Notícias

Banca de DEFESA: INÁCIO PEREIRA LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: INÁCIO PEREIRA LIMA
DATA: 05/12/2017
HORA: 14:30
LOCAL: sala de aula da PREX
TÍTULO: Avaliação da Contaminação do Leite Materno pelo Agrotóxico Glifosato em Puérperas atendidas em Maternidades Públicas do Piauí
PALAVRAS-CHAVES: Agrotóxico, contaminação, leite materno
PÁGINAS: 66
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
SUBÁREA: Saúde Materno-Infantil
RESUMO:

O glifosato é agrotóxico de maior risco potencial para a saúde humana por ser o mais comercializado no mundo, no Brasil e no Piauí. Baseando-se nessa realidade, este estudo teve como objetivo avaliar a contaminação de leite materno pelo agrotóxico glifosato em puérperas atendidas em maternidades públicas do Piauí. Adotou-se desenho de estudo correlacional descritivo e de corte transversal aplicado nos municípios de Teresina com 164 participantes, Oeiras com 27 e Uruçuí com 13 participantes. Foi desenvolvido um método de análise laboratorial das amostras de leite materno aplicado à técnica de cromatografia líquida de alta eficiência acoplada a fotodiodo de detecção por radiação ultravioleta, mediante a reação de derivatização do glifosato e seu metabólito ácido aminometilfosfônico pelo cloroformato de 9-fluorenilmetila. Após testes experimentais o método escolhido para a análise das amostras de leite materno foi o gradiente isocrático com uso do solvente acetronitrila a 10%, testado em triplicata que ao passar pelo detector, este constatou a presença do glifosato em picos cromatográficos na faixa de 263 nanômetros(nm), com coeficiente de correlação(r) igual a 0,9993 que originou a construção da curva de calibração e a confirmação de sua eficiência e linearidade. Durante a fase de análise das amostras de leite materno ocorreu pane com substituição de coluna cromatográfica, limitando-se as análises à detecção e comprometendo tanto sua reprodutibilidade, como a quantificação das duas substâncias quando detectadas. Analisou-se 62,5% das amostras coletadas em Oeiras e Uruçuí, detectando-se presença de glifosato ou ácido aminometilfosfônico em 64% delas. Ao desagregar por município, comprovou-se contaminação em 46,1% e 83,4% das amostras analisadas provenientes de Oeiras e Uruçuí, respectivamente. Conclui-se que é alta contaminação do leite materno pelo glifosato, comprovando-se sua gravidade e importância enquanto fator de risco à saúde da mulher e da criança.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2264286 - JOSÉ DE SOUSA LIMA NETO
Externo à Instituição - Maria de Fátima Veras Araújo - UESPI
Presidente - 423551 - RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
Interno - 226.905.653-15 - ZENIRA MARTINS SILVA - UESPI
Notícia cadastrada em: 02/12/2017 23:41
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 31/03/2020 10:58