Últimas Notícias
Banca de DEFESA: ANA RITA DE SOUSA FRANCA
Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA RITA DE SOUSA FRANCA
DATA: 25/10/2018
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do Núcleo de Pesquisas em Plantas Medicinais- Bloco 15
TÍTULO: Avaliação das Atividades Anti-Inflamatória e Antinociceptiva do α-Felandreno Complexado com β-Ciclodextrina no Modelo de Dor Inflamatória Crônica em Ratas
PALAVRAS-CHAVES: complexo de inclusão; monoterpenos; α- felandreno; β-ciclodextrina; dor inflamatória; ACF.
PÁGINAS: 101
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Farmacologia
RESUMO:

A dor inflamatória crônica representa uma das principais enfermidades que limitam a qualidade de vida dos pacientes, além de ser de difícil tratamento, com diversos efeitos colaterais associados ao uso dos medicamentos tradicionais. O α-felandreno (α-FEL), um monoterpeno constituinte do óleo essencial de inúmeras espécies vegetais, apresenta atividades antinociceptiva e anti-inflamatória descrita em estudos anteriores. Sabe-se que complexos de inclusão utilizando a β-ciclodextrina (β-CD) podem resultar em melhores propriedades físico-químicas e farmacológicas de substâncias com atividades biológicas. Com isso, o objetivo deste trabalho foi investigar o efeito antinociceptivo do α-Fel complexado com β-CD em modelos experimentais de dor inflamatória crônica. Para o preparo do complexo de inclusão foi utilizado o método de secagem por Spray Dryer. As análises de quantificação foram feitas em espectrofotômetro UV-VIS. Para verificar a formação do complexo de inclusão foi utilizada a metodologia de infravermelho. Foram realizadas análises teóricas da complexação da β-CD com o α-Fel utilizando o software Gaussian 09W e método semiempírico PM6. Para indução da dor inflamatória crônica foi administrado o ACF na região intraplantar. Após 24 horas os animais foram avaliados quanto aos parâmetros de alodinia e hiperalgesia mecânica, utilizando os equipamentos von Frey digital e analgesímetro (Randall/Selitto), respectivamente. Na avaliação da alodinia os animais foram tratados com α-Fel/β-CD (3,12; 6,25 e 12,5 mg/kg, v.o.), veículo (β-CD, v.o.) e dexametasona (0,5 mg/kg, v.o.) e avaliados em diferentes intervalos de tempo (1, 2, 4, 6, 8, 10, 12, 24 h) após o tratamento. O efeito na hiperalgesia mecânica foi investigado por meio do tratamento dos animais com α-Fel/β-CD (3,12; 6,25 e 12,5 mg/kg, v.o.), veículo (β-CD, v.o.) e diclofenaco (5 mg/kg, v.o.), e avaliação em diferentes intervalos de tempo (1, 2, 3, 4, 5 e 6h) após o tratamento. Durante 10 dias os animais foram tratados e avaliados diariamente para verificar o efeito do tratamento sub-agudo. A possibilidade da ocorrência de toxicidade no tratamento sub-agudo foi verificada por meio da dosagem de parâmetros bioquímicos de função renal e hepática, alterações no peso corporal e dos órgãos dos animais. A avaliação histopatológica foi realizada nas patas inflamadas dos animais de cada grupo. O envolvimento da via opióide no efeito antinociceptivo do α-Fel (100 mg/kg, v.o.) foi investigado utilizando-se a naloxona (3 mg/kg, i.p., antagonista opióide) e a participação da via serotoninérgica foi investigada utilizando-se PCPA (100 mg/kg, i.p., inibidor da síntese de 5-HT) por 4 dias e cetanserina (0,3 mg/kg, v.o., antagonista 5-HT2A). A ocorrência de incoordenação motora foi registrada no teste de rota rod e a capacidade exploratória dos animais pelo teste do campo aberto. A análise quantitativa demonstrou que o complexo de inclusão apresentou a eficiência de carga de 7,0%. O tratamento sub-agudo resultou em redução significativa da alodinia e hiperalgesia em todas as doses testadas do α-Fel/β-CD. A histopatologia demonstrou a redução da migração leucocitária. Não foi observado qualquer sinal de toxicidade nos animais tratados por 10 dias. O α-Fel/β-CD não interferiu na atividade locomotora e de permanência na barra giratória, nos testes de campo aberto e rota rod. A utilização do antagonista opióide naloxona, o bloqueio da síntese de 5-HT e dos receptores 5-HT2A reverteu o efeito antinociceptivo do α-Fel, sugerindo a participação do sistema opióide e serotoninérgico no efeito antinociceptivo do α-Fel no modelo testado. Em conclusão, podemos sugerir que o α-Fel/β-CD possui atividade antinociceptiva na dor inflamatória subaguda, com possível envolvimento do sistema opióide e serotoninérgico, e sem sinais de toxicidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1167629 - FERNANDA REGINA DE CASTRO ALMEIDA
Interno - 2246074 - FRANCISCO DE ASSIS OLIVEIRA
Externo à Instituição - JOSÉ LUIZ SILVA SÁ - UESPI

Cadastrada em: 15/10/2018
Mais Notícias
Processos Seletivos Veja abaixo os processos seletivos disponíveis para nosso Programa de Pós-Graduação.
  • » MESTRADO (26/09/2018 : 15/10/2018)
Calendário Fique por dentro dos eventos relacionados ao nosso Programa de Pós-Graduação.
  • 06/08/2018 - 07/08/2018 · Matrícula para o período 2018.2.
  • 13/08/2018 · Início do período letivo 2018.2.
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.instancia1 19/10/2018 11:03