Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: YAMILA LARISSE GOMES DE SOUSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: YAMILA LARISSE GOMES DE SOUSA
DATA: 09/07/2020
HORA: 10:00
LOCAL: Sala do Psiqued
TÍTULO: Análise psicossocial da saúde do professor da rede pública no Piauí
PALAVRAS-CHAVES: Adoecimento docente; saúde do professor; rede pública.
PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

O conceito de saúde tem se ampliado ao longo do tempo, se faz necessário uma discussão que considere aspectos políticos, sociais e culturais que nela interferem. Esse fato deve ser considerado quando se trata da saúde do professor, pois além do equilíbrio individual é importante o bem-estar social. A profissão docente é considerada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) como uma das mais estressantes, a atividade de ensinar gera consequências na saúde física e mental dos professores, ensinar tornou-se desgastante o que impacta no desempenho profissional. Na atividade docente estão presentes múltiplos estressores psicossociais que podem estar relacionados com a especificidade de suas funções, e ou contexto institucional e social onde a função é exercida. A profissão docente atravessa significativos desafios, advindos das constantes mudanças ocorridas no mundo do trabalho. As condições ruins que são provenientes deste cenário, das exigências em relação ao papel do professor e sua desvalorização, cada vez mais estão associadas ao adoecimento físico e mental destes profissionais. Em razão disso, há o questionamento: quais fatores psicossociais interferem na saúde do professor do ensino básico na rede pública no contexto piauiense? Com o intuito de responder esse questionamento a presente pesquisa objetiva analisar fatores psicossociais que interferem na saúde do professor da educação básica na rede pública de ensino no Piauí. Além de realizar uma revisão sistemática da literatura sobre o adoecimento docente na rede pública de ensino; associar as demandas ligadas à saúde com o trabalho docente; associar os comportamentos de risco dos professores e a sua vinculação com a saúde; caracterizar as ações de cuidados relacionadas à saúde dos docentes. Essa pesquisa foi aprovada no Comitê de Ética em Pesquisa - CEP da Universidade Federal do Piauí, conforme número do parecer: 3.502.776. Trata-se de um estudo do tipo documental que analisou os documentos do banco de dados da Unidade de Gestão e Inspeção Escolar/UGIE da Secretaria do Estado de Educação/SEDUC. Foram analisados os 5141 documentos de registro das 21 Gerências Regionais de Educação/GRE do estado do Piauí. Após a coleta, os dados foram organizados em planilhas e posteriormente analisados por meio do pacote estatístico Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versão 25, fez-se uso da análise descritiva e do teste qui-quadrado, que foram organizados em tabelas e gráficos. Os resultados seguem apresentados por meio de quatro estudos. O estudo 1, por meio de uma revisão sistemática indicou uma tendência dos estudos sobre a precarização do trabalho docente, a incidência da síndrome de Burnout e o adoecimento mental dos docentes em escolas públicas brasileiras. Além disso são feitos poucos estudos que investigam esta realidade. Os estudos centram-se apenas em estados da região Sul e Sudeste, há uma lacuna de estudos nas regiões norte e nordeste do Brasil. Além da escassez de estudos sobre saúde de forma ampla considerando os aspectos físicos, mentais e sociais dos professores e sobre ações de cuidado. Já no estudo 2, produto da pesquisa documental, seus resultados apontam que a carga horária
semanal e o tempo de serviço se associam às demandas da saúde, de modo que as doenças gerais aparecem com maior frequência em professores com maior tempo de experiência e maior carga horária semanal. As doenças que mais se destacaram, considerando os dois aspectos foram: enxaqueca, sinusite e estresse. Estudos 3 e 4 em andamento. Espere-se que os resultados possam auxiliar a promoção de saúde de forma ampliada, com foco nas doenças respiratórias e decorrentes do desgaste vocal, ações de cuidado sobre a saúde mental dos professores e políticas públicas voltadas aos docentes da rede pública no ensino básico, sobretudo no Piauí, de modo a superar a lógica da individualização e não responsabilizar ou culpabilizar professores. À vista disso, os benefícios do cuidado com a saúde dos professores também podem colaborar para que as escolas possam cumprir seu papel na transmissão do conhecimento científico e humanização do cidadão.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - BRENO DE OLIVEIRA FERREIRA - UFAM
Presidente - 1859186 - FAUSTON NEGREIROS
Interno - 2441003 - RAQUEL PEREIRA BELO
Externo ao Programa - 3064821 - RICARDO NEVES COUTO
Notícia cadastrada em: 18/06/2020 09:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 26/09/2022 01:07