Notícias

Banca de DEFESA: IARA SOARES ROCHA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IARA SOARES ROCHA
DATA: 20/11/2023
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do PPGQ
TÍTULO: NANOPARTÍCULAS DE AZUL DA PRÚSSIA FUNCIONALIZADAS COM SAL DE PERILENO PARA FOTOTERAPIA: SÍNTESE, CARACTERIZAÇÃO E PROPRIEDADES SUPRAMOLECULARES
PALAVRAS-CHAVES: Nanopartículas de azul da Prússia; sal de Perileno; material híbrido; fototerapia.
PÁGINAS: 95
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Inorgânica
ESPECIALIDADE: Campos de Coordenação
RESUMO:

O complexo metálico conhecido como azul da Prússia (Fe III 4 [Fe II (CN) 6 ] 3 ·nH 2 O) apresenta
importantes participações no âmbito científico, como na biomedicina para teranósticos,
sensores químicos e biossensores, terapia fotodinâmica (TFD) e fototérmica (TFT). Esse
complexo apresenta propriedades relevantes para diversas áreas de pesquisas, o que gera uma
busca para o aprimoramento de materiais híbridos tendo-o como base. Partindo desse
princípio o presente trabalho busca entender as interações supramoleculares e propriedades
que o complexo de azul da Prússia (PB) apresenta quando associado a um sal derivado de
Perileno (PTK). As sínteses dos materiais foram realizadas utilizando os princípios do método
da coprecipitação. As análises da espectroscopia de UV-VIS para o material híbrido mostram
as bandas características do Perileno em comprimentos de onda 439 e 467 nm, e um
deslocamento hipsocrômico da banda de intervalência do azul da Prússia em 15 nm. O
espectro vibracional na região do infravermelho mostrou uma banda intensa em 2085 cm -1
correspondente à ligação C≡N do azul da Prússia, e bandas de menor intensidade em 1758 cm -
1 e 1723 cm -1 referentes à ligação do grupo carbonila para anidrido e ácido carboxílico
respectivamente, da estrutura do sal de Perileno. Os valores da carga superficial por potencial
Zeta revelaram que os grupos oriundos do PTK contribuem para uma melhora na dispersão e
estabilidade das partículas do azul da Prússia, corroborando com as imagens de Microscopia
Eletrônica de Transmissão (TEM) que mostram uma morfologia um pouco diferente embora a
tendência para aglomeração seja persistente. Por fim foi realizado o estudo eletroquímico
onde obteve-se dois processos redox, com destaque para o segundo processo (verde da
Prússia). Todos os resultados evidenciaram a formação de um novo material híbrido, com
diferentes potencialidades para as mais diversas áreas, a junção das diferentes propriedades de
ambos os materiais mostra a capacidade do novo material para as terapias combinadas
TFT/TFD e diagnósticos por imagem.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1508806 - WELTER CANTANHEDE DA SILVA
Interno - 1714193 - JOSE MILTON ELIAS DE MATOS
Externo ao Programa - 1780191 - FRANCISCO ERONI PAZ DOS SANTOS
Externo à Instituição - JANAÍNA DE SOUZA GARCIA - UFABC
Notícia cadastrada em: 23/10/2023 09:01
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 24/05/2024 00:22