Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MATHEUS BARBOSA DA ROCHA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MATHEUS BARBOSA DA ROCHA
DATA: 08/12/2017
HORA: 08:00
LOCAL: Sala de Direção do Campus
TÍTULO: Nos batuques dos quintais: análise das interações entre religiões de terreiros e equipes de saúde da família nas ofertas de cuidado em saúde
PALAVRAS-CHAVES: Religiões de Terreiros; Estratégia de Saúde da Família; Interações; Cuidado
PÁGINAS: 133
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

As religiões de matrizes africanas cotidianamente atendem sujeitos que buscam auxílios para suas queixas físicas, psíquicas ou espirituais. Nos contextos das comunidades tradicionais negras, historicamente a maioria possui baixa escolaridade; trabalha sem carteira assinada e com pequenas remunerações; tem péssimas condições de acesso à saúde, assistência, transporte, moradia e saneamento; faz uso de ervas medicinais e desenvolve projetos sociais por intermédio dos terreiros que frequentam. Objetivando garantir equidade por meio de ações de promoção e atenção à saúde, prevenção, tratamento e recuperação de doenças e agravos a esses povos, foi criada a Política Nacional de Saúde Integral da População Negra. Aos profissionais da Estratégia de Saúde da Família (ESF), é incumbido, de acordo com a Política Nacional de Atenção Básica, atuar no território de abrangência, cadastrar famílias, diagnosticar a situação sócio-sanitária da população, agir conjuntamente com a comunidade e interagir com seus espaços sociais, de modo a promover cidadania. Nesse contexto, interações da ESF com os terreiros mostram-se necessárias, contudo, ainda são raras as pesquisas que se propõem a estudar essa problemática. Nesse trabalho, partimos da tese de que as práticas de cuidado não são exclusivas da categoria médica ou dos demais profissionais da saúde, em vez disso, acreditamos que outros atores sociais também são promotores de cuidado, sejam eles detentores de um saber especializado ou não, como as rezadeiras, os pajés ou os chefes de terreiros. Desse modo, esse estudo se propõe ser uma força instituinte ao racismo como determinante social da saúde e ao modelo biomédico, considerado totalizador para as explicações sobre os processos de saúde/doença/cuidado. Além disso, também defendemos a ideia de concebermos saúde, religião, etnia e cuidado como instituições contemporâneas, caracterizadas tanto por conteúdos de ordem manifesta (leis e normas sociais) quanto de modo implícito (costumes e regularidades do comportamento). Assim, essa proposta de investigação objetiva pesquisar os processos de interações entre religiões de terreiros e ESF (campo de análise) nas ofertas de cuidado em saúde aos territórios em que estão inseridos e aos adeptos/consulentes das religiões afro-brasileiras. Metodologicamente, iremos adotar a Análise Institucional como matriz de investigação e a Socioclínica para produção e análise das informações. Como estratégia metodológica, utilizaremos entrevistas com chefes de terreiros e rodas de conversas com consulentes/praticantes de religiões afro-brasileiras e com profissionais de uma ESF (campo de intervenção). Todos os diálogos serão gravados e, posteriormente, transcritos. Além disso, também produziremos diários de campo. A participação será voluntária e os sujeitos só serão inclusos caso assinem um termo de consentimento. Para obtermos autorização do estudo, entraremos em contato com líderes/praticantes das religiões de matrizes africanas e com a Secretaria Municipal de Saúde, apresentaremos os objetivos da investigação e os passos a serem seguidos. Por fim, realizaremos duas leituras a partir do material coletado: uma primeira, de identificação e uma segunda com o intuito de descobrir as instituições que atravessam os discursos dos envolvidos. Os possíveis resultados apontam para a possibilidade de emergir analisadores dos determinantes sociais da saúde bem como diferentes níveis de interações em ambos os contextos. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2231563 - ANA KALLINY DE SOUSA SEVERO
Externo à Instituição - JOAO PAULO PEREIRA BARROS - UFC
Interno - 1774313 - JOAO PAULO SALES MACEDO
Notícia cadastrada em: 07/12/2017 10:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 26/09/2022 01:01