Notícias

Banca de DEFESA: ZÁGMA COUTINHO LIMA AMORIM

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ZÁGMA COUTINHO LIMA AMORIM
DATA: 03/07/2017
HORA: 08:00
LOCAL: sala de aula da PREX
TÍTULO: Avaliação do teste de Schiller como método de triagem das lesões precursoras do cancer de colo uterino na atenção primária em saúde
PALAVRAS-CHAVES: Saúde da Mulher. Neoplasias do colo uterino. Rastreamento
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
SUBÁREA: Saúde Materno-Infantil
RESUMO:

Introdução: O câncer de colo uterino continua adoecendo e matando milhares de mulheres no mundo. No Brasil, tem sido possível realizar a detecção precoce do câncer de colo uterino mediante rastreamento de lesões precursoras por meio do exame citopatológico, com posterior realização de colposcopia e biópsia para diagnóstico. No entanto, a citologia apresenta falhas e são necessárias estratégias alternativas para a detecção precoce das lesões cervicais pré-malignas, como a implantação de métodos de inspeção visual aos programas de rastreamento. Objetivo: Avaliar a utilização do teste de Schiller como método de triagem de lesões precursoras do câncer de colo uterino na atenção primária em saúde. Metodologia: Delineamento transversal analítico, realizado no município de Demerval Lobão, Piauí, no período de maio a dezembro de 2016. A amostra ficou composta por 166 mulheres na faixa etária de 25 a 64 anos de idade cadastradas pelas equipes da Estratégia Saúde da Família. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética Pesquisa da Universidade Federal do Piauí, sob parecer 1.554.327. As mulheres atendidas para a realização do exame foram convidadas por carta-convite por meio do Agente Comunitário de Saúde ou por livre demanda. Concluída a entrevista, cada mulher foi encaminhada para a coleta do exame citopatológico com posterior realização do teste de Schiller. As mulheres com resultado positivo para Schiller foram encaminhadas para a realização de colposcopia, na qual, confirmada anormalidade, foi realizada a biópsia, utilizada como exame padrão-ouro. Resultados: Participaram do estudo 166 (100,0%) mulheres, das quais foram analisados os resultados do Teste de Schiller, citologia oncótica cérvico-uterina, colposcopia e biópsia. Quanto à citologia, a maioria apresentou diagnóstico descritivo dentro dos limites da normalidade nos materiais examinados 165 (99,4%) e apenas 1 (0,6%) apresentou atipias celulares, indicativa de lesão intraepitelial de alto grau. Os resultados do Teste de Schiller realizado durante a citologia oncótica cérvico-uterina indicaram positividade para 48 (28,9%) e resultado negativo para 118 (71,1%). As colposcopias realizadas indicaram 28 (58,3%) resultados normais e 20 (41,7%) resultados não normais. Destes, apenas 19 (11,4%) apresentaram resultado de biópsia, sendo 6 (31,6%) normais e 13 (68,4%) não normais, cujos resultados apontaram infecção por HPV 2 (10,5%), lesão intraepitelial de baixo grau 9 (47,4%) e de alto grau 2 (10,5%). Embora a maioria dos resultados positivos estar dentro dos limites de normalidade (28,3%), a única mulher com atipia celular obteve um resultado positivo para o Teste de Schiller (0,6%). A distribuição dos resultados positivos e negativos do Teste de Schiller e dos resultados normais e alterados da citologia oncótica cérvico-uterina apresentaram-se de maneira significativamente discordante (p<0,001), bem como a distribuição de resultados da biópsia e da citologia oncótica cérvico-uterina, que demonstrou respostas significativamente discordantes (p<0,001). Considerações finais: O teste de Schiller pode ter um papel significativo no rastreamento das lesões do câncer de colo uterino, pois nesse estudo detectou lesões precursoras não detectáveis pelo método de citologia convencional. A discordância encontrada entre os métodos mostrou a importância da utilização de métodos de inspeção visual associados à citologia nos programas de rastreamento.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ELYROSE DE SOUSA BRITO - UESPI
Presidente - 1167629 - FERNANDA REGINA DE CASTRO ALMEIDA
Interno - 423551 - RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
Interno - 1560969 - ROSIMEIRE FERREIRA DOS SANTOS
Notícia cadastrada em: 22/06/2017 18:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 29/05/2020 10:13