Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: KLINGER ANTONIO DA FRANCA RODRIGUES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KLINGER ANTONIO DA FRANCA RODRIGUES
DATA: 30/01/2013
HORA: 14:30
LOCAL: Núcleo de Pesquisas em Plantas Medicinais, SG-15, Campus Ministro Petrônio Portella
TÍTULO:

DETERMINAÇÃO DAS ATIVIDADES ANTI-Leishmania, CITOTÓXICA E DE PARÂMETROS DE ATIVAÇÃO DE MACRÓFAGOS DOS ÓLEOS ESSENCIAIS DAS FOLHAS DE Eugenia uniflora L. E Syzygium cumini (L.) Skeels


PALAVRAS-CHAVES:

Leishmania amazonensis. Óleos Essenciais. Eugenia uniflora. Syzygium cumini. Macrófagos. 


PÁGINAS: 150
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Parasitos protozoários do gênero Leishmania são responsáveis por um espectro de doenças, coletivamente conhecidas como leishmanioses, que afetam a pele, membranas mucosas e órgãos internos em milhões de pessoas em todo o mundo. Apesar de sua importância epidemiológica, o tratamento ainda é feito com quimioterápicos que são de uso parenteral, requerem acompanhamento médico e são tóxicos. Uma nova abordagem na busca de agentes quimioterápicos mais baratos e menos tóxicos é o screening de plantas medicinais, consideradas a fonte principal de obtenção de novos medicamentos. Nesse contexto, os óleos essenciais, que são constituídos por uma mistura complexa de metabólitos secundários de plantas, têm apresentado inúmeras atividades farmacológicas e, dentre elas, atividade anti-Leishmania. Diante do exposto, o presente trabalho teve como objetivos: avaliar a atividade anti-Leishmania dos óleos essenciais de Eugenia uniflora L. e Syzygium cumini (L.) Skeels sobre formas promastigotas e amastigotas de Leishmania (Leishmania) amazonensis; analisar a citotoxicidade destes óleos sobre macrófagos peritoneais murinos e eritrócitos humanos; e investigar parâmetros de ativação de macrófagos como as atividades lisossomal, fagocítica e de indução da síntese de óxido nítrico, como mecanismos de ação da atividade anti-Leishmania. Os constituintes mais abundantes encontrados no óleo essencial de E. uniflora foram sesquiterpenos, com Curzereno (47,3%), γ-Elemeno (14,25) e trans-β-elemenona (10,4%) como os constituintes majoritários. Por outro lado, o óleo essencial de S. cumini demonstrou ser constituído, em sua maioria, por monoterpenos, tendo o α-Pineno (31,85%), (Z)-β-Ocimeno (28,98) e (E)-β-Ocimeno (11,71%) como os principais constituintes. Os óleos essenciais de E. uniflora e S. cumini inibiram o crescimento das formas promastigotas, gerando uma CI50 de 3,04 e 60,34 µg/mL, respectivamente, em 48 h de exposição. Macrófagos infectados com L. amazonensis e tratados com os óleos essenciais revelaram diminuição dependente de concentração, tanto no percentual de infecção, quanto no número de amastigotas por macrófagos, com CI50 de 1,92 e 32,8 µg/mL para E. uniflora e S. cumini, respectivamente. Os valores de CC50 obtidos para macrófagos no teste do MTT foram de 45,3 e 544,26 µg/mL para E. uniflora e S. cumini, respectivamente, superando os valores de CI50 para amastigotas. A citotoxicidade do óleo essencial de E. uniflora sobre eritrócitos humanos de tipo sanguíneo O+ foi alta na maior concentração testada (400 µg/mL), com 63,22% de hemólise, no entanto, o mesmo apresentou-se atóxico a partir da concentração de 50 µg/mL com CH50 de 85,3 µg/mL. A CH50 do óleo essencial de S. cumini não pôde ser calculada, pois o óleo essencial provocou apenas 11,3% de lise de eritrócitos na maior concentração testada (800 µg/mL). O óleo essencial de E. uniflora estimulou a atividade lisossomal e fagocítica sem, no entanto, incrementar a produção de óxido nítrico, o que demonstra que sua promissora atividade anti-Leishmania não atua por esta via. Os resultados com o óleo de S. cumini demonstraram que sua atividade anti-Leishmania pode atuar pelos três mecanismos estudados de ativação de macrófagos. Conclui-se, portanto, que os óleos essenciais de E. uniflora e S. cumini apresentam significativa atividade anti-Leishmania, podendo atuar pela ativação de macrófagos, com citotoxicidade aceitável para macrófagos murinos e eritrócitos humanos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1167750 - FERNANDO AECIO DE AMORIM CARVALHO
Interno - 1638285 - RIVELILSON MENDES DE FREITAS
Externo ao Programa - 1558481 - VERUSKA CAVALCANTI BARROS
Notícia cadastrada em: 21/01/2013 19:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 24/02/2021 18:18