Dissertações/Teses

2019
Descrição
  • SARA DA SILVA SIQUEIRA
  • CARACTERIZAÇÃO CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICA E SOCIOCULTURAL DE MULHERES PROFISSIONAIS DO SEXO EM MUNICÍPIO DA REGIÃO SUL DO PIAUÍ
  • Orientador : MARTA ALVES ROSAL
  • Data: 16/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • As Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) são afecções causadas por mais de 30 agentes etiológicos sendo transmitidas, principalmente, por contato sexual e, de forma eventual, por via sanguínea. Todas as pessoas podem ser fontes de infecção, mas o cuidado com as profissionais do sexo deve ser maior, devido aos hábitos decorrentes da profissão. Quando se fala em IST pensa-se nas profissionais do sexo como possíveis transmissoras da infecção, pelo fato de terem uma multiplicidade de parceiros, não tomando, por vezes, os cuidados necessários para sua prevenção, como o uso do preservativo.Objetivos: Caracterizar  clínico epidemiologicamente e socioculturalmente mulheres profissionais do sexo no município de Cristino Castro-PI. Metodologia: Trata-se de estudo descritivo, observacional, do tipo transversal. Foram incluídas no estudo 19 mulheres profissionais do sexo. Os dados foram coletados no decorrer do ano de 2018 e incluíram a realização de exames para detecção de Hepatites B e C, Sífilis (Testes Rápidos e VDRL), Sorologias IgM e IgG para Clamídia, Citologia oncótica, além de entrevista sobre as representações sociais das mesmas e sobre as possíveis dificuldades de acesso aos serviços de saúde e a qualidade do atendimento recebido por elas nas UBS. Resultados: A amostra era majoritariamente de mulheres adultas jovens e solteiras, com escolaridade de nível de Ensino fundamental Incompleto. O tempo de atividade na profissão da grande maioria estava entre um mês e 5 anos. A renda mensal não ultrapassou 2 salários mínimos, sendo que esta inclui o recebimento do auxílio governamental “Bolsa Família”. Hábitos como tabagismo, uso de álcool e de drogas ilícitas, foram frequentes. A frequencia de IST nas MPS foi de 15,8% (N=3), sendo 10,5%(N =2) para Tricomoníase  e de 5,3% (N= 1) para Sífilis, taxas altas quando comparadas com a média de estudos no Brasil. Houve queixa de prurido e de verrugas vaginais em 9,5% delas, e ainda 52,4% de corrimento vaginal. Infecções por Hepatites B e C e HIV não foram detectadas. Porém a Sorologia para Clamídia revelou que 89,5% das MPS estavam com IgG Reagente e 100% com IgM não reagente, demonstrando que as mesmas tivessem pregressamente infecção por Clamídia. O resultado oncológico da citologia apresentava-se negativo para lesão intra epitelial ou malignidade em 94,74% das MPS e em 5,26% delas apresentou atipia de células glandulares endocervical. Com relação ao acesso aos serviços de saúde os principais motivos que levam essa população a não procurarem atendimento são: a má qualidade e demora do atendimento, falta de vagas para consulta médica e de enfermagem, falta de acolhimento e/ou acolhimento ineficaz, comunicação agressiva por parte da recepção da UBS. Conclusões: A amostra estudada era majoritariamente de mulheres jovens, com escolaridade de Ensino fundamental incompleto. Demonstrou-se elevada frequência da IST tricomoníase e sífilis, além de casos de vaginoses. Hábitos como tabagismo, consumo de álcool e de drogas ilícitas foram frequentes. Em síntese a frequência de IST no grupo estudado foi alta.

  • NAYANNA DA SILVA OLIVEIRA DE MELO
  • Mortalidade materna por sepse em maternidade de referência do Estado do Piauí
  • Orientador : JOSE ARIMATEA DOS SANTOS JUNIOR
  • Data: 16/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Sepse em obstetrícia é uma disfunção de órgãos com risco de vida, causada por uma resposta do hospedeiro a uma infecção desregulada durante a gravidez, parto, pós-parto ou pós-aborto; e nestas condições, alterações fisiológicas, imunológicas e mecânicas podem obscurecer sinais e sintomas de infecção dificultando diagnóstico precoce. Objetivo: Avaliar a mortalidade materna por sepse em maternidade de referência do Estado do Piauí. Metodologia: Estudo descritivo, retrospectivo de caráter documental com análise quantitativa dos dados, cuja população estudada foi de 46 gestantes, parturientes ou puérperas, até 42 dias pós-parto, que foram a óbito por sepse ou choque séptico de janeiro de 2012 a dezembro de 2017. Foi elaborado um instrumento de coleta de dados baseada nas variáveis da declaração de óbito, ficha síntese de investigação. Resultados e Discussão: Os resultados obtidos apontam que durante o período estudado, 2012 à 2017, 46 (39,3%) pacientes morreram por sepse ou choque séptico. De acordo com o número de gestações, 21 (45,6%) das pacientes eram primigestas, 14 (30,4%) eram secundigestas e 11 (23,9%) engravidaram 3 ou mais vezes. A média da idade é igual a 25 anos, com desvio-padrão, aproximado, de 8 anos para mais e para menos. Com relação à procedência, 45,6% das pacientes são de municípios do interior do Piauí, 45,9% são solteiras e 70% são consideradas pardas. Quanto ao risco, 52,2% dos casos válidos são de pacientes de alto risco. Destas, as comorbidades associadas foram Hipertensão ou Pré-Eclâmpsia (28,3%), Infecção do Trato Urinário (ITU) (28,3%) e Anemia Grave (28,3%). Quanto à admissão, 39,1% foram admitidas na gravidez em curso, para tratamento clínico, 28,3% são de admissões no puerpério imediato ou tardio e 19,6% em situações de abortamento. Quanto ao local do parto, 69,4% das pacientes pariram na instituição estudada e o tipo de parto com maior frequência foi a cesariana, com 22 casos. Quanto aos tipos de sepse, 80,4% das pacientes evoluíram para choque séptico. O tipo de infecção mais frequente foi de origem obstétrica, com 60,9% das pacientes, e os principais focos infecciosos foram uterino e respiratório, respectivamente, com 65,2% e 30,4%. Nas culturas realizadas os agentes gram positivos mais isolados foram Staphilococcus aureus (57%), seguido de Staphilococcus hominis (29%); e para bactérias gram-negativas destacou-se Acinetobacter baumannii (56%) e Pseudomonas aeruginosa (44%). Para as complicações associadas ao quadros de sepse aponta-se que mais de 70% das pacientes evoluíram em algum momento com taquicardia, taquipnéia, hipotensão, insuficiência respiratória, febre, leucocitose, acidose, lactato aumentado e necessidade de ventilação mecânica e drogas vasoativas. Conclusão: Conclui-se que houve um decréscimo no óbito por sepse por internação porém se comparado ao número de óbitos gerais, o percentual é considerado alto. Com base nos achados sócio demográficos, obstétricos e infecciosos das pacientes foi elaborado protocolo clínico de condutas obstétricas para sepse materna. Espera-se que este possa intervir precocemente na doença para fins de redução da mortalidade materna.

     

  • URSULA PIAUILINO DE QUEIROZ CAUZ
  • Fatores de risco para mortalidade neonatal no Hospital Regional Manoel de Sousa Santos, Bom Jesus-PI
  • Data: 16/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Nos últimos anos, ocorreu uma redução no Brasil e no mundo da mortalidade infantil, que é composta pela Mortalidade Neonatal (MN) (óbitos até 27 dias de vida) e pós-neonatal (a partir de 28 dias até menos de 1 ano). O componente neonatal representa a maior taxa desses óbitos, embora o declínio da Taxa de Mortalidade Infantil (TMI) do Brasil, comparada com a dos países desenvolvidos, ainda seja considerada elevada. Objetivo geral: Analisar a MN no Hospital Regional Manoel de Sousa Santos, em Bom Jesus-PI, nos anos de 2016 e 2017. Metodologia: Trata-se de um estudo do tipo caso-controle, com dados sociodemográficos e epidemiológicos relacionados à gestação, ao parto e ao recém-nascido, coletados no Sistema de Informação sobre Nascido Vivo (SINASC) e Sistema de Informação sobre de Mortalidade (SIM), atinentes aos nascidos-vivos no período de 1 de janeiro de 2016 a 31 de dezembro de 2017, e óbitos neonatais ocorridos de 1 de janeiro de 2016 a 27 de janeiro de 2018, no Hospital Regional Manoel de Sousa Santos, em Bom Jesus-PI. As variáveis foram analisadas em três grupos, a saber: grupo1 (variáveis maternas) – idade materna, grau de instrução da mãe, estado civil; grupo 2 (gestação e parto) – número de consultas de pré-natal, tipo de gestação, tipo de parto, duração da gestação em semanas; e grupo 3 (variáveis do recém-nascido) – sexo, peso ao nascer (em gramas), e índice de Apgar no primeiro minuto. Os dados foram analisados no Microsoft Excel e no software estatístico R 3.5.1, utilizando a medida de associação Odds Ratio (OR) para verificar a relação entre os fatores de risco para o óbito neonatal, além da análise correspondência e correlação, e densidade de Kernel. Resultados: Os aspectos que denotaram maiores chances para a ocorrência de MN foram: idade materna até 19 anos; mães solteiras, com até três consultas de pré-natal; tipo de parto normal, pois o cesariana apresentou ação protetora, reduzindo as chances da ocorrência; prematuridade (< 37 semanas de gestação); recém-nascidos do sexo masculino, com baixo peso ao nascer e Apgar ≤7 no primeiro minuto. No que alude à a correspondência e correlação entre as variáveis, estiveram mais associados aos óbitos neonatais: as solteiras, com idade ≤19anos; escolaridade da mãe ≥7 anos de estudo; <6 consultas de pré-natal; ≤36 semanas de gestação, de tipo única; peso do RN <2500g; sexo masculino; e parto vaginal. Na densidade de Kernel, na maior concentração de casos de óbitos neonatais, as mães eram procedentes dos municípios de Bom Jesus, Currais e Santa Luz. Conclusão: Tendo em vista os resultados alcançados, concebe-se a necessidade de políticas públicas voltadas à prevenção de gravidez na adolescência e assistência adequada ao pré-natal, em todos os níveis de complexidade, com vistas a reduzir a mortalidade infantil, mediante o planejamento de ações de promoção e prevenção, e a organização da assistência ao parto e ao puerpério, por meio de diagnósticos e intervenções precoces.  

     

  • BRUNA DE ABREU SEPULVEDRA
  • EFEITOS DA AROMATERAPIA NO TRABALHO DE PARTO: UM ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO
  • Orientador : ROSIMEIRE FERREIRA DOS SANTOS
  • Data: 13/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • REIS SEPÚLVEDRA DE ABREU, BRUNA. EFEITOS DA AROMATERAPIA NO TRABALHO DE PARTO: UM ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO. Teresina. 2019. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Saúde da Mulher, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI.

     

    RESUMO

     

    Introdução: A aromaterapia vem ganhando notoriedade na obstetrícia p.or ser um recurso seguro, barato e que estabelece o equilíbrio entre ciência, tecnologia e humanização do parto. Objetivo: Avaliar o efeito da sinergia de jasmim (Jasminum Sambac), cedro (Cedrus atlântica) e lavanda (Lavandula angustifólia) durante o trabalho de parto (TP) em uma maternidade de referência do estado do Piauí. Metodologia: O estudo é um ensaio clínico randomizado, controlado e triplo-cego. Foram selecionadas aleatoriamente 61 parturientes, com idade gestacional ≥ 37 semanas, idade ≥ 18 anos com dilatação cervical ≥ 4 cm e < 7 cm e duas ou mais contrações em 10 minutos. O controle se fez por três grupos de estudo: G1. Aromaterapia (n=20); G2. Óleo vegetal sem ativos (n=20) e G3. Controle (n=21). A terapia (aplicação do óleo) ocorreu quando a paciente estava com 6 cm de dilatação, onde as mesmas foram avaliadas quanto a dinâmica uterina, ausculta de BCF e escala de dor EAV, imediatamente antes da terapia (T1), imediatamente após a terapia (T2) e 60 minutos após a terapia (T3), exceto para o grupo controle (sem intervenção) onde, o T1 corresponde ao momento exato da paciente com 6 cm e 60 minutos após a avaliação (T3). Além disso, a duração do trabalho de parto, os escores APGAR de primeiro e quinto minuto do bebê, o tipo de parto e tempo de dequitação da placenta foram medidos e registrados. Os dados foram analisados pelo programa SPSS (versão 21.0) utilizando-se de testes qui quadrado, ANOVA e teste t-Student. Resultados: O G1 que utilizou aromaterapia apresentou o menor tempo de TP (n=20; 167,35 minutos; p< 0,01) em relação ao G2 e ao G3 (t = -3,92; p = 0,001), não havendo diferença entre os dois últimos grupos (p>0,05). O teste t de amostras pareadas quanto a quantidade de contrações aponta uma diferença entre o T1 e o T3, apenas para o G1 (t = -3,92; p = 0,001), não observadas em relação aos grupos G2 (t = -1,90; p = 0,72) e G3 (t = 0; p = 1,00). A qualidade das contrações (média do tempo de duração) melhorou consideravelmente no G1 no T3 (n=20; t=-2,72; p<0,01). A dor aumentou em todos os grupos após 60 minutos de intervenção, não havendo diferença entre os grupos de estudo. A avaliação do escore de Apgar, tanto no 1º minuto [F (2,58) = 0,88; p = 0,41] quanto no 5º minuto [F (2,58) = 0,13; p = 0,68] do recém-nascido revelou não ter diferença entre os grupos. Conclusão: A aromaterapia demonstrou muitos benefícios durante o trabalho de parto, com ação na redução do tempo e aumento das contrações sem apresentar riscos para a mãe e o neonato, sendo uma alternativa viável na melhoria da qualidade do Trabalho de Parto.

     

  • FRANCISCA GEANIA LIMA DE ARAÚJO
  • AS EVIDENCIAS CIENTIFICAS PARA INTERVENÇÃO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL EM GESTANTE ATENDIDAS NO TERRITORIO DA CHAPADA DAS MANGABEIRAS
  • Orientador : RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
  • Data: 10/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A morbimortalidade materna por doença hipertensiva representam um problema de saúde pública, haja vista que é responsável por altas taxas de mortalidade materna e neonatal (WHO,2014). Objetivos: Caracterizar gestantes com doença hipertensiva na Região de Saúde da Chapada das Mangabeiras, no Estado do Piauí. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal com abordagem quantitativa. O estudo foi desenvolvido no hospital público de médio porte da Região de Saúde da Chapada das Mangabeiras. A população do estudo foi composta por gestantes. Os dados foram coletados por meio de um instrumento padronizado e obtidos após análise dos prontuários. A pesquisa foi submetida para apreciação do Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Piauí. Resultados: A população era predominantemente de mulheres adultas jovens e casadas, com escolaridade semelhante à média geral da população brasileira, tendo a raça parda como maioria. A atividade profissional majoritariamente foi a de lavradora, tendo como município de maior procedência Bom Jesus. Há um número expressivo de gestantes com doença hipertensiva na gestação, seja de forma leve a moderada com 67% ou na forma grave 33%. Em sua totalidade eram primíparas, contudo as que tiveram níveis pressóricos mais elevados eram multíparas com 66,7%. A maioria tiveram mais de 7 consultas de pré-natal, com relação ao tipo de parto, houve um predomínio de cesariana em relação ao parto normal. Com relação aos medicamentos prescritos para tratamento da hipertensão gestacional, (84,7%) foram tratadas com metildopa 500 mg, (47,8%) com nifedipino 20 mg, (34%) com hidralazina via endovenosa, (14,8%) com sulfato de magnésio e 8,6% não foi tratada com nenhum medicamento. Conclusão: a hipertensão gestacional está presente na realidade do território da chapada da mangabeiras e que precisa ser entendida tanto pela gestão como pelos profissionais que atuam diretamente para que medidas sejam adotadas, tendo como objetivo a redução da morbimortalidade materna por causas evitáveis.

     

  • PATRICIA VALERIO SANTOS SARAIVA
  • Violência contra crianças e adolescentes : Prevalência e Fatores Associados
  • Orientador : MARCIO DENIS MEDEIROS MASCARENHAS
  • Data: 27/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • A violência contra crianças e adolescentes é reconhecida como uma grande problema de saúde pública,  segundo as instâncias nacionais e internacionais. Desta forma subdividiu-se a violência em quatro parâmetros :física, sexual, negligência e psicológica. . Metodologia : estudo natureza descritiva, sendo analítico transversal, selecionados  a partir casos suspeitos ou confirmados de violência contra crianças e adolescentes disponíveis na ficha de notificação/investigação individual de violências doméstica, sexual e/ou outras, .realizado no conselho tutelar , Delegacia Regional e Hospital Regional Manoel de Sousa Santos, no período de 2013 a 2017 de Bom Jesus. Os dados foram coletados através de instrumento padronizado. Realizaram-se análise da associação entre as variáveis sociodemográficas , utilizando-se o teste Qui-quadrado de Pearson( x²) ou teste exato de Fisher . A razão de prevalência (RP) foi calculada  para quantificar a força das associações entre variáveis sociodemográficas com o sexo e a faixa etária. Todas as estimativas e intervalos de confiança de 95%(IC 95%) formam calculados utilizando modelos de regressão de Poisson com variância robusta. Foram aceitos como estatisticamente significativos os testes com valor de p < 0,05  Resultados : Foram notificados 328 casos de violência contra crianças e adolescentes. No tocante à faixa etária, observou-se 224 ocorrências de 10 a 19 anos. , 85,6% de negros (pardos/pretos,) estudantes (81,2%) , ensino fundamental completo (76,5%). Observou- solteiros (92,2%) e residentes no município de Bom Jesus (66,5%). A faixa etária de 10 a 9 anos apresentou uma maior frequência , sexo feminino (73,7%,) O agressor sendo familiar(57,9%), sexo masculino , O município de ocorrência  que mais se destacou foi Bom Jesus 85,4% casos de 0- 9 anos., cuja parte do corpo atingida foi cabeça e pescoço (31%) dos casos. A residência como maior local de ocorrência (71,2%), a violência física como a mais prevalente (37,6%), como consequências da violência

    estresse pós traumático (59,2%) e transtorno comportamental.(32,5%) .Conclusão: Verificou –se alta prevalência de violência física contra crianças e adolescentes, associados ao ambiente familiar, seguidos de mais um tipo de violência, negligência ,  sexual e psicológica. Para tanto propõe-se a implantação de um núcleo interinstitucional para o monitoramento dos casos de violência contra crianças e adolescentes.

  • DJALMA RIBEIRO COSTA
  • MAPEAMENTO DO FEMINICÍDIO NO PIAUÍ: EVOLUÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL
  • Orientador : MALVINA THAIS PACHECO RODRIGUES
  • Data: 23/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • Objective: To analyze the spatiotemporal evolution of feminicide in Piauí from 2005 to 2017. Methods: Mixed ecological study. Secondary data from Mortality Information System (SIM) of Ministry of Health of Brazil, Brazilian Institute of Geography and Statistics and the Atlas of Human Development in Brazil were used. The data were analyzed through time series and spatial statistics. The association between femicide mortality rate and human development index (HDI), female population density (or potential victims), proportion of population living in urban areas (or population urbanity), and proportion of households with adequate sanitation (or adequate sanitation) were estimated through multivariate analysis. Results: During the period analyzed, 538 femicides were documented in the Mortality Information System. Femicide mortality rate rose from 2.7 deaths per 100,000 women in 2005 to 3.0 deaths per 100,000 women in 2017. Teresina presented the highest record of femicides (232 cases). Higher mortality rates were verified in Teresina’s and Picos’s Regional Health Coordination (3.4 and 3.2 deaths per 100,000 women, respectively). Of the victims, 52.6% were between 20 and 40 years of age, 51% were single and 84% were black. Among women aged 15 years or older, 70.9% had schooling of up to seven years. The crime was more frequent at home (38.4%), at weekends (37.5%), in the fourth quarter of the year (27.3%) and it involved firearm in 40.9% of records. Four clusters of cities were identified in which the association between feminicide risk and social determinants was not linear: two clusters with a high risk of femicide compared to the state average were utterly opposed in the rates of adequate sanitation, HDI, urbanity population and potential victims. Two other clusters had a low feminicide rate concerning the state average, and they resembled just in the low adequate sanitation and diverged in the other determinants. Conclusions: The social determinants had a heterogeneous effect on the occurrence of feminicide in the cities in Piauí during the evaluated period, with the need to direct the public policies to the local features, considering the risk stratification by areas and population groups.

  • ERICKA MARIA CARDOSO SOARES
  • ATENDIMENTO OBSTÉTRICO VERSUS SISTEMA DE REGULAÇÃO DE LEITOS EM UMA MATERNIDADE DE REFERENCIA A GESTAÇÃO DE ALTO RISCO
  • Data: 06/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • As Redes de Assistência á Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde foram definidas como arranjos organizativos de ações e serviços de saúde. O Ministério da Saúde em sua publicação sobre Implantação das Redes de Atenção à Saúde da ênfase as diretrizes da Política de Regulação por meio da Portaria MS/GM nº 1.559, de 1º de agosto de 2008. O objetivo deste trabalho foi analisar os atendimentos obstétricos regulados para uma maternidade de referência a gestação de alto risco no Estado do Piauí. Os resultados obtidos apontaram que o maior percentual de atendimentos na classificação de risco da Maternidade em estudo foi 74,19% (confirmado), 25%(não confirmado) e 0,81%(modificado); Na população em estudo ocorreu predominância para o atendimento regulado de 12,10% para pré eclampsia grave, seguido de 10,48% para pré eclampsia não especificada, 10,48% para trabalho de parto pré-termo sem parto e 8,87% para Ruptura prematura de membranas, não especificada; os atendimentos médicos obstétricos realizados na maternidade em estudo apontaram que 74,19%(confirmados) dos atendimentos regulados se enquadravam no perfil de alto risco, 24,19%(não confirmado) não apresentaram critérios que os definisse como alto risco e 1,61%(modificado). Ao associar as ficha de classificação de risco e ficha de atendimento de urgência e emergência foi verificada a existência de associação estatisticamente significativa entre ambas. Tais achados permitirão o aprimoramento da assistência obstétrica em Rede de Atenção à Saúde com a reorganização do fluxo de referência de forma adequada, bem como servirá de apoio técnico para a implantação e aperfeiçoamento do acolhimento com classificação de risco nas maternidades.

  • KRIEGER RHELYNI DE SOUSA OLINDA
  • SUICÍDIO EM TERESINA: FATORES RELACIONADOS E FLUXO DE ATENDIMENTO
  • Orientador : ROSIMEIRE FERREIRA DOS SANTOS
  • Data: 29/05/2019
  • Mostrar Resumo
  • O suicídio consiste no ato voluntário de autoextermínio que pode ou não estar relacionado à um transtorno mental e que representa problema de saúde pública de abrangência mundial por apresentar indicadores elevados de incidência e se configurar como uma das dez principais causas de morte na população. Objetivo: Avaliar as taxas de suicídio entre os anos de 2010 a 2017 em Teresina, estado do Piauí, com a finalidade ulterior de elaboração de um protocolo para prevenção do suicídio.Método: Trata-se de um estudo transversal analítico realizado em um hospital de referência para tratamento de transtornos mentais graves de Teresina, no período de fevereiro a maio de 2018. A amostra foi constituída por 144 pacientes com idade igual ou superior a 18 anos e que deram entrada no serviço de urgência após de tentativa de suicídio. Para coleta de dados foi utilizado um formulários para caracterização sociodemográfica, clínica e terapêutica. A análise dos dados foi realizada com base nos princípios da estatística descritiva e inferencial. Este estudo atendeu as exigências da Resolução 466/12 e o parecer favorável à sua realização foi emitido pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí.Resultados: Prevaleceram pacientes do sexo masculino, com idade média de 34,4±11,0 anos, solteiros, desempregados, de baixa escolaridade, renda familiar de um a dois salários mínimos e procedentes de Teresina. Os participantes em sua totalidade apresentaram fatores associados, sendo prevalente o transtorno psiquiátrico 80(56,3%), seguido do consumo de substâncias psicoativas 71(50,0%) e de tentativas prévias 70(49,3%). O método terapêutico adotado para a maioria dos participantes foi internação psiquiátrica 126(88,7%), seguido da observação no serviço de urgência 11(7,8%). Houve associações significativas entre as variáveis sociodemográficas, clínicas e terapêuticas, especificamente sexo, idade, local da tentativa, tentativas prévias e internação psiquiátrica com o tipo de tentativa de suicídio. Conclusão: A tentativa de suicídio cresceu nos últimos anos, especificamente em pacientes do sexo masculino, solteiros, desempregados, de baixa renda ou escolaridade e com transtorno mental, necessitando, assim, da elaboração e implementação de estratégias assistenciais para sua prevenção e controle e do direcionamento de políticas públicas de saúde.

  • FERNANDA PESSOA NUNES PIAUILINO
  • Acupuntura na melhoria da gengivite em mulheres com diabetes.
  • Orientador : LUIZ AYRTON SANTOS JUNIOR
  • Data: 29/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O diabetes mellitus é um problema de saúde pública que atinge uma parcela significativa da população mundial e exige atenção multidisciplinar por vir, geralmente, acompanhado de outros problemas crônicos de saúde. Pacientes com essa enfermidade apresentam, muito frequentemente, alterações bucais, como gengivite, periodontite, xerostomia, síndrome da ardência bucal, distúrbios de gustação e cáries, comprometendo sua qualidade de vida. Para o cuidado com esse público-alvo, podem ser oferecidos tratamentos convencionais, com o acompanhamento sistemático de um cirurgião-dentista, além de uso de Práticas Integrativas e Complementares, amplamente empregadas na Atenção Básica à Saúde, a exemplo da medicina tradicional chinesa/acupuntura, que já apresentou evidências científicas de sua aplicabilidade. Objetivo: Analisar a eficácia da acupuntura como prática integrativa e complementar para melhorar a gengivite associada ao diabetes. Metodologia: Tratou-se de um ensaio clínico randomizado, cujas participantes eram mulheres diabéticas atendidas pela Atenção Básica do município de Bom Jesus (PI), as quais foram divididas aleatoriamente em dois grupos: o grupo controle recebeu instruções de higiene bucal e realizou o tratamento convencional, que consiste em raspagem de tártaro e profilaxia; no grupo experimental, além de instruções de higiene bucal, raspagem e profilaxia, as participantes foram encaminhadas para dez sessões de acupuntura auricular. Resultados: No grupo controle, a média de ISG variou de 26,3% para 24,3%, variação que não denotou diferença estatística (p-valor=0,237>0,05). Em relação ao grupo acupuntura, a média baixou de 43,3% para 23,6%, redução considerada significativa (p-valor<0,001<0,05). Conclusão: Para o tamanho da amostra utilizada na pesquisa, o método indicou resultados positivos na redução do Índice de Sangramento Gengival, demonstrando uma melhora na saúde gengival das participantes.

  • KELLYANE FOLHA GOIS MOREIRA
  • PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS POR MULHERES ASSISTIDAS PELA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA
  • Orientador : LIS CARDOSO MARINHO MEDEIROS
  • Data: 28/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • A utilização de plantas medicinais é considerada uma prática milenar associada aos saberes populares, que envolvem rituais utilizados pelos indivíduos na terapêutica e prevenção de doenças. O estudo teve como objetivo construir um Guia Prático sobre as plantas medicinais mais utilizadas por mulheres em idade fértil (10 a 49 anos) assistidas pela Estratégia de Saúde da Família (ESF) em Bom Jesus-PI. O estudo foi de natureza quantitativa analítica prospectiva. Participaram da pesquisa 368 mulheres em idade fértil no período de março a julho de 2018, por meio de questionários semiestruturados aplicados individualmente às usuárias nas Unidades Básicas de Saúde. Foi identificada a idade média de 32,5 ± 9,9 anos, sendo a maioria solteira 41,3 %, 39,7 % afirmaram ter estudado entre 9 e 11 anos e 76,3 % recebem até um salário mínimo. A prevalência do uso das plantas medicinais obtidas foi de 87,5%, sendo que 72,5 % das mulheres entrevistadas responderam que sempre utilizam plantas medicinais e 14,9 % usam às vezes essas plantas. As dez plantas medicinais identificadas como as mais utilizadas foram: erva-cidreira (Lippia alba Mill.) (44,72%), hortelã verde (Mentha x villosa Huds.) (36,34%), malva (Malva sylvestris L.) (16,46%), capim santo (Cymbopogoncitratus (D.C.) Stapf.) (11,18%), folha santa (Bryophyllum pinnatum (Lam). Oken) (10,56%), hortelã-vick (Mentha arvensis L.) (10,25%), algodão (Gossypium herbaceum L.) (9,94%), mastruz (Chenopodium ambrosioides L.) (9,94%), boldo (Plectranthus barbatus Andrews) (9,32%) e chambá (Justicia pectoralis Jacq.) (9,02%). Diante dos resultados obtidos foi possível realizar uma análise crítica sobre o uso de plantas e espera-se que o Guia Prático de Plantas Medicinais possa contribuir para o conhecimento de profissionais e comunidade.

  • DANIELLA VERAS E SILVA
  • WATSU E FLUTUAÇÃO SIMPLES NA QUALIDADE DE VIDA E DEPRESSÃO EM MULHERES DE 45 A 55 ANOS
  • Data: 28/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A diminuição dos hormônios esteroides sexuais em mulheres na faixa etária de 45 a 55 anos está associada à ocorrência de problemas vasomotores, modificações do humor, distúrbios do sono e repercussões em longo prazo, como osteoporose e aumento da morbidade cardiovascular. Estes sintomas podem comprometer a qualidade de vida feminina. O objetivo deste estudo foi verificar os efeitos da intervenção pelo método Watsu e flutuação simples nos escores do Questionário de Saúde da Mulher (QSM) e no Inventário de Beck. Metodologia: A amostra consistiu em 20 mulheres entre 45 a 55 anos, avaliadas usando os instrumentos QSM e Inventário de Beck e distribuídas em dois grupos (grupo Watsu X grupo flutuação simples). Cada voluntária recebeu sete atendimentos da técnica referente ao grupo em que pertencia e foi avaliada ao início e ao final do estudo para comparação entre os momentos e as técnicas terapêuticas recebidas. Resultados: A ANOVA one-way mostrou efeito principal para momento da análise do QSM antes e após as modalidades utilizadas na intervenção. Quanto ao Inventário de Beck, houve diminuição nas pontuações comparando-se a avaliação inicial e final. Conclusão: As duas técnicas foram efetivas para promover o relaxamento das participantes e proporcionar benefícios referentes aos itens avaliados pelo QSM e Inventário de Beck.

  • GILDENISE MONTEIRO RABELO
  • “CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE SOFTWARE SOBRE PREVENÇÃO E RASTREAMENTO DE CÂNCER DO COLO DO ÚTERO E DA MAMA”
  • Orientador : MALVINA THAIS PACHECO RODRIGUES
  • Data: 28/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os cânceres do colo do útero e da mama feminina constituem um desafio para saúde pública no Brasil representando, para população feminina, a quarta e a segunda causa de morte por câncer, respectivamente. Frente a esta magnitude e o crescente uso de smartphones pela população, justifica-se aliar a Tecnologia de Informação e Comunicação à educação em saúde de forma a disseminar informações seguras através de aplicativos móveis com intuito de promover ações educativas e interativas sobre prevenção e rastreamento que contribuam com o controle destes cânceres. Objetivo: Construir e validar um software com orientações destinadas às mulheres sobre prevenção e rastreamento do câncer do colo do útero e mama. Metodologia: Estudo metodológico dividido em 03 etapas: especificação, validação e desenvolvimento. O método de revisão integrativa foi utilizado para construir o conteúdo na fase de especificação. Para validação participaram sete juízes (validação de conteúdo) e nove mulheres (validação semântica), selecionados por conveniência. Na etapa de desenvolvimento, o aplicativo foi construído em adequação ao sistema operacional Android. Resultados: O conteúdo do aplicativo foi dividido em oito áreas, com informações e recomendações extraídas de evidências científicas sobre o assunto:1 - Câncer do colo do útero e fatores de risco relacionados; 2 – Tipos de lesões e evolução para o câncer do colo do útero; 3 – Prevenção do câncer do colo do útero; 4 – Rastreamento do câncer do colo do útero; 5 – Câncer de mama e fatores relacionados; 6 – Sinais de alerta e detecção precoce do câncer de mama; 7 - Prevenção do câncer de mama e 8 – Rastreamento do câncer de mama. Na validação de conteúdo, o Índice de Validade de Conteúdo geral foi de 87%, o que destaca a concordância entre os juízes quanto a pertinência e compreensão das orientações. Na validação semântica, foram feitas alterações de acordo com a observação da interpretação das mulheres frente ao conteúdo apresentado. Nas áreas onde o conteúdo do aplicativo destaca a participação da mulher nas ações de controle dos cânceres foram inseridas interações de forma a apoiar e fortalecer as medidas de detecção precoce e rastreamento. Além disso, foi inserido lembretes e alertas pré-estabelecidos e armazenamento de resultados de exames proporcionando suporte para tomada de decisão das condutas entre mulheres e profissionais. Conclusão: O estudo oferece à população um aplicativo móvel validado com informações baseadas em melhores evidências, com o propósito de melhorar o empoderamento das mulheres através da educação em saúde, tornando-se um importante aliado às medidas existentes para controle destes cânceres.

2018
Descrição
  • MARIÂNGELA KNITTER BARROS
  • AVALIAÇÃO DA SAÚDE BUCAL DE GESTANTES ASSISTIDAS PELO PROGRAMA DE PRÉ-NATAL DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DA ZONA URBANA DE CORRENTE, PIAUÍ: UMA INTERVENÇÃO CLÍNICA EM BUSCA DA MELHORIA DA SAÚDE BUCAL.
  • Orientador : LIS CARDOSO MARINHO MEDEIROS
  • Data: 19/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • A atenção integral à mulher na gestação é essencial tanto para o par mãe e filho, quanto para equipe de saúde, visto que a adequada assistência e o cuidado asseveram a possibilidade de um período gestacional mais seguro. A saúde bucal evidenciada na gestação correlaciona-se com a saúde geral e as transformações pelas quais a gestante experimenta neste período podem afetar a saúde do bebê. Os profissionais de Saúde Bucal devem responsabilizar-se pela assistência odontológica no pré-natal, utilizando abordagem diferenciada, integralizada com equipe multiprofissional, dadas as alterações orgânicas naturais deste ciclo de vida. O objetivo deste estudo de intervenção foi avaliar a saúde bucal de gestantes assistidas pelo programa de pré-natal de Unidades Básicas de Saúde da zona urbana de Corrente, Piauí, por meio da comparação dos índices CPOD e CPI antes e após intervenções de educação em saúde bucal e procedimentos clínicos. Um formulário estruturado foi aplicado para coletar dados sociodemográficos e percepção de saúde bucal. Foram realizados atividades educativas e exames clínicos para registro dos CPOD e CPI iniciais, e, após o tratamento das necessidades clínicas, foram reavaliados tais índices. Utilizou-se na análise dos dados o programa estatístico STATA®, versão 12. Para comparar as médias do CPOD utilizou-se o teste não paramétrico de Wilcoxon (signed rank test) e na análise do índice CPI antes e após as intervenções empregou-se o teste não paramétrico de McNemar. A significância utilizada foi de 0,05 com 95% de intervalo de confiança.  Participaram 47 gestantes voluntárias, 40,4% com idade entre 20 e 29 anos, 78,7% eram casadas, 44,7% entre 16 e 20 semanas de gestação, 40,4% primíparas, 40,7% tinham de 10 a 12 de estudo, 53,2% relatou medo em realizar tratamento odontológico durante a gestação, porém 51,1% relatou achar que problemas bucais aumentaram com a gravidez. Não houve diferença significativa entre as médias do índice CPOD antes e depois das intervenções, porém verificou-se diminuição para o componente cariado (p=0,001) e aumento para o componente restaurado (p=0,001). Já para o CPI, observou-se uma diminuição estatisticamente significativa na proporção de gestantes com sangramento gengival (p=0,0001). Concluiu-se que é imprescindível o planejamento e o incremento de ações educativas e de serviços clínicos oferecidos a mulheres no período da gestação

  • VALTÂNIA LEITE BARROS
  • REDES DE ATENÇÃO A SAÚDE: ANÁLISE DO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA REDE CEGONHA NO ESTADO DO PIAUÍ
  • Orientador : RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
  • Data: 14/11/2018
  • Mostrar Resumo
  • Apesar dos avanços alcançados pelo Sistema Único de Saúde nos últimos anos, ainda é
    evidente a dificuldade em superar a fragmentação das ações e de qualificar a gestão para o
    cuidado integral. São várias as iniciativas para a construção de consensos em torno do tema.
    Entre elas, destaca-se a discussão sobre o modelo de atenção ao parto, com o objetivo de atingir
    padrões aceitáveis e redução dos indicadores, aproximando-se das taxas alcançadas em outros
    países. A despeito da progressão no atendimento da saúde da mulher e da criança, a grande
    dificuldade ainda se encontra na redução da morbimortalidade materna, neonatal e infantil.
    O objetivo deste estudo é analisar o processo de implantação da Rede Cegonha no Estado do Piauí.
    Trata-se de um estudo de abordagem quantitativa do tipo descritiva, desenvolvido mediante
    realização de pesquisa exploratória, bibliográfica e documental. Conclui-se que, após analisar
    indicadores de processo e de estrutura de cada fase antes e após a implantação da RC,
    bem como do cumprimento do desenho programado nos Planos de Ação das regiões de saúde
    que receberam recursos financeiros da União, que embora os avanços tenham sido expressivos,
    com o coeficiente de mortalidade diminuindo, com tendência temporal decrescente, seus valores
    são ainda elevados e discrepantes em relação aos avanços ocorridos no país quanto a criação
    de estratégias de enfrentamento e de ações para ampliação e qualificação do acesso ao planejamento
    reprodutivo, pré-natal e puerpério. Portanto, a melhoria da prestação dos serviços de saúde
    constitui grande desafio, considerando que ainda existem falhas quanto à cobertura, qualidade
    e continuidade da atenção, bem como no acesso igualitário aos serviços de saúde. Necessita, pois,
    melhorar a qualidade do pré-natal e das ações de educação em saúde, permitir o acesso aos
    exames necessários, favorecer o conhecimento prévio da gestante do local do parto, fortalecer
    o acompanhamento à mulher no puerpério e à criança. A heterogeneidade das TMN e TMI,
    assim como o excesso de intervenções cirúrgicas, resultando em elevadas taxas de cesáreas,
    evidencia a persistência de desigualdades sociais nas diversas regiões do Estado.

  • CLÁUDIA CARDINALLE LIMA TEIXEIRA
  • A FITOTERAPIA COMO ALTERNATIVA TERAPÊUTICA: O ALHO BRAVO E SEUS EFEITOS PARA A SAÚDE DA POPULAÇÃO.
  • Orientador : LIS CARDOSO MARINHO MEDEIROS
  • Data: 29/10/2018
  • Mostrar Resumo
  • CONTEXTO E OBJETIVO: O uso dos recursos vegetais está presente na cultura popular que é transmitida de geração a geração no decorrer da existência humana. A fitoterapia é uma terapêutica não convencional que se baseia na utilização de plantas medicinais para prevenir, atenuar ou curar um estado patológico.  O objetivo desse estudo é apresentar uma alternativa terapêutica fitoterápica para a população. TIPO DE ESTUDO E LOCAL: estudo de análise de produtos bioativos de uma planta medicinal encontrada na região de São Raimundo Nonato; realizado em Teresina-Piauí, nos Laboratórios de Geoquímica Orgânica (LAGO), de Síntese e Fitoquímica e Laboratório de Produtos Naturais e Neuroquímica Experimental (LAPPNEX) da Universidade Federal do Piauí-UFPI, no período de junho a agosto 2018. MÉTODOS: Consistiu em várias etapas, iniciando pela aquisição da planta, realização da exsicata, obtenção do extrato etanólico bruto (EEB) e de suas frações (hexânica, acetato de etila, diclorometano e hidroalcoólica), screening fitoquímico, extração do óleo essencial, testes de inibição qualitativo da enzima acetilcolinesterase (AChE).e testes biológicos. RESULTADOS: para o teste de inibição qualitativa da enzima acetilcolinesterase (AChE) foi possível observar a presença de mancha branca na placa de Cromatografia em Camada Delgada-CCD na amostra, em comparação à mancha branca do padrão, dessa forma, podendo-se concluir que ocorreu inibição da enzima acetilcolinesterase (AChE), tanto para a amostra do extrato etanólico bruto (EEB) quanto para o hidrolato/voláteis do “Alho Bravo” (Mansoa sp), sendo que, para a amostra do hidrolato/voláteis a mancha branca ficou bem mais intensa. A abordagem fitoquímica de “Alho Bravo” (Mansoa sp)  revelou a presença de alcalóides, taninos, flavonóides, saponinas e cumarinas, negativo para quinonas e inconclusivo para triterpenos e/ou esteróides. O extrato etanólico bruto (EEB) de “Alho Bravo” (Mansoa sp) foi fracionado pela técnica de dissolução fracionada com solventes de polaridade crescentes (hexano, diclorometano, acetato de etila), os solventes retiram da mistura grupos de substâncias de solubilidade semelhante. Porém, não foram isoladas as substâncias das frações hexânica, diclorometano e acetato de etila.

  • SAMARA MARIA MOURA TEIXEIRA SOUSA
  • Acesso da Mulher com Câncer de Mama ao Tratamento no Estado do Piauí
  • Orientador : MARIA DAS GRACAS FREIRE DE MEDEIROS
  • Data: 10/10/2018
  • Mostrar Resumo
  • O Câncer é um problema de saúde pública mundial. O aumento da incidência de mortalidade é diretamente proporcional as mudanças nos padrões demográficos, tais como o envelhecimento populacional e o desenvolvimento econômico. O desafio é garantir o acesso equitativo e integral ao diagnóstico e tratamento da doença. OBJETIVO: Caracterizar o acesso da mulher com diagnóstico de Câncer de Mama ao tratamento do Estado do Piauí. METODOLOGIA: Delineamento transversal analítico, desenvolvido em uma amostra de 155 mulheres diagnosticadas com câncer de mama, que realizaram tratamento no período de 2016 a 2017, subdividindo a amostra entre as instituições com registro dos casos: Hospital São Marcos (140) e Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí (15). Este trabalho foi aprovado pelo Comitê de Ética do Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí (HU-UFPI) e pelo Comité de Ética do Hospital São Marcos. RESULTADOS: A idade média (±DP) de 53,6 (±12,4) anos. Por estágio clínico a frequência dos estágios III e IV 45,8%. O intervalo entre o diagnóstico e o início do tratamento a média de tempo foi de 112,7 (±93,6) dias, sendo que 111 (71,6%) mulheres iniciaram o tratamento em um período superior a 60 dias do diagnóstico do câncer de mama. Para as mulheres provenientes das regiões Cocais, Serra da Capivara, Vale Rio Piauí e Itaueira, Vale do Canindé, Planície litorânea e Carnaubais, apresentaram uma prevalência 26,9% maior de atraso no início do tratamento em comparação aos demais territórios do estado do Piauí. Mulheres em estágios iniciais do câncer de mama, apresentaram prevalência 24,0% maior de atraso no início do tratamento comparativamente às diagnosticadas com estádios III e IV. Com relação ao fluxo 46,7% usaram a porta de entrada para o tratamento SUS, 50,3% atendimento particular e 1,9% campanhas,61,3% relataram a realização da biopsia em serviços particular. Das que foram para a consulta de 1ª vez no HSM, 73,6% iniciaram o tratamento com mais de 60 dias após o diagnóstico, já no HU-UFPI o percentual foi de 53,3 %. DISCUSSÃO: A maioria das mulheres com diagnóstico de câncer de mama, no Estado do Piauí, estão iniciando o tratamento com um atraso de mais de sessenta dias após o diagnóstico, o acesso não está acontecendo em tempo oportuno, tem-se como consequência um maior percentual de mulheres diagnosticadas em estádios mais avançados. CONCLUSÃO: Pode-se considerar que o acesso ao tratamento ao câncer de mama não está acontecendo no tempo oportuno, ficou evidenciado que este atraso é em decorrência da desarticulação da rede de atenção oncológica no Estado do Piauí.

  • EDISON DE ARAUJO VALE
  • IMPACTO DA DERMOLIPECTOMIA DE ABDOME SOBRE O PERFIL LIPÍDICO E PARÂMETROS ANTROPOMÉTRICOS DE PACIENTES COM EXCESSO DE PESO.
  • Orientador : MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
  • Data: 20/09/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A obesidade é uma doença metabólica crônica caracterizada pelo excessivo acúmulo de gordura corporal, que geralmente compromete a saúde humana, pelo risco potencial de desenvolvimento de doenças graves, e pode influenciar negativamente a imagem corporal do paciente. A abdominoplastia pode melhorar os aspectos estéticos e estruturais do abdome; todavia não há consenso quanto ao seu benefício em relação ao padrão lipídico dos pacientes. Objetivos: avaliar o impacto da abdominoplastia no perfil lipídico e parâmetros antropométricos de pacientes com sobrepeso e obesidade grau I. Método: Tratou-se de um estudo quantitativo, analítico, prospectivo, longitudinal e de intervenção, realizado em 15 pacientes, no Hospital Getúlio Vargas, em Teresina/PI, no período de abril a setembro de 2018. Os pacientes foram selecionados por conveniência e avaliados no pré-operatório, no transoperatório e três meses após, conforme um formulário estruturado. As análises estatísticas foram realizadas através do SPSS versão 20, software R versão 3.5 e o teste de Wilcoxon. A pesquisa foi submetida à apreciação e aprovada pelos Comites de Ética em Pesquisa da UFPI e do HGV. Todos os usuários assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Resultados: Verificou-se que a idade média foi de 43,8 anos, predomínio do sexo feminino (93,3%), procedentes da zona urbana (93,3%) e piauiense (73,3%), 40% são do lar e 93,3% de cor parda. O peso médio do retalho ressecado foi de 2,07 kg. O peso, o índice de massa corporal e as circunferências de cintura, de abdome e de quadril, e razão circunferência cintura-quadril apresentaram redução significativa. A circunferência abdominal teve redução média de 7,4%, que correspondem a 7,87 cm (p<0,05). Não houve alteração significativa dos lipídeos no pós-operatório (p>0,05). No entanto, as medianas e as médias das diferenças entre pós e pré-operatório foram positivas. Conclusão: A abdominoplastia reduziu significativamente os índices antropométricos dos pacientes. Os níveis de colesterol e triglicerídeos não foram afetados.

  • CAROLINY GONÇALVES RODRIGUES MEIRELES
  • Níveis séricos de vitamina D em mulheres com a síndrome dos ovários policísticos
  • Orientador : IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES
  • Data: 31/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • A síndrome dos ovários policísticos (SOP) consiste na endocrinopatia mais prevalente em mulheres no menacme. Caracteriza-se, de forma geral, por disfunção ovulatória, hiperandrogenismo clínico e/ou bioquímico e pela presença de ovários micropolicísticos, relacionando-se frequentemente à resistência insulínica (RI), obesidade e dislipidemia. O objetivo desse estudo foi analisar os níveis séricos de vitamina D em pacientes com a Síndrome dos Ovários Policísticos, comparando com mulheres saudáveis, ambas de diferentes Índices de Massa Corpórea. Trata-se de um estudo do tipo transversal, realizado no ambulatório de Ginecologia Endócrina e Reprodução Humana do Hospital Getúlio Vargas (HGV) e do Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí (HU-UFPI), no período de dezembro de 2016 a dezembro de 2017. A amostra foi constituída por 151 mulheres, sendo divididas em quatro grupos de acordo com a presença ou não de SOP e conforme o IMC. A coleta de dados ocorreu por meio de um instrumento de coleta dos dados, o qual foi guiada por um procedimento operacional padrão. Esse formulário foi estruturado pelas pesquisadoras e subdividido em duas partes: dados sociodemográficas e dados clínicos. Os dados foram processados e calculados estatísticas descritivas, como médias, medianas, desvio padrão, intervalo interquartil, mínimos e máximos para as variáveis quantitativas, bem como frequências absolutas e relativas para as qualitativas. No intuito de verificar as diferenças de médias dos dados numéricos entre os grupos ou dados categóricos foi realizado o teste de ANOVA. A significância estatística foi estabelecida quando p<0,05. Os resultados revelaram que as participantes do estudo eram jovens, com média de idade de 29 anos, casadas, com ensino médio completo e que se declararam de cor parda.  As mulheres do grupo SOP (peso normal e sobrepeso/obesas), apresentam níveis de vitamina D inferiores aos das mulheres controle (não obesas e obesas), ressaltando que as sem SOP com peso normal possuíam níveis de vitamina D mais elevados do que em todos os outros grupos, o que permite afirmar que houve relação direta entre os níveis de vitamina D e a presença da SOP (p<0,02). Portanto, é necessário um tratamento eficaz para populações com SOP o mais precocemente possível, a fim de evitar exacerbações dos sinais e sintomas relacionados à síndrome e suas consequências a médio e longo prazo.

  • ERBERT PORTELA MARTINS
  • MANIFESTAÇÕES OCULARES EM PACIENTES COM DOENÇAS INFLAMATÓRIAS INTESTINAIS
  • Orientador : JOSE MIGUEL LUZ PARENTE
  • Data: 28/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • Doenças inflamatórias intestinais (DII) compreendem enfermidades inflamatórias, geralmente crônicas, que acometem o trato gastrointestinal de etiopatogenia complexa e com manifestações sistêmicas. Além das manifestações intestinais decorrentes da própria doença, podem ocorrer manifestações sistêmicas denominadas manifestações extraintestinais (MEI).  As MEI oculares mais comuns são episclerite e uveíte, além de esclerite e ceratopatia. OBJETIVO: Avaliar as manifestações oculares em pacientes com doenças inflamatórias intestinais. METODOLOGIA: Delineamento transversal analítico, desenvolvido com uma amostra de conveniência de pacientes com DII atendidos no hospital universitário da UFPI e que foram submetidos a avaliação oftalmológica. Foram coletadas variáveis sociodemográficas, características da doença inflamatória intestinal, uso de corticoides, tratamento atual, manifestações extraintestinais não oculares e manifestações extraintestinais oculares. Para classificação da gravidade da doença, utilizou-se o Disease Activity Index (Mayo Clinic Index) para a retocolite ulcerativa (RU) e Crohn's Disease Activity Index (CDAI) para Doença de Crohn (DC). Foram calculadas estatísticas uni e bivariadas. Foram realizados Teste t de Student, Teste Qui-Quadrado de Pearson e Teste Exato de Fisher (95% de confiança). O estudo foi aprovado por Comitê de Ética em Pesquisa da instituição. RESULTADOS: Foram incluídos 188 (cento e oitenta e oito) pacientes, sendo 97 (51,6%) com RCU e 91 (48,4%) com DC. A média de idade dos pacientes com doenças inflamatórias intestinais foi de 46,1 anos (18,0-81,9, DP=±13,9) e mediana (±IIQ) 47,2 (±20,3). As manifestações oculares distribuíram-se igualmente em pacientes com DC (8,0%) e RCU (8,0%). A manifestação ocular mais frequente foi catarata (6,4%), seguida de uveíte (2,7%), blefarite (2,7%), episclerite (2,1%), glaucoma (1,1%), conjuntivite (1,1%), obstrução de vasos retinianos (1,1%), esclerite (0,5%) e neuropatia óptica (0,5%). Foram verificadas associações estatisticamente significativas entre a presença de manifestações oculares e a gravidade da doença, de acordo com o CDAI (p=0,010), e uso pregresso de corticoides (p=0,005). Verificou-se associação estatisticamente significativa entre a presença de catarata e o uso pregresso de corticoides (p<0,001). DISCUSSÃO: A incidência das manifestações oculares nas DII é muito variável, dependendo da população estudada.  Assim como outras manifestações extraintestinais, o envolvimento ocular pode aparecer antes ou depois do diagnóstico de DII.  CONCLUSÃO: Podemos considerar a presença de manifestações extraintestinais oculares nas DII como alta e algumas bastante graves, podendo levar  à cegueira. A maioria das manifestações oculares aconteceram no segmento anterior do globo ocular, e a mais comum foi a catarata decorrente do uso do corticoide.

  • VERÔNICA MENDES SOARES
  • Cultivo e caracterização de células-tronco obtidas da geleia de Wharton e da placenta para uso na restauração da pele humana
  • Orientador : MARIA DAS GRACAS FREIRE DE MEDEIROS
  • Data: 21/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introduction: Regenerative Medicine has evolved in recent years and may be of great benefit to patients such as those with stretch marks, a disfiguring condition and aesthetics of the skin, with therapeutic options managed without effective reversion. The regulation of technique and ethics is becoming clearer by facilitating science to evolve in stem cell research in tissue restoration using less invasive techniques. Objective: The main goal of the study is to expand and characterize mesenchymal stem cells originated from Wharton Jelly and Placenta that can be used to restore skin damaged by stretch marks. Methods: The cells isolated from the umbilical cord and the placenta were expanded and characterized following the protocol for different stages of identification of morphofunctional characteristics and immunophenotyping. Results: In the experiment Wharton Jelly cells fulfilled all the steps of our goal, although the cells of the Chorionic Plate and Chorionic Villus did not complete all the steps, none of the types of cells cultured demonstrated characteristics adverse to those of stem cells. Discussion: The term cell expansion is used to remove cells from tissues or organs in an artificial environment conducive to their survival and proliferation. The basic environmental requirements for cells to grow are: temperature controlled, substrate for cell adhesion, suitable growth medium and incubator that maintains the pH. The same metabolic and biochemical pathways of a cell in the body are considered in expanding cells in vitro. Conclusion: The results showed the need for standardization of protocols for each cell type of specific origin. Within the protocol used, stem cells from Wharton Jelly were shown to be more viable to restore skin.

  • MARIA SAUANNA SANY DE MOURA
  • Demanda de doação de leite humano: Subsídio para a implantação de um posto de coleta
  • Orientador : ANDERSON NOGUEIRA MENDES
  • Data: 20/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • O leite humano (LH) oferece todos os nutrientes necessários para a proteção, crescimento e desenvolvimento infantil. No entanto, existem condições que contraindicam o aleitamento materno, porém os recém-nascidos (RN) necessitam do LH, pois trazem grandes benefícios para a saúde. Neste contexto, a demanda de RN que necessitam de LH se torna cada vez mais crescente, sendo necessárias estratégias para promoção da doação do leite materno. Surgem então, os Bancos de Leite Humano (BLH) que se configuram como uma das estratégias para estimular a amamentação e assistir recém-nascidos hospitalizados. No Piauí, existe apenas um BLH e dois postos de coleta para suprir a necessidade dos bebês, todos localizados na capital Teresina. Deste modo, através da descentralização dos postos de coleta, será possível ampliar o número de doadoras. Objetivou-se analisar a demanda de doação de leite humano na região do Vale do Guaribas para subsídio da implantação de um posto de coleta. Trata-se de um estudo transversal e analítico, com abordagem quantitativa, realizado com 226 mulheres, que no momento da pesquisa encontrava-se no puerpério imediato, em um hospital público de referência do interior do Piauí. Para obtenção dos dados foi utilizado um formulário estruturado e os dados foram processados no SPSS® (Statistical Package for the Social Sciences), versão 23.0. Na estatística analítica, foi avaliada a normalidade dos dados através do teste de Kolmogorov-Smirnov. Em seguida, foram utilizados os testes Qui-quadrado de Pearson e Razão de verossimilhança, para investigar associação entre variáveis qualitativas, e o teste t-Student, para comparar as médias de duas amostras independentes. Foi submetida à apreciação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí e aprovado com o número do parecer: 1.872.435. Verificou-se que as possíveis doadoras de leite humano são, em maioria, mulheres jovens, com uma média de 24,4 anos, casadas ou em união estável 165 (73%), pardas 145 (64,2%), desempregadas 150 (66,4%), católicas 185 (81,4%) e de baixa renda 207 (91,6%). Apresentaram algumas patologias comuns na gravidez, sem contraindicação à doação de leite materno. Neste estudo, 78,3% das entrevistadas desejavam ser doadoras, demonstrando relação significativa com os anos de estudo (p= 0,038) e as que receberam orientações sobre o assunto durante o pré-natal (p=0,028). Ainda é necessário enfatizar que a doação representa uma economia de R$ 180 milhões para o país com a diminuição da necessidade de compra de fórmulas artificiais para recém-nascidos prematuros nas maternidades do Sistema Único de Saúde. A partir desses dados, foi realizado o plano de ação voltado à implantação de um posto de coleta de leite humano na região.  Portanto, é fundamental a descentralização dos postos de coleta, pois muitas dessas mulheres entrevistadas mostraram o desejo de doar, mas há vários fatores limitantes que as impedem, já que na região onde vivem não há um local que faça essa coleta e oriente sobre a sua importância. Com a realização do plano de ação, pode-se mostrar aos gestores locais a importância dessa implantação, a fim de diminuir os gastos com internação de recém-nascidos com gravidades ocasionadas pela ausência do aleitamento materno.

  • CRISTIANE MARIA FERRAZ DAMASCENO MOURA FÉ
  • A PRESENÇA DE ACOMPANHANTE DURANTE A INTERNAÇÃO PARA O PARTO: DESAFIO PARA GARANTIA DE DIREITOS
  • Data: 15/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • A Organização Mundial da Saúde - OMS recomenda o acesso de acompanhamento durante todo período da internação para o parto e que seja de livre escolha da gestante. Decorrente da atuação dos movimentos sociais que lutam pelos direitos das mulheres, foi publicada em 7 de abril de 2005 a Lei nº 11.108(Brasil 2005), que altera a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para garantir às parturientes o direito à presença de acompanhante durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS.

    Mas infelizmente nem as evidências cintíficas, nem todo esse aparato de lei e normas, foram capazes de conferir esse direito na sua totalidade a todas as gestante indistintamente.O cumprimento desse dereito tem sido um desafio para gestores das três esferas de gestão, para gestores dos serviços de saúde e profissionais da área. No âmbito dos serviços públicos e  privados conveniados

    A nossa hipótese é a de que o direito ao acompanhamento é atendido na maioria dos serviços, no pós-parto se for do sexo feminino, já no trabalho de parto e parto não é garantido para todas as mulheres,

    depende do perfil socioeconômico da família, do tipo de parto, das condições físicas das unidades e até mesmo da autorização dos profissionais de saúde.

    Nossos objetivos com essa pesquisa são: Analisar a presença de acompanhante durante a internação para o parto, na Maternidade Dona Evangelina Rosa, em Teresina, Piauí;Identificar o perfil socioeconômico das puérperas atendidas e sua relação com o cumprimento do direito ao acompanhamento; Analisar as condições físicas dos serviços de acordo com as normas vigentes e sua relação com o cumprimento do direito ao acompanhamento;Identificar as principais dificuldades apresentadas pelos gestores, profissionais de saúde e puéperas, para implementação do direito ao acompanhante;

     

    RESULTADOS:

    Quanto a Caracterização da Presença/ Ausência do Acompanhante durante a Internação para o Parto dados mostram que, todas as puérperas estudadas contaram com a presença de um acompanhante em alguma das fases de internação para o parto; em relação ao grau de parentesco do acompanhante, a mãe com 43,01%, foi a que mais figurou como acompanhante, o parceiro esteve presente em 15,05% dos acompanhamentos; 97,13% das puérperas escolheram quem seria o seu acompanhante; em relação a presença de acompanhante nas fases de internação, 100% das entrevistadas tiveram acompanhante na admissão; na fase do trabalho de parto, 98,57% das mulheres estudadas contaram com um acompanhante; durante o parto, 46,95%, tiveram esse direito garantido enquanto que, 53,05% o direito foi negado; durante o pós- parto imediato apenas 1,43% das puérperas não tinham acompanhante; já durante o alojamento conjunto, todas as mulheres puderam contar com a presença de seu acompanhante;  sobre os motivos da não garantia do acompanhante,25,81% não tiveram os motivos informado, 6.45% disseram que era uma regra da maternidade, 16,49% declararam que,  não quiseram assistir o parto; ao serem questionadas sobre a importância de contar com um acompanhante durante a internação, quase todas as mulheres responderam que o fato de ter um acompanhante, ajudou muito todo esse processo; pouco mais da metade, conheciam o direito de ter um acompanhante e 29,75%, tiveram como fonte de informação os meios de comunicação, apenas 6,09%, foram orientadas  acerca  do direito ao acompanhante no pré-natal; 36,20% foram esclarecidas sobre esse benefício na maternidade estudada,  sendo, 22,22% no setor de admissão , ao entrar na unidade.

     

  • IZAIAS BARBOZA JÚNIOR
  • Desenvolvimento de Instrumento para Descolamento do Peritônio na Extração da Peça Cirúrgica em Colecistectomias Realizadas por Laparoscopia
  • Orientador : PEDRO VITOR LOPES COSTA
  • Data: 04/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Na prática em cirurgia geral pela via laparoscópica, observa-se frequentemente a necessidade de ampliação da incisão umbilical durante a extração da peça cirúrgica. A colecistectomia laparoscópica é o procedimento mais realizado pelos profissionais desta especialidade no mundo; mais de 500.000 destas ocorrem anualmente somente nos Estados Unidos da América. Quando as características da peça cirúrgica dificultam a sua retirada (como exemplo: cálculos grandes, tumores e obesos), induz a equipe a ampliar esta incisão. Desenvolveu-se modificações em um dispositivo do tipo afastador de parede adaptado à incisão umbilical e foi verificado se ele altera as medidas finais desta. Objetivos: Demonstrar se o uso de um instrumento desenvolvido para diérese do peritônio associa-se a menores incisões, e os demais fatores que podem estar associados ao tamanho da mesma. Método: Delineou-se um ensaio clínico randomizado duplo-cego, realizado em um hospital da rede privada de Teresina-PI, Brasil (Hospital Santa Maria), com dois grupos assistidos por uma equipe de cirurgiões gerais: um utilizou o instrumento (estudo) e o outro não (controle). Avaliou-se no transoperatório e no primeiro dia pós-operatório dados como: medida da incisão, do hematoma, dor e demais variáveis importantes às análises. Resultados: A maioria dos pacientes estudados é do Estado do Piauí (80%) e do sexo feminino (65%). A idade média foi 48,25 anos, com desvio padrão de 16,65 anos. A medida da ferida operatória apresentou distribuição normal, com média de 27,52 mm, e desvio padrão de 4,85 mm, onde o grupo que não usou o dispositivo teve média maior que aquele que o empregou (p-0,03). A obesidade (p<0,01) e o não uso de Agulha de Veress (p-0,04) estão associados a maiores incisões nesse procedimento. Hematoma (0,058) e dor pós-operatórios (p-0,08) não apresentaram diferenças entre os grupos estudados. Conclusões: O uso do instrumento desenvolvido está associado a menores medidas da incisão umbilical, sem diferenças nos hematomas e na dor pós-operatória sugerindo benefícios à sua utilização. A obesidade e o não uso de Agulha de Veress foram associados a maiores medidas das incisões. Outrossim, estudos maiores, multicêntricos e em diferentes procedimentos serão úteis para melhor avaliação da eficiência do dispositivo. 

  • POLYANNA GOMES LACERDA CAVALCANTE
  • Efeito da estimulação elétrica cerebral combinada com exercícios terapêuticos na dor lombar crônica inespecífica em mulheres: um estudo piloto
  • Orientador : ANDERSON NOGUEIRA MENDES
  • Data: 09/04/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A dor lombar crônica não específica é um importante problema de saúde pública e de ordem socioeconômica em nível mundial e, apesar do volume de pesquisas na área, ainda é uma condição de difícil tratamento. A estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC) é uma técnica não invasiva de neuromodulação que vem apresentando recentes avanços no tratamento da dor crônica. No entanto, quando aplicada isoladamente a magnitude do seu efeito é pequena em condições musculoesqueléticas crônicas como a dor lombar crônica inespecífica. Uma opção que poderia otimizar o efeito analgésico da ETCC seria a combinação com exercícios terapêuticos, que têm um papel central em programas de reabilitação da coluna bem como maiores níveis de evidência. A combinação destes tratamentos (ETCC e exercício) pode apresentar um efeito analgésico superior às intervenções isoladas. Objetivo: Sendo assim, o presente estudo tem como objetivo comparar o efeito analgésico da estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC) associada a exercícios terapêuticos (ET) com os exercícios terapêuticos isolados em mulheres com dor lombar crônica inespecífica. Metodologia: Dez pacientes mulheres foram distribuídas aleatoriamente em dois grupos distintos para receber ETCC real + ET ou ETCC simulada + ET durante 12 sessões em um período de quatro semanas. Resultados: A ETCC associada aos exercícios terapêuticos resultou em maior proporção de pacientes que atingiram níveis leves e moderados de alívio da dor lombar. No entanto, níveis substanciais de analgesia, como 50% da redução da intensidade da dor, foram atingidos pelo grupo que recebeu exercícios terapêuticos isolados. Conclusão: Os resultados deste estudo demonstraram os exercícios terapêutico são eficazes para o alívio da dor, melhora da capacidade física e percepção global.

     

     


     

  • MARIZON DA COSTA ARMSTRONG JUNIOR
  • Toxoplasmose Latente em Gestantes com Infecção pelo Vírus ZIKA e Microcefalia Fetal
  • Orientador : LUIZ AYRTON SANTOS JUNIOR
  • Data: 27/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O aumento no número de recém-nascidos com microcefalia e outras desordens neurológicas, ocorridos no Brasil e na Polinésia Francesa durante o surto de infecção pelo vírus Zika (ZIKV), foi responsável pelo alerta internacional que culminou, em 2016, com a declaração da Organização Mundial de Saúde classificando a epidemia pelo ZIKV como Emergência de Saúde Pública de Interesse Internacional. Atualmente, a magnitude da associação entre ZIKV e microcefalia permanece incerta, entretanto com a identificação do envolvimento do sistema imunológico materno, através da interleucina-17, no desenvolvimento de desorganização cortical e do número maior de microcefalia ocorrido no nordeste em comparação com as demais regiões brasileiras, foi proposta uma hipótese de influência da toxoplasmose latente como “amplificador” da produção de interleucina-17 e consequente maior acometimento do sistema nervoso central nas regiões cuja prevalência da toxoplasmose seja elevada, situação frequente no nordeste brasileiro. Objetivo: Atualizar a abordagem pré-natal prestada às gestantes infectadas pelo ZIKV ao gerar novos conhecimentos sobre a relação entre infecção por ZIKV e microcefalia fetal. Método: Delineado como caso-controle, o estudo utilizou os bancos de dados da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde do Estado do Piauí para identificar as 25 participantes, sendo 11 no grupo caso e 14 no grupo controle. Os dados foram colhidos diretamente nos bancos de dados como também através do preenchimento de formulário específico desenvolvido para essa pesquisa. Resultados: As gestantes do grupo controle apresentavam idade mais avançada (mediana 29,748 anos e intervalo interquartil (IIQ) 5,4 anos) e em sua maioria estavam empregadas (64,29%) com consequente aumento na renda familiar (mediana 4.092,5 reais e intervalo interquartil 8.433,0 reais). 84% das gestantes apresentaram sintomas da infecção pelo ZIKV em algum momento do pré-natal com diferença estatística entre os trimestres (p = 0,001). 54,17% possuíam sorologia IgG positiva para toxoplasmose porém sem diferença entre os grupos (p = 1,00) e 90,91% dos diagnósticos de microcefalia ocorreram no período pós-natal. Não houve relação entre microcefalia e prematuridade (mediana 38 semanas e IIQ 2 semanas) e não houve diferença entre a via de parto entre os grupos (p = 1,00) apesar de 72% dos partos ocorrerem por via cesariana. Conclusões:  A  microcefalia  relacionada  ao  ZIKV  não  evidenciou associação com a toxoplasmose latente, porém a epidemia teresinense apresentou características que devem direcionar as ações de saúde.

2017
Descrição
  • INÁCIO PEREIRA LIMA
  • Avaliação da Contaminação do Leite Materno pelo Agrotóxico Glifosato em Puérperas atendidas em Maternidades Públicas do Piauí
  • Orientador : RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
  • Data: 05/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • O glifosato é agrotóxico de maior risco potencial para a saúde humana por ser o mais comercializado no mundo, no Brasil e no Piauí. Baseando-se nessa realidade, este estudo teve como objetivo avaliar a contaminação de leite materno pelo agrotóxico glifosato em puérperas atendidas em maternidades públicas do Piauí. Adotou-se desenho de estudo correlacional descritivo e de corte transversal aplicado nos municípios de Teresina com 164 participantes, Oeiras com 27 e Uruçuí com 13 participantes. Foi desenvolvido um método de análise laboratorial das amostras de leite materno aplicado à técnica de cromatografia líquida de alta eficiência acoplada a fotodiodo de detecção por radiação ultravioleta, mediante a reação de derivatização do glifosato e seu metabólito ácido aminometilfosfônico pelo cloroformato de 9-fluorenilmetila. Após testes experimentais o método escolhido para a análise das amostras de leite materno foi o gradiente isocrático com uso do solvente acetronitrila a 10%, testado em triplicata que ao passar pelo detector, este constatou a presença do glifosato em picos cromatográficos na faixa de 263 nanômetros(nm), com coeficiente de correlação(r) igual a 0,9993 que originou a construção da curva de calibração e a confirmação de sua eficiência e linearidade. Durante a fase de análise das amostras de leite materno ocorreu pane com substituição de coluna cromatográfica, limitando-se as análises à detecção e comprometendo tanto sua reprodutibilidade, como a quantificação das duas substâncias quando detectadas. Analisou-se 62,5% das amostras coletadas em Oeiras e Uruçuí, detectando-se presença de glifosato ou ácido aminometilfosfônico em 64% delas. Ao desagregar por município, comprovou-se contaminação em 46,1% e 83,4% das amostras analisadas provenientes de Oeiras e Uruçuí, respectivamente. Conclui-se que é alta contaminação do leite materno pelo glifosato, comprovando-se sua gravidade e importância enquanto fator de risco à saúde da mulher e da criança.

  • OZIRINA MARIA DA COSTA
  • Avaliação da Assistência Pré-natal das Gestantes com Sífilis Assistidas pela Estratégia Saúde da Família em Teresina-PI
  • Orientador : ANDERSON NOGUEIRA MENDES
  • Data: 13/10/2017
  • Mostrar Resumo
  • A sífilis é uma infecção bacteriana, de caráter sistêmico, de fácil diagnóstico e curável. Tem como principal via de transmissão o contato sexual, seguido pela transmissão vertical quando a doença pode ser transmitida ao feto, com graves implicações. Há um aumento do número de casos de sífilis congênita a cada ano, mesmo com todas as recomendações do Ministério da Saúde (MS). Objetiva-se com esse estudo avaliar a assistência pré-natal prestada às gestantes diagnosticadas com sífilis atendidas pela Estratégia Saúde da Família do município de Teresina-PI.Trata-se de um estudo avaliativo com delineamento transversal.Foram analisados os dados do SINAN, prontuários e cartão da gestante de 47 mulheres diagnosticadas com Sífilis na gestação entre 2013 e 2015 em Teresina-PI. Quanto ao perfil sociodemográfico, a maioria das mulheres tem em média 24 anos, são procedentes da zona urbana do município, casadas ou em união estável, parda com sete anos de estudo em média. Realizaram o pré-natal com a equipe da Estratégia Saúde da Família, realizaram cinco consultas, em média, menos que o preconizado pelo MS, que são seis consultas e a maioria não estavam cadastradas no SISPRENATAL.O diagnóstico foi realizado em 87,2% dos casos durante o pré-natal; predominou a forma clínica Sífilis Latente. Apenas 42,6 % das mulheres realizou VDRL no 2° trimestre. 83% foram tratadas de acordo com as recomendações do MS, mas o parceiro foi tratado corretamente somente em 59,6% dos casos. Quanto às condições de nascimento houve apenas um caso de natimorto. A maioria dos nascidos vivos nasceu à termo com peso adequado para a idade gestacional. Assim, observa-se que apesar da realização do pré-natal por essas gestantes,houveram falhas em alguns procedimentos que não foram realizados de acordo com o preconizado pelo MS

  • GLAYS REGE DANTAS LIMA PIRES
  • Construção e validação de um software para dispositivos móveis com orientações destinadas às gestantes no cuidado pré-natal
  • Orientador : MALVINA THAIS PACHECO RODRIGUES
  • Data: 26/09/2017
  • Mostrar Resumo
  • I

    Introdução: O uso da tecnologia tem sido cada vez mais presente na atenção à saúde. A saúde móvel ou mHealth é considerada uma prática de saúde pública  mantida por dispositivos móveis. Aplicativos direcionados à gravidez e parto são os mais frequentes em relação à saúde da mulher. Entretanto, a maior parte deles não fornecem informações confiáveis e validadas. Objetivo: Construir e validar um software para dispositivos móveis com orientações destinadas às gestantes no cuidado pré-natal. Metodologia: Trata-se de um estudo metodológico desenvolvido em 03 etapas: especificação, validação e desenvolvimento. Na fase de especificação foi empregado método de revisão integrativa da literatura e formulado as orientações. Seguiu-se pela validação das orientações com 8 (oito) gestantes (validação semântica) e com  7 (sete) juízes em saúde da mulher (validação de conteúdo) selecionados por conveniência. Na etapa de desenvolvimento, o aplicativo foi construído adequado ao sistema operacional Android. Resultados e Discussão: No aplicativo estão descritas informações sobre 20 (vinte) dimensões elaboradas a partir de 23 artigos, 18 diretrizes e 09 legislações. Durante a validação semântica foram realizadas alterações nas orientações. Na validação de conteúdo todas as dimensões tiveram IVC acima de 80% ou seja, elevada concordância da opinião dos especialistas sobre a compreensão verbal e pertinência das informações. Conclusão: O estudo possibilitou desenvolver uma tecnologia educacional na forma de um aplicativo móvel com conteúdo validado e coerente com as recomendações atuais do pré-natal. Espera-se resgatar o papel ativo do usuário e facilitar o acesso a informações válidas, o que representa o diferencial desse aplicativo.

  • ANNA GLÁUCIA COSTA CRUZ
  • Conhecimento Objetivo e Percebido sobre Preservativos entre Estudantes de Ensino Médio.
  • Orientador : KEILA REJANE OLIVEIRA GOMES
  • Data: 30/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se analisar o conhecimento objetivo e percebido sobre preservativos entre escolares de ensino médio. O estudo é transversal com 674 adolescentes matriculados no ensino médio de escolas públicas e privadas de Teresina-PI. A coleta de dados foi realizada por meio de questionário com quatro afirmações para determinação do nível de conhecimento objetivo e escala de Likert para avaliação do nível de conhecimento percebido. Analisaram-se variáveis sociodemográficas, iniciação sexual e variáveis relacionadas ao conhecimento sobre preservativo. Mais da metade dos adolescentes apresentou baixo conhecimento objetivo (57,4%) e baixo conhecimento percebido (78,6%) sobre preservativos, tendo a afirmação sobre uso do preservativo em relações homossexuais apresentado o menor nível de conhecimento objetivo (57,6%), e também a menor média para conhecimento percebido (2,49). Na análise multivariada, os estudantes que tinham mães com maior escolaridade (p=0,044), cursavam a terceira série do ensino médio (p=0,002), com renda familiar maior que dois salários mínimos (p=0,013), que tinham iniciado a vida sexual (p=0,035) e receberam orientação dos pais sobre sexualidade (p=0,047) tinham mais chance de alto conhecimento objetivo. O alto conhecimento percebido foi associado à maior escolaridade da mãe (p=0,023), ao aluno cursar a terceira série do ensino médio (p=0,038), ter renda familiar maior que dois salários mínimos (p<0,001) e ter iniciado a vida sexual (p=0,029). Os fatores preditores de maior conhecimento apontam para a importância da participação da família na educação sexual dos filhos, bem como do acesso dessas famílias à escolaridade mais elevada e a melhor renda.

    Objetivou-se analisar o conhecimento objetivo e percebido sobre preservativos entre escolares de ensino médio. O estudo é transversal com 674 adolescentes matriculados no ensino médio de escolas públicas e privadas de Teresina-PI. A coleta de dados foi realizada por meio de questionário com quatro afirmações para determinação do nível de conhecimento objetivo e escala de Likert para avaliação do nível de conhecimento percebido. Analisaram-se variáveis sociodemográficas, iniciação sexual e variáveis relacionadas ao conhecimento sobre preservativo. Mais da metade dos adolescentes apresentou baixo conhecimento objetivo (57,4%) e baixo conhecimento percebido (78,6%) sobre preservativos, tendo a afirmação sobre uso do preservativo em relações homossexuais apresentado o menor nível de conhecimento objetivo (57,6%), e também a menor média para conhecimento percebido (2,49). Na análise multivariada, os estudantes que tinham mães com maior escolaridade (p=0,044), cursavam a terceira série do ensino médio (p=0,002), com renda familiar maior que dois salários mínimos (p=0,013), que tinham iniciado a vida sexual (p=0,035) e receberam orientação dos pais sobre sexualidade (p=0,047) tinham mais chance de alto conhecimento objetivo. O alto conhecimento percebido foi associado à maior escolaridade da mãe (p=0,023), ao aluno cursar a terceira série do ensino médio (p=0,038), ter renda familiar maior que dois salários mínimos (p<0,001) e ter iniciado a vida sexual (p=0,029). Os fatores preditores de maior conhecimento apontam para a importância da participação da família na educação sexual dos filhos, bem como do acesso dessas famílias à escolaridade mais elevada e a melhor renda.

  • MARIA AUZENI DE MOURA FÉ
  • MORTALIDADE MATERNA ANTES E APÓS A REDE CEGONHA EM UM ESTADO DO NORDESTE
  • Orientador : MAURICIO BATISTA PAES LANDIM
  • Data: 22/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • Morte materna é a morte de uma mulher durante a gestação ou dentro de um período de 42 dias após o término da gestação, independentemente da duração ou da localização da gravidez, devido a qualquer causa relacionada ou agravada pela gravidez, ou por medidas em relação a esta, porém, não devido a causas acidentais ou incidentais. A razão de mortalidade materna, no Piauí, foi de 67,62 mortes para cada 100.000 nascidos vivos em 2015. A morte materna poderia ser evitada em mais de 90% das vezes se houvesse assistência adequada durante o ciclo gravídico-puerperal. Objetivo: Avaliar a mortalidade materna antes e após a implantação das ações estratégicas da Rede Cegonha. Metodologia: Estudo epidemiológico analítico, com coleta de dados retrospectivos, realizada a partir de dados sobre os óbitos maternos ocorridos no período de 2006 a 2015, provenientes dos Sistemas de Informação sobre Mortalidade - módulo web, e o Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos, coletados no período de setembro a novembro de 2016, compreendendo banco de dados com parte de acesso público e parte de acesso restrito. A amostra do estudo foi de 426 óbitos maternos. Os dados foram organizados em planilhas do Microsoft Excel® e analisados por meio do software IBM® SPSS®, versão 18.0, conforme o ano de ocorrência do óbito e categorias das variáveis independentes. Resultados: A maioria das mulheres apresentou de 20 a 29 anos (45,1%), sendo que 57,8% tiveram uma a três gestações anteriores, 71,1% fizeram a primeira consulta no primeiro trimestre, 37,2% realizaram de quatro a seis consultas, 43,4% teve parto cesáreo, com 57,6% de bebês nascidos vivos. Os resultados apontaram que, no intervalo de cinco anos antes da implantação das ações da Rede Cegonha, houve um aumento de 33,6% na razão de morte materna; entretanto, foi constatada redução de 20% nos anos correspondentes à implantação das ações da Rede Cegonha (2011 a 2015). Foi identificada uma redução global de 11,4% da RMM no período de 2006 a 2015 de 5% a cada ano a partir de 2011, embora não tenha sido identificada uma diferença estatisticamente significativa entre as médias no intervalo de cinco anos antes e cinco anos depois (p=0,542). Conclusão: Os dados apontaram a redução da razão de morte materna entre o período de cinco anos antes e de cinco anos após a implantação das ações da Rede Cegonha, com maior homogeneidade entre as medidas no segundo intervalo, um indicativo descritivo de mudanças satisfatórias no que se refere às atividades desenvolvidas com vistas à redução da mortalidade materna.

  • LIDIA ARAUJO DOS MARTIRIOS MOURA FE
  • Avaliação do bochecho de solução com Extrato Etanólico Bruto (EEB) de romã (Punica granatum L.) para saúde periodontal de puérperas atendidas na Maternidade Dona Evangelina Rosa em Teresina-PI
  • Orientador : LIS CARDOSO MARINHO MEDEIROS
  • Data: 11/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • O emprego de plantas medicinais no cuidar da saúde das pessoas é milenar e a espécie romã (Punica granatum L.) destaca-se por seu potencial antimicrobiano, anti-inflamatório e antioxidante. Assim realizou-se uma pesquisa clínica intervencionista, longitudinal, envolvendo 22 puérperas com doença periodontal para avaliar a efetividade do bochecho de solução do Extrato Etanólico Bruto (EEB) de romã (Punica granatum L.) (G2) sobre a saúde bucal na manutenção da saúde periodontal de puérperas. Foi comparado ao desempenho de um colutório com clorexidina a 0,12% (G3) e soro fisiológico (G1). Os parâmetros clínicos utilizados foram: Índice Periodontal Comunitário (IPC), Índice de Placa de Silness e Löe (IP), Índice de Sangramento Gengival (ISG) de Ainamo e Bay. As participantes realizaram 2 (dois) bochechos diários durante 15 dias, sob responsabilidade própria, sob prescrição: no 1º dia antes dos bochechos, no 8º dia e 15º dia, posteriormente. Os resultados apontaram que o IP e o ISG apresentaram redução significativa apenas nos grupos da romã e clorexidina. As participantes tinham: 12 (54,5%) possuíam idade compreendida entre 18 e 29 anos. Apenas 1 (4,5%) estava cursando ensino superior e 17 (77,3%) eram casadas ou conviviam em união estável. Observou-se que 11 (50%) mulheres eram primíparas. Todas as 22 (100%) mulheres afirmaram realizar escovação dentária diariamente, sendo que 12(54,5%) disseram fazê-la 3 vezes ao dia. Apenas 2 (9,1%) mulheres informaram fazer uma vez ao dia, mas essas se comprometeram em aumentar a quantidade de escovações, após orientações odontológicas da equipe. Apenas 7(31,8%) puérperas fazem uso de fio dental, dentre elas apenas 2 (9,1%) usam todo dia. As mulheres não usam enxaguatório bucal 12(54,5%) não tem esse hábito e nenhuma delas conhece enxaguatório à base de fitoterápico. Muitas mulheres, 16 (72,7%) desconhecem o que é biofilme dental, principal fator etiológico de cárie e doença periodontal. O IP reduziu somente a partir do 8º dia para o Grupo G1 (p=0,5079) e o ISG do grupo G1 (p=0,2493) também não apresentou redução estatisticamente significativa ao longo do período avaliado, ou seja, os resultados apresentaram pouca variabilidade. Nos grupos G2 (p=0,036) e G3(p=0,0001), as médias do ISG foram mais elevadas no 1º dia da avaliação e reduziram estatisticamente significativo ao longo dos 15 dias de bochecho da solução. O bochecho foi bem tolerado pelas participantes da pesquisa (n=22), apesar de 8(36,4%) delas terem mencionado um gosto desagradável. Também foi relatado por 22(100%) das mulheres que a participação na pesquisa intensificou a atenção e o cuidado com a sua saúde bucal. Concluiu-se que o bochecho da romã pode ser indicado para gengivite.

  • DAYANA MARIA PESSOA DE SOUSA
  • Intervenção farmacêutica nos indicadores clínicos e econômicos relacionados a terapia medicamentosa de mulheres internadas em uma Unidade de Terapia Intensiva Obstétrica
  • Orientador : MARIA DAS GRACAS FREIRE DE MEDEIROS
  • Data: 10/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO

     

    SOUSA, Dayana Maria Pessoa. A contribuição da Farmácia Clínica nos indicadores clínicos e econômicos relacionados a farmacoterapia de mulheres internadas em uma Unidade de Terapia Intensiva Obstétrica. Dissertação (Mestrado em Saúde da Mulher). Programa de Pós-Graduação em Saúde da Mulher, Universidade Federal do Piauí, 2017.

     

    Estudos demonstram a influência da atuação do farmacêutico clínico incorporado à equipe multiprofissional da unidade de terapia intensiva (UTI) na melhoria de indicadores clínicos e econômicos, porém poucos são realizados contemplando a área de saúde da mulher. O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência da intervenção farmacêutica nos indicadores clínicos e econômicos relacionados à farmacoterapia de mulheres internadas em uma UTI obstétrica. A pesquisa foi dividida em três capítulos. O Capítulo 1 apresenta uma revisão integrativa da literatura que demonstrou uma tendência no aumento do número de publicações de avaliações econômicas de serviços de farmácia clínica em UTI e também uma evolução no rigor metodológico na realização de tais estudos. Foi possível categorizar quatro tipos de métodos econômicos utilizados na mensuração de resultados econômicos de serviços de Farmácia Clínica em UTI e a eles foram atribuídas variações de aumento e redução de custos. O Capítulo 2 mostra a avaliação da influência da intervenção farmacêutica na redução de erros de prescrição, no tempo de internação e mortalidade relacionados à terapia medicamentosa de mulheres internadas em uma UTI obstétrica. O estudo foi realizado comparando três períodos: fase pré-intervenção; fase de intervenção; e fase pós-intervenção. O estudo teve duração de 42 semanas, com a participação de 222 mulheres. Foram identificados 244 erros de prescrição em todas as fases do estudo, dos quais 104 foram prevenidos através de 120 intervenções realizadas. Verificou-se uma redução significativa do indicador erros de prescrição não prevenidos/paciente na fase de intervenção. Conclui-se que a realização de intervenções farmacêuticas contribuiu para a prevenção de erros de prescrição provenientes da farmacoterapia na área de terapia intensiva na saúde da mulher. No Capítulo 3 foram mensurados os indicadores econômicos relacionados a atuação do farmacêutico na UTI obstétrica. Na fase pré-intervenção, a média de custos com medicamentos por paciente foi de R$ 122,93 (±191,22); na fase pós-intervenção, a média foi de R$ 309,57 (±1.359,41) por paciente e; na fase de intervenção, a média foi de R$ 252,88 (±471,72) por paciente. Verificou-se uma diferença de R$ 1.022,45 entre os custos da farmacoterapia prescrita pelo médico e a sugerida pelo farmacêutico. Das 120 intervenções farmacêuticas realizadas 44 (36,7%) resultaram em diminuição dos custos e 43 (35,8%) intervenções foram responsáveis por aumento nos custos, sendo que nas demais 33 (27,5%) intervenções os valores foram mantidos. Houve diferença estatística significativa entre os custos com a farmacoterapia de pacientes admitidas com diagnóstico de sepse em relação a síndromes hipertensivas e hemorrágicas nas fases do estudo. Os medicamentos anti-infecciosos gerais foram responsáveis por maiores custos globais com medicamentos nas três fases. Diante disso, o aumento de custo verificado na fase de intervenção não pode ser atribuído isoladamente à atuação do farmacêutico visto que diferenças de custos significativas também foram verificadas entre as fases sem intervenção. Destaca-se o valor clínico das intervenções farmacêuticas para a segurança do paciente que se sobressaem aos custos avaliados.

  • IRIS MARY MENESES DO AMARAL
  • Influência das Doenças Inflamatórias Intestinais na Sexualidade de Mulheres
  • Orientador : JOSE MIGUEL LUZ PARENTE
  • Data: 09/08/2017
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Doenças inflamatórias intestinais são consideradas desordens intestinais crônicas causadas pela interação de fatores genéticos, imunológicos e ambientais. Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa, por apresentarem comportamentos semelhantes, são as principais doenças do grupo das doenças inflamatórias intestinais. Por serem crônicas e progressivas essas doenças causam repercussões na qualidade de vida de seus portadores em vários aspectos, incluindo a sexualidade, podendo contribuir para o desenvolvimento de disfunções sexuais. A disfunção sexual acontece quando uma das fases da resposta sexual, de forma persistente, não funciona satisfatoriamente causando sofrimento clínico significativo no indivíduo. Objetivo: avaliar a influência das doenças inflamatórias intestinais na sexualidade das mulheres. Metodologia: tratou-se de um estudo correlacional descritivo, de abordagem quantitativa. A população do estudo foi composta por 206 mulheres com doenças inflamatórias intestinais atendidas em um hospital universitário do nordeste do Brasil, desde a implantação da Unidade de Sistema Digestivo, em outubro de 2012 a novembro de 2015. A amostra feita com base na estimativa da proporção populacional foi de 126 mulheres. Os dados da pesquisa foram coletados por meio de entrevistas, utilizando um formulário organizado com perguntas fechadas e estruturadas com três partes. Uma com dados sociodemográficos, outra com a caracterização da doença infamatória intestinal e a terceira parte com as características da sexualidade e das disfunções sexuais. Os dados do estudo foram processados no software IBM® SPSS®, versão 18.0, e foram calculadas estatísticas uni e bivariadas. Neste estudo, para o diagnóstico de disfunção sexual, foram considerados os critérios estabelecidos pelo Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders. Desse modo, “transtorno do orgasmo feminino”, “transtorno do desejo/excitação sexual feminino”, “transtorno da dor gênito-pélvica/penetração” e “disfunção sexual induzida por substância/medicamento” foram considerados presentes com periodicidade a partir de seis meses e relato de algum nível de sofrimento em decorrência do problema. Para “outra disfunção sexual especificada”, foi considerado o relato de sofrimento. Resultados parciais. Resultados: A amostra distribuiu-se igualmente entre mulheres com Doença de Crohn 40 (50,0%) e com retocolite ulcerativa 40 (50,0%), com tempo médio de doença de 7,8 (±6,1) anos, com mínimo de 3 meses e máximo de 30 anos. As mulheres tiveram média de idade de 47,3 (±14,5) anos, com mínima de 18,9 e máxima 80,9 anos. Problemas de transtorno do orgasmo feminino foi relatado por 62 (84,9%) das mulheres,  71 (97,3%) apresentaram  problemas de transtorno do desejo/excitação sexual feminino, Para problemas de transtorno da dor gênito-pélvica/penetração, houve relato de 51 (63,7%) das mulheres. Problemas de disfunção sexual induzida por substância/medicamento foi indicada por 15 (20,5%) das  mulheres com DII. Problemas de outra disfunção sexual especificada apareceram em 12 (16,4%).

    Ao considerar-se os critérios do DSM V para Disfunção Sexual feminina, periodicidade dos sintomas e o sofrimento causado, foi confirmado o diagnóstico de 27 (35,8%) com transtorno do orgasmo feminino, 37 (48,7%) com transtorno do desejo/excitação sexual feminino, 19 (25,0%) com transtorno da dor gênito-pélvica/penetração, 3 (4,4%) com disfunção sexual induzida por substância/medicamento, sendo que para esta 8 (10,0%) não tiveram periodicidade informada, e 12 (15,8%) com outra disfunção sexual especificada.

     

     

    .

     

     

  • LAÍS DE MENESES CARVALHO ARILO
  • A Intervenção Psicológica no Tratamento de Mulheres com Câncer de Mama
  • Orientador : LUIZ AYRTON SANTOS JUNIOR
  • Data: 18/07/2017
  • Mostrar Resumo
  • O câncer é uma doença que tem origem nos genes de uma célula. A proliferação desordenada dessa célula infiltra tecidos e órgãos dando origem a formação de tumores malignos. O câncer de mama (CM) é a doença oncológica mais responsável por mortes em mulheres por esse tipo de doença no Brasil e no mundo. Com o avanço da tecnologia e da medicina observou-se progressos importantes em relação ao diagnóstico e tratamento do câncer. Atualmente, tratamentos sofisticados têm permitido o alcance da cura ou o prolongamento da vida com qualidade. Porém, a representação simbólica do câncer não mudou e a população permanece associando o diagnóstico a sofrimento, dor e morte. O câncer de mama tem como uma de suas consequências a presença de sintomas psicológicos que requerem avaliação e verificação da necessidade do acompanhamento psicológico durante o tratamento. Dentre os sintomas possíveis, a ansiedade e a depressão aparecem de forma significativa na maioria das mulheres em tratamento de câncer de mama. Esse estudo teve como objetivo avaliar a eficácia da intervenção psicológica para o tratamento de mulheres com câncer de mama. A amostra foi composta por 20 mulheres divididas em grupo controle e grupo intervenção. Utilizou-se como instrumento de coleta de dados, um questionário sociodemográfico e a Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão. Constatou-se que as mulheres que foram submetidas a sessões de intervenção psicológica deixaram de apresentar ansiedade e 75% delas não apresentaram escores compatíveis com depressão após as intervenções

     

  • SERY NEELY DOS SANTOS LIMA
  • TECNOLOGIA PARA PROMOÇÃO DA REALIZAÇÃO DO EXAME PAPANICOLAU PARA PREVENÇÃO DO CÂNCER DE COLO UTERINO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA
  • Orientador : ROSIMEIRE FERREIRA DOS SANTOS
  • Data: 03/07/2017
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Muitas são as mulheres que negligenciam as ações de prevenção do câncer do colo do úetro e não realizam exames de rastreamento de rotina, o que pode ser um contribuinte para o aumento de casos da doença. A utilização de tecnologias com conteúdo validado por profissionais de saúde para promover a prevenção se apresenta como uma ferramenta potencial para incentivar as mulheres nessa prática. Objetivo: Verificar a utilização de tecnologia com conteúdo válido, produzida para a promoção da prevenção do câncer de colo do útero, por meio do exame Papanicolau, de mulheres na faixa etária de 25 a 64 anos que não realizam o exame. Método: Este estudo foi desenvolvido em duas etapas: delineamento metodológico, com amostra de 20 mulheres para análise semântica e 7 juízes para análise de conteúdo; e desenho comparativo-descritivo, com amostra de 246 mulheres de 25 a 64 anos. Foram utilizados instrumentos de caracterização e avaliação. Foram calculadas estatísticas uni e bivariadas, utilizando-se o software IBM® SPSS®, ao nível de significância de 5%. Resultados: Foi produzida a Agenda para Prevenção do Câncer do Colo do Útero, validada de conteúdo com 100% de concordância pelos juízes, a qual foi aplicada a 181 mulheres que atenderam aos critérios de inclusão do estudo. A média de idade foi de 47,2 anos. As maiores dificuldades relatadas pelas mulheres para a realização do exame foram: falta de interesse (34%), vergonha (24%) e medo do resultado (14%). Antes da intervenção educativa, 80,1% das mulheres haviam realizado o exame Papanicolau; destas, 66,3% realizaram novamente após a intervenção. Dentre as que nunca haviam realizado o exame (19,9%), 11,0% realizaram após a intervenção educativa. Antes da intervenção educativa, 51,4% das mulheres referiram a prevenção do câncer de colo do útero, 15,5% a prevenção de doenças e 7,2% indicaram a descoberta de doenças como finalidade do exame; 19,3% não souberam informar. Após a intervenção, o número de mulheres que referiram a prevenção do colo do útero aumentou em 47,5%. No que se refere à frequência de realização do exame, as principais respostas foram anualmente (58,0%) e semestralmente (20,4%). Depois da intervenção, mais 13,8% informaram a frequência anual e 28,2% responderam de 3 em 3 anos, caso dois resultados consecutivos negativos para câncer

  • FABRÍCIA CASTELO BRANCO DE ANDRADE BRITO
  • PROMOÇÃO DO DIAGNÓSTICO PRECOCE DO CANCER DE MAMA NO MUNICÍPIO DE TERESINA-PI
  • Orientador : PEDRO VITOR LOPES COSTA
  • Data: 03/07/2017
  • Mostrar Resumo
  •  

     

     

    Introdução: O Câncer de mama (CM) é o tipo de neoplasia que mais acomete as mulheres, sendo o segundo tipo mais frequente no mundo. No Brasil, no ano de 2016, foram estimados 57.960 casos novos em mulheres, o que representa 28,1% dos casos novos de câncer de mama em todo o país. A mamografia continua sendo o método de escolha para o rastreamento populacional do câncer de mama em mulheres assintomáticas e é a primeira técnica de imagem indicada para avaliar a maioria das alterações clínicas mamárias.Objetivo:Avaliar a promoção do diagnóstico precoce do câncer de mama por meio da realização de mamografia de rastreio em mulheres de 50 a 69 anos na cidade de Teresina-PI. Metodologia: Estudo descritivo com intervenção de natureza prospectiva, com abordagem quantitativa. A amostra foi composta por 297 mulheres com faixa etária de 50 a 69 anos, assintomática e cadastradas nas UBS participantes. Para as análises inferenciais foi utilizado os testes de Kolmogorov-Smirnov, correlação de Pearson e o teste t de Student. Resultados: A idade média das mulheres participantes foi de 58,4 anos e 68,4% se autodenominaram pardas.As estimativas médias da amostra de desenvolver câncer de mama pelo modelo de Gail em 5 anos e até os 90 anos de idade foram 1,3%e 6,7%, respectivamente. Ainda, utilizando o mesmo modelo, 8,8% das mulheres apresentaram risco estimado de desenvolver câncer de mama ≥1,67% em 5 anos. Na população estudada, houve um aumento de 15,9% na realização de exames mamográficos de rastreio após a intervenção. Conclusão: A realização de palestras e mutirões para sensibilizar as mulheres em relação ao câncer de mama, apresentou impactos positivos no programa de rastreamento. A amostra estudada apresentou baixas estimativas de riscos para desenvolver câncer de mama, segundo os fatores considerados no modelo de Gail. Assim como, foi crescente o aumento do número de mamografia de rastreamento realizadas durante o período estudado em comparação com o ano anterior.

     

  • ZÁGMA COUTINHO LIMA AMORIM
  • Avaliação do teste de Schiller como método de triagem das lesões precursoras do cancer de colo uterino na atenção primária em saúde
  • Orientador : FERNANDA REGINA DE CASTRO ALMEIDA
  • Data: 03/07/2017
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O câncer de colo uterino continua adoecendo e matando milhares de mulheres no mundo. No Brasil, tem sido possível realizar a detecção precoce do câncer de colo uterino mediante rastreamento de lesões precursoras por meio do exame citopatológico, com posterior realização de colposcopia e biópsia para diagnóstico. No entanto, a citologia apresenta falhas e são necessárias estratégias alternativas para a detecção precoce das lesões cervicais pré-malignas, como a implantação de métodos de inspeção visual aos programas de rastreamento. Objetivo: Avaliar a utilização do teste de Schiller como método de triagem de lesões precursoras do câncer de colo uterino na atenção primária em saúde. Metodologia: Delineamento transversal analítico, realizado no município de Demerval Lobão, Piauí, no período de maio a dezembro de 2016. A amostra ficou composta por 166 mulheres na faixa etária de 25 a 64 anos de idade cadastradas pelas equipes da Estratégia Saúde da Família. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sob parecer 1.554.327. As mulheres atendidas para a realização do exame foram convidadas por carta-convite por meio do Agente Comunitário de Saúde ou por livre demanda. Concluída a entrevista, cada mulher foi encaminhada para a coleta do exame citopatológico com posterior realização do teste de Schiller. As mulheres com resultado positivo para Schiller foram encaminhadas para a realização de colposcopia, na qual, confirmada anormalidade, foi realizada a biópsia, utilizada como exame padrão-ouro. Resultados: Participaram do estudo 166 (100,0%) mulheres, das quais foram analisados os resultados do Teste de Schiller, citologia oncótica cérvico-uterina, colposcopia e biópsia. Quanto à citologia, a maioria apresentou diagnóstico descritivo dentro dos limites da normalidade nos materiais examinados 165 (99,4%) e apenas 1 (0,6%) apresentou atipias celulares, indicativa de lesão intraepitelial de alto grau. Os resultados do Teste de Schiller realizado durante a citologia oncótica cérvico-uterina indicaram positividade para 48 (28,9%) e resultado negativo para 118 (71,1%). As colposcopias realizadas indicaram 28 (58,3%) resultados normais e 20 (41,7%) resultados não normais. Destes, apenas 19 (11,4%) apresentaram resultado de biópsia, sendo 6 (31,6%) normais e 13 (68,4%) não normais, cujos resultados apontaram infecção por HPV 2 (10,5%), lesão intraepitelial de baixo grau 9 (47,4%) e de alto grau 2 (10,5%). Embora a maioria dos resultados positivos estar dentro dos limites de normalidade (28,3%), a única mulher com atipia celular obteve um resultado positivo para o Teste de Schiller (0,6%). A distribuição dos resultados positivos e negativos do Teste de Schiller e dos resultados normais e alterados da citologia oncótica cérvico-uterina apresentaram-se de maneira significativamente discordante (p<0,001), bem como a distribuição de resultados da biópsia e da citologia oncótica cérvico-uterina, que demonstrou respostas significativamente discordantes (p<0,001). Considerações finais: O teste de Schiller pode ter um papel significativo no rastreamento das lesões do câncer de colo uterino, pois nesse estudo detectou lesões precursoras não detectáveis pelo método de citologia convencional. A discordância encontrada entre os métodos mostrou a importância da utilização de métodos de inspeção visual associados à citologia nos programas de rastreamento.



Dissertações/Teses Antigas
2017
Descrição
  • OZIRINA MARIA DA COSTA
  • AVALIAÇÃO DA ASSISTENCIA PRÉ-NATAL DAS GESTANTES COM SÍFILIS ASSISTIDA PELA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM TERESINA-PI
  • Orientador : ANDERSON NOGUEIRA MENDES
  • Ano: 2017
  • Mostrar Resumo
  • A sífilis é uma infecção bacteriana, de caráter sistêmico, de fácil diagnóstico e curável. Tem como principal via de transmissão o contato sexual, seguido pela transmissão vertical quando a doença pode ser transmitida ao feto, com graves implicações. Há um aumento do número de casos de sífilis congênita a cada ano, mesmo com todas as recomendações do Ministério da Saúde (MS). Objetiva-se com esse estudo avaliar a assistência pré-natal prestada às gestantes diagnosticadas com sífilis atendidas pela Estratégia Saúde da Família do município de Teresina-PI.Trata-se de um estudo avaliativo com delineamento transversal.Foram analisados os dados do SINAN, prontuários e cartão da gestante de 47 mulheres diagnosticadas com Sífilis na gestação entre 2013 e 2015 em Teresina-PI. Quanto ao perfil sociodemográfico, a maioria das mulheres tem em média 24 anos, são procedentes da zona urbana do município, casadas ou em união estável, parda com sete anos de estudo em média. Realizaram o pré-natal com a equipe da Estratégia Saúde da Família, realizaram cinco consultas, em média, menos que o preconizado pelo MS, que são seis consultas e a maioria não estavam cadastradas no SISPRENATAL.O diagnóstico foi realizado em 87,2% dos casos durante o pré-natal; predominou a forma clínica Sífilis Latente. Apenas 42,6 % das mulheres realizou VDRL no 2° trimestre. 83% foram tratadas de acordo com as recomendações do MS, mas o parceiro foi tratado corretamente somente em 59,6% dos casos. Quanto às condições de nascimento houve apenas um caso de natimorto. A maioria dos nascidos vivos nasceu à termo com peso adequado para a idade gestacional. Assim, observa-se que apesar da realização do pré-natal por essas gestantes,houveram falhas em alguns procedimentos que não foram realizados de acordo com o preconizado pelo MS .
  • Murilo Moura Lima
  • Metabolismo do Cálcio e da Vitamina D em pacientes com Doença Inflamatória Intestinal
  • Orientador : José Miguel Luz Parente
  • Ano: 2017
  • Mostrar Resumo
  • aaaaa
  • Francisca Geânia Lima de Araújo
  • HIPERTENSÃO E A MORBIDADE MATERNA
  • Orientador : RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
  • Ano: 2017
  • Mostrar Resumo
  • AAAA
  • Elke Taline Alencar Cavalcante Oliveira
  • AVALIAÇÃO DA INCIDÊNCIA E DO COMPORTAMENTO DO CÂNCER DE TIREÓIDE NA POPULAÇÃO FEMININA DO MUNICIPIO PIAUIENSE
  • Orientador : RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
  • Ano: 2017
  • Mostrar Resumo
  • AAA
  • ANAIDE ROSA DE CARVALHO NASCIMENTO PINHEIRO
  • ANALISE DA FUNÇÃO SEXUAL DE PACIENTES COM INFECÇÃO POR PAPANICOLAU HUMANO
  • Orientador : IONE MARIA RIBEIRO LOPES
  • Ano: 2017
  • Mostrar Resumo
  • aaaa
2016
Descrição
  • Samara Maria Moura Teixeira Sousa
  • AAA
  • Orientador : MARIA DAS GRAÇAS FREIRE DE MEDEIROS
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • aaa
  • Cledja Moreno Benvindo
  • AAA
  • Orientador : FERNANDA REGINA DE CASTRO ALMEIDA
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • aaaa
  • Krieger Rhelyni de Sousa Olinda
  • AAA
  • Orientador : ROSIMEIRE FERREIRA DOS SANTOS
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • aaa
  • Erbert Protela Martins
  • AAA
  • Orientador : JOSÉ MIGUEL LUZ PARENTE + Patrícia Mello
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • aa
  • Maria Sauama Sony de Moura
  • AAA
  • Orientador : ANDERSON NOGUEIRA MENDES
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • aaa
  • Caroliny Gonçalves Rodrigues Meireles
  • AA
  • Orientador : IONE MARIA RIBEIRO SOARES LOPES
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • aaaa
  • Izaías Barboza Júnior
  • AAA
  • Orientador : PEDRO VICTOR LOPES COSTA
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • aa
  • Vilma de Brito Lima Pena
  • AAA
  • Orientador : MALVINA THAIS PACHECO RODRIGUES
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • aaa
  • Roberta Canudo do Rego Monteiro
  • AA
  • Orientador : KELSEN DANTAS EULÁLIO
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • aaa
  • LIDIA ARAUJO DOS MARTIRIOS MOURA FE
  • PROMOÇÃAVALIAÇÃO DO BOCHECHO DE SOLUÇÃO COM EXTRATO ETANÓLICO BRUTO (EEB) DE ROMÃ (Punica granatum L.) PARA SAÚDE PERIODONTAL DE PUÉRPERAS ATENDIDAS NA MATERNIDADE DONA EVANGELINA ROSA EM TERESINA-PI
  • Orientador : LIS CARDOSO MARINHO MEDEIROS
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • O emprego de plantas medicinais no cuidar da saúde das pessoas é milenar e a espécie romã (Punica granatum L.) destaca-se por seu potencial antimicrobiano, anti-inflamatório e antioxidante. Assim realizou-se uma pesquisa clínica intervencionista, longitudinal, envolvendo 22 puérperas com doença periodontal para avaliar a efetividade do bochecho de solução do Extrato Etanólico Bruto (EEB) de romã (Punica granatum L.) (G2) sobre a saúde bucal na manutenção da saúde periodontal de puérperas. Foi comparado ao desempenho de um colutório com clorexidina a 0,12% (G3) e soro fisiológico (G1). Os parâmetros clínicos utilizados foram: Índice Periodontal Comunitário (IPC), Índice de Placa de Silness e Löe (IP), Índice de Sangramento Gengival (ISG) de Ainamo e Bay. As participantes realizaram 2 (dois) bochechos diários durante 15 dias, sob responsabilidade própria, sob prescrição: no 1º dia antes dos bochechos, no 8º dia e 15º dia, posteriormente. Os resultados apontaram que o IP e o ISG apresentaram redução significativa apenas nos grupos da romã e clorexidina. As participantes tinham: 12 (54,5%) possuíam idade compreendida entre 18 e 29 anos. Apenas 1 (4,5%) estava cursando ensino superior e 17 (77,3%) eram casadas ou conviviam em união estável. Observou-se que 11 (50%) mulheres eram primíparas. Todas as 22 (100%) mulheres afirmaram realizar escovação dentária diariamente, sendo que 12(54,5%) disseram fazê-la 3 vezes ao dia. Apenas 2 (9,1%) mulheres informaram fazer uma vez ao dia, mas essas se comprometeram em aumentar a quantidade de escovações, após orientações odontológicas da equipe. Apenas 7(31,8%) puérperas fazem uso de fio dental, dentre elas apenas 2 (9,1%) usam todo dia. As mulheres não usam enxaguatório bucal 12(54,5%) não tem esse hábito e nenhuma delas conhece enxaguatório à base de fitoterápico. Muitas mulheres, 16 (72,7%) desconhecem o que é biofilme dental, principal fator etiológico de cárie e doença periodontal. O IP reduziu somente a partir do 8º dia para o Grupo G1 (p=0,5079) e o ISG do grupo G1 (p=0,2493) também não apresentou redução estatisticamente significativa ao longo do período avaliado, ou seja, os resultados apresentaram pouca variabilidade. Nos grupos G2 (p=0,036) e G3(p=0,0001), as médias do ISG foram mais elevadas no 1º dia da avaliação e reduziram estatisticamente significativo ao longo dos 15 dias de bochecho da solução. O bochecho foi bem tolerado pelas participantes da pesquisa (n=22), apesar de 8(36,4%) delas terem mencionado um gosto desagradável. Também foi relatado por 22(100%) das mulheres que a participação na pesquisa intensificou a atenção e o cuidado com a sua saúde bucal. Concluiu-se que o bochecho da romã pode ser indicado para gengivite.
  • Iris Mary Meneses do Amaral
  • Influência das Doenças Inflamatórias Intestinais na Sexualidade de Mulheres
  • Orientador : José Miguel Luz Parente
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Doenças inflamatórias intestinais são consideradas desordens intestinais crônicas causadas pela interação de fatores genéticos, imunológicos e ambientais. Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa, por apresentarem comportamentos semelhantes, são as principais doenças do grupo das doenças inflamatórias intestinais. Por serem crônicas e progressivas essas doenças causam repercussões na qualidade de vida de seus portadores em vários aspectos, incluindo a sexualidade, podendo contribuir para o desenvolvimento de disfunções sexuais. A disfunção sexual acontece quando uma das fases da resposta sexual, de forma persistente, não funciona satisfatoriamente causando sofrimento clínico significativo no indivíduo. Objetivo: avaliar a influência das doenças inflamatórias intestinais na sexualidade das mulheres. Metodologia: tratou-se de um estudo correlacional descritivo, de abordagem quantitativa. A população do estudo foi composta por 206 mulheres com doenças inflamatórias intestinais atendidas em um hospital universitário do nordeste do Brasil, desde a implantação da Unidade de Sistema Digestivo, em outubro de 2012 a novembro de 2015. A amostra feita com base na estimativa da proporção populacional foi de 126 mulheres. Os dados da pesquisa foram coletados por meio de entrevistas, utilizando um formulário organizado com perguntas fechadas e estruturadas com três partes. Uma com dados sociodemográficos, outra com a caracterização da doença infamatória intestinal e a terceira parte com as características da sexualidade e das disfunções sexuais. Os dados do estudo foram processados no software IBM® SPSS®, versão 18.0, e foram calculadas estatísticas uni e bivariadas. Neste estudo, para o diagnóstico de disfunção sexual, foram considerados os critérios estabelecidos pelo Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders. Desse modo, “transtorno do orgasmo feminino”, “transtorno do desejo/excitação sexual feminino”, “transtorno da dor gênito-pélvica/penetração” e “disfunção sexual induzida por substância/medicamento” foram considerados presentes com periodicidade a partir de seis meses e relato de algum nível de sofrimento em decorrência do problema. Para “outra disfunção sexual especificada”, foi considerado o relato de sofrimento. Resultados parciais. Resultados: A amostra distribuiu-se igualmente entre mulheres com Doença de Crohn 40 (50,0%) e com retocolite ulcerativa 40 (50,0%), com tempo médio de doença de 7,8 (±6,1) anos, com mínimo de 3 meses e máximo de 30 anos. As mulheres tiveram média de idade de 47,3 (±14,5) anos, com mínima de 18,9 e máxima 80,9 anos. Problemas de transtorno do orgasmo feminino foi relatado por 62 (84,9%) das mulheres, 71 (97,3%) apresentaram problemas de transtorno do desejo/excitação sexual feminino, Para problemas de transtorno da dor gênito-pélvica/penetração, houve relato de 51 (63,7%) das mulheres. Problemas de disfunção sexual induzida por substância/medicamento foi indicada por 15 (20,5%) das mulheres com DII. Problemas de outra disfunção sexual especificada apareceram em 12 (16,4%). Ao considerar-se os critérios do DSM V para Disfunção Sexual feminina, periodicidade dos sintomas e o sofrimento causado, foi confirmado o diagnóstico de 27 (35,8%) com transtorno do orgasmo feminino, 37 (48,7%) com transtorno do desejo/excitação sexual feminino, 19 (25,0%) com transtorno da dor gênito-pélvica/penetração, 3 (4,4%) com disfunção sexual induzida por substância/medicamento, sendo que para esta 8 (10,0%) não tiveram periodicidade informada, e 12 (15,8%) com outra disfunção sexual especificada. .
  • Valtânia Leite Barros
  • REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE: ANÁLISE DO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA REDE CEGONHA de 2011 A 2016
  • Orientador : RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • AAA
  • Mariangela Knitter Barros
  • AA
  • Orientador : LIS CARDOSO MARINHO MEDEIROS
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • aaa
  • Veronica Mendes Soares
  • AA
  • Orientador : MARIA DAS GRAÇAS FREIRE DE MEDEIROS
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • aa
  • Marizon da Costa Armstrong Junior
  • AA
  • Orientador : LUIZ AYRTON SANTOS JUNIOR
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • aa
  • EDSON DE ARAÚJO VALE
  • AAA
  • Orientador : MAURÍCIO PAES LANDIM
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • aa
  • Valtânia Leite Barros
  • AAAAAA
  • Orientador : RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • aaaaa
  • Valtânia Leite Barros
  • A REDE CEGONHA DO PIAUI
  • Orientador : RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • wwwww
  • MARIA SAUANNA SANY DE MOURA
  • DEMANDA E PERSPECTIVAS DE NUTRIZES PARA DOAÇÃO DE LEITE HUMANO EM PICOS-PI
  • Orientador : Anderson Mendes Nogueira
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • A demanda de recém-nascidos que necessitam de leite humano é crescente. Uma das estratégias para estimular a amamentação e assistir recém-nascidos hospitalizados é a Rede Brasileira de Leite Humano. Descentralizar centros apoiadores é necessário e pode ser medida potencial para disseminação de doações e fornecimento de recursos, manutenção de estoques e aumento da proporção de mulheres doadoras. O leite humano apresenta benefícios essenciais na saúde infantil, pois oferece todos os nutrientes necessários ao crescimento e desenvolvimento infantil nos seis primeiros meses de vida, permanecendo uma excelente fonte nutricional após esse período, com repercussões positivas em longo prazo. Além disso, apresenta constituintes imunológicos que conferem proteção contra diversas doenças comuns no primeiro ano de vida, sendo responsável pela prevenção, a cada ano, de 823.000 mortes de crianças menores de 5 anos. Adicionalmente, o vínculo estabelecido entre o binômio mãe-filho provê melhor desenvolvimento cognitivo, já tendo sido demonstrado que crianças amamentadas por mais tempo apresentam maiores quocientes de inteligência, proporcionando melhor renda na vida adulta (VICTORA, ALUÍSIO, BARROS, FRANÇA, 2016). Conforme o Ministério da Saúde, toda mulher tem capacidade de
  • Maria Sauama Sony de Moura
  • DEMANDA E PERSPECTIVAS DE NUTRIZES PARA DOAÇÃO DE LEITE HUMANO EM PICOS-PI TERESINA-PI 2016
  • Orientador : Anderson Mendes Nogueira
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • A demanda de recém-nascidos que necessitam de leite humano é crescente. Uma das estratégias para estimular a amamentação e assistir recém-nascidos hospitalizados é a Rede Brasileira de Leite Humano. Descentralizar centros apoiadores é necessário e pode ser medida potencial para disseminação de doações e fornecimento de recursos, manutenção de estoques e aumento da proporção de mulheres doadoras. Este estudo tem como objetivo avaliar a demanda de doação de leite humano na região do Vale do Guaribas para subsidiar a implantação de um posto de coleta. Delineamento deste estudo será transversal analítico, e intervencional com abordagem quantitativa. Será realizado no período de dezembro de 2016 a março de 2017, no Hospital de referência do Território do Vale do Guaribas, na cidade de Picos (PI). A população do estudo será constituída por puérperas e seus respectivos recém-nascidos da região do Vale do Guaribas, a amostra mínima necessária para o estudo será de 221 participantes. Buscar-se-á uma amostra mínima do mesmo quantitativo para os recém-nascidos (221). Será utilizado um formulário de coleta de dados, contendo características sociodemográficas e clínicas, referentes ao período gestacional e amamentação. Após o diagnóstico da situação em Picos-PI, será elaborado um plano de ação. Os dados do estudo serão inseridos em bancos de dados, com dupla entrada em planilha do Microsoft Excel, a fim de validar para identificação de possíveis erros de digitação. Serão processados no software Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), versão 20.0, e serão calculadas estatísticas descritivas. Para a análise inferencial, será realizado o teste de Kolmogorov-Smirnov para verificação da normalidade dos dados e decisão de testes comparativos (Teste t de Student e ANOVA ou correspondentes não paramétricos) e correlacionais (Teste de correlação de Pearson ou Sperman). Para as variáveis qualitativas, será utilizado o Teste Qui-Quadrado de Pearson. Para as associações significativas, serão calculadas medidas de efeito, como a razão de prevalência. Este projeto será submetido à apreciação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí e desenvolver-se-á conforme os requisitos propostos pela Resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde (CNS) (BRASIL, 2012), que por sua vez trata dos aspectos éticos e legais das pesquisas que envolvem seres humanos. As participantes serão informadas quanto aos objetivos e metodologia da pesquisa e assinarão o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) e para as mães com idade inferior a 18 anos assinaram o Termo de Assentimento, resguardando-lhes o direito de permanecer ou desistir da pesquisa em qualquer momento, garantindo assim o direito de anonimato e garantia de não acarretar prejuízo ou risco aos participantes. Quanto ao risco, a pesquisa poderá acarretar cansaço ou fadiga, tendo em vista que o instrumento é extenso, como também constrangimento, devido ao conteúdo e/ou contexto das perguntas. No entanto, sua colaboração estará trazendo benefícios para o desenvolvimento científico como também contribuir para uma implantação de um posto de coleta.
  • IZAÍAS BARBOZA JÚNIOR
  • Desenvolvimento de Instrumento para Descolamento do Peritônio na Extração da Peça Cirúrgica em Colecistectomias Realizadas por Laparoscopia
  • Orientador : Pedro Víctor Lopes Costa.
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • Na prática em cirurgia geral e em especial, na cirurgia de retirada da vesícula biliar através de procedimento realizado por laparoscopia, uma observação recorrente, incômoda e que trás certa frustração, ocorre com relativa frequência pelas equipes de cirurgia: a necessidade de ampliação das incisões cirúrgicas no momento da extração da peça cirúrgica. A colecistectomia laparoscópica é umas das cirurgias mais realizadas pelos profissionais de cirurgia geral em todo o mundo. Estimativas referem cerca de 500.000 destas realizadas anualmente somente nos Estados Unidos da América. A busca de técnicas que vislumbram diminuir morbidades, tempo cirúrgico, tempo de internação e demais fatores que envolvem o procedimento, tem sido uma constante no meio. Nos casos em que a peça cirúrgica tem um diâmetro maior que o do portal de acesso principal assim como quando na presença de vesícula contendo múltiplos cálculos ou com suspeitas de neoplasia, ocorre certo desconforto à equipe pela necessidade de ampliação da incisão cirúrgica, tanto da pele quanto da aponeurose. Este trabalho de análise clínica ramdomizada, realizado em hospital privado em Teresina-Piauí, visa demonstrar a importância do uso de um instrumento próprio e desenvolvido especificamente para realizar a manobra do descolamento do peritôneo parietal da peça cirúrgica neste tipo de cirurgia e analisar comparativamente se este dispositivo favorece a realização desta manobra permitindo uma diminuição das ampliações das incisões e tráz melhores resultados, como a redução de morbidades ao paciente, a redução do tempo cirúrgico e maisfacilidade para o cirurgião.
  • SAMARA MARIA MOURA TEIXEIRA SOUSA
  • Acesso da Mulher com Câncer de Mama ao tratamento no estado do Piauí
  • Orientador : Maria das Graças Medeiros Carvalho
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • O Câncer é um problema de saúde pública mundial, no Brasil e no Piauí não é diferente. O aumento da incidência de mortalidade é diretamente proporcional as mudanças nos padrões demográficos, tais como o envelhecimento populacional e o desenvolvimento econômico. O desafio é garantir o acesso equitativo e integral ao diagnóstico e tratamento da doença (OLIVEIRA, E. X. G. De et. al., 2011). No Brasil o perfil epidemiológico observado assemelha-se ao da América Latina e do Caribe, onde os cânceres de próstata em homens e mama em mulheres serão os mais frequentes. A estimativa para biênio 2016-2017, aponta a ocorrência de cerca de 600 mil casos de câncer e para o Piauí essa estimativa de 6.450 mil casos de câncer. Dentre os tipos de Câncer o de Mama é que representa o de maior problema de saúde pública para a população feminina sendo o de maior incidência tanto no Brasil, quanto no Piauí. Como se observa, os dados estimados para 2016 de câncer de mama seria de 57.960 para o Brasil e de 580 para o Piauí (BRASIL, 2015). Em 2011 o Ministério da Saúde lançou o plano de Ações Estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não Transmissíveis (DCNT) para o período de 2011-2022. O plano visa preparar o Brasil para enfrentar e deter, nos próximos 10 anos, as doenças crônicas não transmissíveis dentre as quais temos o Câncer (BRASIL, 2011a).
  • JOEL ARAUJO DOS SANTOS
  • Contribuição com a oferta tecnológica para o diagnóstico e tratamento de câncer de colo de útero e mama para o Estado do Piauí através de um aplicativo digital
  • Orientador : ZENIRA MARTINS SILVA
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • O aumento do número de dispositivos móveis faz com que o uso do smartphone seja mais utilizado no cotidiano dos cidadãos. Essa utilização abrange desde os aspectos social, educacional e profissional. Além da diversão e comodidade, a computação móvel tem potencial em oferecer benefícios no meio social, principalmente em áreas críticas como a saúde. A sobrecarga nos serviços de saúde causados pela grande demanda populacional faz com que busquemos soluções para contribuir com a diminuição desta problemática [COMAH 2009]. Os aplicativos móveis têm como principais características a quebra da limitação da mobilidade, pois, estão inseridos nos smarthphones que são “computadores de bolso” e podem acompanhar o seu usuário onde ele estiver durante as vinte quatro horas do dia (Tibes et al., 2014).
  • ERBERT PORTELA MARTINS
  • MANIFESTAÇÕES OCULARES EM PACIENTES PORTADOR DE DOENÇAS INFLAMATÓRIAS INTESTINAIS ATENDIDOS NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ
  • Orientador : JOSÉ MIGUL LUZ PARENTE
  • Ano: 2016
  • Mostrar Resumo
  • As doenças inflamatórias intestinais ( DHI ) são enfermidades inflamatórias, agudas ou crônicas, que envolvem o trato gastrointestinal ( TGI ). As DII são de etiopatogenia complexa, que apesar de acometimento intestinal tem um caráter sistêmico e incluem principalmente Doença de Crohn ( DC ) , Retocolite Ulcerativa ( RCU ) e Colite Indeterminada ( CI ), que possuem incidência e prevalência que variam intensamente de acordo com a localização geográfica ( DANESE; FIOCHI, 2011). A DC apresenta uma prevalência mundial de 3,6 a 214 e incidência de 0,03 a 15.6 para 100.000 habitantes, e a RCU prevalência de 7.6 a 246 e incidência de 1.2 a 20.3 por 100.000 habitantes ( DANESE; FOCHI, 2011). As DII ocorrem na maioria das vezes, entre a segunda e quarta década de vida, com segundo pico entre 60 e 80 anos. Do ponto de vista clínico elas se caracterizam por episódios de ataques agudos e recorrentes. Os sintomas predominantes são diarreia, dor abdominal em cólica, febre, enterorragia e emagrecimento, que variam de acordo com a intensidade, localização e extensão do quadro patológico, assim como a existência ou não de manifestações extraintestinais ( BAUMGART; SANDBORN, 2007 ).
2015
Descrição
  • LAIS DE MENESES CARVALHO ARILO
  • OS BENEFÍCIOS DA INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA NO PRÉ-OPERATÓRIO DE RETIRADA DO CÂNCER DE MAMA
  • Orientador : LUIS AIRTON SANTOS
  • Ano: 2015
  • Mostrar Resumo
  • aaa
  • OZIRINA MARIA DA COSTA
  • Avaliação da Assistência Pré-natal das Gestantes com Sífilis Assistidas pela Estratégia Saúde da Família em Teresina-PI.
  • Orientador : Anderson Mendes Nogueira
  • Ano: 2015
  • Mostrar Resumo
  • A sífilis é uma infecção bacteriana, de caráter sistêmico, de fácil diagnóstico e curável. Tem como principal via de transmissão o contato sexual, seguido pela transmissão vertical quando a doença pode ser transmitida ao feto, com graves implicações. Há um aumento do número de casos de sífilis congênita a cada ano, mesmo com todas as recomendações do Ministério da Saúde (MS). Objetiva-se com esse estudo avaliar a assistência pré-natal prestada às gestantes diagnosticadas com sífilis atendidas pela Estratégia Saúde da Família do município de Teresina-PI.Trata-se de um estudo avaliativo com delineamento transversal.Foram analisados os dados do SINAN, prontuários e cartão da gestante de 47 mulheres diagnosticadas com Sífilis na gestação entre 2013 e 2015 em Teresina-PI. Quanto ao perfil sociodemográfico, a maioria das mulheres tem em média 24 anos, são procedentes da zona urbana do município, casadas ou em união estável, parda com sete anos de estudo em média. Realizaram o pré-natal com a equipe da Estratégia Saúde da Família, realizaram cinco consultas, em média, menos que o preconizado pelo MS, que são seis consultas e a maioria não estavam cadastradas no SISPRENATAL.O diagnóstico foi realizado em 87,2% dos casos durante o pré-natal; predominou a forma clínica Sífilis Latente. Apenas 42,6 % das mulheres realizou VDRL no 2° trimestre. 83% foram tratadas de acordo com as recomendações do MS, mas o parceiro foi tratado corretamente somente em 59,6% dos casos. Quanto às condições de nascimento houve apenas um caso de natimorto. A maioria dos nascidos vivos nasceu à termo com peso adequado para a idade gestacional. Assim, observa-se que apesar da realização do pré-natal por essas gestantes,houveram falhas em alguns procedimentos que não foram realizados de acordo com o preconizado pelo MS .
  • ANNA GLÁUCIA COSTA CRUZ
  • CONHECIMENTO OBJETIVO E PERCEBIDO SOBRE CONTRACEPTIVOS POR ESTUDANTES DE ENSINO MÉDIO
  • Orientador : KEILA GOMES OLIVEIRA
  • Ano: 2015
  • Mostrar Resumo
  • AA
  • MARIA AUZENI MOURA FÉ
  • O IMPACTO DAS AÇÕES DA REDE CEGONHA NA MORTALIDADE MATERNA
  • Orientador : MAURICIO PAES LANDIM
  • Ano: 2015
  • Mostrar Resumo
  • AA
  • CRISTIANE Mª FERRAZ DAMASCENO MOURA FÉ
  • A PRESENÇA DE ACOMPANHANTE DURANTE A INTERNAÇÃO PARA O PARTO: DESAFIO PARA GARANTIA DE DIREITOS
  • Orientador : KELSEN DANTAS EULALIO
  • Ano: 2015
  • Mostrar Resumo
  • aaa
  • LIDIA ARAUJO DOS MARTIRIOS MOURA FÉ
  • AVALIAÇÃO DO BOCHECHO DE SOLUÇÃO COM EXTRATO ETANÓLICO BRUTO (EEB) DE ROMÃ (PUNICA GRANATUM L.) PARA SAÚDE PERIODONTAL DE PUÉRPERAS ATENDIDAS NA MATERNIDADE DONA EVANGELINA ROSA EM TERESINA-PI.
  • Orientador : LIS CARDOSO MARINHO MEDEIROS
  • Ano: 2015
  • Mostrar Resumo
  • O uso de plantas medicinais com finalidades fitoterápicas é uma prática antiga que está enraizada na cultura popular e que devido a seu baixo custo e facilidade de acesso vem sendo aceita e motivada pela Organização Mundial de Saúde como uma forma alternativa de prevenção e combate de doenças. Dentre as plantas com propriedades fitoterápicas, a romã (Punica granatum L.) é uma espécime vegetal que se destaca por seu potencial antimicrobiano, anti-inflamatório e antioxidante, tendo sido amplamente estudada por suas propriedades odontológicas no combate ao biofilme dental e gengivite (DEGÁSPARI, DUTRA, 2011). Dentre as doenças bucais mais estudadas na fitoterapia, encontram-se a cárie e a doença periodontal. Esta é uma patologia multifatorial desencadeada pelo acúmulo da placa bacteriana dental (CARRANZA et al., 2004). A clorexidina é considerada o mais eficiente agente químico na redução da placa bacteriana e da gengivite (GJERMO et al., 2000), mas causa efeitos colaterais. O extrato de romã é uma proposta de ingrediente ativo eficaz e seguro em antisséptico bucal. Conhecer o estado de saúde bucal das puérperas pode fornecer informações para a formulação e implementação de políticas de atenção odontológica às gestantes durante o pré-natal, tendo em vista que a gestação é um período em que a mulher pode ser mais receptiva à incorporação de hábitos saudáveis na sua rotina devido à preocupação com a criança. Além disso, medidas preventivas são capazes de melhorar a qualidade de vida da mãe e do bebê. Dessa forma, foi desenvolvida uma pesquisa clínica a fim de avaliar a efetividade do bochecho de solução do Extrato Etanólico Bruto (EEB) de Romã (Punica granatum L.) sobre a saúde bucal na manutenção da saúde periodontal de puérperas atendidas na Maternidade Dona Evangelina Rosa em Teresina-PI e compará-lo ao desempenho de um colutório com clorexidina a 0,12% e soro fisiológico. O estudo foi do tipo ensaio clínico, intervencionista, longitudinal, envolvendo 90 puérperas com doença periodontal. Os parâmetros clínicos utilizados foram: Índice Periodontal Comunitário (IPC), Índice de Placa de Silness e Löe (IP), Índice de Sangramento Gengival (ISG) de Ainamo e Bay, fluxo salivar e capacidade tampão da saliva. As mulheres foram distribuídas em três grupos para a realização de bochechos: Grupo 01 - Controle: soro fisiológico; Grupo 02 - Experimental: solução de EEB de romã (concentração 30mg/ml); Grupo 03 - Padrão: digluconato de clorexidina a 0,12%. As participantes de todos os grupos realizaram 2 (dois) bochechos diários durante 15 dias, sob responsabilidade própria, de acordo com orientação prévia feita pela pesquisadora e foram avaliadas em três momentos: no 1º dia antes dos bochechos, no 8º dia e 15º dia, posteriormente. Os resultados apontaram que o IP e o ISG apresentaram redução significativa apenas nos grupos da romã e clorexidina. Quanto ao IP, o bochecho de clorexidina obteve a maior redução de acúmulo de placa e o bochecho de romã, a menor redução. Para os índices de sangramento, os resultados foram equivalentes para os grupos do romã e soro, de forma que não foram consideradas diferenças estatisticamente significativas entre os bochechos. Embora o bochecho de clorexidina tenha apresentado melhor desempenho, foi considerado satisfatório o bochecho a base de Romã (Punica Granatum L.) na redução do índice de placa bacteriana e do quadro de inflamação gengival da amostra. (resultados que imagino, não foram calculados ainda)
  • Inacio Pereira Lima
  • AVALIAÇÃO DA CONTAMINAÇÃO DO LEITE MATERNO PELO AGROTÓXICO GLIFOSATO EM PUÉRPERAS ATENDIDAS EM MATERNIDADES PÚBLICAS DO PIAUÍ
  • Orientador : RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
  • Ano: 2015
  • Mostrar Resumo
  • AAAA
  • FABRICIA CASTELO BRANCO
  • PROMOÇÃO DO DIAGNÓSTICO PRECOCE DO CANCER DE MAMA NO MUNICÍPIO DE TERESINA-PI
  • Orientador : Pedro Víctor Lopes Costa.
  • Ano: 2015
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Câncer de mama (CM) é o tipo de neoplasia que mais acomete as mulheres, sendo o segundo tipo mais frequente no mundo. No Brasil, no ano de 2016, foram estimados 57.960 casos novos em mulheres, o que representa 28,1% dos casos novos de câncer de mama em todo o país. A mamografia continua sendo o método de escolha para o rastreamento populacional do câncer de mama em mulheres assintomáticas e é a primeira técnica de imagem indicada para avaliar a maioria das alterações clínicas mamárias.Objetivo:Avaliar a promoção do diagnóstico precoce do câncer de mama por meio da realização de mamografia de rastreio em mulheres de 50 a 69 anos na cidade de Teresina-PI. Metodologia: Estudo descritivo com intervenção de natureza prospectiva, com abordagem quantitativa. A amostra foi composta por 297 mulheres com faixa etária de 50 a 69 anos, assintomática e cadastradas nas UBS participantes. Para as análises inferenciais foi utilizado os testes de Kolmogorov-Smirnov, correlação de Pearson e o teste t de Student. Resultados: A idade média das mulheres participantes foi de 58,4 anos e 68,4% se autodenominaram pardas.As estimativas médias da amostra de desenvolver câncer de mama pelo modelo de Gail em 5 anos e até os 90 anos de idade foram 1,3%e 6,7%, respectivamente. Ainda, utilizando o mesmo modelo, 8,8% das mulheres apresentaram risco estimado de desenvolver câncer de mama ≥1,67% em 5 anos. Na população estudada, houve um aumento de 15,9% na realização de exames mamográficos de rastreio após a intervenção. Conclusão: A realização de palestras e mutirões para sensibilizar as mulheres em relação ao câncer de mama, apresentou impactos positivos no programa de rastreamento. A amostra estudada apresentou baixas estimativas de riscos para desenvolver câncer de mama, segundo os fatores considerados no modelo de Gail. Assim como, foi crescente o aumento do número de mamografia de rastreamento realizadas durante o período estudado em comparação com o ano anterior.
  • DAYANA MARIA PESSOA DE SOUSA
  • IMPACTO CLÍNICO E ECONÔMICO DA ATUAÇÃO DO FARMACÊUTICO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA OBSTÉTRICA
  • Orientador : MARIA DAS GRAÇAS FREIRE DE MEDEIROS
  • Ano: 2015
  • Mostrar Resumo
  • Estudos demonstram a influência da atuação do farmacêutico clínico incorporado à equipe multiprofissional da unidade de terapia intensiva (UTI) na melhoria de indicadores clínicos e econômicos, porém poucos são realizados contemplando a área de saúde da mulher. O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência da intervenção farmacêutica nos indicadores clínicos e econômicos relacionados à terapia medicamentosa de mulheres internadas em uma UTI obstétrica. A pesquisa foi dividida em quatro capítulos. O Capítulo 1 apresenta uma revisão integrativa da literatura que demonstrou uma tendência no aumento do número de publicações de avaliações econômicas de serviços de farmácia clínica em UTI e também uma evolução no rigor metodológico na realização de tais estudos. Foi possível categorizar quatro tipos de métodos econômicos utilizados na mensuração de resultados econômicos de serviços de farmácia clínica em UTI e a eles foram atribuídas variações de aumento e redução de custos. O Capítulo 2 avaliou a influência da intervenção farmacêutica na redução de erros de prescrição, no tempo de internação e mortalidade relacionados à terapia medicamentosa de mulheres internadas em uma UTI obstétrica. O estudo foi realizado comparando três períodos: fase pré-intervenção; fase de intervenção; e fase pós-intervenção. O estudo teve duração de 42 semanas, com a participação de 222 mulheres. Foram identificados 243 erros de prescrição em todas as fases do estudo, dos quais 100 foram prevenidos através de 123 intervenções realizadas. Verificou-se uma redução significativa do indicador erros de prescrição não prevenidos/paciente na fase de intervenção. Conclui-se que a realização de intervenções farmacêuticas contribuiu para a prevenção de erros de prescrição provenientes da terapia medicamentosa na área de terapia intensiva na saúde da mulher. No Capítulo 3 foram mensurados os indicadores econômicos relacionados a atuação do farmacêutico na UTI obstétrica. Na fase pré-intervenção, a média de custos por paciente foi de R$ 128,68 (±203,68) com total geral de R$ 9.222,509. Na fase pós-intervenção, a média foi de R$ 314,08 (±1.413,87) por paciente, com total geral de R$ 23.556,05. Na fase de intervenção, a média foi de média 227,10 (±404,35) por paciente e total geral de R$ 17.032,80, verificando-se uma diferença de R$2.000,86 entre os custos da terapia prescrita pelo médico e o sugerido pelo farmacêutico. Diferenças significativas nos custos foram verificadas entre os tipos de motivos de internação das mulheres na UTI. De todas as intervenções realizadas, 33 (26,8%) resultaram em diminuição dos custos e 51 (41,5%) intervenções foram responsáveis por aumento nos custos, sendo que nas demais 39 (31,7%) intervenções os valores foram mantidos. Os indicadores econômicos avaliados entre as fases mostram que o aumento de custo verificado no estudo não pode ser atribuído isoladamente à atuação do farmacêutico visto que diferenças de custos significativas também foram verificadas entre as fases sem intervenção. Além disso, destaca-se o valor clínico das intervenções farmacêuticas realizadas que se sobressaem aos custos mensurados.
  • INACIO PEREIRA LIMA
  • PRESENÇA DE AGROTÓXICOEM LEITE MATERNO
  • Orientador : RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
  • Ano: 2015
  • Mostrar Resumo
  • AAA
  • SERY NEELY SANTOS LIMA CRUZ
  • BUSCA ATIVA COMO ESTRATÉGIA PARA PROMOÇÃO DO CUIDADO DE MULHERES QUE NÃO REALIZAM O EXAME PAPANICOLAU NA CIDADE DE PICOS-PI.
  • Orientador : ROSIMEIRE FERREIRA DOS SANTOS
  • Ano: 2015
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Muitas são as mulheres que negligenciam as ações de prevenção do câncer do colo do úetro e não realizam exames de rastreamento de rotina, o que pode ser um contribuinte para o aumento de casos da doença. A utilização de tecnologias com conteúdo validado por profissionais de saúde para promover a prevenção se apresenta como uma ferramenta potencial para incentivar as mulheres nessa prática. Objetivo: Verificar a utilização de tecnologia com conteúdo válido, produzida para a promoção da prevenção do câncer de colo do útero, por meio do exame Papanicolau, de mulheres na faixa etária de 25 a 64 anos que não realizam o exame. Método: Este estudo foi desenvolvido em duas etapas: delineamento metodológico, com amostra de 20 mulheres para análise semântica e 7 juízes para análise de conteúdo; e desenho comparativo-descritivo, com amostra de 246 mulheres de 25 a 64 anos. Foram utilizados instrumentos de caracterização e avaliação. Foram calculadas estatísticas uni e bivariadas, utilizando-se o software IBM® SPSS®, ao nível de significância de 5%. Resultados: Foi produzida a Agenda para Prevenção do Câncer do Colo do Útero, validada de conteúdo com 100% de concordância pelos juízes, a qual foi aplicada a 181 mulheres que atenderam aos critérios de inclusão do estudo. A média de idade foi de 47,2 anos. As maiores dificuldades relatadas pelas mulheres para a realização do exame foram: falta de interesse (34%), vergonha (24%) e medo do resultado (14%). Antes da intervenção educativa, 80,1% das mulheres haviam realizado o exame Papanicolau; destas, 66,3% realizaram novamente após a intervenção. Dentre as que nunca haviam realizado o exame (19,9%), 11,0% realizaram após a intervenção educativa. Antes da intervenção educativa, 51,4% das mulheres referiram a prevenção do câncer de colo do útero, 15,5% a prevenção de doenças e 7,2% indicaram a descoberta de doenças como finalidade do exame; 19,3% não souberam informar. Após a intervenção, o número de mulheres que referiram a prevenção do colo do útero aumentou em 47,5%. No que se refere à frequência de realização do exame, as principais respostas foram anualmente (58,0%) e semestralmente (20,4%). Depois da intervenção, mais 13,8% informaram a frequência anual e 28,2% responderam de 3 em 3 anos, caso dois resultados consecutivos negativos para câncer Discussão: em construção. Conclusão: em construção.
  • IRIS MARY MENESES DO AMARAL
  • Influência das Doenças Inflamatórias Intestinais na Sexualidade de Mulheres
  • Orientador : José Miguel Luz Parente
  • Ano: 2015
  • Mostrar Resumo
  • aa
  • A AVALIAÇÃO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS CANCERES DO COLO DO ÚTERO NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA
  • AVALIAÇÃO DO TESTE DE SCHILLER COMO MÉTODO DE TRIAGEM DAS LESÕES PRECURSORAS NO CÂNCER DE COLO UTERINO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE.
  • Orientador : FERNANDA REGINA DE CASTRO ALMEIDA
  • Ano: 2015
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O câncer de colo uterino continua adoecendo e matando milhares de mulheres no mundo. No Brasil, tem sido possível realizar a detecção precoce do câncer de colo uterino mediante rastreamento de lesões precursoras por meio do exame citopatológico, com posterior realização de colposcopia e biópsia para diagnóstico. No entanto, a citologia apresenta falhas e são necessárias estratégias alternativas para a detecção precoce das lesões cervicais pré-malignas, como a implantação de métodos de inspeção visual aos programas de rastreamento. Objetivo: Avaliar a utilização do teste de Schiller como método de triagem de lesões precursoras do câncer de colo uterino na atenção primária em saúde. Metodologia: Delineamento transversal analítico, realizado no município de Demerval Lobão, Piauí, no período de maio a dezembro de 2016. A amostra ficou composta por 166 mulheres na faixa etária de 25 a 64 anos de idade cadastradas pelas equipes da Estratégia Saúde da Família. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sob parecer 1.554.327. As mulheres atendidas para a realização do exame foram convidadas por carta-convite por meio do Agente Comunitário de Saúde ou por livre demanda. Concluída a entrevista, cada mulher foi encaminhada para a coleta do exame citopatológico com posterior realização do teste de Schiller. As mulheres com resultado positivo para Schiller foram encaminhadas para a realização de colposcopia, na qual, confirmada anormalidade, foi realizada a biópsia, utilizada como exame padrão-ouro. Resultados: Participaram do estudo 166 (100,0%) mulheres, das quais foram analisados os resultados do Teste de Schiller, citologia oncótica cérvico-uterina, colposcopia e biópsia. Quanto à citologia, a maioria apresentou diagnóstico descritivo dentro dos limites da normalidade nos materiais examinados 165 (99,4%) e apenas 1 (0,6%) apresentou atipias celulares, indicativa de lesão intraepitelial de alto grau. Os resultados do Teste de Schiller realizado durante a citologia oncótica cérvico-uterina indicaram positividade para 48 (28,9%) e resultado negativo para 118 (71,1%). As colposcopias realizadas indicaram 28 (58,3%) resultados normais e 20 (41,7%) resultados não normais. Destes, apenas 19 (11,4%) apresentaram resultado de biópsia, sendo 6 (31,6%) normais e 13 (68,4%) não normais, cujos resultados apontaram infecção por HPV 2 (10,5%), lesão intraepitelial de baixo grau 9 (47,4%) e de alto grau 2 (10,5%). Embora a maioria dos resultados positivos estar dentro dos limites de normalidade (28,3%), a única mulher com atipia celular obteve um resultado positivo para o Teste de Schiller (0,6%). A distribuição dos resultados positivos e negativos do Teste de Schiller e dos resultados normais e alterados da citologia oncótica cérvico-uterina apresentaram-se de maneira significativamente discordante (p<0,001), bem como a distribuição de resultados da biópsia e da citologia oncótica cérvico-uterina, que demonstrou respostas significativamente discordantes (p<0,001). Considerações finais: O teste de Schiller pode ter um papel significativo no rastreamento das lesões do câncer de colo uterino, pois nesse estudo detectou lesões precursoras não detectáveis pelo método de citologia convencional. A discordância encontrada entre os métodos mostrou a importância da utilização de métodos de inspeção visual associados à citologia nos programas de rastreamento.
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb02.ufpi.br.instancia1 16/12/2019 11:00