Notícias

Banca de DEFESA: MONA AYALA SARAIVA DA SILVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MONA AYALA SARAIVA DA SILVEIRA
DATA: 31/08/2013
HORA: 15:00
LOCAL: SALA DE AULA DO PPGHB
TÍTULO:

"AS RELAÇÕES CONJUGAIS NO PIAUÍ OITOCENTISTA: UM ESTUDO SOBRE CASAMENTO E DIVÓRCIO"


PALAVRAS-CHAVES:

Família. Casamento. Divórcio


PÁGINAS: 143
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
RESUMO:

 

Esta dissertação propõe analisar as relações familiares e as relações conjugais na sociedade piauiense do século XIX, a partir de um estudo das práticas referentes ao casamento e ao divórcio. Discute-se o processo matrimonial observando como arranjos conjugais e escolhas familiares eram realizados, muitas vezes, em consonância com as estruturas socioeconômicas e políticas do Estado e da Igreja Católica. São abordadas as discussões sobre casamento e divórcio realizadas na época, bem como, os aspectos da vida conjugal e as práticas ditas como condenáveis pela moral da sociedade. A documentação essencial para a pesquisa compõe o Acervo da Arquidiocese de São Luís, localizado no Arquivo Público do Estado do Maranhão, onde foram escolhidos os processos cíveis de libelo de divórcio, nulidade de matrimônio, justificação de sevícias e dispensa matrimonial, referentes à Província do Piauí. Estes processos guardam um riquíssimo valor histórico, uma vez que, sob o olhar atento dos historiadores, podem revelar zonas obscuras da convivência do casal num tempo diferente do nosso. Portanto, são fontes importantes para o entendimento das relações familiares, relações de gênero e os valores morais que regiam a sociedade piauiense oitocentista. Também compõe o acervo documental as Constituições Primeiras do Arcebispado da Bahia, visitas pastorais, lista e mapas de casamentos, relatórios e mensagens governamentais, jornais, memórias, biografias e genealogias. Argumenta-se que os casamentos foram utilizados pelas elites piauienses para unir famílias com tradições políticas e econômicas fortes. A essência destas uniões construiu um cotidiano de relações conjugais, por vezes conflituoso, onde eram comuns os adultérios e sevícias. Dessa forma, a separação do casal aparece como alternativa ao dia-a-dia de injúrias, mas principalmente, como elemento de preservação do patrimônio familiar.



MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1446998 - ELIZANGELA BARBOSA CARDOSO
Externo à Instituição - NORMA PATRICYA LOPES SOARES - UFC
Presidente - 2174309 - PEDRO VILARINHO CASTELO BRANCO
Notícia cadastrada em: 29/08/2013 15:45
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 02/06/2020 06:12