Notícias

Banca de DEFESA: CRISTINA CARDOSO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CRISTINA CARDOSO DA SILVA
DATA: 07/12/2023
HORA: 14:00
LOCAL: auditório do Departamento de Biofísica da UFPI
TÍTULO: Estudo da ação anti-inflamatória da crisina em modelo experimental de osteoartrite da articulação temporomandibular induzido por formalina em ratos
PALAVRAS-CHAVES: Crisina; Articulação temporomandibular; Osteoartrite.
PÁGINAS: 103
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

A crisina (5,7- Dihidroxiflavona) é um fitocomposto natural da classe das flavonas, comumente encontrada em diversos alimentos, como maracujá, camomila, mel, própolis, entre outros. Diversas atividades biológicas têm sido atribuídas a esse flavonoide, tais como atividades anti-inflamatória, anticâncer, antioxidante eatividade antibacteriana. A osteoartrite da articulação temporomandibular (ATM) considera-se um subtipo importante de disfunção temporomandibular (DTM). O objetivo do presente estudo foi investigar a ação anti-inflamatória da crisina na  osteoartrite da articulação temporomandibular em ratos. No Capítulo I a crisina, enquanto potencial terapêutico na osteoartrite, foi pesquisada por meio de estudos recentes na literatura científica. Foram coletados dados nas bases de dados: PubMed, Scopus, Web of Science e Science Direct entre os anos de 2017 e 2023. No Capítulo II foi realizado um estudo in vivo e in sílico para avaliar a ação anti- inflamatória da crisina em modelo experimental de osteoartrite da articulação temporomandibular induzido por formalina 5% em ratos. A estratégia de estudo foi avaliar os comportamentos nociceptivos, testes bioquímicos e análise histopatológica. O modelo experimental de OA da ATM in vivo, mostrou que aadministração por via oral da crisina nas doses de 12,5, 25 e 50mg/kg proporciona a redução do comportamento nociceptivo comparado ao ibuprofeno. Assim como diminuiu os níveis dos marcadores bioquímicos: aspartato aminotransferase (AST), alanina aminotransferase (ALT) e fosfatase alcalina (FA), o que evidencia sua provável ação hepatoprotetora. A análise histopatológica confirmou a formação de novos condrócitos e ausência de células inflamatórias demonstrando a regeneração do tecido cartilaginoso da superfície articular após a administração da crisina em doses crescentes. Entretanto, no estudo in vivo e in sílico a crisina exibiupotencial anti-inflamatório para o tratamento da osteoartrite.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 778.751.253-91 - FRANCISCO DAS CHAGAS ALVES LIMA - UESPI
Externo ao Programa - 1551616 - CHISTIANE MENDES FEITOSA
Externo ao Programa - 423551 - RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
Externo ao Programa - 1560969 - ROSIMEIRE FERREIRA DOS SANTOS
Externo à Instituição - DEUZUITA DOS SANTOS FREITAS VIANA - UEMA
Notícia cadastrada em: 22/11/2023 10:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 21/02/2024 15:28