Notícias

Banca de DEFESA: CAMILA MELO SILVEIRA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CAMILA MELO SILVEIRA DA SILVA
DATA: 31/08/2017
HORA: 15:00
LOCAL: Sala de Vídeo II
TÍTULO: VIVER E SOBREVIVER: O COTIDIANO DAS MULHERES POBRES EM TERESINA (1890-1920)
PALAVRAS-CHAVES: Identidades de gênero. Feminilidades. Pobreza.
PÁGINAS: 145
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
RESUMO:

 Este trabalho estuda as condições históricas e sociais que envolveram o cotidiano de mulheres pobres em Teresina, capital do Estado do Piauí, durante os anos 1890 a 1920. Questiona-se as formas de perceber as mulheres pobres da cidade, as normas que asseguram essa definição e as articulações das suas práticas à nova organização social da República e aos projetos de modernização e civilização que intelectuais almejavam para Teresina. Pretende-se assim, conhecer os códigos sociais e culturais que incidiam sobre as mulheres desses segmentos, através da análise das condições de vida, do trabalho, do lazer e de quando se envolviam em ocorrências criminais na cidade. O recorte temporal justifica-se por este ser um período em que Teresina, inserida no novo ordenamento social que a república propunha, vivenciara um processo de modernização na sua infraestrutura, além do embelezamento do espaço urbano, que contribuíram para o surgimento de novas sociabilidades. O corpus documental que permitiu o desenvolvimento do tema proposto é formado por crônicas, contos e artigos publicados em jornais e revistas, arquivos da cadeia pública de Teresina, da Secretaria de Polícia do Estado do Piauí, processos jurídicos penais, inquéritos policiais, bem como romances, poesias, dados censitários, mensagens e relatórios governamentais. Os cronistas são utilizados como interlocutores privilegiados da cidade, por vivenciarem o cotidiano e produzirem textos que expressam intenções claras em regular o comportamento dos habitantes, com o objetivo de edificar uma sociedade civilizada nos moldes europeus. No universo conceitual que norteia o presente estudo, destacam-se os conceitos sobre pobres e o mundo da pobreza, vistos, respectivamente, como o indivíduo que de modo permanente ou temporário, encontra-se em situação de debilidade, dependência e humilhação caracterizada pela privação de meios, e um meio esotérico e exótico que parece refletir os problemas da sociedade dos “homens de bem”, propostos por Mollat (1989) e Geremek (1989). Sobre processo civilizador, modernização e modernidade, utilizamos os estudos de Elias (1994) Ortiz (1991) e Rezende (1999; 200) respectivamente. Como base para as discussões sobre História, Mulheres, Literatura, Criminalidade foram utilizados trabalhos como os de Dias (1984), Soihet (1989), Esteves (1989), Castelo Branco (2005), Cardoso (2010), Fausto (1984) e Foucault (1987). Argumenta-se que os valores morais de viver e conviver em sociedade que despontavam na cidade, contribuíram para que as populares fossem colocadas à margem do padrão de civilidade pelo qual as pessoas passavam a ser cobradas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALGEMIRA DE MACEDO MENDES - UESPI
Presidente - 2174309 - PEDRO VILARINHO CASTELO BRANCO
Interno - 2167352 - TERESINHA DE JESUS MESQUITA QUEIROZ
Notícia cadastrada em: 21/08/2017 16:57
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb02.ufpi.br.instancia1 02/06/2020 01:57