Notícias

Banca de DEFESA: FELIPE ADALBERTO DE SA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FELIPE ADALBERTO DE SA
DATA: 22/06/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório PPGZ/CPCE/UFPI
TÍTULO: ALIMENTAÇÃO DE ENXAMES DE ABELHAS Apis mellifera LINNAEUS, 1758 NO PERÍODO SECO
PALAVRAS-CHAVES: Apicultura, alternativa alimentar, caju, pólen
PÁGINAS: 41
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
RESUMO:

SÁ, F. A. Alimentação de enxames de abelhas Apis mellifera Linnaeus, 1758 no período seco. 2018, 41f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) – Universidade Federal do Piauí, Bom Jesus, 2018.

 

As abelhas Apis mellifera são insetos de grande importância ecológica e econômica, no setor rural atual, em condições favoráveis e intensa florada as abelhas coletam e armazenam alimento na colmeia, que lhes fornece os nutrientes essenciais a sua dieta, contudo em períodos de escassez de florada natural, é essencial que o apicultor forneça alimentação adequada as colônias. Com o presente estudo objetivou-se avaliar o desenvolvimento de enxames de abelhas Apis mellifera durante o período seco. A pesquisa experimental foi conduzida em dois apiários localizados no município de Campo Grande do Piauí, estado do Piauí, de janeiro a dezembro de 2017. O delineamento adotado foi o de blocos causalizados com três tratamentos e cinco repetições, no qual cada tratamento correspondia a tratamento 1: enxames sem alimentação suplementar, presentes em área de caatinga, tratamento 2: enxames em área de caatinga alimentados com xarope de açúcar mais Promotor L, etratamento 3: enxames em área representativa de cajueiro. O desenvolvimento das colônias foi avaliado, pela metodologia adotada por Al-Tikrity et al. (1971), em quadro de mapeamento constituído de áreas de 4cm2 para a contagem do número de secções em 15 colmeias, em áreas de favos com crias de operária (ovo, larva e pupa) e alimentos (mel e pólen). As variáveis dos elementos climáticos foram coletadas com um auxílio de termômetros instalados nas colmeias. Realizou-se ainda a pesagem mensal das colmeias. Os enxames alimentados mantiveram uma área maior de reservas alimentares nas colmeias, em comparação aos demais. O estabelecimento de colônias próximas a áreas de cajueiro constitui-se em uma excelente alternativa para a manutenção da oferta de alimento natural, sendo que, o uso de xarope de açúcar com adição de Promotor L na alimentação das colônias no período seco apresentou custos operacionais e de produção que não resultaram em maior desenvolvimento dos enxames, quando comparadas aos mantidas em áreas de caju.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1671082 - LEONARDO ATTA FARIAS
Externo ao Programa - 2217082 - JULIANA DO NASCIMENTO BENDINI
Externo ao Programa - 1623868 - LUIS RICARDO ROMERO ARAUCO
Externo ao Programa - 1641780 - SINEVALDO GONCALVES DE MOURA
Notícia cadastrada em: 08/06/2018 10:37
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 06/10/2022 20:53