Notícias

Banca de DEFESA: ELLERY HENRIQUE BARROS DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ELLERY HENRIQUE BARROS DA SILVA
DATA: 12/02/2021
HORA: 08:00
LOCAL: Plataforma Google Meet (online)
TÍTULO: Violência nas escolas públicas do Piauí na perspectiva dos estudantes: uma análise a partir da Psicologia Histórico-Cultural
PALAVRAS-CHAVES: Violência escolar; Escolas públicas; Piauí; Psicologia histórico-cultural.
PÁGINAS: 140
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

As discussões acerca da violência nas escolas têm se ampliado ao longo dos tempos, tal fenômeno necessita uma maior contextualização dos acontecimentos em torno dos campos sociais, para compreender como ela é produzida e reproduzida dentro do espaço educacional. Entende-se por violência escolar como uma manifestação histórico-cultural que age de forma multifacetada, nela estão associados os elementos culturais e sociais praticadas pelos membros pertencentes ao meio escolar (docente, discente, servidores, comunidade). Dentre tais ações, podem-se inferir as brigas, as discussões, os danos ao patrimônio público, as relações de conflitos interpessoais, as agressões físicas, psicológicas, virtuais, e a violência simbólica. Nessa perspectiva, as mudanças socioeconômicas e socioculturais ocorridas na sociedade têm sido um condicionante para as modificações no entorno da escola. Em razão disso, emerge o questionamento: qual a frequência da violência nas escolas públicas do Piauí a partir da perspectiva dos estudantes em relação a família, os professores, os funcionários e a estrutura física? Com o intuito de responder esse questionamento a presente pesquisa objetiva investigar a relação da frequência de violência nas escolas públicas do Piauí com a perspectiva dos estudantes e em relação com a família, os professores, os funcionários e a estrutura física. Além de: realizar uma revisão sistemática da literatura sobre a violência escolar no cenário brasileiro; verificar evidências psicométricas de validade e precisão dos itens que mensuram violência nas escolas públicas do Piauí; identificar a prevalência da violência dos estudantes nas escolas públicas do Piauí relacionada com os professores; averiguar a relação entre a presença e orientação das famílias dos estudantes com as situações de conflitos em decorrência da violência no ambiente escolar; e analisar a relação da prevalência de violência dos estudantes com a satisfação dos funcionários e com a estrutura física nas escolas públicas do Piauí. Essa pesquisa foi aprovada no Comitê de Ética em Pesquisa - CEP da Universidade Federal do Piauí, conforme número do parecer: 3.502.770. Trata-se de um estudo do tipo documental, que analisou os documentos do banco de dados da Unidade de Gestão e Inspeção Escolar/UGIE da Secretaria do Estado de Educação/SEDUC. Foram analisados os 57.906 documentos de registros das 21 Gerências Regionais de Educação/GRE do estado do Piauí. Após a coleta, os dados foram organizados em planilhas e posteriormente, analisados por meio do pacote estatístico Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versão 21, através deste, foram realizadas as análises descritivas, seguida de uma análise fatorial exploratória e foi verificada a consistência interna por meio do índice de alfa de Cronbach, também foi realizado um teste t e correlações. Os resultados seguem apresentados por meio de estudos. No Estudo 1, por meio da revisão sistemática acerca da violência nas escolas, revelou-se que o maior número de pesquisas se concentra em estados das regiões Sul e Sudeste do Brasil, além de uma ampla variedade de pesquisas quanto às abordagens (qualitativos, quantitativos e métodos mistos) e diversidade de procedimentos e instrumentos de investigação (entrevistas, aplicação de escalas, questionários, observação) sobre o objeto de estudo. O Estudo 2, uma pesquisa com documentos, analisou-se que dentre as violências mais frequentes estão: a verbal, a moral, a material e a social. Quanto ao gênero dos participantes, os estudantes do sexo masculino pontuam mais (propensos a serem agressores e vítimas) se comparado às estudantes do sexo feminino. Já o Estudo 3 pretende trazer reflexões acerca da violência escolar sob a perspectiva dos estudantes piauienses, sobretudo relacionando-se com os professores, com as famílias, com os funcionários e com a estrutura física. À vista disso, acredita-se que a presente investigação poderá subsidiar programas e políticas públicas educacionais voltadas para a segurança, bem-estar dos atores e atrizes sociais da escola, formação continuada de educadores, promoção de cultura de paz na escola e na família. A fim de que possam colaborar para o desenvolvimento de uma escola mais segura, democrática e potencialmente transformadora.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - BRENO DE OLIVEIRA FERREIRA - UFAM
Interno - 2730053 - EMERSON DIÓGENES DE MEDEIROS
Presidente - 1859186 - FAUSTON NEGREIROS
Externo à Instituição - RICARDO NEVES COUTO - UNIRB
Notícia cadastrada em: 05/02/2021 10:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 25/09/2022 23:19