Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JANAINA OLIVEIRA ROCHA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JANAINA OLIVEIRA ROCHA
DATA: 17/11/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Plataforma Google Meet (online)
TÍTULO: Atuação da Psicóloga Escolar e Educacional frente a demandas de perdas e luto
PALAVRAS-CHAVES: Psicologia Escolar e Educacional; Perdas; Luto.
PÁGINAS: 109
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

O desenvolvimento da Psicologia Escolar no Brasil se apresenta alinhado às transformações sociais que constituem a história social, cultural, econômica e política do País. Assim como a Psicologia Escolar passou por transformações produzidas sob a influência dos modelos de sociedade, as percepções construídas acerca de processos de perdas e luto também tem se transformado conforme os moldes sociais são construídos e estabelecidos. Fala-se, pois de mortes e vidas (des)legitimadas socialmente, como as vidas da população LGBTQIA+, as vidas femininas, pretas e pobres. Tais processos de perdas produzidas socialmente são presentes no cotidiano educacional tanto como demandas que emergem no dia a dia da educação, quanto como processos produzidos pelo campo educacional. A crescente demanda relacionada a perdas e luto, sob a ótica da deslegitimação de existências leva para o campo do indefinido as formas de atuação profissional que sejam consoantes com uma perspectiva contextualizada, crítica e interrelacionada com os diversos aspectos de vidas e mortes. Assim, surgiu o anseio de investigar as práticas adotadas pela psicóloga escolar e educacional (PEE) brasileira diante das demandas de perdas e luto nos campos de trabalho educacionais na Educação Básica. A partir disso, objetivou-se, de modo geral, revelar as práticas adotadas pela PEE diante das demandas de morte e luto nos campos de trabalho educacionais. Especificamente, objetivou-se sistematizar as concepções teóricas que fundamentam as ações das PEEs, identificar as demandas sobre perdas e luto que chegam às profissionais e caracterizar as práticas adotadas pelas PEEs quando surgem demandas relacionadas a perdas e luto. Este estudo é de abordagem qualitativa, com base na Psicologia Histórico-Cultural. Ressalta-se que esta pesquisa obteve parecer favorável (3.945.795) do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) com seres humanos. Assim, realizou-se a apreensão da realidade pesquisada, que contou com a participação de 62 PEEs de diferentes regiões do Brasil. Os dados foram apreendidos via formulário eletrônico online do Google Docs. Todos os aspectos éticos da foram resguardados conforme as resoluções 466/12 e 510/16 do Conselho Nacional de Saúde. Os procedimentos analíticos dos dados foram realizados à luz da perspectiva Histórico-Cultural por meio da dialética singular-particular-universal. Como principais resultados, as psicólogas escolares revelaram que as demandas referentes a perdas e luto emergem de forma pontual e individualizada em contexto educacional. Estas são relacionadas às perdas de familiares de escolares, morte de agentes escolares e ao suicídio. As perspectivas adotadas pelas profissionais na mediação das demandas revelam abordagens clássicas da Psicologia, como TCC, Gestalt-terapia e Psicanálise e ainda, abordagens críticas em Psicologia Escolar, como a Teoria Histórico-Cultural e Socioconstrutivista. As psicólogas ainda revelaram adotarem aporte teórico de autoras e autores especializados na área das perdas, como Kübler-Ross, Parkes e Bowlby. Ressalta-se a importância de discussões e reflexões críticas das práticas em Psicologia Escolar e Educacional voltadas para o diálogo e trabalho com as perdas e luto em contexto escolar por meio da necessária atuação de profissionais de psicologia na educação como forma de mediar processos mais respeitosos, sensíveis, éticos, críticos e democráticos acerca das vidas e mortes presentes nos contextos educacionais. Além disso, recomenda-se a realização de mais pesquisas que estabeleçam relação entre educação, perdas e luto a fim de promover uma reflexão crítica de tais fenômenos, inclusive que ressaltem o contexto de pandemia e pós-pandemia. Afirma-se ainda que os resultados apresentados neste trabalho não são passíveis de generalização, de modo que não se esgotam com o presente estudo.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 004.904.533-41 - CARLOS EDUARDO GONCALVES LEAL - UFPI
Presidente - 1859186 - FAUSTON NEGREIROS
Interno - 1867530 - SANDRA ELISA DE ASSIS FREIRE
Notícia cadastrada em: 15/11/2021 15:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 26/09/2022 00:04