Notícias

Banca de DEFESA: MARIA JOSÉ ALVES DE PASSOS BARBOSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA JOSÉ ALVES DE PASSOS BARBOSA
DATA: 09/03/2023
HORA: 15:00
LOCAL: Google Meet: https://meet.google.com/znd-tawh-yud
TÍTULO: FAUNA DE FLEBOTOMÍNEOS (DIPTERA:PSYCHODIDAE) EM AMBIENTE CAVERNÍCOLA DO LESTE MARANHENSE, MARANHÃO, BRASIL
PALAVRAS-CHAVES: Biodiversidade; Caverna arenítica; Fauna flebotomínica; Phlebotominae; Edentomyia piauiensis
PÁGINAS: 74
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
RESUMO:

Ambientes cavernícolas são habitats aparentemente inóspitos, mas podem abrigar uma variada
fauna de invertebrados, incluído os flebotomíneos (Diptera: Psychodidae), dípteros
essencialmente silvestres, que apresentam espécies envolvidas na transmissão das
leishmanioses. Os habitats preferidos dos flebotomíneos são ambientes que apresentam
recursos alimentares abundantes, locais de descanso e de reprodução. Dentre as 1000 espécies
de flebotomíneos descritas em todo o globo, 98 ocorrem no Estado do Maranhão e destas, 18
estão envolvidas na transmissão das leishmanioses. Este estudo objetivou conhecer a fauna
flebotomínica na caverna Toca do Inferno, Maranhão, Brasil. As coletas foram realizadas na
caverna Toca do Inferno, comunidade Faveirinha localizada no município de Barão de Grajaú,
Maranhão. Foram realizadas três campanhas de coletas, entre setembro de 2021 a maio de 2022.
Doze armadilhas luminosas modelo HP (Hoover Pugedo) foram instaladas, em quatro pontos
da caverna, com periodicidade de 24h/coleta. Coletou-se um total de 1833 flebotomíneos,
distribuídos em seis espécies: Edentomyia piauiensis (Galati, Andrade Filho, Silva e Falcão,
2003), Evandromyia lenti (Mangabeira, 1938), Deanemyia samueli (Deane, 1955), Lutzomyia
dispar (Martins e Silva, 1963), Lutzomyia longipalpis (Lutz e Neiva, 1912) e Micropygomyia
villelai (Mangabeira 1942) e alguns exemplares identificados a nível de gênero: Psychodopygus
sp. e Edentomyia sp. As fêmeas representaram um total de 483 fêmeas e 1400 machos, a razão
sexual macho/fêmea foi de 2,89:1. A espécie mais abundante foi E. piauienses, representando
94,42% da fauna e sendo registrada pela primeira vez para o estado do Maranhão, cuja lista de
espécies de flebotomíneos passa a ser composta por 99 espécies. Este estudo também registrou
duas espécies envolvidas na transmissão das leishmanioses: E. lenti e L. longipalpis, embora as
análises moleculares não tenham revelado fêmeas naturalmente infectadas por Leishmania. O
levantamento entomológico é necessário para conhecer a fauna flebotomínica que compõem
cada ecótopo, sendo assim, nossos achados podem estar relacionados a estação do ano ou ponto
de armadilhagens. Neste sentido, ambientes cavernícolas ainda apresentam lacunas no
conhecimento da fauna e convém ressaltar que destacam-se pela oferta de recursos alimentares,
reunindo condições ideais para o estabelecimento da fauna flebotomínica. Concluímos que a
caverna Toca do Inferno tem um potencial de abrigar uma variada fauna flebotomínica e devido
a presença de espécies envolvidas na transmissão das leishmanioses, deve-se manter sob
vigilância entomológica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1568718 - MARIA REGIANE ARAUJO SOARES
Externo ao Programa - 423457 - CARLOS HENRIQUE NERY COSTA
Externo à Instituição - MAURCÍCIO LUIZ VILELA - FIOCRUZ
Notícia cadastrada em: 27/02/2023 14:16
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 12/04/2024 10:41