Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIA DALVA FONTENELE CERQUEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA DALVA FONTENELE CERQUEIRA
DATA: 22/09/2014
HORA: 08:30
LOCAL: Sala de Reunião do PPGHB
TÍTULO:

ENTRE TRILHOS E DORMENTES: A ferrovia na história e na memória dos parnaibanos (1960-1980)


PALAVRAS-CHAVES:

 Piauí. Ferrovia. Parnaíba. Memória. Ferroviários. 


PÁGINAS: 199
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
RESUMO:

O presente trabalho é resultado de uma pesquisa que teve como objetivo geral compreender o processo de desativação da estrada de ferro no Piauí, entre as décadas de 1960 a 1980. Período em que a ferrovia piauiense passou por mudanças que culminaram em sua desativação. Dessa forma, a pesquisa buscou identificar a importância que tinha a Estrada de Ferro Central do Piauí para os parnaibanos; investigar como a sociedade parnaibana reagiu diante desse desmonte e analisar como a ferrovia e sua desativação marcaram a memória dos ferroviários. Para tanto, foram utilizados três fios condutores: a necessidade apresentada pelos piauienses da construção de uma ferrovia para favorecer o desenvolvimento e o progresso do estado; o cotidiano dos parnaibanos e sua relação com o trem e a maneira como a ferrovia é representada pela memória dos ferroviários. A delimitação do recorte tempo-espacial da presente pesquisa contempla a cidade de Parnaíba nas décadas finais do século XX, uma vez ter sido essa cidade o locus de construção e manutenção sede da ferrovia piauiense. O estudo recorre à utilização dos conceitos desenvolvidos sobre memória e cidade defendidos por Michel de Certeau (1994), Jacques Le Goff (2013), Fernando Catroga (2001), Maurice Halbwachs (1990), Raquel Rolnik (1995), Italo Calvino (2008), Ana Fani Alessandri Carlos (2003); sobre o conceito de Modernidade Marshall Berman (2007), Francisco Hardman (2005), Nicolau Sevcenko (1998, 2009), Antonio Paulo de Moraes Rezende (1994, 2008), Cláudia Cristina da Silva Fontineles (2007, 2009, 2010). A pesquisa utilizou como suporte, as seguintes fontes: documentos oficiais, hemerográficas, livros escritos por memorialistas parnaibanos e fontes orais obtidas por meio de entrevistas temáticas.  Foram importantes para a compreensão e análise da metodologia da história oral os estudos de Paul Thompson (2002), Verena Alberti (2008), Francisco Alcides do Nascimento (2002, 2006). Os resultados da investigação indicam que a sociedade parnaibana se manifestou, por meio de jornais locais, solicitando ajuda aos políticos piauienses para a manutenção da Estrada de Ferro Central do Piauí, mas pouco foi feito diante da política econômica adotada pelos governos militares no Brasil entre as décadas de 1960 e 1980, que priorizaram o rodoviarismo no país em detrimento do transporte ferroviário.  Sua desativação provocou sentimentos e ressentimentos entre os parnaibanos que alimentam o desejo da reativação do transporte ferroviário no Piauí.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2335100 - CLAUDIA CRISTINA DA SILVA FONTINELES
Interno - 423663 - FRANCISCO ALCIDES DO NASCIMENTO
Interno - 2367712 - FRANCISCO DE ASSIS DE SOUSA NASCIMENTO
Notícia cadastrada em: 18/09/2014 15:41
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 02/06/2020 01:18