Notícias

Banca de DEFESA: MARCUS VINÍCIUS DE SOUSA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCUS VINÍCIUS DE SOUSA DA SILVA
DATA: 10/12/2019
HORA: 16:00
LOCAL: Sala de reunião da diretoria
TÍTULO: Pressão econômica e prática parental: influência do conflito conjugal, da positividade e do otimismo
PALAVRAS-CHAVES: Pressão Econômica; Práticas Parentais; Conflito Conjugal; Positividade; Otimismo
PÁGINAS: 139
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

A presente dissertação tem como objetivo conhecer o efeito do conflito conjugal, da positividade
e otimismo dos pais no exercício das práticas parentais. Dessa forma, a pressão econômica é
entendida como um fator ambiental que provocada por situações adversas como, desemprego,
aumento das dívidas, diminuição da renda familiar, afetando sofrimento dos membros da família
que ocasiona no surgimento das tensões diárias na vida econômica familiar. A pressão econômica
influência o estresse emocional marital e as práticas parentais causando impacto no
desenvolvimento dos filhos e no desempenho escolar; além de aumentar a ansiedade e depressão
nos sujeitos. Mesmo que os problemas financeiros levem a problemas emocionais e
comportamentais, tem-se observado que certos indivíduos possuem a capacidade de lidar com as
adversidades econômicas de forma não prejudicial. Por exemplo, estudos demonstram que,
características individuais como otimismo e positividade podem reduzir os efeitos prejudiciais da
pressão econômica na adaptação individual e familiar diante desse cenário. A positividade tem
sido compreendida como uma perspectiva que a pessoa possui sobre a vida e o futuro, é também
considerada como um fator importante para o ótimo funcionamento das relações diárias. O
otimismo é considerado como uma tendência relativamente estável e generalizada de indivíduos
para esperar resultados positivos na vida. Para atingir o objetivo foi proposto dois estudos
desenvolvidos a partir de revisões sistemáticas com meta-análise e um estudo empírico. Para
realização das análises dos estudos teóricos se deu por meio do software Comprehensive Meta-
Analysis. No primeiro estudo se investigou o efeito da pressão econômica sob o conflito conjugal
e nas práticas parentais, foi realizada uma revisão sistemática com uso da meta-análise, logo
observou a partir das revisões sistemáticas que os estudos primários se observa um poder
explicativo entre a pressão econômica e conflito conjugal o odds ratio (OR) foram significativos,
e apresentou uma heterogeneidade alta (I² = 87%); os tamanhos de efeitos da Pressão Econômica
e sua influência no Conflito Conjugal foram positivos [r Meta-análise = 0,210 (IC 95% = 0,18 –
0,24); p < 0,001)]. Para correlação entre pressão econômica e parentalidade, a heterogeneidade
foi alta (I² = 97%). Esse resultado pode estar associado as variações que podem influenciar
diretamente nos resultados, as quais podem ser devidas as diferenças amostrais, o pequeno
número de estudo que utiliza correlações entre os dois construtos. O resultado demonstrou que a
pressão econômica exerce uma influência negativa sobre a parentalidade [r Meta-análise = 0,432
(IC 95% = 0,40 – 0,45); p < 0,001)]. No segundo artigo discute-se os recursos protetivos
individuais, positividade e otimismo, que atuam na proteção contra os impactos da pressão
econômica no contexto familiar. A partir do resultado, se observou associação entre a
positividade e parentalidade, onde os resultados foram significativos. Mesmo apresentado
heterogeneidade alta (I² = 93%) o tamanho de efeito se mostrou positivo [r Meta-análise = 0,288
(IC 95% = 0,11 – 0,44); p < 0,001)] apontando que a positividade exercer efeito positivo sobre a
parentalidade. Já os resultados entre otimismo e parentalidade indicaram uma heterogeneidade
alta (I² = 85%) sendo significativos e apresentando o poder de efeito explicativos entre os estudos
[r Meta-análise = 0,247 (IC 95% = 0,21 – 0,28); p < 0,001)], a partir dos resultados da meta-
análise é possível entender o otimismo dos pais tem um efeito positivo nas práticas parentais, o
que reduz os efeitos causados pela adversidades econômica no ambiente familiar. No terceiro
estudo analisou as características individuais positivas e o otimismo dos pais atuam como fatores
de proteção no enfrentamento da pressão econômica no contexto familiar. o terceiro Tratou-se de
um estudo correlacional, de natureza ex post facto. Participaram da pesquisa 240 pessoas, sendo53,3% do sexo masculino e 46,7% do sexo feminino, com média de idade de 36,4 (Min 18, Max
62). Os participantes responderam os seguintes instrumentos: Escala de Pressão Econômica;
Escala de Depressão, Ansiedade e Estresse (DASS-21); Escala de Positividade; The Life
Orientation Revised Test; Escala O’Leary-Porter Scale – OPS e o Questionário sócio
demográfico. Este projeto foi submetido e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da
Universidade Federal do Piauí. Para as análises foram empregados o programa IBM SPSS versão
25 para as análises de dados e o IBM AMOS versão 21. Dessa forma, os resultados apontam que a
pressão econômica se relaciona com os sintomas psicológicos dos pais Em geral, aqueles que
experimentaram maiores dificuldades econômicas, consequentemente, apresentaram níveis mais
altos dos sintomas psicológicos, como também os conflitos conjugais foram mais frequentes na
presença dos filhos. Assim como otimismo e a positividade se mostraram negativamente
correlacionada com a pressão econômica. Ainda, a positividade se mostrou como variável
mediadora na relação entre pressão econômica e conflito conjugal. Os estudos meta-analíticos
demonstraram que a pressão econômica imprime um efeito negativo sobre o conflito conjugal e a
parentalidade negativa, tal como, o otimismo e a positividade na parentalidade positiva frente a
famílias que enfrentam problemas financeiros decorrentes dos períodos de crise econômica.
Portanto, os achados sobre as características individuais propõem que os sujeitos que adotam uma
orientação positiva aparentemente lidam melhor com os estressores como, a pressão econômica,
conflito conjugal e os desafios da parentalidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1867530 - SANDRA ELISA DE ASSIS FREIRE
Interno - 1551072 - LUDGLEYDSON FERNANDES DE ARAUJO
Externo à Instituição - VALDINEY VELOSO GOUVEIA - UFPB
Notícia cadastrada em: 09/12/2019 08:22
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 06/10/2022 20:10