), extrato etéreo e carboidratos totais. No genótipo Baiana foi verificada maior eficiência do uso da água, acúmulo de água pelas plantas e capacidade de suporte (35±1,0 kg MS mm-1, 259±7,0 t ha-1 e 1182±31 ovinos ha-1) para localidade de Bom Jesus. Para os teores de matéria mineral (MM), matéria orgânica (MO), fibra em detergente neutro e carboidratos não fibroso não houve interação (P>0,05), observando efeito (P<0,05) apenas para o fator localidade para os teores de MM e MO. O teor de PB no genótipo OEM apresentou maior concentração com 93,9±0,8 g kg-1MS. As localidades de cultivo apresentam variação nas características agronômicas e de composição química para os diferentes genótipos cultivados em ambiente de clima Tropical (Aw) com inverno seco. Recomenda-se o cultivo do genótipo Baiana com base nos altos valores de produção de biomassa e capacidade de suporte, além de boa composição química.


  • RAQUEL VIEIRA RODRIGUES DE SOUZA
  • Levantamento e recuperação de pastagens degradadas usando diferentes manejos de gramíneas
  • Orientador : LEILSON ROCHA BEZERRA
  • Data: 12/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se fazer um levantamento da fitossociologia de plantas indesejáveis a pastagem, avaliar as características estruturais, produção de massa verde de forragem e composição bromatológica de gramíneas tropicais usadas na recuperação de pastagem degradadas. O delineamento utilizado foi em blocos ao acaso com parcelas subdivididas no tempo com dezesseis repetições. As parcelas constaram de quatro métodos de recuperação da pastagem: 1: Piquete Fechado (PF); 2: Piquete fechado + Controle de ervas daninhas (PF+CED); 3: Piquete fechado + Adubação do solo (PF+AD); 4: Piquete fechado + Controle de controle de ervas daninhas + Adubação do solo (PF+CED+AD) e as subparcelas de dois tempos de avaliação. A área utilizada para recuperação da pastagem foi um pasto implantado em dezembro de 2010 de Brachiaria brizantha cv. Marandu, Brachiaria brizantha cvMG-5, Brachiaria brizantha cv. MG-4, Andropogon gayanus cv. Planaltina, Panicum maximum cv. Mombaça com indícios de degradação constatada em janeiro de 2014. Foram demarcadas aleatoriamente quatro áreas de 200 m2 cada (blocos), na qual foi dividida em 4 piquetes (50 m²) um para cada método de recuperação da pastagem. Não foi necessário realizar a correção do solo de acordo com resultados obtidos na análise de solo (V=46,8%) e da exigência da espécie (V=40 a 45%), análise de solo foi realizada em janeiro de 2014. Foi realizada a identificação das plantas infestantes com os resultados obtidos foram calculados os índices de densidade (DEN pl / m2), frequência (FRE), abundância (ABU), densidade relativa (DER %), frequência relativa (FRR %), abundância relativa (ABR %), índice de valor de importância (IVI). Após o primeiro levantamento fitossociológico das plantas indesejáveis foi realizada a aplicação de métodos de recuperação de pastagens (18/03/2014) com o fechamento dos piquetes, controle das plantas indesejável (capina manual) e adubação (100 kg de nitrogênio ha-1 na forma de ureia, 60 kg de fósforo ha-1 na forma de superfosfato simples e 40 kg de potássio ha-1 na forma de cloreto de potássio). A primeira análise de características estruturais e produção foi realizado dia 18/03/2014, e as seguintes nos meses de maio e junho de 2014, os quais foram analisados número de touceiras (unidade), altura da planta (m), diâmetro de touceira (m), número de perfilho (unidade). As gramíneas foram cortadas na altura de corte utilizando a régua da Embrapa a cada 45 dias, com três repetições por amostra dentro da parcela, pesada e calculada em tonelada por hectare de massa verde de forragem (MVF). Foi determinado a composição bromatológica das gramíneas, matéria seca (MS), matéria mineral (MM), proteína bruta (PB), extrato etéreo (EE), fibra em detergente neutro (FDN). Os dados de fitossociologia foram avaliados de forma descritiva, utilizando o programa Excel 2010®, os resultados de características estruturais, produção e composição bromatólogica foram avaliados pela análise de variância pelo teste de Scott-Knott com nível 0,05 de probabilidade utilizando o SISVAR® 5.6.  Conclui-se que os métodos de recuperação utilizados na pastagem de gramíneas tropicais são recomendados, pelo simples fato de manter a área fechada impendido o acesso animal por um período de 6 meses foi suficiente para recuperar o vigor da espécie forrageira, e que os tratamentos utilizados para recuperação de pastagem são todos indicados para estas cultivares, as características estruturais, produção e composição bromatológica não são alteradas pelos tratamentos testados.

  • JESSICA SEBASTIÃO DOS SANTOS
  • USO DO PEDÚNCULO DE CAJU DESIDRATADO NA DIETA DE VACAS LACTANTES
  • Orientador : LEILSON ROCHA BEZERRA
  • Data: 12/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A produção de leite tem permanecido em posição de destaque na pecuária brasileira. Porém, o alto valor dos alimentos convencionais, baixa disponibilidade de forragem em época seca são alguns dos entraves neste contexto. Desse modo, o uso de alternativas alimentares, como a inclusão do pedúnculo de caju desidratado é de suma importância, bem como avaliar se houve incremento das características químicas do leite, e se ocorre interferências na aceitação do consumidor. Diante do exposto, o objetivo deste estudo foi avaliar a influência de diferentes níveis do pedúnculo de caju desidratado na alimentação de vacas mestiças da raça Girolando, produção de leite e perfil hematológico. O experimento foi realizado com oito vacas distribuídas aleatoriamente em um quadrado latino (4 × 4), com tratamentos que consistiram de quatro níveis de suplementação com pedúnculo de caju desidratado (PCD) em dietas, a saber: 0% PCD (grupo controle), 1,0 kg de PCD, 1,5 kg de PCD e 2,0 kg de PCD/dia na matéria seca total. O leite e os animais foram pesados e a condição corporal dos animais foi avaliada durante sete dias em cada período experimental. Para determinar o hemograma das vacas, três amostras de sangue foram colhidas em cada período, aos 7, 14 e 21 dias antes do fornecimento diário de suplementação com amostras de 5 ml de sangue coletadas por punção da veia jugular. A suplementação com 2,0 kg de PCD reduziu a produção de leite e os níveis de glicose e proteínas totais no plasma em relação ao grupo controle, devido ao nível mais elevado de tanino deste grupo. A suplementação com PCD aumentou a contagem total de eritrócitos, reduziu o volume corpuscular médio (VCM) e não alterou o número de leucócitos. Os animais alimentados com 1,0 kg de pedúnculo de caju desidratado e o grupo sem suplementação (grupo controle) tiveram contagem menor de eritrócitos em relação ao grupo que teve 1,5 kg e 2,0 kg de suplementação com o pedúnculo de caju desidratado. Recomenda-se o uso de pedúnculo de caju desidratado na dieta de vacas mestiças Girolando em pastagem nativa ate a quantidade de 1,5 kg/ dia, pois melhora a aceitabilidade dos consumidores do queijo oriundo do leite dessas vacas, já que influencia na textura, um dos principais parâmetros de qualidade, e que reflete a preferência dos consumidores, sem alterar a produção e a composição química do leite, bem como as variáveis hematológicas das 

  • JAMILLE SILVA MACHADO
  • BALANÇO ELETROLÍTICO EM DIETAS PARA FRANGOS DE CORTE CRIADOS EM CLIMA TROPICAL
  • Orientador : LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
  • Data: 31/01/2018
  • Mostrar Resumo
  • A ingestão de eletrólitos está intimamente ligada ao equilíbrio ácido-básico é necessária para um bom desenvolvimento do organismo. Objetivou-se avaliar o efeito da inclusão de cinco níveis de balanço eletrolítico dietético (BED) (110, 175, 240, 305, 370) sobre: desempenho, rendimento de carcaça, histomorfometria intestinal e parâmetros ósseos em frangos de corte. Foram utilizados 210 frangos de corte, machos, da linhagem Cobb®, distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado com cinco níveis de balanço eletrolítico dietético, seis repetições de seis aves cada, as aves foram alojadas em baterias metálicas, composta por gaiolas com dimensões de 1 x 1 x 0,5 cm. As variáveis de desempenho, rendimento de carcaça, histomorfometria intestinal e parâmetros ósseos foram avaliadas ao final dos 42 dias de idade. Não houve efeito significativo para as variáveis de consumo de ração, ganho de peso e rendimento de carcaça. Verificou-se efeito quadrático (P>0,05) sobre a conversão alimentar calculado um balanço eletrolítico dietético de 250,13 mEq/Kg para menor conversão alimentar dos frangos na fase de 21 a 42 dias. Nos parâmetros ósseos foi observado efeito significativo para a variável resistência a quebra do osso, em que foi observado efeito quadrático, observando ponto de máxima resistência do osso quando as aves ingeriram 228,8 mEq/Kg de BED.  Foi observado efeito quadrático na altura de cripta na flexura duodenal e largura de vilo e largura de cripta na porção ascendente da alça duodenal, observando desenvolvimento no crescimento nos valores 213,04; 233,18 e 240,09 mEq/Kg de BED, respectivamente. Desta forma recomenda-se um BED de 210 a 250 para frangos de corte na fase de 21 a 42dias de idade.

  • REGINA LUCIA DOS SANTOS SILVA
  • TESTE DE CINCO FIXADORES PARA ANÁLISE HISTOLÓGICA DE INTESTINO E DETERMINAÇÃO HISTOMORFOMÉTRICA DO ÍLEO DE FRANGOS DE CORTE
  • Orientador : GUILHERME JOSE BOLZANI DE CAMPOS FERREIRA
  • Data: 30/01/2018
  • Mostrar Resumo
  • Diante da importância na histomorfometria no estudo nutricional e, consequentemente, produtivo de frangos de cortes e tendo em vista a inconsistência metodológica na aplicação de fixadores histológicos em tecidos intestinais e na localização do íleo destes animais, objetivou-se com este estudo evidenciar dentre cinco fixadores aquele que melhor atuação na preservação tecidual e resultasse em melhor processamento histológico, além de demonstrar por meio de morfometria qual a localização do íleo em frangos de corte, visando assim fornecer um padrão metodológico para pesquisas que envolvam estes procedimentos. Para tanto foram utilizados dez animais da linhagem Coob aos 24 dias de idade, dos quais foram coletados cinco fragmentos da alça descendente do duodeno, para a avaliação dos fixadores (Bouin, Carnoy, Formol Tamponado a 10%, Álcool 70ºGL e Álcool 50ºGL), e cinco fragmentos das porções de jejuno e íleo, dois fragmentos da região jejunal anterior ao divertículo de Meckel, o primeiro proximal ao final do duodeno, e o seguinte na posição média entre duodeno e divertículo de Meckel, e três fragmentos subsequentes ao divertículo de Meckel, o primeiro imediatamente após o divertículo, o segundo na posição media entre divertículo e o ápice dos cecos, e o terceiro fragmento localizado na porção média entre os cecos. Para a avaliação dos fixadores os fragmentos foram fixados e processados por procedimento histológico padrão, de acordo com cada fixador, e avaliados quanto à dificuldade de microtomia, qualidade da coloração, preservação das estruturas da mucosa, preservação das estruturas da parede muscular, presença de artefatos na mucosa e presença de artefatos na parede muscular. Para a análise estatística utilizou-se os testes de Kruskal-wallis e o teste de Mann-whitney, por meio dos quais pode-se observar a superioridade dos fixadores Bouin e Formol Tamponado a 10%. Já os fragmentos utilizados na evidenciação morfométrica do íleo foram fixados em Formol Tamponado a 10% e processados de acordo com procedimento padrão. Destes tecidos foram avaliadas as características altura de vilo, largura de vilo, altura de cripta, largura de cripta e perímetro de vilo. Os resultados obtidos foram submetidos à análise descritiva e teste de Tukey a 5%. Pode-se então observar três distintas regiões, significativamente, desde o início do jejuno até a porção final no íleo, inserida entre os cecos. Para tanto, concluiu-se que o Bouin e o Formol Tamponado a 10% se apresentam superiores aos demais fixadores quanto à preservação e qualidade de processamento de tecidos intestinais de frangos de corte. Contudo a maior acessibilidade laboratorial ao Formol Tamponado a 10% reforça sua recomendação em procedimentos de fixação histológica de tecidos intestinais de frangos de corte. Conclui-se ainda que as regiões de jejuno, porção média entre o fim do duodeno e o divertículo de Meckel, e íleo, localizado na porção entre os dois cecos, são os locais de coleta de jejuno e íleo, respectivamente, em frangos de corte, que caracterizam eficientemente estas porções intestinais.

2017
Descrição
  • IRLANA MARIA DA SILVA CUNHA
  • Alho (Allium sativum l.) como aditivo zootécnico para suínos na fase de creche
  • Orientador : LEONARDO ATTA FARIAS
  • Data: 15/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • O trabalho foi realizado com o objetivo de analisar o efeito dos diferentes níveis de concentração de extrato líquido de alho sobre hemograma, parâmetros fisiológicos e ganho de peso dos suínos na fase de creche. Foi realizada uma revisão de literatura sobre o uso dos aditivos, características do alho, a utilização do alho na dieta animal e variáveis como: hemograma, conforto térmico e parâmetros fisiológicos. Foram utilizados 24 animais do cruzamento da raça Large White e Landrace distribuídos em delineamento inteiramente casualizado. Utilizou-se quatro baias, onde estavam distribuídos aleatoriamente em seis animais por baia, sendo estes as repetições. Foram coletados os parâmetros hematológicos, fisiológicos, ambientais e ganho de peso médio dos animais. Houve um efeito significativo no hemograma para as taxas de neutrófilos segmentados, linfócitos, eosinófilos e monócitos. Conclui-se que houve efeito do extrato líquido de alho como aditivo zootécnico sobre as variáveis estudadas.

  • MARTA MARIA SOARES DE FREITAS ALMEIDA
  • Suplementação de Ovelhas Santa Inês com Glicerina Bruta antes e durante a Estação de Monta
  • Orientador : MARCOS JACOME DE ARAUJO
  • Data: 14/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a suplementação com glicerina bruta antes (flushing) e durante a estação de monta de ovelhas Santa Inês sob os parâmetros reprodutivos, fisiológicos, hematológicos e bioquímicos. Foram utilizadas 24 ovelhas, entre um e seis anos de idade, com peso corporal (PC) médio de 40 kg, sendo 12 nulíparas e 12 multíparas, não gestantes e clinicamente saudáveis, recebendo três dietas contendo 0, 5 e 10% de glicerina bruta. O experimento durou 63 dias, sendo dividido em três etapas de 21 dias. Na primeira e segunda etapa os animais receberam o flushing e na segunda e terceira foi feita a avaliação da atividade reprodutiva. Foram avaliadas as variáveis ambientais, parâmetros fisiológicos como temperatura retal (TR) e frequência respiratória (FR), hemograma, glicose, triglicérides, colesterol, ureia, creatinina e AST. A inclusão da glicerina bruta (GB) não apresentou efeito significativo (P>0,05) para peso corporal, escore de condição corporal (ECC), estro, prolificidade, FR e TR. Houve efeito significativo no hemograma, dosagens de colesterol, ureia, triglicérides e AST, ordem de parto em função do peso corporal e ECC, efeito das semanas sob o estro e prolificidade. O peso corporal apresentou aumento nas três últimas semanas e o ECC maiores valores na quarta, sexta e nona semana. A frequência respiratória foi influenciada pelo turno (P<0,05), apresentando maior média à tarde e também pelas semanas, com média elevada na quinta semana. Foi observado significância (P<0,05), para os valores hematológicos (He, Hb, VCM, CHCM, LE, SEG, LIN e Plt) e para os valores do perfil bioquímico (glicose, triglicérides, colesterol, ureia e AST). Conclui-se que a inclusão de níveis de glicerina bruta (0, 5, 10%) na dieta de ovelhas da raça Santa Inês, alteraram os parâmetros fisiológicos, hematológicos e bioquímicos desses animais, porém, tais variações foram pequenas, permanecendo, esses valores dentro da normalidade para espécie, sendo recomendado o nível de até 10% de inclusão em suplementos para ovelhas Santa Inês antes e durante a estação de monta.

  • JÉSSIKA TAIANE RIBEIRO DE SOUZA
  • Lipase e emulsionante em dieta para frangos de corte
  • Orientador : STELIO BEZERRA PINHEIRO DE LIMA
  • Data: 30/11/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o efeito da adição de lipase e emulsionante na dieta sobre a digestibilidade de nutrientes e desempenho de frangos de corte. Foram realizados dois experimentos, um ensaio de digestibilidade e outro de desempenho. Para análise de desempenho, utilizou-se 600 pintos de corte, machos da linhagem Ross com 1 dia de idade. As aves foram pesadas e distribuídas em delineamento inteiramente casualizado, em quatro tratamentos com oito repetições, 15 aves cada. Os tratamentos propostos foram; T1 dieta basal (DB) sem lipase e sem emulsionante; T2 (CP) com 100g/t de lipase na ração, T3 (CP) com 250g/t de emulsionante na ração, T4 (CP) com 50g/t de lipase + 125g/t de emulsionante na ração, onde permaneceram de 1 a 21 dias de idade, após essa fase as aves, as oito repetições de cada tratamento receberam duas dietas, quatro repetições sem adição de emulsionante e quatro repetições com a adição de emulsionante, para avaliar o efeito residual dos quatro tratamentos aplicados na fase de 1 a 21dias e a interação com os dois tratamentos aplicados na fase de 21 a 42 dias de idade. Em cada fase (pré-inicial, inicial, crescimento e final), os pintos e as rações de cada boxe foram pesados, para a obtenção dos parâmetros zootécnicos (peso corporal, ganho de peso, consumo de ração, conversão alimentar e rendimento de carcaça). Para o ensaio de digestibilidade, utilizou-se 280 pintos de corte, machos da linhagem Ross a com 8 dias de idade,  os pintos foram alojados em gaiolas de ensaio de metabolizabilidade em aviário experimental. Foram pesados e distribuídos em delineamento inteiramente casualizado com quatro tratamentos e sete repetições constituído por oito aves, totalizando 28 parcelas experimentais. Os tratamentos propostos foram semelhantes aos do ensaio de desempenho. As aves passaram por um período de 5 dias de adaptação as instalações e ração, e 4 dias de coleta total de excretas. Não houve efeito significativo (P>0,05) para os parâmetros avaliados. O uso de lipase e emulsionante na dieta não prejudica desempenho de frangos de corte de 1 a 21 de idade. A adição de emulsionante em dietas para frangos de 22 a 42 dias de idade prejudicou o ganho de peso e rendimento de fígado.

  • MARCELA RIBEIRO SANTIAGO
  • Transferência de imunidade passiva em cordeiros mestiços (Santa Inês x Dorper) criados extensivamente no semiárido brasileiro.
  • Orientador : TANIA VASCONCELOS CAVALCANTE
  • Data: 31/10/2017
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve objetivo de investigar fatores capazes de influenciar a TIP e a correlação da turvação ou não do teste de sulfato de zinco (TSZ) com a dosagem das Ig mensuradas por espectrofotometria e refratometria digital Brix% em cordeiros mestiços sob regime de criação extensiva, comum no nordeste brasileiro nas 12 e 24 horas pós nascimento. Foram utilizados 29 cordeiros, observado os fatores relacionados a ovelha e ao cordeiro em fichas individuais de cada ovelha e sua cria, classificado com boa vitalidade o que se manteve ativo e letárgicos os cordeiros com mais lentidão ambos apresentarem nas 24 horas de vida, categoria da ovelha, idade da ovelha, idade gestacional, horário do parto, tipo de parto, peso do cordeiro, sexo, ingestão do colostro após o nascimento (minutos). Amostras de sangue dos cordeiros nascidos, foi por venopunção da jugular externa, utilizando tubos a vácuo de 5mL sem anticoagulante e agulhas descartáveis. O soro foi obtido nas 12 e 24 horas por centrifugação após refração, foi utilizada imediato para análise a campo no Brix%, outra parte, armazenado e conservado em congelação a -20ºC até o momento das análises laboratoriais pela espectrofotometria TSZ. Análise de variância, foi pelo teste de Tukey 5% observando variação significativa comparando as médias do Brix% e as Ig (mg/dl) TZS. Em relação aos parâmetros de turvação (TSZ) ou não (qualitativos) e os valores (quantitativos) foram correlacionados com Brix% pelo coeficiente de correlação de postos de Spearman (r). Feita as análises, observou no Brix%, menor valor estimado foi 6,4% e o maior 12,8% nas 12 horas. Em relação aos resultados quantitativos e qualitativos do TSZ, foi observado que os valores acima de 100 mg/dl a mistura mantinham-se turva e que abaixo de 100 mg/dl a mistura não alterava. Os valores máximos e mínimos para 12 e 24 horas obtidos pelo TSZ foram (1316,36mg/dL – 34,9mg/dL) e (1174,54mg/dL – 34,9mg/dL) respectivamente, valor abaixo de 100 mg/dl era considerada FTIP, deste modo, foi observado a correlação entre a turvação do TSZ e o Brix% nos soros de cordeiros colhidos nas 12 e 24 horas pós nascimento, o TSZ na maioria das amostras reagiram ao padrão de turvação, resultando a correlação Spearman r referindo aos testes Brix% e TSZ tanto qualitativo e quantitativo nas 12 horas ambos tiveram uma maior correlação do que nas 24 horas, e que nas 24 horas apenas da refratometria Brix% houve um bom resultado. Dessa forma, baseado nos resultados TSZQualit/TSZQuant, TSZQuali/Refratometria Brix% e TSZQuanti/ Refratometria Brix% nas 12 horas (p <0,05), observou uma maior correlação do que nas 24 horas (p > 0,05). Reforçando que Brix% utilizada para avaliação FTIP em cordeiros nas 12 horas, possibilita maior confiabilidade. Pode se concluir a TIP não é influenciada pelo fatores que foram relacionados. E que se houver uma intensificação na vigilância do homem nos cordeiros após o nascimento até ingerirem o colostro tem maior sobrevivência. E que houve correlação positiva do refratômetro Brix% com o Teste TSZ tanto quantitativo como qualitativo nas 12 horas, podendo este, ser uma ferramenta útil e de fácil uso ao campo e confiável para a observação da TIP durante as 12 horas de vida do cordeiro. 

  • GLADIANE DOS SANTOS NUNES
  • Qualidade Microbiológica e Perfil de Resistência aos Antimicrobianos do Queijo de Coalho Artesanalmente Produzido
  • Orientador : ANTONIO AUGUSTO NASCIMENTO MACHADO JUNIOR
  • Data: 31/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • O queijo de coalho é um alimento de grande consumo na região Nordeste do Brasil, assume destacada relevância social e econômica. Apresenta-se nas formas de fabricação industrial e artesanal, esta última é mais consumida, segundo os consumidores, por ser mais saborosa, saudável, manter as caraterísticas regionais e possuírem preço mais acessível. A fabricação artesanal do queijo de coalho é feita comumente em pequenas queijarias, a partir do leite cru e sob condições insatisfatórias de higiene. Portanto a contaminação microbiológica deste produto assume destacada relevância para a saúde pública, pelo risco de causar doenças transmitidas por alimentos. Assim, objetivou-se avaliar a qualidade microbiológica do queijo de coalho artesanal comercializado em supermercados, padaria e feira livre de Bom Jesus-PI. Para a pesquisa foram adquiridas 30 amostras de queijo de coalho artesanal, as quais foram mantidas na embalagem de compra e encaminhadas, em caixa isotérmica com gelo, ao laboratório de Microbiologia de Alimentos, da Universidade Federal do Piauí, Campus Profa. Cinobelina Elvas, situado no mesmo município. As amostras foram analisadas quanto a contagem de bactérias aeróbias mesófilas, contagem de bolores e leveduras, determinação do número mais provável de coliformes totais e termotolerantes, confirmação de Escherichia coli, pesquisa de Salmonella spp., detecção de Staphylococcus spp. e Staphylococcus coagulase positiva. Houve crescimento de bactérias aeróbias mesófilas em 100% das amostras, de bolores e leveduras em 73,33% (22/30). Coliformes totais em 100% das amostras e coliformes termotolerantes em 60% (18/30), confirmação de Escherichia coli em 46,67% (14/30). Foram isolados Staphylococcus spp. em 100% das amostras e Staphylococcus coagulase positiva em 96,67% (29/30) das amostras analisadas. A presença de Salmonella spp. não foi constatada nas amostras analisadas. Assim, o queijo de coalho de artesanal comercializado em Bom Jesus-PI além de apresentarem qualidade microbiológica insatisfatória, pode servir de veículo de transmissão de bactérias resistentes a diferentes agentes antimicrobianos.

  • JOHNNY IGLESIAS MENDES ARAUJO
  • ESTUDO GENÉTICO DA RESISTÊNCIA À VERMINOSES GASTRINTESTINAIS EM OVINOS TROPICAIS
  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 31/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com esta pesquisa determinar a característica resistência à verminose (RV) em ovinos Santa Inês a partir de diferentes características relacionadas e estimar os componentes de (co)variâncias e parâmetros genéticos para a característica RV proposta. Foram utilizadas informações de 221 ovinos Santa Inês, com registros na Associação Brasileira dos Criadores de Ovinos, pertencentes a cinco criatórios localizados na região Meio-norte do Brasil. A característica RV foi definida com auxílio da análise de agrupamento não hierárquica utilizando o algoritmo K-means, a partir das combinações das características FAMACHA©, ovos por grama de fezes (OPG), hematócrito (HCT), contagem de células brancas (WBC), contagem de células vermelhas (RBC), hemoglobina (HGB), plaquetas (PLT), hemoglobina corpuscular médio (MCH), volume corpuscular médio (MCV), concentração de hemoglobina corpuscular média (MCHC), escore da condição corporal (ECC), altura da cernelha (AC) e atura da garupa (AG), o que foi denominado de análise completa, e considerando apenas as combinações entre FAMACHA©, OPG, HCT e ECC, chamada de análise reduzida. Foram formados três grupos, em que o agrupamento na análise completa, um grupo foi composto por 170 animais, chamados de resistentes, um segundo grupo composto por 42 animais, denominados de resistência intermediária e, por último, o terceiro grupo composto por 9 animais, denominados de sensíveis, determinando-se, assim, a característica resistência com três níveis: resistência, resistência intermediária e sensíveis. Na reduzida, os animais foram agrupados da mesma forma. O grupo que os animais apresentaram menores valores para OPG e FAMACHA© e maiores valores para as características sanguíneas (HCT, WBC, RBC, HGB, PLT, MCH, MCV e MCHC) e morfométricas (ECC, AC e AG) foram classificados como animais resistentes. O grupo que os animais apresentaram maiores valores para OPG e FAMACHA© e menores valores para as variáveis sanguíneas foram classificados como sensíveis. E o grupo de animais que apresentaram valores entre os dois grupos (resistente e sensível), foram classificados como de resistência intermediária. Os resultados da análise completa e reduzida foram equivalentes, de forma que os mesmos animais que foram agrupados por meio da análise completa foram os mesmo verificados com a análise reduzida. A partir deste resultado, realizou-se a análise genética, assumindo a classificação realizada com base na análise reduzida como sendo a característica RV com os fenótipos 1 (resistentes), 2 (resistência intermediária) e 3 (sensíveis). Um modelo animal bayesiano de limiar em análises uni e multicaracterística foi utilizado para estimar os componentes de (co)variâncias e parâmetros genéticos. As variâncias genéticas e as herdabilidades estimadas para as características por meio da análise multicaracterística foram superiores às obtidas na análise unicaracterística. As herdabilidades para RV foi de média a alta magnitude (0,33, na análise unicaracterística e passando para 0,52 na multicaracterística), indicando a possibilidade de ganhos genéticos satisfatórios a partir da seleção fenotípica. As correlações genéticas de maior magnitude foram entre as características FAMACHA© e RV (0,79), OPG e RV (0,90) e RV e HCT (-0,80). Para as estimativas das correlações ambientais a de maior magnitude foram entre FAMACHA© e HCT (-0,61) e OPG e RV (0,91). É possível identificar os animais quanto à resistência à verminoses gastrintestinais em rebanhos de ovinos utilizando apenas medidas de OPG, FAMACHA©. Assim, ganhos genéticos podem ser alcançados a partir da seleção direta para RV e seleção indireta por meio da característica OPG.

  • GLAUCIA BRANDÃO FAGUNDES
  • Viabilidade Neonatal de Cordeiros através da Avaliação Clínica e Metabólica
  • Orientador : TANIA VASCONCELOS CAVALCANTE
  • Data: 31/08/2017
  • Mostrar Resumo
  •  

    Objetivou-se avaliar a influência do sexo, tipo de parto e nascimento nas respostas fisiológicas adaptativas; bem como, validar o Analisador Accutrend® em dois momentos neonatais para obtenção de um intervalo de medição para a glicose e lactato no plasma de cordeiros. As variáveis Apgar e os parâmetros vitais foram medidos aos 15-60 minutos, 12- 24 horas logo após 112 amostras sanguíneas foram colhidas em dois momentos 15-60 minutos para as medições plasmáticas de glicose e lactato no aparelho Accutrend e espectrofotômetro. Sem diferença significativa no escore Apgar nos momentos. A FC foi significativa elevada no primeiro momento com posterior decréscimo ás 12-24horas de vida em função ao sexo decorrente ao menor estimulo do miocárdio, no nascimento em virtude o tamanho do coração e o tipo de parto com evidência de homeostase. A FR foi significativa em função do parto que podem ser decorrentes a irregularidades dos movimentos respiratórios. A TR se manteve estabilidade significativa ao longo dos momentos em função do nascimento e sexo; que se deveu a diferenças na capacidade termorreguladora e de metabolismo. O peso houve um incremento significativo em cordeiros de parto simples; decorrente ao restrito crescimento intrauterino. Portanto o Accutrend® pode ser usado para medir a glicose e lactato. Com intervalos de medição significativo e semelhante ao método de referência. Conclui-se que ocorreu a  estabilização gradativa ao longo das 24 horas; confirmando, a precisão do Accutrend® durante o período neonatal.

  • ELIZANGELA SOARES MENEZES
  • Genotipagem, cinética e parâmetros ruminais em ovinos alimentados com dietas contendo glicerina bruta oriunda da produção de biodiesel a partir de óleos de fritural
  • Orientador : JACIRA NEVES DA COSTA TORREAO
  • Data: 31/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar os efeitos da suplementação da glicerina bruta (GB) a partir de óleo residuais de fritura sobre a riqueza e composição da comunidade bacteriana, consumo, cinética e parâmetros ruminais em ovinos deslanados. O experimento foi conduzido na Universidade Federal do Piauí, UFPI – CPCE. Foram utilizados quatro ovinos fistulados, com aproximadamente 54,5 ± 3,5 kg, dois anos de idade, distribuídos em um quadrado latino 4 × 4, cada período experimental foi constituído por 10 dias de adaptação e 5 dias de coleta de dados. Utilizou-se níveis crescentes de glicerina bruta de 0, 2,5, 5 e 7,5% com base na MS total da ração, em dietas isoproteicas, tendo como base volumosa o capim elefante (Pennisetum purpureum Schum), na proporção de 60%. Para a análise molecular da diversidade genética bacteriana ruminal obteve-se a fração líquida do conteúdo ruminal através da filtragem da digesta, coletada na porção ventral do rúmen antes da alimentação matinal no 15º dia de cada período experimental. Para a extração do DNA bacteriano foi utilizado um protocolo modificado descrito por Handelsman et al. (1998) e por Truett et al. (2000), sendo a sua quantificação e pureza determinada pela a espectrofotometria. O DNA extraído foi submetido a uma seleção em relação a concentração do fragmento por corrida em gel de agarose low melting 1%, sendo em seguida,  produtos da amplificação da reação em cadeia da polimerase (Polymerase Chain Reaction -  PCR) usados para determinar a diversidade genética por meio de sequências específicas do gene RNA ribossomal 16S obtidos de primers universais e específicos de cepas bacterianas. Para determinar a degradabilidade foi usada a técnica in situ, com sacos de TNT, sendo avaliados os tempos 0, 3, 6, 12, 18, 24, 48 e 72 horas de permanência no rúmen. Contrastes ortogonais foram testados para efeitos linear e quadrático, sendo estes significativos quando o P ≤0,05 e considerado tendência quando P≤0,10. As dietas com GB não interferiram no consumo de MS e PB, entretanto, observou-se um efeito linear crescente no consumo de EE. Não houve interação do tempo em relação aos tratamentos sobre o pH, porém observou-se uma tendência linear crescente do pH após a inclusão da GB e valores mínimos deste parâmetro entre 2 e 4 horas pós-prandial (5,83 e 5,87, respectivamente). A fermentação ruminal foi alterada apresentando efeito quadrático na concentração de nitrogênio amoniacal, com valor mínimo de 8mg/dL ao nível de 4,11% de inclusão da GB (P<0,05). Constatou-se um efeito linear decrescente para o desaparecimento da fração potencialmente solúvel (B) (P<0,05) e tendência linear decrescente para degradabilidade potencial (DP) da MS (P≤0,10). A degradabilidade efetiva (DE) da MS a taxa de passagem de 8% h-1 aumentou linearmente(P<0,05), enquanto observou-se uma tendência linear decrescente (P≤0,10) da DE a uma taxa de passagem de 5%.h-1 e da fração indegradável (ID). Em relação a cinética da degradabilidade da proteína bruta (PB), foi verificado efeito linear crescente (P<0,05) da taxa degradação “c” da fração potencialmente solúvel e da DE em todos os tempos de passagem, enquanto e do tempo de colonização (TC) dos microrganismos diminuiu linearmente. Os resultados deste trabalho indicam que a suplementação em até 7,5% de GB em ovinos Santa Inês não causa efeitos negativos sobre o consumo e os parâmetros de fermentação ruminal, melhorando a degradação efetiva dos nutrientes. 

  • LUZIANE SÁTIRO MARTINS
  • Óleo de buriti em dietas para frangos de corte: desempenho e características da carne
  • Orientador : LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
  • Data: 31/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • Foram realizados dois ensaios, um determinou a composição e energia metabolizável do óleo de buriti(OB) e o outro avaliou a inclusão de 2% de óleo de buriti nas dietas em diferentes tempos (fases de criação) sobre o desempenho e qualidade da carne de frangos de corte. No primeiro foram utilizados 48 frangos de corte alimentados com dieta referência e  dieta teste (inclusão de 10% de óleo de buriti), seguindo metodologia de coleta total de excretas para determinação da energia metabolizável e analisados os teores de ácidos graxos do óleo de buriti e. No segundo, 200 frangos de corte com 21 dias de idade, machos, da linhagem Ross, foram distribuídos em delineamento inteiramente ao acaso com 4 tratamentos (tempo de inclusão de 2% de OB – zero, uma, duas ou três semanas) e  5 repetições de 10 aves cada. Aos 42 dias foram avaliados o desempenho, três aves de cada parcela foram abatidas para determinação do rendimento de carcaça e corte, e o peito e sobre-coxa foram separados para determinação da cor e força de cisalhamento. A energia metabolizável do óleo de buriti foi 6854 kcal/kg de MN, e o mesmo apresentou alto teor de ácido oleico. A inclusão do óleo de buriti apresentou efeito significativo para conversão alimentar, rendimento de coxa e força de cisalhamento. A inclusão de óleo de buriti em dietas por até três semanas melhora o desempenho e afeta a qualidade da carne de frangos de corte. 

  • IANETE LIMA BATISTA
  • Comportamento ingestivo, parâmetros fisiológicos, hematológicos, bioquímicos e ruminais em cabras alimentadas com dietas contendo vagem da faveira (Parkia platycephala Benth)
  • Data: 30/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se neste trabalho avaliar os efeitos da substituição do milho pela faveira (Parkia platycephala Benth) sobre o comportamento ingestivo, variáveis fisiológicas, hematológicas, bioquímicas e os aspectos físico-químicos e microbiológicos do fluido ruminal de cabras em lactação. Foram utilizadas oito cabras Anglo-Nubianas, multíparas, com peso corporal médio de 44,5 ± 6,3 kg e, aproximadamente, quatro anos de idade, estando aos 50 dias de lactação, recebendo quatro dietas contendo 0%, 33%, 67% e 100% de faveira (%MS e clinicamente saudáveis. O experimento durou cerca de 80 dias, dividido em 4 períodos de 20 dias, sendo 15 dias para adaptação e 5 dias para coleta de dados. Distribuídas aleatoriamente em quadrado latino duplo 4 × 4 simultâneo. A avaliação do comportamento ingestivo ocorreu no 19º e 20º dia experimental, sendo registrado o tempo despendido em alimentação, ruminação e ócio. Foram verificadas observações por três períodos, das 10 ás 12h, 14 ás 16h e 18 ás 20h, determinando-se o número de mastigações merícicas, bolo ruminal e o tempo gasto para ruminação de cada bolo. Para aferir as frequências respiratórias e cardíacas, utilizou-se um estetoscópio, e para a temperatura retal um termômetro clínico digital. Foram registradas as variáveis ambientais temperatura ambiente, umidade relativa e temperatura de globo negro com auxílio de termo higrômetro. A avaliação dos parâmetros hematológicos e bioquímicos ocorreu no 16º, 18º e 20º dia experimental, pela manhã antes dos animais serem alimentados. As amostras de fluido ruminal para avaliação das características físico-químicos e microbiológicos, foram realizadas por meio de sondagem orofágica. Os dados foram testados para efeitos linear e quadrático e aplicado teste de média Tukey, sendo estes significativos quando o P≤0,05. Para números por período e tempo despendido em ruminação, apresentou efeito quadrático decrescente (P=0,11). Com a inclusão da faveira apresentou também efeito linear decrescente para mastigações merícicas: número de mastigações por dia (P=0,05) e número de mastigações por minuto (P=0,05). Para a concentração de hemoglobina corpuscular média houve efeito quadrático crescente (P=0,005). No metabolismo mineral o cálcio obteve um efeito linear crescente (P<0,05). Para densidade dos protozoários, foi constatado significância (P<0,05), com (P=0,02). Os aspectos bioquímicos do fluido ruminal, apresentou efeito significativo efeito linear crescente (P= 0,003) para reação em azul de metileno. Conclui-se que a inclusão da faveira na dieta pode substituir o milho em 100%, uma vez que não foram alteradas ás variáveis comportamento ingestivo, parâmetros fisiológicos, hematológicos, bioquímicos, físico-químicos e microbiológicos do fluido ruminal dos animais.

     

     

  • HUDBLAN HUDSON DE MIRANDA
  • Farelo da vagem de faveria (Parkia platycephala Benth) na alimentação de cabras em lactação
  • Orientador : MARCOS JACOME DE ARAUJO
  • Data: 30/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a substituição do milho pelo farelo da vagem de faveira (Parkia platycephala Benth) sobre o consumo e a digestibilidade dos nutrientes, fermentação ruminal, bioquímica sérica, produção, composição e análise sensorial do leite de cabras. Foram utilizadas oito cabras Anglo-Nubianas, multíparas, com peso corporal médio de 44,5 ± 6,3 kg e, aproximadamente, quatro anos de idade, estando aos 50 dias de lactação. Os animais foram alocados em baias individuais de 1,6 m2, distribuídas em quadrado latino duplo (4 × 4), com quatro tratamentos, sendo: 0, 33,3 66,7 e 100% de substituição do milho pela vagem de faveira (%MS) e quatro períodos com duração de 20 dias cada período (15 de adaptação e cinco dias de coleta de dados). As dietas foram constituídas por feno de Panicum maximum cv Áries), farelo de soja, milho moído, farelo da vagem de faveira e suplemento mineral. As cabras foram alimentadas duas vezes ao dia, logo após a ordenha (8:00 e 17:00 horas). A fibra em detergente neutro indigestível (FDNi) foi utilizada para estimativa da produção fecal. Para a avaliação do leite, amostras foram colhidas nos três últimos dias de cada período experimental. Para avaliar o grau de aceitação do leite foi realizada uma análise descritiva quantitativa e testes hedônicos. As amostras de sangue foram coletadas no 1º, 3º e 5º dias de coleta, sempre antes dos animais receberem a alimentação da manhã. A coleta foi realizada por punção da veia jungular para realização das análises bioquímicas do soro. O consumo de matéria seca (MS), matéria orgânica (MO), matéria mineral (MM), proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN) e a fibra em detergente ácido (FDA), carboidratos totais (CT), carboidratos não fibrosos (CNF) e nutrientes digestíveis totais (CNDT) não foram afetados pela inclusão da vagem de faveira, porém, o consumo de extrato etéreo (EE) diminuiu linearmente (P <0,0004). A digestibilidade da MS, EE NDT não foram afetados pelos tratamentos, no entanto, a digestibilidade da MO (P=0,02), PB (P=0,02) e FDA (P=0,0054) sofreram efeitos quadráticos, já a digestibilidade da FDN diminuiu linearmente (P=0,001) e a dos CNF aumentou linearmente (P=0,0001). O pH, a concentração dos ácidos acético (A), propiônico (P), butiríco, relação A:P e a proporção de metano (mol%) não foram influenciadas pelos tratamentos, no entanto, os ácidos isobutírico (P=0,01), isovalérico (0,006) e AGCR (P=0,005) diminuíram linearmente, enquanto o valérico (P= 0,03) se aumentou linearmente. Na análise da bioquímica sérica, as concentrações de ureia, creatinina, proteínas totais, colesterol total e os triglicerídeos não foram influenciados pelos níveis de faveira. Já as concentrações de glicose (P=0,002) e Ca (P=0,01) aumentaram linearmente e as concentrações de P foram afetadas quadraticamente, sendo a menor concentração de 5,5 mg/dL ao nível de 61% de substituição do milho pela faveira. A produção de leite, produção corrigida para 4% de gordura e para sólidos totais, a composição química e a análise sensorial não foram influenciadas pelos níveis de faveira. Em conclusão, o milho pode ser substituído totalmente (100%) pelo farelo da vagem de faveira, sem causar nenhum prejuízo aos animais.

  • CHRISLANNE BARREIRA DE MACÊDO CARVALHO
  • Estratégias de Conservação de Palma Forrageira
  • Orientador : RICARDO LOIOLA EDVAN
  • Data: 31/07/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar estratégias de conservação de Palma Forrageira submetidas a diferentes períodos de armazenamento pós-colheita e na forma de silagem. Foi utilizado três variedades de palma forrageira: Nopalea cochinillifera, variedades Doce Miúda e Doce Baiana, e Opuntia tuna, variedade Orelha de Elefante Mexicana (OEM). As palmas foram coletas após 2 anos do plantio em condições de sequeiro, onde foram colhidas e armazenadas em galpão ventilado, em paletes de madeira, amontoados com 200 cladódios. Com o excedente do material na colheita, foram confeccionadas silagens de palma. No primeiro experimento o delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado em esquema fatorial 3 x 5 (variedades de palma forrageira x períodos de armazenamentos 0, 15, 30, 45 e 60 dias), com três repetições em que avaliou os períodos de armazenamentos das variedades de palma forrageira. Para a análise de perda de água, não houve efeito (P>0,0978) para interação dos fatores (variedades de palma x períodos de armazenamento), onde variedade Doce Baiana apresentou maior perda de água ao longo do tempo. Para a composição química pós-colheita, houve efeito de interação (P<0,05) para todas as variáveis avaliadas, com exceção para fibra em detergente neutro (FDN), fibra em detergente ácido (FDA), Carboidratos Não Fibrosos (CNF), Lignina, Hemicelulose e Celulose. Quanto à composição de macronutrientes e micronutrientes, houve efeito (P<0,05) para interação dos fatores apenas para as variáveis Cobre (Cu) e Zinco (Zn). No segundo experimento utilizou um delineamento inteiramente casualizado, com 12 tratamentos, os tratamentos corresponderam à combinação de diferentes variedades de palma forrageira e períodos de armazenamento e suas silagens, com três repetições. Para a composição química nos períodos armazenamento em comparação com a silagem, houve diferença significativa entre as variedades de palma forrageira. Para as perdas por gases e efluentes das silagens de palma, não houve diferença (P>0,05) entre as variedades, entretanto para RMS, a variedade Doce Baiana apresentou menor teor (90,60). Houve efeito de interação entre os fatores massa (in natura e silagem) e variedades de palma forrageira (Doce Miúda, Doce Baiana e OEM) para pH e capacidade tampão (CT). Na estabilidade em aerobiose, houve efeito de interação (P<0,0073) entre os fatores (variedades de palma forrageira × tempo de exposição ao ar) somente para a temperatura superficial das silagens. As variedades de palma forrageira Doce Miúda e Orelha de Elefante Mexicana armazenadas até 60 dias pós-colheita e na forma de silagem, não apresentam perdas relevantes na qualidade nutricional, indicadas como boas estratégias de conservação de forragem para alimentação animal.

  • NHAIRA MAIA VILARINHO
  • PELVIMETRIA EM GADO CURRALEIRO PÉ-DURO
  • Orientador : GUILHERME JOSE BOLZANI DE CAMPOS FERREIRA
  • Data: 26/07/2017
  • Mostrar Resumo
  • A pelve é considerada um complexo osteoligamentoso de múltiplas funções, tendo o estudo das dimensões pélvicas denominado pelvimetria, obtidas de forma direta a partir de mensurações internas da pelve, realizada através de um equipamento conhecido como pelvímetro; e de forma indireta baseando-se em correlações entre as medidas corporais e pélvicas externas e internas. Objetivou-se com este trabalho mensurar os diâmetros pélvicos da raça Curraleiro Pé-Duro, estimar as correlações entre as medidas, e utilizar a análise de componentes principais para reduzir a dimensionalidade do conjunto dos dados, realizou-se o agrupamento de indivíduos mais semelhantes através desse resultado. Foram analisados o peso, medidas corporais: altura de cernelha, comprimento do animal, largura torácica, profundidade torácica, área torácica; mensurações pélvicas externas: biilíaca externa, biisquíatica externo, ilioisquiática externa direita e esquerda; e pélvicas internas: biilíaca dorsal, ventral, média, biisquiatica interna e sacro-púbica; e da área pélvica retângulo envolvente e elipse pélvica. Foram mensuradas 148 fêmeas da raça Curraleiro Pé-Duro, utilizando o pelvímetro de Rice para pelvimetria interna. Os dados foram analisados sob aspecto descritivo, coeficiente de correlação de Pearson, usado para medir o grau de associação entre as medidas uma a uma. Devido ao número de variáveis analisado foi utilizado a técnica de análise de componente principal, executadas com o auxílio do PROC PRINCOMP do SAS, agrupados conforme a categoria do peso do animal. 

  • MARIA SANTOS OLIVEIRA
  • QUALIDADE MICROBIOLÓGICA E FÍSICO-QUÍMICA DA CARNE MOÍDA BOVINA COMERCIALIZADA EM BOM JESUS-PI
  • Orientador : ANTONIO AUGUSTO NASCIMENTO MACHADO JUNIOR
  • Data: 12/05/2017
  • Mostrar Resumo
  • A análise laboratorial da carne moída permite a obtenção de informações sobre a sua qualidade, condições de higiene de produção e de conservação, e possibilita estimar riscos associados ao seu consumo. De modo geral, as análises para avaliação da carne abrangem provas físico-químicas e microbiológicas. As provas físico-químicas possibilitam conhecer o estado de conservação da carne moída, por meio das modificações provocadas pela degradação de proteínas e lipídeos, pela ação de agentes naturais e de enzimas hidrolíticas endógenas presentes na carne. As microbiológicas permitem detectar microrganismos indicadores da higiene de produção e patógenos capazes de provocar surtos de doenças transmitidas pelos alimentos (DTAs). A combinação de diferentes técnicas e o uso de parâmetros específicos estabelecidos servem para determinar se o produto atende às exigências da legislação e se está apto ao consumo. As técnicas de análise de carne moída são uma importante ferramenta para o controle de qualidade da carne e para a prevenção de surtos de DTAs, uma vez que norteiam a adoção de melhorias nas condições de produção, conservação e comercialização.

  • BARBARA SILVEIRA LEANDRO DE LIMA
  • Caracterização Forrageira de Três Variedades de Palma Cultivadas com Doses de Fósforo no Sul do Piauí
  • Data: 31/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • A palma forrageira tem grande diversidade de uso, porem pouco cultivada no Piauí, com isso objetivou-se avaliar o crescimento, produção, composição química e degradabilidade in situ de diferentes variedades de palma forrageira sob efeito de diferentes doses de adubação fosfatada nas condições do semiárido piauiense. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso com parcelas subdivididas no espaço, sendo que as parcelas compreendem três variedades de palma forrageira (palma doce miúda, e doce baiana (Nopalea cochenillifera) e a palma orelha de elefante mexicana - OEM (Opuntia tuna) e as subparcelas representam quatro doses de adubo fosfatado (0 kg P ha-1; 30 kg P ha-1; 60 kg P ha-1; e 90 kg P ha-1), foram avaliados os número de cladódios, altura da planta, comprimento, largura e perímetro e espessura dos cladódios. Evidenciou-se efeito significativo (P<0,05) para todas as variáveis com relação às variedades de palmas, enquanto a dose houve significância linear crescente, para as variáveis massa verde de forragem por planta, massa verde de forragem total, número de cladódios. Foi observado que não houve efeito na interação dos fatores para todas as variáveis estudadas. A produtividade da palma foi influenciada (P<0,05) pelas dosagens da adubação fosfatada, obtendo-se de 74,93 toneladas de matéria verde por hectare e 46,61 quilos de matéria verde por planta hectare com aplicação de 90 kg P ha-1. A palma forrageira corresponde positivamente a adubação fosfatada, para as variáveis de massa verde de forragem por planta, massa verde de forragem total, e número de cladódios, onde os maiores valores foram encontrados com a adubação de 90 kg P ha-1. Para eficiência agronômica as mais indicadas para a região são OEM e Miúda, que respondem satisfatoriamente ao clima, a variedade Baiana não apresentou uma eficiência agronômica positiva em relação ao aumento na dosagem de P no solo. Em relação à composição química houve efeito (P<0,05) para interação dos fatores (dose fosfatada x variedades) para as variáveis avaliadas (MS, MM, MO, PB, FDA, HEM, LIG, CEL, CNF e CHOT), com exceção do extrato etéreo (EE) e fibra indigestível em detergente neutro (FDN). O EE apresentou diferença (P<0,0001) para as variedades de palma forrageira e a FDA obteve efeito (P<0,0032) para as doses de fósforo. Verificou-se, que a OEM apresentou o maior valor médio da fração (a em g kg-1 de MS), em relação a doce miúda, e baixo valores de c, que é a taxa de degradação da fração b (g kg-1 de MS). Uma menor taxa de degradação da fração b (g kg-1 de MS por hora) da MS dessas forrageiras reflete um melhor aproveitamento da forrageira pelo animal. Para a degradabilidade ruminal da matéria seca (MS) e proteína bruta (PB), em função dos períodos de incubação, as variedades apresentaram o mesmo comportamento, o pico foi em seis horas e a estabilidade a partir das doze horas. Com base nos resultados obtidos e nas condições do presente experimento, conclui-se que a OEM e Miúda, são plantas indicadas a alimentação animal e respondem positivamente a adubação fosfatada.

  • FABRICIO BRANDAO PEREIRA
  • Desempenho, Características da Carcaça e Qualidade da Carne de Búfalos Murrah Alimentados com Palma Forrageira mais Semente de Algodão Substituindo Dieta de Alto Concentrado
  • Orientador : LEILSON ROCHA BEZERRA
  • Data: 23/03/2017
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo foi avaliar o desempenho, as características de carcaça e a qualidade da carne de búfalos Murrah (Bubalus bubalis) alimentadas com diferentes níveis de palma forrageira + semente de algodão, substituindo completamente dietas com de alto grão. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Experiência Animal do Protocolo nº 210/16. Vinte e quatro búfalos machos da raça Murrah, não castrados com idade entre 8 e 10 meses e peso corporal 300 ± 14,1 kg (média ± DP) foram uados. Os tratamentos consistiram de quatro níveis de palma forrageira + semente de algodão (0, 33, 66 e 100% no total DM) substituindo dietas de alto grão. Houve incremento quadrático (P <0,001) do consumo de matéria seca com a inclusão dos diferentes níveis de palma forrageira + semente de algodão substituindo dietas com alto teor de grão. A substituição de dietas de alto grão por forragem de palma + semente de algodão reduziu linearmente o peso corporal final (P <0,001), ganho de peso total (P <0,001), ganho de peso médio diário (P <0,001), peso de carcaça fria e rendimento (P < 0,001), peso de carcaça quente e rendimento (P <0,001), peso de carcaça fria e rendimento (P <0,001). A palma forrageira associado ao caroço de algodão substituindo dietas de alto grão reduziu linearmente a força de cisalhamento (P = 0,003) e os índices de coloração, vermelho a* (P <0,001), amarelo b* (P = 0,007) e cromo C* (P <0,001) e apresentou um efeito quadrático negativo para a variável luminosidade L* (P = 0,004). No entanto, não houve efeito (P > 0,05) para perdas de resfriamento, perda de peso de cozimento, capacidade de retenção de água, pH a 0 e 24 horas pós-morte e umidade, matéria seca, proteína, lipídeos e minerais da carne de búfalo. A substituição de dietas com alto teor de concentrado por palma forrageira + semente de algodão não alterou os atributos sensoriais do aroma da carne de búfalo (P = 0,951), sabor (P = 0,296), maciez (P = 0,418), suculência (P = 0,556) e aceitação global P = 0,374). O uso de palma forrageira associada à substituição de sementes de algodão por dietas com alto teor de concentrado diminui o desempenho e as características de carcaça de búfalos Murrah em confinamento, porém melhora a coloração da carne sem alterar os atributos sensoriais.

  • PAULO HENRIQUE AMARAL ARAÚJO DE SOUSA
  • AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DA PALMEIRA BURITI (Mauritia Flexuosa LINNAEUS FILIUS) PARA A PRODUÇÃO DE PÓLEN APÍCOLA
  • Orientador : SINEVALDO GONCALVES DE MOURA
  • Data: 24/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com essa pesquisa avaliar: comportamento forrageiro de Apis mellifera na palmeira do buriti (Mauritia flexuosa L. f) e o desenvolvimento de enxames de Apis mellifera em área de transição caatinga-cerrado.  O trabalho foi dividido em dois experimentos, executados em duas áreas localizada em ecótono de transição caatinga-cerrado, no município de Santa Luz – PI, sendo o primeiro em uma área representativa de buriti, nos meses de agosto a outubro de 2015, e o segundo experimento em uma área de caatinga distante 15 km da primeira, realizado entre os meses de junho de 2016 a janeiro de 2017. Para avaliação do comportamento forrageiro das abelhas foram observadas, com auxílio de um binóculo, as seguintes variáveis: números de abelhas (NA) na inflorescência das palmeiras; números de flores visitadas (NFV) e o tempo gasto em segundo (TG(s)) entre a chegada e partida na inflorescência. Considerando três abelhas forrageadora por palmeira, observadas nos primeiros 10 minutos de cada hora, das 05:00 as 18:00 horas. Para esta avaliação foram instalados cinco enxames de Apis mellífera nas proximidades da área experimental, tendo o pólen coletado pelas abelhas, interceptados na entrada da colmeia em coletores do tipo frontal durante três dias consecutivos por semana. As variáveis dos elementos climáticos foram coletadas com um auxílio de termo higrômetro a cada hora. Já no segundo experimento, para a avaliação do desenvolvimento das colônias, foi adotado a metodologia de Al-Tikritycet al. (1971) na qual o fracionamento do quadro de mapeamento se constituiu em áreas de 4cm2 para a contagem do número de secções, sendo estimadas as áreas construídas dos favos para crias de operária (ovo, larva e pupa) e zangão (ovo-larva e pupa) e dos alimentos (mel e pólen), sendo que cada mapeamento foi realizado em 15 colmeias no dia 22 de cada mês, totalizando oito meses de mapeamento, entre agosto de 2016 a janeiro de 2017 divididos, em função da ocorrência de chuvas, em dois períodos distintos, um seco (de junho a setembro) e outro chuvoso (de outubro de 2016 a janeiro de 2017). As variáveis dos elementos climáticos foram coletadas com um auxílio de termo higrômetros instalados nas 15 colmeias e coletadas semanalmente. As colmeias tiveram ao longo do período experimental, o manejo usual em apiários comerciais: revisão de colmeias e fornecimento de água e alimentação de manutenção. Em relação ao comportamento de forrageamento  conclui-se que  Apis mellifera forrageiam o pólen da palmeira do buriti, com picos de forrageamento às oito e dezessete horas, de forma que essa atividade é dependente dos fatores abióticos, como temperaturas e baixa umidade durante o período de florescimento da mesma (agosto a novembro);  a migração de colmeias de Apis mellifera para áreas de buriti nos meses de escassez de alimento, na caatinga, representa uma boa alternativa de manutenção da oferta de proteína para os enxames. Em relação ao experimento de avaliação do desenvolvimento dos enxames em área de caatinga, conclui-se que: As temperaturas médias ambiente na área experimental se mantiveram iguais no período seco e chuvoso com medias de 28,01±0,7ºC; contribuindo para a manutenção das temperaturas na área de crias em faixas compatíveis de desenvolvimento pleno, com médias de 33,65 ± 2,37 ºC durante todo o período experimental. O início do período chuvoso afetou positivamente a entrada de pólen  com aumento significativo das áreas de cria e melhoria na população dos enxames, uma vez que observou-se: 1- diferenças significativa entre os períodos estudados para as variáveis pólen, ovo, larva pupa; 2- O coeficiente de correlação entre áreas médias de pólen e as variáveis ovo, larva e pupa foi positiva e significativa e 3- A análise de componentes principais do mapeamento, aponta pelo menos dois componentes derivados por rotação varimax, onde o primeiro componente concentrou 46,21% da variância total e o segundo 20,79%, acumulando 67,00% na variância total, com maiores autovalores extraídos, no componente um,  para a variável pólen, seguidos das áreas de cria (ovo, pupa e larva).      

  • ANDRÉ CAMPÊLO ARAUJO
  • EXPRESSÃO GÊNICA, DESEMPENHO, PARÂMETROS FISIOLÓGICOS E COMPORTAMENTAIS EM FUNÇÃO DO BALANÇO DE ELETRÓLITOS DIETÉTICOS EM FRANGOS DE CORTE NA FASE INICIAL
  • Orientador : KATIENE REGIA SILVA SOUSA
  • Data: 17/02/2017
  • Mostrar Resumo
  •  

    A evolução da avicultura teve como resultado um frango de corte de crescimento rápido, em contrapartida, surgiram diversas dificuldades no que diz respeito ao metabolismo e manejo das aves, destacando-se entre elas a resposta ao estresse por calor. Tem-se evidenciado o efeito do balanço eletrolítico dietético (BED) sobre o desempenho, rendimento, parâmetros sanguíneos, ósseos, fisiológicos e da cama de frangos de corte, entretanto, não foram encontrados estudos relacionados a expressão de genes ativos  em função de níveis diferentes de eletrólitos em dietas para frangos de corte. Dessa forma, objetivou-se com este estudo avaliar o efeito de níveis de BED sobre o desempenho, expressão de genes relacionados ao equilíbrio ácido-básico, a absorção e ao transporte de nutrientes, além de parâmetros fisiológicos e comportamentais em frangos de corte na fase inicial criados em clima quente. O experimento foi realizado no setor de Avicultura do Colégio Técnico de Bom Jesus – CTBJ, pertencente à Universidade Federal do Piauí, no município de Bom Jesus-PI. Utilizou-se 245 pintos machos da linhagem Cobb na fase de 1 a 21 dias de idade. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com cinco níveis de BED (110, 175, 240, 305 e 370 mEq/Kg) e 7 repetições de 7 aves cada. Foram avaliados o Consumo de Ração (CR), Ganho de Peso (GP), Conversão Alimentar (CA), Consumo de Ração Diário (CRD), Ganho de Peso Diário (GPD), parâmetros comportamentais a partir de um etograma com base na atividade, ociosidade e movimentos agonísticos, os parâmetros fisiológicos temperatura retal (TR), frequência respiratória (FR), frequência cardíaca (FC) e temperatura superficial média (TSM).  e a análise da expressão dos genes ATP1A1, CHP1, SLC1A1, SLC5A1, SLC7A6, SLC7A7, SLC9A1, SLC12A2, SLC24A3 e SLC26A4 no fígado, intestino e rim por meio da metodologia RT-qPCR. Houve efeito linear para a conversão alimentar (p=0,048) dos frangos aos 7 dias e efeito quadrático para o ganho de peso e a conversão alimentar (p=0,036 e 0,012, respectivamente) aos 21 dias de idade. No que diz respeito à comparação de médias, houve efeito significativo (p<0,05) para a conversão alimentar, sendo os níveis de 370 e 110 mEq/Kg que apresentaram as menores médias aos 7 e 21 dias, respectivamente. Não houve efeito significativo dos níveis de BED sobre as médias do consumo de ração diario e ganho de peso diário nas aves; no entanto, houve efeito quadrático (p=0,0399) para o ganho de peso diário dos frangos aos 21 dias de idade. Houve efeito significativo (p<0,05) dos níveis de BED sobre frequência respiratória, frequência cardíaca e temperatura superficial média. Os parâmetros comportamentos “Ativo”, “Comer”, e “Respiração Ofegante ” apresentaram diferença significativa (p<0,05) em função do BED. Os genes ATP1A1, SLC1A1, SLC7A6, SLC12A2, SLC26A4, CHP1 e SLC9A1 no fígado, dos genes ATP1A1, SLC7A6, SLC24A3 e SLC26A4 no intestino e; para o rim, os genes SLC24A3, SLC5A1 e SLC26A4 e . O BED da dieta pode  afetar o desempenho frangos de corte aos 7 e 21 dias e a expressão de genes relacionados ao equilíbrio ácido-básico, absorção e transporte de aminoácidos.

  • DIEGO SOUSA AMORIM
  • AGROESTOLOGIA DO GERGELIM EM COMPARAÇÃO A ESPÉCIES USUAIS
  • Orientador : RICARDO LOIOLA EDVAN
  • Data: 16/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a agroestologia do gergelim em comparação a espécies usuais. Realizou-se dois experimentos: no primeiro foi avaliado as características agronômicas, morfométricas e composição química utilizando o delineamento em blocos ao acaso com parcelas subdivididas no tempo, com quatro repetições. As parcelas foram compostas por quatro espécies forrageiras diferentes e as subparcelas por dois períodos de avaliação (safra 2014 e safra 2016). As espécies forrageiras utilizadas foram: milho (Zea mays L.) cv. Bandeirante, girassol (Helianthus annuus L.) cv. BRS 324, milheto (Pennisetum glaucum) cv. BRS 1501 e gergelim (Sesamum indicum) cv. CNPA G2. No segundo experimento foras avaliada as perdas (gases e efluentes), qualidade fermentativa, composição química e degradabilidade in situ das silagens utilizando o delineamento experimental inteiramente casualizado com quatro tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos constaram de quatro silagens: silagem de milho, silagem de milheto, silagem de girassol e silagem de gergelim. As ensilagens foram feitas em silos experimentais de 3 Kg em que a abertura foi realizada após 28 dias. Nas silagens foram determinadas as perdas, valores pH e nitrogênio amoniacal e composição química. A degradabilidade in situ foi conduzida utilizando um esquema de parcelas subdivididas, com três ovinos Santa Inês fistulados no rumem, os animais representavam os blocos e as silagens representavam os tratamentos. Os dados das características agronômicas das espécies forrageiras e o pH, nitrogênio amoniacal, composição química e degradabilidade ruminal das silagens foram analisados pelo teste de Tukey a 5% significância. O milho, gergelim e milheto apresentaram melhores caracterizações morfológicas. A produção de massa verde e seca de forragem o milho e gergelim apresentaram maiores produções em comparação as demais espécies. Para a composição química, os melhores resultados foram encontrados para gergelim e milho. Para perdas por gases (PG) (P=0,0256) as diferentes silagens avaliadas apresentaram diferença (P<0,05), onde as silagens de girassol e milho obtiveram maiores percentuais de perdas por gases. As perdas por efluentes (PE) (P<0,0001) houve diferença, onde a silagem de milheto apresentou maior perda por efluentes. No entanto, para recuperação da matéria seca variou de 70,02 a 96,56% para as silagens de gergelim e milho respectivamente. Os teores de matéria seca (MS) (P=0,0002) nas silagens variaram de 280,00 a 429,40 g kg-1, não havendo diferença entre as silagens de milheto, girassol e gergelim. Para a fração solúvel (A) (P<0,0001) da matéria seca a silagem de milho apresentou os maiores valores, enquanto as silagens de girassol e gergelim. As silagens não diferiram entre si para fração solúvel (A) (P=0,2083) da PB. A silagem de gergelim apresentou valores de perdas (gases e efluentes) e parâmetros fermentativos semelhantes aos encontrados na silagem de milho. A silagem de gergelim PB, EE e NDT superiores as silagens de milho e milheto. O gergelim pode ser uma alternativa que proporcione maior segurança alimentar na forma de silagem para os rebanhos.

  • MARILENE DOS SANTOS MACIEL
  • Comportamento Ingestivo e suas Correlações de Vacas Lactantes em Pastagem Tropical com Balanço Cátion-aniônico na Dieta
  • Data: 16/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o comportamento ingestivo de vacas lactantes em pastagem tropical submetida a níveis de balanço cátion-aniônico da dieta. O experimento foi conduzido no Campus Dep. Jesualdo Calvacanti Barros, situada em Corrente/PI. Foram utilizadas 10 vacas lactantes ¾ Holandesa x ¼ Gir Leiteiro, no terço médio de lactação, com idade média de 70 meses e peso corporal médio de 400 kg que serão distribuídas em cinco tratamentos, em delineamento experimental de quadrado latino 5x5, com dois quadrados simultâneos. Os tratamentos foram constituídos de níveis de balanço catiônico: +237 – Dieta com balanço cátion-aniônico (BCAD) de +237 mEq na MS do suplemento; +258 – Dieta com BCAD de +258 mEq na MS do suplemento; +294 – Dieta com BCAD de +294 mEq na MS do suplemento; +347 – Dieta com BCAD de +347 mEq na MS do suplemento; +419 – Dieta com BCAD de +419 mEq na MS do suplemento. O experimento teve duração de 75 dias, sendo cinco períodos de 15 dias. A avaliação do comportamento ingestivo foi realizada no 14° de cada período, sendo feitas avaliações a cada cinco minutos por um período de 24 horas, durante cinco períodos totalizando 120 horas. Os resultados foram analisados estatisticamente por meio de análises de variância e regressão a 0,05. O comportamento ingestivo, aspectos de bocados, aspectos de ruminação e eficiências do comportamento ingestivo não foram influenciadas (P>0,05) pelos níveis de BCAD da dieta. Os períodos discretos do comportamento ingestivo não foram influenciados (P>0,05) pelos níveis de pelos níveis de BCAD da dieta, com exceção, o número de períodos de ruminação (P˂0,05) que apresentou efeito quadrático, sendo o ponto máximo ao nível de BCAD +347. Os níveis de BCAD não exerceram efeitos sobre as atividades do comportamento ingestivo de vacas lactantes em pastagem, sugerindo que a formulação de dietas com até 38% de concentrado, sendo duas frações diárias, são autoreguladoras na capacidade de manter o tamponamento ruminal e consequentemente a saúde do rúmen.

  • MARIO ALVES BARBOSA JUNIOR
  • Níveis de Oferta da Dieta em Cordeiros Confinados sem Volumoso
  • Data: 15/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a viabilidade econômica da produção de borregos Santa Inês castrados alimentados sem volumoso com níveis de oferta da dieta, assim como as correlações entre as variáveis produtivas e nutricionais. O trabalho de produção foi realizado em duas etapas: elaboração de projeto com quantitativo de 100 borregos por sistema nutricional para a análise econômica. No Laboratório de Ensaios Nutricionais em Animais (LENA) no Campus Deputado Jesualdo Cavalcanti Barros da Universidade Estadual do Piauí, localizada em Corrente-PI e realização do experimento estudando o efeito do nível de oferta da dieta em borregos confinados. Foram utilizados 50 repetições, sendo cada repetição composta por um ovino macho castrado da raça Santa Inês, com peso corporal médio de 20,0 ± 4,38 kg e idade de quatro meses. Foi utilizado o delineamento inteiramente ao acaso. O fornecimento da dieta foi, diariamente, às 07:30 e 15:45 horas, e os animais foram identificados por meio de brincos plásticos numerados, e posteriormente, alocados em baias individuais de 1,0 m x 1,0 m, contendo comedouros e bebedouros individuais tipo balde. A dieta foi composta apenas por ingredientes concentrados, sendo utilizado o milho grão moído, torta de algodão farelada e premix vitamínico-mineral-tamponante, sendo balanceado para mantença e ganho de 325 g/dia para o tratamento ad libitum . As correlações foram feitas por meio de análise de correlações lineares de Pearson e teste “t”, e processadas pelo programa SAEG-Sistema de Análises Estatísticas e Genéticas, sendo consideradas  significativas  quando P<0,05. Foram utilizados os seguintes parâmetros: consumo, digestibilidade, desempenho. O custo com aquisição de animais não apresentou diferença significativas (P>0,05). O valor presente líquido e a taxa interna de retorno diferiram estatisticamente (P>0,05). O consumo e digestibilidade de nutrientes demonstraram está correlacionada com o peso corporal. Ovinos confinados alimentados com dieta sem volumoso é viável e competitivo no mercado considerando o cenário em que foi avaliado, o ideal é a utilização da alimentação ad libitum e animais com um preço de venda de carcaça no valor de R$ 20,00. Os piores valores de taxa interna de retorno e valor presente líquido foram no tratamento com oferta de 80%, com medidas de 17,23 e -1,25 respectivamente. Consumos de matéria seca, matéria orgânica, proteína bruta, carboidratos não fibrosos, fibra em detergente neutro corrigido para proteína  e extrato etéreo  não apresentaram correlações com o peso corporal final (PCf) (P>0,05) de borregos confinados sem volumoso. Houve correlação positiva com digestibilidade de matéria seca, digestibilidade matéria orgânica, digestibilidade de proteína bruta  e nutrientes digestíveis totais com PCf (P<0,05) em borregos confinados. Os consumos dos nutrientes não correlacionaram com as digestibilidade aparentes em dietas sem volumoso para borregos em terminação (P>0,05). Houve diferenças estatísticas (P<0,05) com a diminuição do nível da dieta, que implicou em diminuição no ganho médio diário e consequentemente, aumento nos dias em confinamento em relação ao tratamento com fornecimento ad libitum. Contudo, o consumo não correlacionou com a digestibilidade aparente em borregos confinados alimentados com dieta sem volumoso.

  • CIBELLE BORGES FIGUEIREDO
  • BALANÇO CÁTION ANIÔNICO NA DIETA PRODUÇÃO PARA VACAS LACTANTES EM PASTAGEM TROPICAL
  • Data: 15/02/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o efeito do balanço catiônico da dieta (+237, +258, +294, +347, +419 mEq.kg-1 de MS), por meio da inclusão do bicarbonato de sódio (NaHCO3) na dieta de vacas lactantes em pastagem tropical, verificando parâmetros nutricionais e metabólicos, bem como sua adequação bioeconômica. O balanço cátion-aniônico dietético (BCAD), também conhecido por diferença cátion aniônica da dieta (DCAD), balanço eletrolítico (BE) ou balanço iônico da dieta (BID), representa a diferença entre os cátions e os ânions presentes na dieta, podendo ser calculado em mEq de (Na + K) – (Cl + SO4) por quilograma de matéria seca (MS). Sua principal ação é atuar na regulação do equilíbrio ácido-base, ou seja, na regulação da concentração do íon hidrogênio nos líquidos corporais. O equilíbrio ácido-base de vacas pode ser modificado por mudanças no balanço cátion aniônico da dieta, mesmo dentro de uma variação positiva. Isso pode levar a diferenças significativas no desempenho animal. BCAD tem um efeito significativo sobre uma variedade de indicadores de desempenho, incluindo CMS, produção de leite corrigido para 3,5% de gordura, composição do leite, os parâmetros ruminais, digestibilidade do alimento, e eficiência alimentar. E as mudanças no pH ruminal e as concentrações de AGV sugerem que são respostas do BCAD em função da melhoria da fermentação ruminal. Relatam ainda que a digestibilidade da fibra é marcadamente aumentada com a elevação da concentração do BCAD, resultando em um aumento da digestibilidade da MS e o provável fornecimento de energia a mais.

2016
Descrição
  • REGINA CÉLIA DE JESUS FIALHO
  • AVALIAÇÃO DOS FATORES DE RISCO E PREVALÊNCIA DA LEPTOSPIROSE EM CAPRINOS NA MICRORREGIÃO DO ALTO MÉDIO GURGÉIA NO ESTADO DO PIAUÍ

  • Orientador : JANAINA DE FATIMA SARAIVA CARDOSO
  • Data: 31/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • As doenças reprodutivas prejudicam a produção trazendo prejuízos significativos, como abortos, infertilidade temporária, mortalidade neonatal entre outras. A Leptospirose é uma doença de ocorrência mundial e responsável por perda da eficiência reprodutiva, podendo ser um entrave a produção. A criação de caprinos na microrregião do Alto Médio Gurguéia é realizada de forma extensiva em pequenas áreas e sem a preocupação do controle sanitário, possibilitando a ocorrência de surtos e a disseminação de doenças. O levantamento da leptospirose em caprinos é pouco estudada, de modo, que não se conhece a distribuição da leptospirose no Piauí e sua interferência na produção desta espécie. Tendo como justificativa determinar a participação da leptospirose na perda da eficiência reprodutiva na produção de caprinos, este estudo teve como objetivo verificar a presença da Leptospira spp, no rebanho caprino na microrregião do alto médio Gurguéia. O trabalho foi desenvolvido em onze municípios, sendo analisadas 460 amostras de soro sanguíneo de caprinos. Durante as coletas foram aplicados questionários investigativos em cada propriedade, onde procurou-se averiguar a epidemiologia da doença e informações sobre a criação de caprinos na região para a avaliação dos possíveis fatores de risco epidemiológicos. Para levantamento da presença da leptospirose foram pesquisados os anticorpos da Leptospira spp, com a técnica da Soroaglutinação Microscópica (SAM) com a utilização de 23 sorovares. A partir dos resultados calculou-se a prevalência observada. Pretendeu-se concluir com este estudo a influência da leptospirose na criação de ovinos na microrregião do Alto Médio Gurguéia. Foi verificada a presença de anticorpos anti-leptospira em caprinos explorados na microrregião do Alto-Médio Gurguéia, bem como verificado a correlação entre diversos fatores de risco com a prevalência da doença em propriedades que acusaram a presença de anticorpos antileptospira. Portanto, medidas preventivas de controle para evitar a introdução, bem como medidas de combate para o controle da Leptospirose no rebanho caprino da microrregião do Alto-Médio Gurguéia são necessárias.

  • RAIMUNDO ROSAL VAZ
  • Fatores de risco e soroprevalência da leptospirose em ovinos explorados na microrregião do Alto-Médio Gurguéia do Estado do Piauí

  • Orientador : NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
  • Data: 31/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • A Leptospirose, considerada uma zoonose de distribuição universal, onde o reservatório natural da bactéria são os animais domésticos e silvestres que apresenta forma sintomática e assintomática que afeta a reprodução, é responsável por diminuição nos índices produtivos e reprodutivos dos rebanhos por acarretarem aborto, repetição de cio, retenção placenta e consequentemente prejuízos econômicos. Considerando a importância econômica da ovinocultura para o estado do Piauí e a microrregião, o referido trabalho, objetivou determinar a prevalência de anticorpos anti-leptospira, bem como a sua interação com fatores de risco associados a presença destes agentes em rebanhos ovinos da microrregião do alto-médio-gurguéia no estado do Piauí. Foram colhidas amostras de soro sanguíneo de 480 ovinos, incluindo ovelhas em idade reprodutiva, reprodutores e animais jovens, mestiços de várias raças  dos rebanhos   de 11  municípios que compõem a microrregião do Alto-Médio Gurguéia. Na ocasião da coleta, foi aplicado um questionário epidemiológico, em cada propriedade a fim de obter informações epidemiológicas e práticas de manejo empregadas, verificando assim os possíveis fatores de risco. Para a pesquisa de anticorpos anti-leptospira foi realizada a técnica de Soro aglutinação Microscópica (SAM). Foi verificada a presença de anticorpos anti-leptospira em ovinos explorados na microrregião do Alto-Médio Gurguéia, bem como verificado a correlação entre diversos fatores de risco com a prevalência da doença em propriedades que acusaram a presença de anticorpos antileptospira. Portanto, medidas preventivas de controle para evitar a introdução, bem como medidas de combate para o controle da Leptospirose no rebanho ovino da microrregião do Alto-Médio Gurguéia são necessárias.

  • CÍCERO RODRIGUES FEITOSA NUNES
  • Utilização da refratometria digital na estimativa da concentração IgG no colostro de ovelhas Santa Inês

  • Orientador : TANIA VASCONCELOS CAVALCANTE
  • Data: 31/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • Altos índices de mortalidade de cordeiros da raça Santa Inês detectados no Estado do Piauí estão intrinsecamente relacionados ao sistema de manejo adotado, sendo que suas taxas mais elevadas devem-se ao fato das parições concentrarem-se em sua grande maioria nas épocas de maior escassez de alimentos, no período seco.  O que torna-se de suma importância para verificação da ocorrência ou não de falha de transferência de imunidade passiva (FTIP) da mãe para o recém-nascido através do colostro. Portanto, o conhecimento e a certificação desses valores propiciariam aos profissionais que atuam na ovinocultura, subsídios eficazes para elaboração de estratégias que visem minimizar os efeitos inerentes à ocorrência da FTIP em cordeiros recém-nascidos, bem como maximizar substancialmente os índices produtivos do setor no Nordeste do Brasil. Objetivou-se avaliar o conteúdo de IgG no colostro de ovelhas Santa Inês no momento e pós-parto (0-6 12, 24 e 48 horas) por refratometria de Brix submetidas. E especificamente investigar a variação fisiológica da imunoglobulina G no soro sanguíneo dos cordeiros nascidos com 12 e 24 horas; O estudo foi realizado no setor de pesquisa de pequenos ruminantes do Colégio Técnico de Bom Jesus (CTBJ) da Universidade Federal do Piauí (UFPI), localizada no município de Bom Jesus, Piauí, no período de abril a julho de 2016. Selecionou-se 20 ovelhas acasaladas por monta natural controladas e diagnosticadas prenhes. No momento do parto houve a assistência ao parto e realizou-se coletas de sangue venoso e colostro colhidos em quatro momentos: 0-6, 12, 24 e 48 pós parto e dos cordeiros 12 e 24 após nascimento. Foi avaliada a concentração de IGg no soro por turbidimetria nos diferentes momentos; e no colostro por refratometria; Do total das fêmeas, 18 pariram espontaneamente sem auxílio, e duas com auxílio do Médico Veterinário. Nasceram 22 cordeiros de partos simples, 14 de gemelares e dois natimortos. A concentração sérica de IGg nos cordeiros, foco principal deste estudo, estavam presentes em baixa concentração assim como nas ovelhas. Nas amostras de colostro, a concentração variou sofrendo decréscimo com o passar das horas. A refratometria provou ser método adequado, custo baixo, fácil realização para se avaliar a transferência de imunidade passiva em cordeiros.

  • LAYANNE DE MACEDO PRACA
  • Criopreservação do sêmen caprino: Efeito do tempo de equilíbrio sobre a qualidade do sêmen após a descongelação

  • Orientador : JANAINA DE FATIMA SARAIVA CARDOSO
  • Data: 31/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • Nas últimas décadas, esforços têm sido realizados no sentido de otimizar as biotécnicas reprodutivas já existentes, objetivando com isso o aumento da sua aplicabilidade, já que a utilização das mesmas são condições indispensáveis para o aumento da eficiência produtiva dos rebanhos. Nesse sentido muitas pesquisas vem demonstrado a importância do período de equilíbrio ao qual o sêmen caprino deve ser submetido após o resfriamento, poucos trabalhos têm sido desenvolvidos com o objetivo de avaliar o período ideal para a prevenção de alterações morfológicas durante o processo de congelação do sêmen caprino. Diante disto, bjetivou-se testar diferentes tempos de equilíbrio durante o processo de criopreservação seminal, onde utilizou-se  quatro caprinos, com idade variando de 2 a 3 anos. Os animais foram divididos em três grupos: G1, G2, G3. O sêmen colhido foi, diluído em meio à base de Tris-gema e envasado em palhetas de 0,25mL, com dose de 100 x 106 espermatozóides. As amostras de sêmen foram distribuídas nos diferentes protocolos de tempo de equilíbrio. O grupo1 (1h de tempo de equilibrio), o grupo 2 (2 h de tempo de equilibrio) e o grupo 3 (3 h de tempo de equilíbrio).  As amostras foram refrigeradas até atingirem uma temperatura de de 5ºC. Em seguida, foram mantidas a temperatura de 5ºC até completarem 1h de tempo de equilíbrio (G1), 2h de tempo de equilíbrio (G2) e 3 h para o (G3). Após esse processo as amostras eram colocadas em vapor de nitrogênio líquido (-196ºC) e mantidas por 20 min. Ao final foi efetuado o processo de congelação em botijões criogênicos. A descongelação foi realizada em banho-maria a 37oC por 30 segundos. As médias obtidas para motilidade foram 19,375%, 16,875% e 16,250% respectivamente para G1, G2 e G3. A motilidade e o vigor espermático espermático foram avaliados pelo TTR nos diferentes tempo: 0, 60, 120, 180 minutos,onde foi verificada diferença significativa dentro dos parâmetros avaliados (P< 0,05).  Para avaliação da integridade da membrana foi usado dois fluocromos, o acetato de carboxifluoresceína e o iodeto de propídeo, segundo a técnica descrita por Harrison e Vecks (1990).    No tocante a análise estatística, os resultados obtidos foram avaliados pelo PROC GLM (Softaware Statistical Analysis System for Windows SAS® (SAS, 2001) e procedeu-se o teste de Tukey a 5%.  Neste estudo foi demonstrado efeito do período de equilíbrio, sobre a viabilidade do sêmen caprino após o processo de congelação-descongelação, onde o sêmen exposto ao menor tempo de refrigeração apresenta uma maior viabilidade espermática.

  • FLÁVIA SILVA SOUZA
  • Própolis como aditivo em dietas para suínos

  • Orientador : LEONARDO ATTA FARIAS
  • Data: 31/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • O trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito de diferentes concentrações do extrato etanólico de própolis sobre o ganho de peso, pH intestinal e parâmetros hematológicos em suínos no final da fase de creche e início de crescimento. Foi realizada uma revisão de literatura sobre a importância dos aditivos, antibióticos como promotores de crescimento, própolis na dieta de suínos e variáveis como: hemograma e ph do estômago e intestino delgado dos suínos. Foram utilizados 20 animais do cruzamento da raça Piau com a linhagem Agroceres Pic distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, utilizou-se quatro baias, pelos quais foram distribuídos aleatoriamente cinco animais por baia, e as repetições consistiram nos animais alojados nas baias. Foram coletados parâmetros hematológicos, ph do trato gastrintestinal do estômago, intestino delgado e ganho de peso. Observou-se que não houve efeito significativo para os parâmetros ganho de peso médio diário dos animais e pH do estômago e intestino delgado. Houve efeito significativo no hemograma, somente para as taxas de linfócitos e monócitos. Concluiu-se que não houve efeito da própolis como aditivo nutricional sobre as variáveis estudadas.

  • DANILO DE SOUSA LIMA
  • EFICIÊNCIA DO DILUENTE TRIS SUPLEMENTADO COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE ÓLEO DE MAURITIA FLEXUOXA SOBRE A QUALIDADE DO SÊMEN CAPRINO APÓS CRIOPRESERVAÇÃO

  • Orientador : NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
  • Data: 31/08/2016
  • Mostrar Resumo
  • Nos últimos anos, tem-se observado um amplo desenvolvimento de substâncias adicionadas ao diluente no processo de criopreservação de sêmen em animais domésticos (Sousa et al., 2014). Nesse contexto diluidores alternativos a base de substratos de origem vegetal possibilitam um maior controle sanitário do produto, especialmente quando se pretende introduzir o material biológico em diferentes rebanhos dentro do País ou exportá-lo (Bittencourt et al., 2013). O objetivo do estudo foi verificar os efeitos do uso do Tris suplementado com óleo de Mauritia Flexuoxa como diluidor para criopreservação de sêmen caprino. Foram utilizados quatro caprinos, com idade média de 4 anos, clinicamente saudáveis. Totalizando 64 ejaculados dos quatro bodes utilizados. Foram realizadas coletas em duas etapas. Primeiro foi realizado um teste de toxicidade no total de trinta e duas coletas, sendo oito ejaculados de cada animal, os ejaculados foram avaliados com a adição de 5%, 10%, 15%, 20% de diluente a base de óleo de Mauritia  flexuoxa. Após o teste de toxicidade, foi escolhido a concentração que apresentou o melhor resultado. Logo após, foram realizadas mais trinta e duas coletas, que foram diluídos em Tris-gema-glicerol (grupo controle) GC ou diluente contendo óleo vegetal (Mauritia  flexuoxa) GB5%. As amostras foram criopreservadas com auxílio do aparelho Tk3000®. Partidas foram descongeladas em banho-maria a 37 °C por 30 segundos, para a análise imediata de motilidade, vigor espermático, morfologia. A análise da integridade da membrana plasmática (IMP) foi realizada com a utilização das sondas fluorescentes diacetato de carboxifluoresceína (FDA) e iodeto de propídio (IP). Como resultado pós descongelação o grupo GC (Grupo controle) apresentou diferença significativa, quanto a motilidade e vigor (36,25 ±8,94; 2,34 ±0,48 respectivamente) quando comparado ao tratamento GB5% (18,15±13,63; 1,74 ±1,24) os valores encontrados para o grupo GB5% está abaixo dos padrões estabelecidos pelo colégio Brasileiro de Reprodução Animal (CBRA, 2013). Entretanto a presença de motilidade e vigor demonstra que o extrato de Mauritia flexuosa, ainda pode torna-se uma alternativa viável na criopreservação de sêmen, contudo, são necessários mais estudos.

  • MORGANA SANTOS ARAÚJO
  • Avaliação do cruzamento racial sobre a estrutura testicular e espermatogênese em ovinos da raça Santa Inês e mestiços de Santa Inês e Dorper

  • Orientador : ANTONIO AUGUSTO NASCIMENTO MACHADO JUNIOR
  • Data: 01/07/2016
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se realizar o estudo comparativo entre a estrutura testicular e espermatogênese de ovinos Santa Inês e mestiços de Santa Inês e Dorper. Foram utilizados oito animais machos, quatro da raça Santa Inês e quatro mestiços de Santa Inês/Dorper. Os animais foram pesados e castrados, tendo seus testículos também pesados para obtenção do Índice Gonadossomático. Os fragmentos testiculares foram fixados em solução de Bouin sob refrigeração a temperatura de 8°C por 24 horas. Realizou-se desidratação dos fragmentos em soluções crescentes de álcool (70%, 80%, 90%, 100% I e 100% II) pelo tempo de uma hora em cada concentração. Posteriormente, os fragmentos foram imersos em Xilol e em parafina líquida (duas imersões) para serem corados com Hematoxilina-Eosina e analisados em microscópio de luz. Foram determinados o volume dos compartimentos dos testículos, a frequência dos estágios do ciclo do epitélio seminífero, o diâmetro dos túbulos seminíferos, altura do epitélio seminífero, a população de células da espermatogênese e de Sertoli por secção transversal de túbulo e o rendimento da espermatogênese, este último, realizado pelas razões dos tipos celulares do estágio 1 do ciclo do epitélio seminífero. Os dados foram submetidos à análise de variância para um delineamento inteiramente casualizado e as médias foram comparadas através do teste Student-Newman-Keuls a um nível de significância de 5%. Os resultados evidenciaram valores do diâmetro tubular de 173,12 ± 29,09 e 185,71 ± 29,7 µm e altura de epitélio seminífero de 52,29 ± 9,98 e 56,68 ± 11,25 µm (P>0,05), para os animais mestiços e Santa Inês, respectivamente. Os mestiços processaram a fase pós-meiótica da espermatogênese em um tempo menor que os animais da raça Santa Inês. Os animais Santa Inês apresentaram um maior número de espermatócitos em pré-leptóteno/leptóteno (15,36 ± 4,49) e de espermatócitos primários em paquíteno (27,42 ± 6,65). Os mestiços, por sua vez, obtiveram respectivamente, os valores de (13,18 ± 5,19) e (23,48 ± 7,80) dessas células. No entanto, os animais mestiços apresentaram um maior rendimento meiótico do que os animais Santa Inês (3,98 ± 1,28 e 3,31 ± 0,83, respectivamente) e maior rendimento geral da espermatogênese (3,71 ± 1,02 e 3,31 ± 1,20, respectivamente). Conclui-se que o cruzamento racial permitiu o aparecimento de diferenças entre os animais Santa Inês e mestiços de Santa Inês/Dorper, das quais se pode apontar que o cruzamento entre os animais Santa Inês e Dorper traz ganho reprodutivo, que associado com o ganho produtivo, indica uma boa opção de cruzamento para gerar animais mais adaptados a regiões que apresentem condições climáticas semelhantes à observada nesse experimento.

  • LUANA ARAUJO SARAIVA
  •  

    Comportamento Ingestivo e Respostas Fisiológicas de Cabras Lactantes Submetidas à Dieta com Resíduo Lipídico Oriundo da Produção de Biodiesel


  • Data: 23/03/2016
  • Mostrar Resumo
  •  Objetivou-se avaliar o comportamento ingestivo e as respostas fisiológicas de cabras leiteiras alimentadas com resíduo lipídico (RL; 30,6% glicerol), oriundo da produção de biodiesel a partir dos óleos de frituras.  Foram utilizadas 8 cabras, cerca de 2 ±0,3 anos de idade e 42,06 ± 3,5 kg de peso corporal (PC), recebendo quatro dietas contendo 0, 7, 14 e 21% de RL (%MS). O experimento teve duração de 80 dias, dividido em 4 períodos de 20 dias, sendo 15 dias para adaptação e 5 dias para coleta de dados. O delineamento utilizado foi o DQL. As observações referentes ao comportamento ingestivo foram realizadas em um período de 24 horas, avaliando-se as atividades OEP, OD, EPC, EPB, EPR e DR. Analisaram-se os TO, TRU e TAL, observando-se também, o número de vezes em que o animal defecou, urinou e procurou água. Para a avaliação da mastigação merícica foram avaliados 3 tempos ruminais em três períodos diferentes do dia (10–12, 14–16 e 18–20h), determinando-se o número de mastigações merícicas e o tempo despendido na ruminação de cada bolo ruminal. As eficiências de MS e FDN foram calculadas de acordo com Burguer et al. (2000), e para o número BOL/dia e o de MMnd segundo Polli et al. (1996). Para análise FR e FC foi utilizado um estetoscópio para obter as frequências. A TR foi medida com um termômetro clínico digital, para a medição da TS seguiu-se a técnica determinada por Berman (1957) e modificado por Schleger e Turner (1965). Foram registradas as variáveis ambientais TA, UR, Tgn, Tbs e Tbu com auxílio de termo-higrômetros. Os dados foram testados para efeitos linear e quadrático, sendo estes significativos quando o P≤0,05. A inclusão do RL promoveu efeito linear para o CMS (P=0,002) e CFDN (P=0,0003) e efeito quadrático para o CEE (P=0,004) e ERFDN(P=0,031). A inclusão do RL apresentou efeito linear para MM/min (P=0,005). Para os parâmetros fisiológico não observou-se efeito linear e quadrático para as variáveis. Conclui-se que o RL em dieta das cabras lactantes pode ser usado até o nível com 7%, sem provocar maiores alterações nas variáveis comportamentais, já para os parâmetros fisiológicos o RL revela uma situação de desconforto térmico

  • WAGNER DIAS COÊLHO DE OLIVEIRA
  • Influência da Gestação, Parto e Puerpério nos Parâmetros Hematológicos e Metabólicos de Vacas da Raça Nelore.

  • Orientador : LEILSON ROCHA BEZERRA
  • Data: 22/03/2016
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com a realização deste experimento avaliar a influência da gestação, parto e do puerpério sobre os parâmetros hematológicos e na bioquímica sérica de vacas Nelore. O experimento foi conduzido, na Fazenda Escola, localizada no Município de Alvorada do Gurguéia-PI e no Laboratório de Patologia Clínica Veterinária do Hospital Veterinário (HVU-CPCE), pertencentes ao Campus Professora Cinobelina Elvas da Universidade Federal do Piauí.Foram utilizadas 15 fêmeas pluríparas da raça Nelore com idade média de 4,0±1 anos, com peso vivo de 400±50 kg e escore de condição corporal (ECC) 7,0± 1 inseminadas artificialmente, permanecendo durante a fase experimental em piquetes com pasto formado por Braquiáriabrizanthacvs. Marandu e Xaraés e de Panincummaximum cv. Mombaça, os animais foram distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado e os tratamentos consistiram nos períodos fisiológicos (não prenhe, terço inicial, terço médio, terço final, parto, 24 horas após o parto e os 2 meses do puerpério). Na avaliação dos parâmetros hematológicos, foi realizado o eritrograma consistindo da contagem total de hemácias, hematócrito, dosagem de hemoglobina e os índices hematimétricos absolutos, já no leucograma realizou-se a contagem total de leucócitos, acompanhadas das contagens diferenciais de neutrófilos, eosinófilos, basófilos, linfócitos e monócitos. Onde no eritrograma a contagem total de hemácias foi crescente durante os períodos antecedentes ao parto (9,11x 106/uL) e no dia pós parto (9,21x 106/uL). O hematócrito foi crescente nos períodos anteriores ao parto reduzindo no pós-parto, elevando-se no puerpério, a hemoglobina no terço final da gestação apresentou (14,43 g/dL), com relação ao volume corpuscular médio (VCM) e a Concentração de hemoglobina corpuscular média (CHCM) os maiores índices foram encontrados no terço final da gestação (43,67 fL) e no parto (43,68 %) respectivamente. Quanto à avaliação da bioquímica sérica foram dosadas as concentrações séricas dos constituintes do metabolismo mineral, energético-proteico e enzimático.As concentrações séricas de cálcio foram menores no início da gestação (9,45 mg/dL), enquanto o fósforo sérico  apresentou a maior concentração no parto (7,43 mg/dL). No perfil enzimático, a fosfatase alcalina apresentou as maiores atividades séricas no Parto e 01 dia após o parto (364,34 e 365,98 UI/L) respectivamente, já aspartato amino transferase (AST), evidenciou-se os maiores valores nas fases não prenhe, gestação e parto.No perfil proteico, a ureia sérica sofreu influencia (P <0,0001) da gestação e do puerpério, apresentando os maiores valores no parto (51,30 mg/dL) e 24 horas do pós parto (47,05 mg/dL). Em relação aos metabólitos energéticos, os triglicerídeos (P <0,0001), glicose (P <0,0001) e betahidroxibutirato (P <0,0001) foram influenciadas pelos estágios gestacionais reduzindo no terço final e no parto (15,98 e 16,11 mg/dL) respectivamente para os triglicerídeos, já a glicose sérica reduziu no terço final (49,44 mg/dL),elevando-se no puerpério(58,10 mg/dL), o betahidroxibutirato apresentou concentrações constantes até o terço médio da gestação, elevando-se no final do período gestacional (0,3760 mmol/L). Portanto, os parâmetros hematológicos e metabólicos sérico de vacas Nelore demonstraram sofrer variações quanto aos períodos fisiológicos, intensificando-as principalmente no terço final da gestação e início da lactação, que representam a etapas onde se tem as maiores sobrecargas do metabolismo.

  • ALEX LOPES DA SILVA
  • Caracterização agronômica, composição química e degradabilidade in situ entre híbridos de sorgo duplo proposito

  • Orientador : RICARDO LOIOLA EDVAN
  • Data: 21/03/2016
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a Caracterização agronômica, composição química e degradabilidade in situ em híbridos de sorgo duplo proposito. O delineamento utilizado foi blocos casualizado 25 híbridos com três repetições. Os híbridos de sorgo utilizando foram 9929036, 9929030, 12F042224, 12F042150, FEPAGRO 18, FEPAGRO 19, FEPAGRO 11, 9929012, 9929026, 947216, 947030, 947254, 947072, 947252, SF 15, SF 11, SF 25, PROG 134 IPA, 12F042140, 12F042066, 12F042226, 12F042422, 12F042496, BRS 506 e BRS Ponta Negra. Avaliou-se características de crescimento, morfológicas, produtividade de massa verde e seca e composição química. Realizou-se a ensilagem em mini silos de PVC em que a abertura foi realizada após 28 dias. Nas silagens foram determinados valores pH e nitrogênio amoniacal e composição química. Para degradabilidade in situ, selecionou-se as silagens de 10 híbridos, dessas foram feitas avaliações de degradabilidade utilizando três ovinos Santa Inês fistulados no rumem. O delineamento da degradabilidade foi em blocos casualizado com 10 tratamentos e três repetições. Os dados de características agronômicas, composição química, pH e nitrogênio amoniacal foram analisados pelo procedimento Scott-Knot a 5% de significância. Já os dados da degradabilidade ruminal foram analisados pelo teste de Tukey a 5% significância.  Maiores alturas variaram de 214,53, 229,00 e 240,07cm para SF15, SF25 e PROG134IPA respectivamente. Os híbridos 9929030 e 9929026 apresentaram melhores caracterizações morfológica. O hibrido SF15 obteve maior produtividade de matéria seca. As melhores composição foram encontrados para os híbridos 9929030, FEPAGRO18, 947072 e BRS Ponta Negra. As silagens dos híbridos 9929030, 12F042224, FEPAGRO19, 947030, 947254, 947072, SF11 e 1141562 apresentam pH inadequado para uma silagem de boa qualidade. Os teores de proteína bruta foi mais satisfatórios nas silagens dos híbridos 9929036, 9929030, 12F042224, FEPAGRO19, FEPAGRO11, 9929026, 947030, 947072, 947252, 12F042226 e BRS Ponta negra variando de 5,45 a 6,59%. A silagem do hibrido 9929030 obteve melhor degradabilidade da matéria seca. A degradação de proteína, as silagens dos híbridos 9929030 e 947252 foram superiores. Os híbridos de sorgo SF25, PROG134IPA, 9929030, 9929026, 12F0422150, SF15, SF11 apresentam melhores características agronômicas. Os híbridos 9929030, FEPAGRO18, 947072 9929026 e BRS Ponta Negra tem melhores composição química. As silagens dos híbridos 9929030, 947072 e 947252 são de melhor degradabilidade.

  • CARLOS BARBOSA DOS SANTOS VENCESLAU
  • Parâmetros Hematológicos, Bioquímicos e Ruminais de Cabras Lactantes Alimentadas com dietas contendo Resíduo Lipídico Oriundo da Produção do Biodiesel

  • Orientador : MARCOS JACOME DE ARAUJO
  • Data: 17/03/2016
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o perfil hematológico, a bioquímica sérica e os aspectos físico-químicos e microbiológicos do fluido ruminal em cabras lactantes alimentadas com resíduo lipídico (RL; 30% glicerol), oriundo da produção de biodiesel a partir de óleo residual de fritura. Foram utilizadas oito cabras, com idade média de 2 ± 0,3 e 42,06 ± 3,5 kg de peso corporal (PC), mantidas em baias individuais recebendo quatro dietas contendo 0, 7, 14 e 21% de RL (%MS). O experimento teve duração de 80 dias, sendo dividido em quatro períodos de 20 dias, sendo 15 dias para adaptação e cinco dias para coleta de dados. O delineamento utilizado foi o de quadrado latino 4 × 4, sendo conduzido dois quadros simultâneos. As amostras de sangue foram coletadas no 1º, 3º e 5º após a adaptação, sempre antes dos animais receberem a alimentação da manhã. A coleta foi realizada por punção da veia jungular para realização de hemograma e perfil bioquímico-sérico. Foram colhidos 200 mL de líquido ruminal, via sonda orogástrica, durante o quinto dia de cada período experimental, quatro horas após o fornecimento da ração. Contrastes ortogonais foram testados para efeitos linear e quadrático, bem como os efeitos de 0% do RL na dieta em comparação com os outros tratamentos, sendo estes significativos quando o P≤0,05. Para os parâmetros sanguineos, o consumo dos nutrientes MS, PB e MM kg/dia decresceram linearmente (P<0,05) e o consumo de EE comportou-se de forma quadrática. Houve efeito linear decrescente nas concentrações do hematócrito (P<0,002), hemoglobina (P<0,025) e hemácias (P<0,000). O contraste 0% × RL foi significativo (P<0,029) apenas para a contagem de hemácias. Houve efeito linear decrescente (P<0,037) para as concentrações séricas de fósforo e uma tendência quadrática (P<0,056) para as concentrações séricas de cálcio. No entanto, não foram verificados efeitos significativos (P>0,05) para as concentrações de magnésio, glicose, colesterol total, triglicerídeos, proteína total, albumina, globulinas, ureia e creatinina, aspartato aminotransferase (AST) e fosfatase alcalino (FA). Para os parâmetros ruminais, houve efeito linear decrescente (P<0,05) sob o consumo da MS e FDN, bem como efeito quadrático (P<0,05) sob o consumo de EE. A inclusão de RL influenciou (P<0,0001) a motilidade e densidade dos protozoários. Não houve efeito (P>0,05) dos tratamentos sob pH, concentração de N-NH3 e percentual de protozoários do líquido ruminal. Houve efeito linear crescente sob o tempo de flotação e sedimentação (TFS). Conclui-se que o RL (30,6% de glicerol) provoca alterações nos parâmetros sanguíneos e ruminais. Sugere-se que a inclusão de RL em até 7% na MS pode ser usado sem promover problemas metabólicos.

     

  • ADRIANA DO NASCIMENTO SOUSA FARIAS
  • CLASSIFICAÇÃO DO COEFICIENTE DE VARIAÇÃO EM EXPERIMENTOS COM NUTRIÇÃO DE SUINOS

  • Data: 04/03/2016
  • Mostrar Resumo
  • FARIAS, A.N. Classificação do Coeficiente de Variação em Experimentos com Nutrição de Suinos. 2016. Numero de folhas. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) – Universidade Federal do Piauí, Bom Jesus, 2016.

     

    Experimentos de campo são essenciais nos programas de melhoramento genético e também no processo de recomendação de características da carne suína melhorada. Nesses experimentos é desejável um alto grau de precisão experimental. O coeficiente de variação (CV) é a medida mais utilizada quando o interesse é comparar variabilidades de diferentes conjuntos de dados. Embora a comparação possa ser feita através de outras medidas de variação, nas situações em que as médias dos conjuntos comparadas são muito desiguais ou as unidades de medidas são diferentes, devemos utilizar o coeficiente de variação, que, tem se mostrado bastante útil para especificar com certa eficiência a exatidão dos resultados experimentais. O presente trabalho foi executado com dados de coeficientes de variação de vários artigos científicos da Biblioteca de revistas na área de nutrição animal. Com ênfase na suinocultura, e suas variáveis mais correntemente estudadas. O objetivo foi o de classificar a distribuição do coeficiente de variação em experimentos na área de nutrição de suínos, considerando suas principais variáveis-resposta, para propor faixas de classificação que orientem o pesquisador com relação à precisão dos dados de sua pesquisa. Após o agrupamento dos dados, procedeu-se ao teste de normalidade de Lilliefors, revelando que a maioria das variáveis utilizadas tiveram distribuição aproximadamente normal e apenas três variáveis não apresentaram distribuição normal (ganho de peso, consumo de ração e conversão alimentar). Com isso, através de tabela sugerida para trabalhos com espécies animais que utiliza a mediana e o pseudo-sigma, foi construída uma tabela como sugestão de intervalo de CV, referente a cada variável em questão. A variável peso ao nascer, espessura do toucinho e deposição de gordura na carcaça foram as que apresentaram maiores valores do coeficiente, e as variáveis rendimento de carcaça, comprimento de carcaça, peso inicial e final foram as que apresentaram menores CV.

  • BUENO DA SILVA ABREU
  • Desenvolvimento Ponderal e a Ocorrência de Cryptosporidium spp. em Bovinos Mestiços da Raça Nelore no Município de Alvorada do Gurguéia, PI

  • Orientador : LUANNA CHACARA PIRES
  • Data: 03/03/2016
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se determinar o modelo não linear que melhor se ajusta aos dados de crescimento, analisar a ocorrência de oocistos de coccídeos do gênero Cryptosporidium e associar a presença da infecção parasitária ao desenvolvimento ponderal em bovinos Anelorados no extremo sul piauiense. Foram coletadas quinzenalmente amostras de fezes de 32 bovinos Anelorados, acompanhando seu crescimento, por meio de pesos e medidas biométricas, do nascimento aos 240 dias de idade, no período de junho de 2014 a maio de 2015. Para verificar a presença de oocistos de Cryptosporidium sp., foi realizada as técnicas de Ritchie e Ziehl-Neelsen modificada. Dois modelos não-lineares (Gompertz e Logístico), foram ajustados pelo método de Gauss-Newton, mediante utilização do procedimento NLIN do SAS. E as correlações entre os parâmetros e as variáveis analisadas utilizando-se os procedimentos GLM e CORR do SAS. Para verificar a associação da infecção parasitária com os fatores de risco utilizou-se o teste de Qui-quadrado (χ2), Teste exato de Fisher e a análise de correlação Spearman. Foi calculada a Odds ratio para aquelas que demonstraram associação (P<0,05). As estimativas médias para A (peso assintótico) foram 189,1kg e 169,3kg para Gompertz e Logístico, respectivamente. Dentro do período analisado, o modelo Gompertz foi o mais indicado para representar a curva de crescimento dos bovinos. Observam-se altos coeficientes de correlações (P<0,01) entre medidas biométricas com peso, porém as maiores correlações foram encontradas entre altura de garupa e altura de cernelha (0,97) e entre peso e a circunferência torácica (CT) (0,96), portanto, o CT pode ser utilizado na predição de peso vivo de bovinos. Foi observado uma ocorrência de 13,95% de animais parasitados, apresentando quadro de diarreia em 55% dos animais. Verificou-se associação da infecção com a consistência das fezes, estado nutricional e ganho de peso (P<0,05). O modelo Gompertz foi o mais indicado para representar a curva de crescimento dos bovinos. O desenvolvimento ponderal é afetado nos animais infectados, tornando evidente que a infecção por Cryptosporidium spp., reduziu significativamente no ganho de peso dos animais. Desta forma, o protozoário pode acarretar perdas econômicas diretas e indiretas na produção, por comprometer o desenvolvimento e a produção dos animais, visto que há redução no ganho de peso vivo dos acometidos.

     
  • NATYLANE EUFRANSINO FREITAS
  • Inclusão de resíduo lipídico oriundo da produção de biodiesel na dieta de cabras em lactação.

  • Orientador : MARCOS JACOME DE ARAUJO
  • Data: 29/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a inclusão de resíduo lipídico (RL; 30,6% de glicerol) oriundo da produção de biodiesel a partir de óleos residuais de fritura, sobre o consumo e digestibilidade dos nutrientes, bem como a produção, composição e atributos sensoriais do leite de cabra. Foram utilizadas oito cabras Anglo-Nubianas, multíparas, com peso corporal médio de 42,06 ± 3,5 kg e, aproximadamente, dois anos de idade, estando aos 50 dias de lactação. Os animais foram alocados em baias individuais de 2 m2, distribuídas em quadrado latino duplo (4 × 4), com 4 tratamentos (0, 7, 14 e 21% de RL com base na MS) e 4 períodos com duração de 20 dias cada período (15 de adaptação e 5 dias de coleta de dados). As rações foram isonitrogenadas, sendo o ajuste proteico realizado pela inclusão de ureia e farelo de soja. A fibra em detergente neutro indigestível foi utilizada para estimativa da produção fecal. Para a avaliação do leite, amostras foram colhidas nos três últimos dias de cada período experimental (18°, 19° e 20° dias). Para avaliar o grau de aceitação do leite foi realizada uma análise descritiva quantitativa e testes hedônicos. A inclusão do RL causou efeito linear decrescente para o consumo de MS, MO, PB, FDN e CNF e efeito quadrático para o consumo de EE, NDT, EM e água. O contraste “0% vs RL” não foi significativo para os consumos, no entanto, o contraste “7% vs 14 e 21%” foi significativo para todos os consumos, exceto para água e EE. A inclusão do RL causou efeito linear decrescente para a digestibilidade da MS, PB, EE, NDT e EM e efeito quadrático para a digestibilidade da MO, FDN e CNF. O contraste “7% vs 14 e 21%” foi significativo para todos os coeficientes de digestibilidade, exceto para a FDN. A inclusão do RL causou efeito linear decrescente para a produção de leite e produção diária de gordura (Gor), lactose (Lac), proteína (PB), sólidos totais (ST) e sólidos não gordurosos (SNG). O contraste “0% vs RL” não foi significativo para essas variáveis. Por outro lado, o contraste “7% vs 14 e 21%” foi significativo para a produção de todos os constituintes do leite, exceto para a Lac. A composição do leite não foi influenciada pela inclusão do RL, exceto para a concentração de Gor e Lac a qual foi verificado efeito quadrático. O contraste “0% vs RL” e “7% vs 14 e 21%” não foram significativos. A eficiência alimentar foi influenciada de forma quadrática. Os resultados indicaram que a inclusão de RL não conferiu mudanças sensoriais perceptíveis no leite. O RL com 30,6% de glicerol pode ser incluído em dieta de cabras em lactação até 7%, sem prejudicar o desempenho dos animais.

  • REGINA FIALHO DE SOUSA
  • Enzimas exógenas em dietas com Saccharomyces cerevisiae íntegra para frangos de corte

  • Orientador : LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
  • Data: 29/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • A levedura da cana-de-açúcar (Saccharomyces cerevisiae) é um alimento proteico, no entanto, sua rígida parede celular dificulta o aproveitamento dos nutrientes pelos animais não ruminantes, sendo necessário estratégias que viabilizem o uso desta em maiores quantidades nas dietas. As enzimas exógenas apresentam potencial para utilização em dietas com levedura, principalmente aquelas que possuem substrato específico na parede celular da mesma. Objetivou-se com este trabalho avaliar o efeito da inclusão do complexo enzimático (CE), em dietas com levedura de cana-de-açúcar sobre o desempenho zootécnico, rendimento de carcaça, histomorfometria intestinal e viabilidade econômica das dietas de frangos de corte em dois períodos de criação (1 a 21 e 22 a 42 dias de idade). Utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 2x3+1, sendo dois níveis de complexo enzimático, (0 e 200g/ton), três níveis de inclusão de levedura (0%, 6% e 12%) e uma dieta controle, com sete tratamentos, cinco repetições e 20 aves por unidade experimental. Foram avaliados as variáveis de desempenho (consumo de ração, ganho de peso e conversão alimentar), rendimento de carcaça, histomorfometria do intestino delgado (altura, perímetro e largura de vilo, altura e largura de cripta, espessura da camada muscular intestinal e relação vilo/cripta) e viabilidade econômica das dietas.  Na fase de 1 a 7 dias houve aumento (p<0,05) no consumo de ração e conversão alimentar nas dietas com inclusão de levedura, demostrando efeito linear crescente. Todavia, no período de 1 a 21 dias de idade houve queda no desempenho dos animais que receberam levedura na ração, porém, não foi observado efeito significativo do complexo enzimático. Aos 21 dias observou-se aumento (p<0,05) da parede muscular intestinal no duodeno, e redução na largura da cripta no íleo com a utilização do CE. No nível de 12% de levedura sem o CE, observou-se maior espessura da parede muscular intestinal do jejuno quando comparada ao tratamento controle positivo. Na fase de 22 a 33 dias, o uso de 6% de levedura proporcionou maior consumo de ração e ganho de peso, já no período de 22 a 42 dias não houve efeito significativo para o desempenho, considerando os níveis crescentes da levedura. Nas fases de 22 a 33 e 22 a 42 dias, não foi observado efeito do complexo enzimático sobre as variáveis de desempenho animal. Não houve efeito significativo (p>0,05) para os valores relativo de rendimento de carcaça e cortes aos 21 e 42 dias com o uso de levedura, suplementada ou não com o complexo enzimático. Aos 42 dias observou-se que houve interação entre os fatores para largura e profundidade de cripta no duodeno e jejuno respectivamente. A inclusão de levedura aumentou o custo médio das rações nos períodos de 1 a 21 e 22 a 42 dias. Pode-se concluir que, a inclusão de levedura em dietas para frangos de corte de 1 a 21 dias compromete o desempenho dos animais. O uso da levedura e do complexo enzimático não influencia no rendimento de carcaça aos 21 e 42 dias. A adição do complexo enzimático beneficia a mucosa do íleo de 1 a 21 dias. A utilização da levedura e complexo enzimático de 22 a 42 dias não compromete o desempenho. O uso de levedura não é economicamente viável nos níveis de 6 e 12% nos dois períodos de criação.

  • TIAGO VIEIRA DE ANDRADE
  • COMPOSIÇÃO QUÍMICA E ENERGÉTICA DO MILHO INFESTADO POR SITOPHILUS ZEAMAIS PARA FRANGOS DE CORTE


  • Orientador : STELIO BEZERRA PINHEIRO DE LIMA
  • Data: 26/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo foi desenvolvido com o objetivo avaliar a composição química e energética do milho para frangos de corte em função de cultivares de milho, Al Bandeirante e DKB 390 PRO2, infestados por Sitophilus zeamais nos períodos de armazenamentos de 0, 30 e 60 dias sob diferentes temperaturas. No primeiro experimento foi analisado a composição química do milho após 30 e 60 dias de armazenamento e infestado por Sitophilus zeamais, nas densidades 25, 50 e 75 de insetos e mantidos em diferentes temperaturas de 27º, 30º e 37º C. Foi determinado os teores de Matéria Seca (MS), Proteína Bruta (PB), Extrato Etéreo (EE), Matéria Mineral (MM), Fibra em Detergente Neutro (FDN) e Fibra em Detergente Ácido (FDA). Observou-se diferença e interação significativa (P<0,05) para os valores de Matéria Seca, Proteína Bruta, Matéria Mineral, Extrato Etéreo, Fibra em Detergente Neutro e Fibra em Detergente Acido do milho em função das cultivares Al bandeirante e DKB 390 PRO2. O segundo experimento teve duração de oito dias, foi utilizado o método de coleta total de excretas, para a determinação da Energia Metabolizável Aparente (EMA) e aparente corrigida (EMAn) do milho. Foram utilizados 245 pintos de corte machos, da linhagem Cobb500, do 12º aos 20º dias de idade. Não houve interação significativa (P>0,05) entre a variedade do milho e os períodos de armazenamento. A composição química do milho em função das cultivares, Al Bandeirante e DKB 390 PRO2, para frangos de corte foi alterada pela infestação de Sitophilus zeamais por até 60 dias de armazenamento sob diferentes temperaturas. Entretanto, a energia metabolizável não é alterada pela infestação de Sitophilus zeamais por até 60 dias de armazenamento. De acordo com os resultados, comprova-se a importância de pesquisas que avaliem a qualidade nutricional, aproveitamento dos nutrientes e o controle da qualidade de grãos armazenados de modo a proporcionar um ingrediente de boa qualidade nutricional que possibilite a formulação de rações mais eficientes, no desenvolvimento de frangos de corte, resultando em bons índices produtivos na avicultura industrial.

  • JOHNNY MARTINS DE BRITO
  • DESEMPENHO ZOOTÉCNICO E BIOIMPEDÂNCIA ELÉTRICA DE JUVENIS DE TILÁPIAS-DO-NILO CULTIVADOS SOB DESAFIO E  ALIMENTADOS COM PROBIÓTICO

  • Data: 24/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o desempenho zootécnico de juvenis de Tilápias-do-Nilo alimentados com cepas probióticas e cultivados em água sob desafio sanitário e aplicar a técnica de bioimpedância elétrica (BIA) para aferir o estado de saúde dos juvenis. O experimento foi realizado na Universidade Estadual do Piauí – UESPI, Campus prof. Alexandre Alves de Oliveira, na cidade de Parnaíba-PI, na área experimental de Piscicultura, do setor de Agroecologia do Núcleo de Estudo, Pesquisa e Extensão em Agropecuária – NEA-CAJUI. Adquiriu-se 200 juvenis de Tilápias-do-Nilo dos quais 180 foram distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado com três tratamentos e quatro repetições sendo a unidade experimental quinze juvenis de Tilápias distribuídas por caixa d’água de 400 L (litros). Para proporcionar desafio aos peixes foi adicionado dejetos de suínos (fezes e urinas), sendo que a solução consistia de 500 g de dejetos in natura diluído em 6,0 L de água. Utilizou-se um produto comercial (BACTOGRO®) contendo no mínimo 5x109 bilhões de unidade formadora de colônia por grama viável, contendo as cepas probióticas. No início e no final do experimento os peixes foram pesados e medidos, para determinação dos parâmetros de desempenho zootécnico, sobrevivência, índice hepatossomático e rendimento de carcaça. Aplicou-se no final do experimento a técnica de bioimpedância elétrica para aferir o estado de saúde dos peixes. Foi feito o teste de normalidade dos dados, utilizando o teste do Shapiro-Wilk, teste de homocedasticidade (igualdade de variância) usando o teste de Brown Forsythe, feito a análise paramétrica dos dados da ANOVA, em caso de teste F significativo, foi realizado a comparação das médias pelo teste de Tukey com α = 0,05, de acordo com o Proc GLM do Statistical Analysis System (Versão 9.0).  Não observou-se diferença (P>0,05) no peso final, ganho de peso, ganho de crescimento diário, conversão alimentar aparente, taxa de crescimento especifico, taxa de eficiência proteica, índice hepatossomático e sobrevivência. Não observou-se diferença (P>0,05) no, ângulo de fase, impedância; reatância; resistência; peso; comprimento padrão; distância dos eletrodos externos; distância dos eletrodos internos; índice de composição e K de Fulton. O uso de probiótico na ração de juvenis de Tilápias-do-Nilo não mostrou-se eficiente para promover melhorias no desempenho, sobrevivência e índice hepatossomático no período de 60 dias devido a adaptação ao ambiente criatório. A técnica da BIA mostrou-se eficiente para avaliar o estado de saúde dos juvenis.

  • PETRONIO BATISTA DOS SANTOS
  • Confinamento de Categorias de Bovinos de Corte no Cerrado

  • Data: 24/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o comportamento ingestivo, produção e economicidade de categorias de bovinos terminados em confinamento. O experimento foi conduzido na fazenda Branquinha, no município de Corrente, localizado na região do cerrado piauiense. Foram utilizados 150 bovinos Anelorados, sendo 101 novilhos com média de 283,0 ± 20,82 kg de peso corporal inicial e 30 meses de idade e 49 vacas de descarte com 296,1 ± 17,80 kg de peso corporal inicial e idade de 100 meses. A dieta foi formulada com o objetivo de serem isonitrogenadas e isoenergéticas visando atender as exigências de mantença e ganho de peso de 1,5 kg por dia (NRC, 1996). Os animais foram separados de acordo com os tratamentos: novilhos não castrados e vacas de descarte, utilizando-se o delineamento inteiramente casualizado. Os resultados foram submetidos à análise de variância utilizando o teste “F” a 0,05 de probabilidade, utilizando o Sistema de Análises Estatísticas e Genéticas – SAEG (versão 9.1). A avaliação do comportamento ingestivo foi realizada por intermédio de observações a cada cinco minutos, por um período de 24 horas. Os indicadores zootécnicos para a avaliação da viabilidade econômica foram usados: idade inicial (meses), idade ao abate (meses), peso corporal inicial (kg), peso corporal final (kg), consumo diário da dieta (kg/animal; kg/@), custo da dieta (R$/kg da dieta), custo da arroba produzida (R$/@ produzida) e preço médio da arroba de carne para terminação (R$), foram obtidos através de coleta de dados durante o experimento. As variáveis do comportamento ingestivo diferiram significativamente entre as categorias (P<0,05). Os aspectos da ruminação do comportamento ingestivo de animais confinados são influenciados pela categoria. Ganho médio diário não teve diferença entre as categorias enquanto que o ganho de peso foi maior nos NNC isso devido ao maior tamanho do peso de carcaça final observado nos machos (P>0,05). As variáveis, conversão alimentar e eficiência alimentar apresentaram diferenças entre as categorias (P<0,05). Já para o saldo, salienta que apesar dos NNC terem um custo de aquisição superior das VD, a renda bruta dos machos também foi superior que as VD (P<0,05). A categoria não afetou a lucratividade do sistema apesar dos NNC apresentarem maior receita que as vacas de descarte. 

  • DAYANA MARIA DO NASCIMENTO
  • AVALIAÇÃO IN VITRO DO SÊMEN CAPRINO CRIOPRESERVADO EM SOLUÇÃO TRIS ACRESCIDO DE EXTRATO DE MAURITIA FLEXUOSA

  • Orientador : NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
  • Data: 19/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo teve como objetivo avaliar os efeitos do extrato de Mauritia flexuosa em diferentes concentrações, acrescido em solução TRIS, sobre o sêmen caprino criopreservado. Foram utilizados 4 caprinos com idade de 4 anos, clinicamente saudáveis. Para a coleta foi utilizada somente vagina artificial, totalizando 19 ejaculados. Após coleta foi realizada a avaliação das características macro e microscópicas, seguido pela diluição com os seguintes tratamentos: G5 (solução TRIS+5% de extrato de Mauritia flexuosa), G10 (solução TRIS+ 10% de extrato de Mauritia Flexuosa) e GC ( Tris gema).Após diluição o sêmen foi envasado em palhetas francesas de 0,25 mL e criopreservado em aparelho automatizado TK 3000®, posteriormente, as palhetas foram imersas em nitrogênio líquido (-196 °C) e, por fim, raqueadas e armazenadas em botijões criogênicos. As partidas foram descongeladas em banho-maria a 37 °C por 30 segundos, acondicionadas em microtubos e homogeneizadas para a análise imediata de motilidade e vigor espermático. Os dados foram analisados empregando-se o programa SAS.16 Os índices obtidos de motilidade e vigor foram avaliados pelo PROC GLM do SAS (ANOVA) e quando verificada significância (p ≥0,5) procedeu-se o teste de Tukey. No sêmen fresco, as características físicas mantiveram-se dentro dos parâmetros normais estabelecidos. Após descongelação, houve diferença significativa quanto ao grupo controle (GC), nos parâmetros motilidade e vigor respectivamente (16,05±9,06, 1,73±0,56). Conclui-se que, o diluidor Tris contendo como crioprotetor a gema de ovo, ainda é a melhor alternativa, entretanto, devido a presença de motilidade e vigor nos demais grupos, são necessárias mais pesquisas.

  • FABIANA CRISTINA BELCHIOR DE SOUSA
  • SELEÇÃO DE GENES DE REFERÊNCIA PARA  NORMALIZAÇÃO DA EXPRESSÃO GÊNICA EM TECIDOS DE CODORNA

     

  • Orientador : KATIENE REGIA SILVA SOUSA
  • Data: 18/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • A coturnicultura de corte está em crescente desenvolvimento e necessita de maiores estudos no campo genético para o direcionamento produtivo. Sendo a técnica da PCR em tempo real (RT-qPCR) uma das mais importantes na análise da expressão gênica, estudos e, experimentações relacionadas a seus componentes se fazem necessários. Dentre esses componentes encontra-se o gene de referência, normalizador de dados que possui grande impacto nos resultados e tem influência direta no sucesso da análise, devendo este possuir expressão significativa no tecido de forma invariável em todas as condições experimentais. Desse modo, objetivou-se determinar o perfil de transcritos expressos de genes de referência em tecidos sólidos de codorna de corte. Foram analisadas a estabilidade de dez genes constitutivos (ACTA1, ACTB, B2M GAPDH, HMBS, HPRT1, SDHA, MRPS27, MRPS30 e RPL5) no músculo do peito, gordura abdominal, fígado e intestino entre os grupos macho e fêmea, a partir dos programas BestKeeper, NormFinder, geNorm e método ΔCt, gerados pela ferramenta online RefFinder. Observou-se que o HPRT1 foi o mais estável em todos os tecidos analisados, seguindo por MRPS30 no peito, B2M na gordura abdominal, HMBS no fígado e RPL5 no intestino. Houve efeito do sexo na estabilidade dos genes testados, sendo que os genes mais estáveis para os animais machos foram: HPRT1 > MRPS30 > SDHA e, para fêmeas os genes RPL5 > HPRT1 > MRPS30.  Estes resultados podem ajudar em ensaios de RT-qPCR que avaliem estes tecidos de codornas machos ou fêmeas, uma vez que fornece dados sobre quais genes são mais estáveis e podem ser testados como candidatos a genes de referência nas demais condições experimentais.  

2015
Descrição
  • ANA ALICE SALMITO NOLÊTO DE CAMPOS FERREIRA
  • Classificação De Coeficientes De Variação Em Experimentos De Nutrição E Produção De Aves: Métodos E Fatores Que Influenciam

  • Orientador : LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
  • Data: 29/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho foi avaliar o coeficiente de variação (CV) e estabelecer faixas de classificação para as principais variáveis avaliadas em experimentação com aves por diferentes métodos. Os dados de CV de diferentes variáveis-respostas observados nos artigos de aves (frangos, poedeiras, matrizes, galos, codornas) publicados em cinco periódicos nacionais foram tabulados em planilha do Microsoft Excel 2010® , em seguida submetidos a avaliação da normalidade pelo método de Shapiro-Wilk, e posteriormente foram utilizadas funções matemáticas da estatística descritiva para a obtenção dos valores: máximo, mínimo, amplitude, média, mediana, mediana interquartílica, desvio-padrão, primeiro quartil, terceiro quartil, amplitude interquartílica e pseudo-sigma. Com base nos valores obtidos de média, medianas, desvio padrão e pseudo-sigma dos CVs de cada variável, foram elaboradas faixas de classificação de coeficiente de variação, considerando seis diferentes métodos adaptados de métodos já descritos na literatura. Os resultados obtidos indicaram que as faixas de classificação estabelecidas para CVs em experimentos de aves estão abaixo das definidas em textos estatísticos, observando maior amplitude de faixas de classificação para a variável mortalidade. É possível utilizar a mediana interquartílica, o pseudo-sigma, a média e desvio padrão para classificação dos CVs, porém o uso do desvio-padrão promove faixas de classificação incoerentes em determinadas variáveis. De uma forma geral os coeficientes de variação para dados desempenho (consumo de ração, ganho de peso, conversão alimentar, viabilidade, rendimento de carcaça e rendimento de peito) e produção de ovos (produção de ovos, peso ovo, massa ovos, conversão alimentar por massa de ovos, conversão alimentar por dúzia de ovos) podem considerados baixos quando os valores de CV forem menores que 2,23; médio entre 2,24 e 7,95; alto entre 7,96 e 10,81 e muito alto acima de 10,82%. Ressaltando que a mortalidade possui por natureza uma classificação de CV bastante elevada.

  • APOXENA REIS SOARES
  • Influência de suplemento Reprodutivo (Reproductive®) sobre os parâmetros espermáticos de sêmen fresco e descongelado em ovinos deslanados

  • Orientador : NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
  • Data: 28/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo objetivou testar a qualidade do sêmen fresco e descongelado de ovinos deslanados pós-suplementação com nutricêutico Reproductive®(vetnil). O experimento foi realizado no Estado do Maranhão, município de Matões. Foram avaliados oito ovinos, com idade variando de 2 a 4 anos e fertilidade comprovada após realização de exame andrológico (CBRA, 2013). Os mesmos foram divididos em dois grupos, grupo 1 (Reprodutive), correspondeu  os animais suplementados com a dose  de 10 mL por animal do Nutricêutico, e o grupo 2 (controle) os animais não suplementados com este suplemento, ambos os grupos foram submetidos ao mesmo sistema de manejo e alimentação. As coletas seminais foram realizadas uma vez por semana, por meio de vagina artificial ou eletroejaculador. Após as coletas foram realizadas análises macroscópicas quanto ao volume, aspecto, cor, e análises microscópicas quanto à motilidade, vigor, morfologia e concentração. Posteriormente, o sêmen foi diluído em TRIS-gema, envasados em palhetas de 0,5 mL e criopreservado em aparelho automatizado TK-3000®. Em seguida as amostras foram descongeladas em banho-maria a 37º (graus Celcius) e analisadas novamente. Os valores encontrados foram tabelados utilizando o software SYSTAT 7.0 for Windows e analisados por modelos lineares gerais, análise de univariância (ANOVA) para medições repetidas. Para fins de comparação de médias, foi aplicado o teste de Tukey, sendo os resultados considerados significativos quando P<0,05.  Nos parâmetros motilidade, vigor, morfologia não houve diferença significativa entre os grupos, bem como nos parâmetros clínicos e circunferência escrotal (FC, FR, TR). Entretanto quando comparado por quinzena, houve diferença estatística no parâmetro motilidade, vigor e morfologia onde o grupo suplementado apresentou melhores resultados. Portanto a suplementação com o Reproductive® melhorou os resultados a partir da terceira quinzena, de forma que este pode ser uma alternativa viável para reprodutores, principalmente aqueles de alto valor genético.

  • ANTONIO FRANCISCO DA SILVA LISBOA NETO
  • Efeito do cruzamento racial sobre as características seminais e biometria escroto-testicular em ovinos submetidos à insulação escrotal

  • Orientador : ANTONIO AUGUSTO NASCIMENTO MACHADO JUNIOR
  • Data: 26/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se neste trabalho, avaliar as características seminais de carneiros das raças Santa Inês e mestiços de Dorper com Santa Inês, submetidos à insulação escrotal no município de Bom Jesus – PI, acompanhando o retorno dessas medidas aos valores observados antes da insulação escrotal. O experimento foi realizado na Uiversidade Federal do Piauí, Campus profª Cinobelina Elvas entre os meses de fevereiro e junho. Foram utilizados 4 animais da raça Santa Inês e 4 mestiços, estes ficaram alojados no aprisco experimental do Campus Profª Cinobelina Elvas, e receberam uma dieta à base de capim-elefante, sendo suplementados com ração comercial para ovinos. Antes de colocar a bolsa de insulação nos animais, foram feitas duas coletas de sêmen, num intervalo de 7 dias, entre 7 e 10 horas da manhã, com o intuito de determinar a normalidade das características morfofisiológicas do sêmen. Para coleta do sêmen, inicialmente o prepúcio dos reprodutores, foram higienizados, para a remoção de impurezas (fezes, poeira, urina, etc), prejudiciais ao sêmen, realizou-se a limpeza da ampola retal para então proceder à coleta do sêmen, através do eletroejaculador. De cada ejaculado foi determinado o aspecto do sêmen (escala de 0 a 5, em que 0 indica claro ou aquoso e 5 creme grosso), volume (ml), movimento de massa  (escala de 0 a 5, em que 0 é a ausência de movimento de massa e 5 o valor Maximo dado a um acentuado movimento de massa, motilidade (%), vigor (escala de 1 a 5), concentração espermatica (nº sptz/ml), em câmara de Neubauer. Os valores médios obtidos da temperatura entre a bolsa e a pele do escroto no turno da manhã e da tarde durante os sete dias de insulação foram respectivamente 36,42±0,89 e 38,10±0,87. Com excessão do volume todas as outras caracteristicas seminais avaliadas sofreram efeitos da insulação escrotal, pois se mostraram abaixo dos valores obtidos antes da insulação. O começo do retorno dos parâmetros seminais aos valores observados antes da insulaçaõ ficaram evidentes a partir do dia 70 após a insulação. Com base nos resultados obtidos conclui-se que a insulação escrotal desencadeou um processo de degeneração testicular, por consequente diminuição da qualidade seminal, interferindo na capacidade reprodutiva dos animais. No entanto vale ressaltar que dependendo do grau de degeneração os efeitos podem ser reversíveis, uma vez que os animais começaram a retornar as características seminais observadas antes da insulação a partir do dia 70 após a mesma. Com isso os animais da raça Santa Inês e mestiços (Santa Inês + Dorper) demonstraram características adaptativas para a região sul do Piauí.   

  • ROGÉRIO PAES RIBEIRO DE SOUSA
  • Estimativa de parâmetros genéticos para produção de carne em bovinos da raça Tabapuã por modelos de dimensão finita e infinita. 

  • Orientador : LUANNA CHACARA PIRES
  • Data: 26/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se estimar os componentes de (co)variância e parâmetros genéticos para produção de carne de bovinos da raça Tabapuã por meio de análises uni e bicaracterísticas e por modelos de regressão aleatória sobre polinômios de Legendre. Foram utilizados 35.732 registros de pesos do nascimento até os 660 dias de idade de 8.458 animais da raça Tabapuã. Estes dados são provenientes da Associação Brasileira de Criadores de Zebu – ABCZ referentes a animais da raça Tabapuã localizados no Estado da Bahia. As análises uni e bicaracterísticas para as idades-padrão foram obtidas pelo método da máxima verossimilhança restrita, utilizando-se o software MTDFREML, considerando como efeitos fixos grupo de contemporâneos, a idade da vaca ao parto como covariável (efeito linear e quadrático), efeito linear da idade do animal à pesagem. Como efeitos aleatórios foram utilizados: efeito genético aditivo direto e residual; efeitos genético materno e de ambiente permanente materno. Nas análises de regressão aleatória, para estimar as funções de covariância, utilizou-se o algoritmo de busca AIREML através do método da máxima verossimilhança restrita pelo programa computacional DFREML, considerando como funções base polinômios de Legendre. O resíduo foi modelado por funções de variância de ordem quíntica. Co estas análises observaram-se que as médias dos pesos aumentaram linearmente desde o nascimento até os 660 dias de idade variando de 70 quilos aos 120 dias a 650 quilos aos 660 dias. As estimativas de variância genética aditiva direta obtidas aumentaram com a idade de 44kg2 a 52 kg2 aos 79 dias de idade e 207 kg2 a 264 kg2 aos 550 dias de idade. As estimativas de herdabilidade para o efeito aditivo direto mostram o decréscimo da herdabilidade do nascimento até a desmama (0,48) até (0,27), enquanto que as estimativas de herdabilidade materna apresentaram aumento do nascimento (0,38) até a desmama (0,50) decrescendo nas idades seguintes até (0,17) aos 670 dias de idade. Nas análises uni e bicaracterísticas, as médias e desvios-padrão foram de 120,02±27,30; 192,95±37,41; 231,55±47,52; 312,37±62,46 e 347,52±66,54 respectivamente para peso aos 120, 240, 365, 540 e 670 dias de idade. Para as análises com modelos unicaracterística, as estimativas de herdabilidade direta foram 0,22; 0,27; 0,22; 0,47 e 0,40 respectivamente para pesos aos 120, 240, 365, 540 e 670 dias de idade, apontando um aumento após a desmama. Para as análises bicaracterísticas, as estimativas de herdabilidade direta foram de 0,38; 0,77; 0,85; 0,82 e 0,67 respectivamente para pesos aos 120, 240, 365, 540 e 670 dias de idade, observa-se aumento no decorrer do crescimento do animal e um decréscimo a partir dos 540 dias de idade. As estimativas de herdabilidade direta obtidas nas análises uni e bicaracterísticas foram superiores em relação aquelas obtidas nas análises com modelo de regressão aleatória.  As estimativas de herdabilidade materna tanto no modelo de regressão aleatória como nas análises uni e bicaracterística mostraram que o efeito materno influencia no crescimento dos animais da raça Tabapuã do nascimento até os 670 dias de idade. A seleção com base em características de crescimento em qualquer idade pode promover ganhos genéticos consideráveis no peso corporal de animais da raça Tabapuã criados no Estado da Bahia, em todas as idades. As análises bicaracterísticas apresentaram maiores estimativas de parâmetros genéticos por resgatar parte da variância genética aditiva direta.  As correlações genéticas variaram de baixa a alta de acordo com o modelo adotado e o aumento da idade.

  • JANILDA BARROS SANTIAGO OLIVEIRA
  • Alterações Histopoatológicas do figado e pancreas e Morfometria intestinal de frangos de corte aos 42 dias de idade com dietas contendo diferentes níveis de óleo de algodão

  • Orientador : GUILHERME JOSE BOLZANI DE CAMPOS FERREIRA
  • Data: 07/08/2015
  • Mostrar Resumo
  • Foram utilizados 600 frangos de corte machos, da linhagem Ross. Adotou-se o delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 4x2 (quatro níveis de óleo com ou sem sulfato ferroso), cinco repetições com 15 aves por unidade. Os níveis de óleo de algodão foram 0%, 2%, 4% e 6%. Foram coletadas 40 aves sendo uma por repetição no 42º dia do experimento, para avaliação morfométrica do duodeno, jejuno e íleo. As variáveis analisadas foram altura de vilo, profundidade de cripta e espessura de parede muscular. A análise estatística foi realizada utilizando o SAS com α=0,05. No duodeno houve significância apenas no tratamento 4% onde a adição de sulfato ferroso predispôs a redução no comprimento de vilo e profundidade de cripta, porém, na variável profundidade de cripta este nível não diferiu do tratamento sem óleo de algodão e com 6% deste.  No tratamento com 2% de óleo a adição de sulfato ferroso aumentou a profundidade de cripta. No jejuno, não houve diferença significativa para a variável comprimento de vilo. Porém, a presença do sulfato ferroso com 2% de óleo reduziu a profundidade de cripta, no entanto, este mesmo teor de óleo sem sulfato ferroso apresentou maior profundidade de cripta, contudo, quando observamos o tratamento com 4% de óleo verificamos que o sulfato ferroso aumentou a profundidade de cripta. Na espessura de parede muscular, os teores de óleo de algodão com adição de sulfato ferroso não interferiram no desenvolvimento de parede. Porém, o tratamento com 4% de óleo sem sulfato ferroso apresentou maior espessura de parede. No íleo não houve diferença significativa entre os tratamentos com e sem adição de sulfato ferroso para as variáveis estudadas. Contudo, o tratamento com 4% de óleo sem adição de sulfato ferroso apresentou menor profundidade de cripta, porém, estatisticamente não diferiu dos tratamentos sem óleo de algodão e 6% de óleo sem sulfato ferroso. A inclusão dos níveis analisados de óleo de algodão em rações para frangos de corte na fase de 42 dias de idade não prejudica a morfologia intestinal. A suplementação com sulfato ferroso para quelatar o gossipol nesses níveis é desnecessária mediante a observação de melhora nos índices morfométricos intestinais apenas na profundidade de cripta do duodeno e jejuno em alguns tratamentos.

  • RENAN DOS SANTOS ARAÚJO
  • EXPRESSÃO GÊNICA EM FRANGOS DE CORTE SUBMETIDOS A DIFERENTES NÍVEIS DE ALIMENTOS ALTERNATIVOS

     


  • Orientador : KATIENE REGIA SILVA SOUSA
  • Data: 10/06/2015
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com este trabalho avaliar em frangos de corte, a influência da suplementação de diferentes fontes alternativas (óleo de algodão e glicerina), na expressão dos genes de Superóxido Dismutase – SOD; Catalase – CAT; Glutationa peroxidase – GPx; Malondialdeído – MDA; Proteina desacopladora – UCP; Transportador de Nucleotídeos de Adenina – ANT e Citocromo C oxidase - subunidade III – COX III. Foram realizados dois experimentos: no primeiro foi incluído glicerina, na dieta das aves ao nível de 0%, 6% e 12% e a expressão gênica de SOD, CAT, GPx, MDA, UCP, ANT e COX III no músculo do peito e no fígado foram quantificados aos 42 dias de idade;  enquanto, no segundo experimento, os animais foram suplementados com óleo de algodão ao nível de 0%, 2%, 4% e 6% com ou sem sulfato ferroso e realizou-se a quantificação dos transcritos dos genes SOD, CAT, GPx e MDA no intestino dos animais com 21 e 42 dias de idade. Observou-se que a suplementação com glicerina ao nível de 12% na dieta influenciou na expressão de UCP no músculo e também do GPx no fígado, entretanto, ao nível de 6% não foram percebidas alterações significativas. Percebeu-se ainda que a inclusão de óleo de algodão ao nível de 4% com sulfato ferroso altera a expressão da enzima GPx aos 21 dias de idade, todavia, aos 42 dias a inclusão de 4% de óleo de algodão sem sulfato ferroso aumenta a expressão de MDA e com sulfato ferroso de SOD. Conclui-se que a inclusão de glicerina na dieta ao nível de 12% altera a expressão de GPx no fígado e da UCP no músculo aos 42 dias de idade; a inclusão de óleo de algodão com sulfato ferroso ao nível de 4% altera a expressão gênica de GPx no intestino aos 21 dias de idade; a inclusão de 4% de óleo de algodão sem sulfato ferroso aumenta a expressão de MDA no intestino aos 42 dias de idade; e a inclusão de 4% de óleo de algodão com sulfato ferroso aumenta a expressão de SOD no intestino aos 42 dias de idade.  

  • ENOQUE DE SOUSA LEÃO
  • Caracterização de feno de espécies forrageiras nativas do semiárido

  • Orientador : JACIRA NEVES DA COSTA TORREAO
  • Data: 02/03/2015
  • Mostrar Resumo
  • Avaliou-se a caracterização do feno de espécies forrageiras nativas do semiárido.  O trabalho foi desenvolvido nas dependências do CPCE/UFPI. Foram realizados dois ensaios empregando plantas herbáceas (mucunã, jitirana, ervanso, bredo e malva) e plantas arbóreas (angico de bezerro, angico branco, jurema preta, jurema branca e miroró), as quais avaliou-se os componentes morfológicos (folha, colmo, inflorescência e relação folha:colmo), curva de desidratação da matéria seca (MS), perda de proteína bruta (PB), composição química das espécies (in natura e fenada) e degradabilidade in situ da MS e PB. Foi utilizando um delineamento inteiramente casualizado (DIC) em esquema fatorial 5 x 7, em que os fatores constaram de cinco espécies e sete tempos de desidratação (0, 2, 4, 6, 8, 10 e 12). Houve diferença (P<0,05) entre as forrageiras herbáceas e arbóreas para percentagem de matéria verde (MV) da folha, caule, inflorescência e perda de água. Quanto a composição química das forrageiras herbáceas e arbóreas in natura e fenada observou-se diferença (P<0,05) nos teores de MS, PB, MO, MM, EE, FDN e FDA. O valor proteico das espécies forrageiras estudadas não foi influenciado pelo tempo de exposição ao sol. Dentre as espécies forrageiras estudadas a mucunã, angico de bezerro, angico branco, jurema preta, jurema branca e miroró apresentaram bom potencial forrageiro para fenação, atingindo o ponto de feno até 12 horas de exposição ao sol, destacando-se o miroró e a jurema branca como as mais eficientes. Todas as espécies avaliadas demostraram boas características em sua composição química-bromatológica, visto que a qualidade e disponibilidade nutricional das forrageiras não foram influenciadas pelo processo de conservação na forma in natura e fenada.

  • RAIMUNDO RIBEIRO FERREIRA
  • Inclusão de casca do fruto buriti em silagens de capim elefante (PennisetumpurpureumSchum) e leucena (Leucaenaleucocephala(Lam) Wit.)

  • Orientador : LEILSON ROCHA BEZERRA
  • Data: 27/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito da inclusão de casca do fruto buriti na qualidade química da silagem de capim elefante e leucena. Os parâmetros avaliados foram perdas por gases e efluentes, pH, amônia (N-NH3), composição química (Matéria Seca (MS), Proteína Bruta (PB), Extrato Etéreo (EE), Fibra em Detergente Neutro (FDN), Fibra em Detergente Ácido (FDA)), e degradabilidadein situ das silagens com casca do fruto buriti. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado (DIC), com cinco tratamentos (0%, 5%, 10%, 20% e 40% de casca do fruto buriti) com cinco repetições, em um esquema de subparcelas, representadas pelos tempos de incubação (0, 3, 6, 12, 24, 48, 72, 96 e 120h). A variável MS, apresentou efeito significativo (P<0,05)linear crescente, aumentando o teor de MS das silagens de capim elefante e leucena. Os níveis de 0%, 5%, 10% e 20% de inclusão de casca do fruto buriti na silagem de capim elefante apresentaram comportamento (P<0,05) linear decrescente para os períodos de abertura dosilo em relação ao pH. Os resultados de pH, para os níveis de 0%, 5%, 10% e 40% de casca do fruto buriti em silagem de leucena, tiveram um comportamento quadrático (P<0,05). A variável PB não apresentou efeito significativo (P>0,05) para a inclusão dos níveis de casca do fruto buriti na silagem de capim elefante. Houve efeito significativo (P<0,05) linear decrescente para as variáveis MO e PB, para a inclusão de casca do fruto buriti na silagem de leucena. A silagem de capim elefante mantém teor de pH e N-NH3 adequado para silagem de boa qualidade até níveis de 20% de inclusão de casca do fruto buriti. A inclusão de casca do fruto buriti até 200 g kg-1 em capim elefante, proporciona condições ideais para ensilagem. A adição de casca do fruto buriti na silagem de leucena proporcionou redução do pH até o 21° dia após o fechamento do silo para os valores de inclusão de até 20%. Níveis de inclusão de até 60,5 g kg-1 de casca do fruto buriti, em leucena proporciona silagem de boa qualidade.

  • ALINE PAVILOV DE MEDEIROS SOARES
  • COMPONENTES CONSTITUINTES E NÃO CONSTITUINTES DA CARCAÇA DE CORDEIROS DESLANADOS


  • Data: 27/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar as características quantitativas da carcaça, predizer a composição física da perna e avaliar os componentes não constituintes da carcaça de cordeiros deslanados produzidos a partir do cruzamento industrial da raça Dorper com as raças Morada Nova e Santa Inês. Foram utilizados 38 cordeiros mestiços (½ Dorper x ½ Morada Nova e ½ Dorper x ½ Santa Inês) desmamados aos 75 dias de idade com peso médio inicial de 14,3 kg, abatidos com idade média de 150 dias, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado com esquema fatorial 2x2 (dois genótipos e dois sexos).  O desempenho dos cordeiros foi influenciado (P<0,05) pelo genótipo e pelo sexo, além da interação genótipo vs sexo, proporcionando um maior ganho de peso nos cordeiros ½ Dorper x ½ Santa Inês e fêmeas. O genótipo interferiu ainda no índice de musculosidade, relação músculo:osso e comprimento da perna, enquanto que o sexo influenciou (P<0,05) no teor de gordura obtidos pela dissecação da perna. Não houve diferença (P>0,05) nos parâmetros de rendimentos da carcaça quente, fria e biológica e nem nos rendimentos (g/kg) dos cortes comerciais, onde a perna, apresentou um maior rendimento (326,5 g/kg) em relação aos outros cortes, por representar a porção comestível da carcaça.  Os rendimentos de carcaça fria foram 452, 472,1, 454,1 e 465,6 g/kg, para os cordeiros ½ Dorper x ½ Morada Nova, ½ Dorper x ½ Santa Inês, machos e fêmeas respectivamente. Em relação aos componentes não constituintes da carcaça os cordeiros ½ Dorper x ½ Santa Inês e as fêmeas (151,2 e 165 g de gordura renal; 199 e 226 g de omento) apresentaram maior depósito de gordura visceral quando comparados com os ½ Dorper x ½ Morada Nova e os cordeiros machos (96,36 e 63,18 g de gordura renal; 140 e 89,47 g de omento), havendo diferença (P<0,05) entre genótipo e sexo. Os rendimentos dos pratos típicos regionais, buchada e panelada, não foram influenciados (P>0,05) pelos tratamentos, apresentando rendimentos semelhantes entre si. A utilização da técnica do cruzamento industrial melhorou o desempenho dos animais, no entanto, o genótipo e o sexo não alteraram as características de rendimentos da carcaça e nem o rendimento dos cortes comerciais, principais fatores responsáveis pela comercialização do produto. Da mesma forma, o uso do cruzamento industrial da raça Dorper com as raças Morada Nova e Santa Inês, no uso de subprodutos do abate para a preparação de pratos típicos regionais brasileiro, especificamente Nordestino pode ser inferida a ser uma opção interessante para a obtenção de produtos alimentares com características nutricionais diferenciadas além de atuar como fonte adicional na renda do produtor.

     

     

  • LUCIANO SILVA SENA
  • Estudo genético de tamanho corporal e características de carcaça obtidas por ultrassonografia em ovinos de corte

  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 27/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo foi estimar e comparar as herdabilidades obtidas por meio de analises uni e bicaracterísticas para características de carcaça e tamanho corporal, bem como ordenar os animais de acordo com seus valores genéticos preditos para as características estudadas. As características analisadas foram peso vivo à idade adulta (PA), altura da garupa (AG), circunferência torácica (CT), profundidade torácica (PT), comprimento corporal (CC), área de olho de lombo (AOL), espessura de gordura subcutânea (EGS), espessura do músculo Biceps femoris (EGBF), comprimento máximo do olho de lombo (COL) e profundidade máxima do olho de lombo (POL). Foi utilizado um modelo animal em análises uni e bicaracterística para a estimação e comparação dos componentes de variância e herdabilidades para as características de tamanho corporal e carcaça. Foram preditos os valores genéticos para as características juntamente com a avaliação do ranqueamento dos animais com base nos valores genéticos preditos para PA, CT, PT e AG por meio da Metodologia de Modelos Mistos de Henderson. A mudança na classificação dos animais foi avaliada com base na correlação de Sperman e por meio das alterações de posição quando a seleção foi praticada com 3% dos animais com melhores valores genéticos preditos para a característica na qual se efetuou a seleção. As estimativas de herdabilidades encontradas para as características avaliadas no presente estudo apresentaram valores de baixa a moderada magnitude, com valores semelhantes quando estimadas por análise uni e bicaracterística, o que indica que o modelo unicaracterístico pode ser utilizado, pois requer menos tempo de processamento. Esses resultados evidenciam a existência de variabilidade e a obtenção de ganho genético com a seleção direta para tais características nos rebanhos da raça Santa Inês estudados. As correlações entre os valores genéticos foram em sua maioria de magnitude baixa e negativas, indicando pouca relação genética entre as características avaliadas, o que reflete a necessidade de inclusão de critérios de seleção direto para melhoramento genético da carcaça de ovinos por meio de seleção.

  • WAGNER MARTINS FONTES DO REGO
  • Soroprevalência e fatores de risco do Toxoplasma gondii em caprinos e ovinos de áreas produtoras do Estado do Piauí.

  • Orientador : JANAINA DE FATIMA SARAIVA CARDOSO
  • Data: 26/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • A toxoplasmose é uma importante zoonose que está mundialmente distribuída. Em ovinos e caprinos provoca aborto, natimortalidade, maceração fetal, reabsorção fetal, nascimento de cordeiros fracos e prematuros. Este estudo analisou a soroprevalência e os fatores de risco associados com a infecção pelo T. gondii em 1.964 caprinos e ovinos explorados na Microrregião Homogênea de Teresina (MRHT) e Microrregião do Alto Médio Gurguéia (MRAMG). Foi utilizado o teste de ELISA indireto para a detecção de anticorpos anti-Toxoplasma gondii. Das 761 amostras de soro caprino e das 249 de ovinos analisadas na Microrregião Homogênea de Teresina, 376 (49,4%) e 168 (67,5%) foram positivas, respectivamente. Resultado semelhante foi verificado na Microrregião do Alto Médio Gurguéia onde a prevalência geral para a infecção pelo Toxoplasma gondii em caprinos e ovinos foi de 40,5% (235/580) e 48,7% (182/374) respectivamente. Os principais fatores de risco que permaneceram no modelo final da análise multivariada nos ovinos da MRHT foram: criar mais de dois gatos na propriedade (OR=13,33), acesso de cães domésticos e silvestres à água de consumo dos ovinos (OR=11,00), não enterrar os animais que morrem na propriedade (OR=7,59) e presença de gatos nas instalações (OR=0,213). Na espécie caprina, os principais fatores de risco foram: Retenção de placenta (OR=2,539), exploração de caprinos para produção de carne (OR=1,665), quanto ao sexo (OR=1,647), gatos terem acesso à água oferecida ao consumo dos caprinos (OR=0,559) e não fazer controle de roedores nas propriedades (OR=0,453). Ao analisar os fatores de risco envolvidos com a prevalência nos pequenos ruminantes explorados na MRAMG, as variáveis que permaneceram no modelo final da análise multivariada para a espécie ovina foram: Criação extensiva (OR) = 2,210; Intervalo de confiança - IC = 1,12-4,358) e Possuir cercas limitróficas na propriedade (OR = 0,546; IC = 0,326-0,916). Na espécie caprina, os principais fatores de risco foram: Gatos que se alimentam de restos placentários (OR=6,778), Pastagem natural (OR=2,332), quantidade de cães na propriedade (OR=2,092) e quanto ao sexo (OR=1,888). Os resultados do presente trabalho evidenciam a presença de caprinos e ovinos explorados na Microrregião Homogênea de Teresina e Microrregião do Alto Médio Gurguéia infectados com o Toxoplasma gondii.

     

     

  • CARLOS SYLLAS MONTEIRO LUZ
  • Bem-estar de suínos em fase de creche criados em ambientes enriquecidos

  • Orientador : LEONARDO ATTA FARIAS
  • Data: 12/02/2015
  • Mostrar Resumo
  • O experimento foi realizado com o objetivo de avaliar o conforto de suínos na fase de creche segundo parâmetros comportamentais e fisiológicos dos animais em diferentes turnos, criados em ambientes enriquecidos. Foi realizada uma revisão de literatura sobre fatores que estão ligados ao bem-estar animal, buscando quantificar o grau de conforto fisiológico de suínos por meio de variáveis como: temperatura retal (TR), frequência respiratória (FR), frequência cardíaca (FC), eritrograma, leucograma e bioquímicos sanguíneos; parâmetros de comportamento frente às variáveis ambientais: Enriquecimento ambiental (EA), temperatura do ar (TA), umidade do ar (UA) e o índice de temperatura globo e umidade (ITGU). Foram utilizados 24 suínos (Piau x linhagem Agroceres Pic) distribuídos em delineamento em blocos casualizados em esquema fatorial 2x2x2 (com e sem enriquecimento ambiental (EA); dois turnos (manhã e tarde); bloco com presença ou ausência de incidência de raios solares). Foram coletados parâmetros de comportamento, conforto térmico, sanguíneos e ambientais. Foi observada que a TA apresentou diferença (p<0,05), e foi constatado uma amplitude térmica de 6,24ºC entre a média da manhã e da tarde. Na TR os valores mostraram diferenças (p<0,05) com a presença de EA foi menor em relação à ausência. A FR apresentou significância (p<0,05) com magnitude no turno da tarde e também foi observado que a presença de artefatos como forma de EA na baia, reduziu a FR. Com relação a FC apresentou diferença (p<0,05) para os turnos. A UA correlacionou-se negativamente com a FC e TR para ambos os tratamentos, com a presença de EA obteve FC (-0,53) e TR (-0,61) e com ausência de EA foi de (-0,66) e TR (0,62). A presença do EA reduziu a influência da mudança climática. O VCM (volume corpuscular médio) foi significativo, sendo maior quando com a presença do EA. A para variável Seg (neutrófilos segmentados) apresentou diferença com a presença do EA. A presença do EA reduziu significativamente (p<0,05) o comportamento brigando. Os comportamentos (Fuçando a baia e Fuçando o outro), foi observado que os suínos com a presença do EA fuçaram a baia e aos outros em menor proporção. Com a presença do EA os animais passaram mais tempo Dormindo e menos tempo Deitado acordado. Não foi verificado diferença (p>0,05) para o comportamento Andando. O comportamento Comendo apresentou magnitude no tratamento que não recebeu a presença do EA. O comportamento Brincando, verificou-se que os suínos apresentaram frequências elevadas de interação com os artefatos principalmente os que foram disponibilizados no piso da baia. A utilização de garrafas pets como forma de enriquecimento proporcionou bem-estar fisiológico para os suínos, contudo os parâmetros sanguíneos não sofreram influências relevantes para o bem-estar de suínos quando comparados com a presença de EA. O EA reduz a presença de brigas e promove a expressão do comportamento normal de brincar. Os animais se alimentam em maior quantidade no turno da manhã e dormem mais no turno da tarde em consequência ao estresse térmico

2014
Descrição
  • DENISE CERQUEIRA DE SOUSA
  • Morfologia do Trato Digestório de Frangos de Corte aos 46 dias Alimentados com Dietas Contendo Glicerina

     

  • Orientador : GUILHERME JOSE BOLZANI DE CAMPOS FERREIRA
  • Data: 30/08/2014
  • Mostrar Resumo
  • O experimento foi conduzido para avaliar a presença de alterações morfológicas, macro e microscópicas do sistema digestório, causadas pela suplementação de glicerina, oriunda da produção de biodiesel, na dieta de frangos de corte. Foram utilizados 16 animais na fase de terminação (46 dias), divididos em dois grupos de 8 animais, com dietas suplementadas com 7% de glicerina e sem suplementação de glicerina. Após o período de 46 dias os animais foram pesados assim como a ração, para determinação do desempenho e posteriormente eutanasiados. Imediatamente após, foram perfundidos, com solução aquosa de formaldeido 10% tamponado. Posteriormente estes foram dissecados e mensurados macroscopicamente e seu trato digestório foi segmento em todas as porções para processamento histológico. As variáveis em estudo compreendem: mensuração do comprimento e diâmetro dos órgãos, bem como de suas porções (proximal, média e distal), para avaliação macroscópica; os segmentos foram corados e fotomicrografados para descrição de sua estratigrafia, bem descrição das alterações morfológicas oriundas da suplementação com glicerol. 

  • SHEILA VILARINDO DE SOUSA
  • Estimativa do consumo, digestibilidade da matéria seca e metabolismo mineral ósseo em ovelhas Santa Inês suplementadas no pré e pós-parto.

     

  • Orientador : MARCOS JACOME DE ARAUJO
  • Data: 16/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar diferentes indicadores na estimativa do consumo, digestibilidade da matéria seca, bem como o metabolismo mineral ósseo em ovelhas Santa Inês suplementadas a pasto no pré e pós-parto. Foram utilizadas 12 ovelhas da raça Santa Inês distribuídas em delineamento inteiramente casualizado (DIC) em arranjo fatorial (2x5), sendo dois níveis de suplementação (0,5 e 1,5% do PV) e cinco períodos experimentais. Para as estimativas do consumo e digestibilidade foram utilizados a Lignina Purificada e Enriquecida (LIPE®) como indicador externo e a Fibra em Detergente Neutro, Fibra em Detergente Ácido indigestíveis (FDNi, FDAi) e Matéria Seca Indigestível (MSi) como indicadores internos. Para a avaliação o metabolismo mineral ósseo foram realizadas analises séricas de Cálcio, Fósforo, Magnésio, Fosfatase Alcalina, bem como dos hormônios paratormônio (PTH), osteocalcina (OC) e fator de crescimento semelhante à insulina do tipo I (IGF-I), mediante utilização de kits comerciais. As coletas de fezes, sangue e pasto para as análises foram realizadas em diferentes períodos, durante a realização do experimento. O consumo de matéria seca total (CMS) foi influenciado (P<0,05) pelo tratamento, período, indicador, além das interações entre tratamento vs indicador e período vs indicador. Observou-se que o CMS foi maior para animais que receberam 1,5% PV em suplementação concentrada. A MSi foi o indicador que apresentou a melhor estimativa do CMS quando comparada ao estimado pela FDAi e FDNi. Para a digestibilidade da matéria seca (DMS) foi observado efeito significativo (P<0,05) de tratamento, período, indicador, além das interações entre tratamento vs período, tratamento vs indicador e período vs indicador. Para todos os indicadores utilizados, foram observados valores de digestibilidade mais elevados nos animais que receberam suplementação concentrada a 1,5% do PV. A MSi apresentou maior DMS, quando comparada a FDNi e FDAi, com maiores medias observadas no segundo período de avaliação. A suplementação concentrada influenciou o consumo de MS total bem como a digestibilidade, onde os maiores valores foram registrados para os animais que receberam maior nível de suplementação. No quinto período de avalição os animais apresentaram o menor consumo e menor digestibilidade de MS em relação aos demais períodos. Os resultados de consumo e digestibilidade foram subestimados pelos indicadores utilizados. Na avaliação do metabolismo mineral foi observado que o nível de suplementação influenciou apenas a concentração de P (P<0,05), onde os maiores valores foram observados nos animais que receberam 1,5% do PV em concentrado. Houve efeito (P<0,05) do período para os valores médios de concentração sérica de P, Ca:P, Mg, FA e IGF-I, sendo as menores concentrações observadas ao redor do parto. Os indicadores do metabolismo mineral foram mais sensíveis ao estágio fisiológico do que ao nível de suplementação concentrada, podendo-se concluir que os animais precisam de maior atenção no momento próximo e imediatamente pós-parto.

  • FRANCINETE ALVES DE SOUSA
  • ENZIMAS EXÓGENAS SOBRE A DIGESTIBILIDADE DOS NUTRIENTES DE INGREDIENTES ALTERNATIVOS PARA FRANGOS DE CORTE

  • Orientador : LEONARDO ATTA FARIAS
  • Data: 12/06/2014
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se determinar a energia metabolizável aparente (EMA), energia metabolizável aparente corrigida pelo balanço de nitrogênio (EMAn) e os coeficientes de digestibilidade da matéria seca (CDMS), proteína bruta (CDPB) e energia bruta (CDEB) da levedura e do milheto suplementados com proteases e complexos multienzimáticos, respectivamente, para frangos de corte. Foram utilizados 1476 frangos de corte machos da linhagem Cobb, adquiridos com um dia de idade, sendo 900 frangos para o ensaio de metabolismo da levedura onde foi considerado aos períodos de 1 a 10, 11 a 20, 21 a 30 e 31 a 40 dias de idade e 576 frangos para o ensaio de metabolismo do milheto considerando-se os períodos de 11 a 20, 21 a 30 e 31 a 40 dias de idade, distribuídas em delineamento experimental inteiramente casualizado (DIC). Para cada ensaio de metabolismo foram utilizados 3 tratamentos, seis repetições, no qual foram obtidos com a formulação de seis dietas, sendo uma dieta referência formulada a base de milho, farelo de soja e outra dieta teste que foi obtida pela substituição de 30% da dieta referência por levedura inativa de cana-de-açúcar e por 40% de grãos de milheto. À dieta referência e à dieta teste foram adicionadas as enzimas proteases para o ensaio com levedura e os complexos enzimáticos CES (fitase, protease, xilanase, b-glucanase, celulase, amilase e pectinase) e o CEV (protease, celulase e amilase) para o ensaio com o milheto. Os valores de EMA, na matéria natural, da levedura inativa de cana-de-açúcar para frangos de corte de 1 a 10, 11 a 20, 21 a 30 e 31 a 40 dias de idade foram de 2579, 2385, 2389 e 2311 kcal/kg, respectivamente. Os valores de EMAn, na matéria natural, da levedura inativa de cana-de-açúcar para frangos de corte de 1 a 10, 11 a 20, 21 a 30 e 31 a 40 dias de idade foram de 2251, 2150, 2295 e 2305 kcal/kg, respectivamente. A suplementação enzimática reduziu a EMA, EMAn, CDMS e CDPB apenas no período de 1 a 10 dias de idade. Nenhum efeito das proteases foi observado na energia metabolizável e coeficientes de digestibilidade nas fases de 11 a 20, 21 a 30 e 31 a 40 dias. Os valores de EMA, na matéria natural, do milheto grão para frangos de corte de 11 a 20, 21 a 30 e 31 a 40 dias de idade foram de 3456, 3613 e 3468 kcal/kg, respectivamente. Os valores de EMAn, na matéria natural, do milheto grão para frangos de corte de 11 a 20, 21 a 30 e 31 a 40 dias de idade foram de 3321, 3417 e 3383 kcal/kg, respectivamente. Os complexos multienzimáticos não proporcionaram melhorias na energia metabolizável.

  • JUANNA D ARC FONSECA DOS SANTOS
  • AVALIAÇÃO DA ESPERMATOGÊNESE EM OVINOS SRD, NOS PERÍODOS SECO E CHUVOSO, NA REGIÃO SUL DO ESTADO DO PIAUÍ.

  • Orientador : ANTONIO AUGUSTO NASCIMENTO MACHADO JUNIOR
  • Data: 19/05/2014
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a influência do período sobre a estrutura testicular de ovinos. Foram utilizados 10 animais, sendo 5 no período seco e 5 no período chuvoso, com idade entre 2 e 3 anos. Os animais foram pesados e abatidos, remoção e pesagem dos testículos para obtenção do índice gonadossomático (IGS). Posteriormente, os testículos foram seccionados e fixados em solução de Bouin por 24h sob refrigeração a 8ºC. Os fragmentos foram submetidos ao processamento histológico e emblocados em parafina. Cortes histológicos de 4µm de espessura foram corados com hematoxilina-eosina. Foram avaliadas a proporção volumétrica dos compartimentos testiculares, o diâmetro dos túbulos seminíferos, altura do epitélio seminífero e frequências dos estágios do ciclo do epitélio seminíferos. Os dados foram submetidos à análise de variância (PROC GLM) e as médias foram comparadas através do teste de Fisher a 5% de probabilidade, utilizando o programa estatístico SAS 9.0. Os resultados revelaram que o valor do diâmetro tubular foi de 143,98 ± 17,83 e 170,37 ± 26,64 µm e a altura do epitélio seminífero foi de 44,92 ± 9,23 e 50,06 ± 13,61 µm nos períodos seco e chuvoso, respectivamente. Todos os valores da proporção volumétrica dos componentes testiculares mostraram variação significativa entre os períodos do ano, com exceção das células de Leydig e vasos testiculares, sendo que os valores foram melhores no período chuvoso. A determinação da frequência relativa dos estágios do ciclo do epitélio seminífero revelou que o estágio 3 foi o mais frequente em ambos os períodos e que o estágio menos frequente no período não chuvoso foi o 2 e no período chuvoso foi o 8. Com base nos resultados, pode-se concluir que o período do ano interfere na estrutura testicular e que no período chuvoso tendo em vista que os parâmetros analisados apresentaram valores mais expressivos.

  • DANIELA KUNKEL
  • Viabilidade do sêmen congelado-descongelado rediluído em ACP111® e fertilidade em vacas Bos indicus submetidas à inseminação artificial em tempo fixo.

  • Orientador : NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
  • Data: 17/03/2014
  • Mostrar Resumo
  • A utilização de biotecnologias reprodutivas como inseminação artificial, sincronização do estro e o uso da água de coco em pó como diluente seminal, auxilia na melhora dos índices de produtividade do rebanho de bovinos de corte e contribui para a redução de custos como a melhor utilização do tempo, mão de obra e recursos financeiros.  O objetivo deste trabalho foi avaliar a viabilidade do sêmen descongelado rediluído em ACP111® utilizado na inseminação artificial de fêmeas zebuínas submetidas a tratamento de sincronização do estro e ovulação. Foram utilizadas 30 (trinta) vacas da raça Nelore separadas em dois grupos com 15 animais (grupo controle e grupo ACP). A determinação das condições ovarianas, diagnóstico de gestação e acompanhamento da gestação foi realizada com o auxílio de aparelho de ultrassom. A viabilidade do sêmen rediluído em ACP111® foi realizada através da análise da motilidade no momento da rediluição do sêmen, sendo o preparo do diluente conforme as especificações do fabricante. Análise estatística utilizada foi teste de qui-quadrado considerando as variáveis taxa de fertilidade, proporção machos e fêmeas e viabilidade dos espermatozoides. Os resultados para viabilidade do sêmen demonstraram que as doses estavam viáveis com motilidade 75% e vigor 3, na taxa de fertilidade os resultados alcançaram 13% para grupo controle e grupo ACP® não havendo diferença estatística (P≥0,05), já a proporção macho e fêmea apresentou diferença estatística (P≥0,05). Portanto, o ACP111® não foi considerado eficiente nesse estudo devido a interferência de fatores nutricionais e o estresse.

  • GLEYSON VIEIRA DOS SANTOS
  • Modelos com diferentes distribuições para estimação de efeitos genéticos e ambientais de características associadas à resistência a endoparasitas em ovinos de corte.

  • Orientador : JOSE LINDENBERG ROCHA SARMENTO
  • Data: 26/02/2014
  • Mostrar Resumo
  •  

    Objetivou-se com este trabalho comparar diferentes distribuições para características associadas com a resistência genética a endoparasitas utilizando Inferência Bayesiana, bem como avaliar o impacto dos efeitos sistemáticos na estimação dos parâmetros genéticos. As características consideradas nesse estudo foram ovos por grama de fezes (OPG), coloração da mucosa ocular (FAMACHA), escore corporal (EC), peso a idade adulta (PA) e altura da garupa (AG). As distribuições adotadas para OPG foram Normal e Poisson, para FAMACHA adotou-se Poisson e Normal e para as demais características foi adotada distribuição Normal. As caraterísticas foram analisadas através de um Modelo Linear Generalizado Misto em que foi considerado como efeito aleatório o efeito genético aditivo direto e como efeitos sistemáticos os grupos de contemporâneos, ano de coleta, período de coleta, tipo de nascimento e idade do animal no momento da coleta. Para a comparação dos efeitos sistemáticos foram considerados três modelos diferindo na composição desses efeitos. A escolha do melhor modelo bem como da melhor distribuição foi realizada com base no critério de informação da Deviance (DIC). Para a OPG, o ajuste da distribuição de Poisson proporcionou menor valor de DIC, indicando que esta distribuição proporcionou melhor ajuste aos dados. Para FAMACHA a distribuição que melhor se ajustou aos dados foi a Normal, possivelmente devida a distribuição dos dados fenotípicos tenderem a normalidade. O tempo gasto para a convergência das

    cadeias de Gibbs foi maior quando considerado a distribuição de Poisson, sugerindo maior complexidade na modelagem. Na comparação dos efeitos sistemáticos adotando a distribuição Poisson, para OPG o modelo III foi o que proporcionou melhor ajuste aos dados, com estimativa de herdabilidade igual a 0,64 para esta característica. As estimativas de herdabilidade considerando a distribuição Normal para os diferentes modelos e características variaram de 0,12 a 0,32. Com relação ao escore corporal as estimativas foram de baixa magnitude. Os modelos que melhor se ajustaram aos dados de OPG, FAMACHA, escore corporal, peso corporal foram, respectivamente, os modelos IV, I, I, IV. A adoção de diferentes distribuições bem como a inclusão de diferentes efeitos sistemáticos no modelo proporcionaram estimativas de parâmetros genéticos divergentes, mas que indicam a possibilidade de ganho genético como resposta à seleção fenotípica para resisitência a verminose.

2013
Descrição
  • TAIRON PANNUNZIO DIAS E SILVA
  • Parâmetros metabólicos em ovelhas deslanadas suplementadas no pré e pós-parto.

  • Orientador : CARLO ALDROVANDI TORREAO MARQUES
  • Data: 06/12/2013
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se determinar em ovelhas deslanadas mantidas em pastagem de Andropogon gayanus e recebendo diferentes níveis de suplementação concentrada, qual o plano alimentar empregado durante a gestação e na lactação exerce influência sobre parâmetros metabólicos. O experimento foi conduzido no Modulo Didático Produtivo de Caprinos e Ovinos da Universidade Federal do Piauí – Colégio Técnico de Bom Jesus (CTBJ), Bom Jesus – PI. Foram utilizadas 28 ovelhas pluríparas vazias, sendo 14 da raça Morada Nova e 14 da raça Santa Inês distribuídas em DIC em arranjo fatorial (2x2) em que: duas raças (Santa Inês e Morada Nova), dois planos alimentares (0,5 e 1,5% do peso vivo), tanto na gestação como na lactação. A suplementação concentrada foi fornecida com base no peso vivo (PV) das ovelhas (0,5 e 1,5%). As amostras de sangue foram colhidas a cada 14 dias. Foram avaliados os níveis séricos de glicose, triglicerídeos, colesterol, uréia e creatinina no pré e pós-parto. Nos mesmos períodos foram avaliados o consumo de concentrado, consumo de matéria seca total em gramas/dia (CMST), consumo de matéria seca total em Kg/ unidade de tamanho metabólico (CMS) e consumo de matéria seca em % do PV (CMSTPU). As pesagens foram realizadas semanalmente e calculado o peso vivo médio em Kg (PV) e peso vivo médio em unidade de tamanho metabólico (PV0,75). As variáveis sanguíneas foram avaliadas pelo arranjo em parcelas subdivididas. A parcela principal constituiu os níveis de suplementação e a parcela secundária os períodos de colheita, com medidas repetidas no tempo. A comparação entre os níveis de suplementação e entre as coletas foi feita pelo teste SNK. Para o estudo da relação entre duas variáveis foi utilizada a análise do coeficiente de correlação. Foi utilizado um nível de significância de 5% para todos os testes realizados. Tanto durante a gestação, quanto na lactação, o consumo de nutrientes foi superior (P<0,05) nas ovelhas Santa Inês e para aquelas que receberam 1,5% de suplementação. Ao se avaliar a influência do nível de oferta da suplementação concentrada sobre o consumo do mesmo, percebeu-se que as ovelhas submetidas ao maior aporte de nutrientes segue a mesma tendência (P<0,05) que as avelhas de maior porte. Na lactação o consumo de concentrado seguiu o mesmo comportamento ocorrido durante a gestação. Foi verificado o efeito de raça para  CMST, com maior consumo por parte da ovelhas Santa Inês. Na lactação analisando o CMST percebe-se que as ovelhas da raça Morada Nova consumiram 31,30% mais suplementação concentrada que volumoso a pasto. Ao avaliar o consumo de CMSTU houve efeito (P<0,05) de raça e tratamento durante a gestação. Ocorreu variação nos metabólitos sanguíneos com o avançar da gestação, independente do grupamento genético, no entanto, houve maior mobilização das fontes energéticas alternativas nas ovelhas santa Inês. As ovelhas da raça Morada Nova apresentaram maior eficiência no período de gestação, podendo-se recomendar suplementação de 0,5% do PV e garantir bons índices produtivos nessa fase. Ovelhas da raça Santa Inês ao receber 1,5% de suplementação tiveram amenizados os efeitos do estresse metabólico. Os efeitos do balanço energético negativo durante a lactação foram mais pronunciados nas ovelhas Santa Inês, sendo que animais submetidos a 0,5% de suplementação concentrada esses efeitos foram mais pronunciados. O nível de suplementação 0,5% não deve ser indicado para ovelhas deslanadas durante o período lactacional, devido ao não suprimento das necessidades nutricionais, visto que esse é um período de intensas e variadas alterações metabólicas.

  • ARTURENE MARQUES ROCHA
  • COMPORTAMENTO MATERNO FILIAL DE OVELHAS DESLANADAS NO PERIPARTO E DESEMPNHO DAS CRIAS.

  • Orientador : JACIRA NEVES DA COSTA TORREAO
  • Data: 06/12/2013
  • Mostrar Resumo
  • Esse estudo teve como objetivo avaliar a influência da suplementação concentrada sobre os aspectos inerentes à relação materno filial de ovelhas Santa Inês e Morada Nova com suas respectivas crias no periparto bem como o desempenho das crias até o desmame. Foi conduzido um experimento utilizando 36 ovelhas, sendo 20 da raça Santa Inês e 16 da raça Morada Nova, entre 3 e 6 anos de idade e 32 cordeiros, sendo 13 obtidos a partir do cruzamento Dorper x Morada Nova e 19 do cruzamento Dorper x Santa Inês. O delineamento experimental utilizado foi o Inteiramente casualizado (DIC) em arranjo fatorial (2x2) sendo representado por duas raças Santa Inês e Morada Nova e dois níveis de suplementação concentrada (0,5 e 1,5% do PV). Foi observado efeito significativo (P<0,05) da raça para peso vivo da mãe ao parto, peso vivo ao desmame e perda de peso durante a lactação. Os níveis de suplementação apresentou efeito significativo (P<0,05) para o escore da condição corporal da mãe ao desmame e a perda de peso da mesma durante a lactação. Os níveis de glicose plasmática não diferiram (P>0,05) entre os tratamentos, no entanto, apresentaram valores elevados nas mães no pós-parto e baixos nas crias, o que pode ser devido ao estresse sofrido durante o parto. Na fase materno dependente os cordeiros oriundos do cruzamento Dorper x Santa Inês apresentaram melhor desenvolvimento ponderal, sendo que na fase materno independente os cordeiros do cruzamento Dorper x Morada Nova conseguiram equiparar o ganho de peso aos demais, no entanto ainda com menores pesos até a idade de desmame. As ovelhas da raça Morada Nova demonstraram melhor eficiência produtiva comparada a raça Santa Inês, considerando a relação do peso de seus respectivos cordeiros ao nascer e ao desmame com o peso das mães ao parto e a desmama. A oferta de 1,5 % de suplementação concentrada para as ovelhas resulta em maior ganho em peso dos cordeiros alimentados em sistema de comedouro seletivo, bem como minimiza os efeitos negativos do balanço energético, representado pela mobilização de reservas de gordura corpórea. A raça Santa Inês demonstrou melhores cuidados com as crias ao nascer em comparação com a raça Morada Nova. O escore de comportamento materno (ECM) se apresentou de forma antagônica aos níveis de glicose da mãe (GLICM). Podendo ser sugerido que ovelhas com menores taxas de glicose seriam mais reativas. As ovelhas da raça Santa Inês apresentaram maior produção de leite, se repercutindo positivamente sobre a relação materno filial.

     

  • TADEU BEZERRA LEOPOLDO
  • LEVANTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO E ANÁLISE DE RISCO DA BRUCELOSE E CLAMIDOFILOSE EM PEQUENOS RUMINANTES EXPLORADOS NO ESTADO DO PIAUÍ

  • Orientador : NEY ROMULO DE OLIVEIRA PAULA
  • Data: 05/04/2013
  • Mostrar Resumo
  • Apesar do tamanho dos rebanhos ovinos e caprinos brasileiros, a produtividade ainda está bem aquém da capacidade produtiva de carne, leite, pele e subprodutos de origem ovina e caprina. Agentes infecciosos, como vírus, bactérias e fungos, e agentes parasitários como protozoários e helmintos, são responsáveis por significativo decréscimo na produtividade, interferindo principalmente na eficiência reprodutiva destas espécies. Este estudo visou obter informações sobre a real situação dos criatórios de caprinos e ovinos, na Microrregião do Alto-Médio-Gurguéia (MRAMG) e Microrregião Homogênea de Teresina (MRHT), onde foi realizado levantamento soro-epidemiológico da infecção causada pela bactéria Chlamydophila abortusem ambas regiões, através do teste de Fixação de Complemento (FC) e da Brucella abortus na Microrregião Homogênea de Teresina (MRHT), através do teste de Imunodifusão em Gel de Agarose (IDGA). Do total de 282 amostras testadas pertencentes a 24 propriedades, observou-se 4,83% de animas apresentando anticorpos contra B. ovis e 0,64% (02/282) animais suspeitos ao teste de imunodifusão em gel de agarose. A Chlamydophila abortus está presente na Microrregião do Alto Médio Gurguéia e Microrregião Homogênea de Teresina. Em ambas as microrregiões estudadas, a prevalência da doença apresentou-se estatisticamente semelhante tanto na espécie caprina quanto em ovinos. A prevalência de ovinos positivos para as duas Microrregiões estudadas tenderam a ser superiores a prevalência de caprinos. Portanto, tanto a Brucella ovis, quanto a Chlamydophila abortus estão presentes em rebanhos de pequenos ruminantes na Microrregião Homogênea de Teresina (brucelose e clamidofilose) e na Microregião do Alto-Médio-Gurguéia (clamidofilose), necessitando-se, desta forma, da implantação de medidas de controle para evitar a propagação dessa enfermidade.

  • EDNA TELES DOS SANTOS
  • GLICERINA COMO ESTRATÉGIA NUTRICIONAL PARA FRANGOS DE CORTE CRIADOS EM REGIÕES DE CLIMA QUENTE.

  • Orientador : LEILANE ROCHA BARROS DOURADO
  • Data: 01/03/2013
  • Mostrar Resumo
  • Foram conduzidos dois ensaios com o objetivo de avaliar o uso de glicerina em dietas para frangos de corte criados em regiões de clima quente. No primeiro ensaio 540 frangos de corte, machos, da linhagem Cobb, com um dia foram distribuídos em delineamento inteiramente casualizado com seis tratamentos, seis repetições de 15 aves por repetição.Os tratamentos foram definidos para avaliar o efeito residual final da inclusão ou não de glicerina em dietas para frangos em todos os períodos de criação ou apenas em uma das distintas fases (1 a 7, 7 a 21, 22 a 33 e 34 a 42 dias) as quais foram fornecidos. As dietas foram fornecidas à vontade. Aos 42 dias foi avaliado o peso médio (PM), ganho de peso (GP), consumo de ração (CR), conversão alimentar (CA), rendimento de carcaça (RC), umidade de cama (UC) e lesões de patas (LP). Não houve efeito significativo (p>0,05) para as variáveis de desempenho e nem de rendimento de carcaça. Verificou-se efeito apenas na umidade da cama, em que a umidade da cama nos boxes em que as aves foram alimentadas com glicerina em todas as fases ou apenas na última fase (34 a 42 dias de idade) foi maior que as demais.  No segundo estudo 135 aves de corte, machos, da linhagem Cobb, distribuídas em um delineamento inteiramente casualisado com seis tratamentos (0; 2,5; 5,0; 7,5; 10,0 e 12,5% de inclusão de glicerina nas dietas), quatro repetições e 5 aves cada, em cada fase (1 a 7, 7 a 21, 22 a 33 e 34 a 42 dias) mais três gaiolas que foram mantidas para coleta das perdas endógenas, totalizando 540 aves nas quatro fases. A aves receberam água e ração à vontade. Avaliou-se CR, GP, CA e a produção de calor em cada fase. Na fase de 1 a 7 dias, observou-se significância (P≤0,05) com comportamento quadrático para ganho de peso em que as aves atingiram o máximo ganho de peso com um nível de 4,3 % de inclusão de glicerina. Verificou-se efeito linear decrescente (P<0,05) para conversão alimentar. Não foi verificado efeito (p>0,05) para consumo de ração. Nas demais fases não houve efeito dos níveis de glicerina sobre as variáveis de desempenho, indicando que é possível a utilização de até 12,5% de inclusão de glicerina em dietas para frangos de corte. Houve efeito (p>0,05) da inclusão dos níveis de glicerina à dieta sobre a produção de calor apenas na fase de 1 a 7 dias de idade apresentou efeito (P<0,05) linear decrescente.  Desta forma a glicerina pode ser utilizada em dietas para frangos de corte criados em regiões de clima quente.

     



Dissertações/Teses Antigas
2016
Descrição
  • JANILDA BARROS SANTIAGO OLIVEIRA
  • EFEITO DA INCLUSÃO DE ÓLEO DE ALGODÃO E SULFATO FERROSO EM DIETAS PARA FRANGO DE CORTE SOBRE A MORFOMETRIA INTESTINAL E HISTOPATOLOGIA DE FÍGADO E PÂNCREAS AOS 42 DIAS
  • Orientador : GUILHERME JOSÉ BOLZANI DE CAMPOS FERREIRA
  • Ano: 2016
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Apesar do óleo de algodão possuir reconhecidas características nutricionais, o maior obstáculo quanto à sua utilização em dietas para monogástricos é a presença do gossipol. O presente estudo avaliou a morfometria intestinal (duodeno, jejuno e íleo) e as alterações histopatológicas do fígado e pâncreas de frangos de corte aos 42 dias de idade com dietas contendo diferentes níveis de óleo de algodão com e sem adição de sulfato ferroso. Foram utilizados 560 frangos de corte machos, da linhagem Ross. Adotou-se o delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 4x2 (quatro níveis de óleo com ou sem sulfato ferroso), cinco repetições com 14 aves por unidade experimental. Aos 22 dias de idade as aves foram pesadas e distribuídas, de acordo com o peso médio. Os níveis de óleo de algodão foram 0%, 2%, 4% e 6% com e sem adição de sulfato ferroso (0,1%). No 42º dia do experimento foram eutanasiadas 40 aves, dissecadas e coletados fragmentos das porções do intestino e do fígado e pâncreas, os quais foram submetidos ao processamento histológico para confecção das lâminas. A análise histopatológica foi realizada através do método semi-quantitativo. A análise morfométrica do duodeno e íleo não apresentou interação significativa entre os tratamentos em nenhuma das variáveis analisadas. Com relação ao jejuno, não houve interação significativa para as variáveis comprimento de vilo e espessura de parede muscular, porém na variável, comprimento de cripta houve interação significativa onde observou-se que o tratamento com sulfato ferroso e 2% de óleo apresentou o comprimento de cripta reduzido. A inclusão dos níveis 2%, 4% e 6% de óleo de algodão em rações para frangos de corte na fase de 42 dias não prejudica a morfologia intestinal. A suplementação com sulfato ferroso para quelatar o gossipol nesses níveis é desnecessária mediante a observação de melhora nos índices morfométricos intestinais no comprimento de cripta do duodeno e jejuno em alguns tratamentos. No pâncreas não houve diferença significativa em nenhum dos tratamentos. No fígado os resultados mostraram que os níveis 4% e 6% de óleo de algodão podem ser incluídos nas rações de frangos de corte sem provocar alterações hepáticas significativas. O tratamento com 2% de óleo de algodão com e sem sulfato ferroso ocasionou alterações hepáticas significativas, portanto, menos indicado.
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 06/12/2019 22:05