Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: CLEITON UCHÔA DE MELO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CLEITON UCHÔA DE MELO
DATA: 06/12/2021
HORA: 11:15
LOCAL: google meet (remoto)
TÍTULO: AVALIANDO A RUMINAÇÃO DA COVID-19 E SEUS CORRELATOS
PALAVRAS-CHAVES: covid-19, correlatos, valores, e
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

Introdução.Considerando a gravidade da pandemia de COVID-19 e o desconhecimento dos seus efeitos a longo prazo, associado a posição em que o Brasil se encontra em relação as estratégias de enfrentamentoe que a exposição a eventos estressantes está associada longitudinalmente ao aumento do envolvimento na ruminação, este estudopretende adaptar um instrumento que avalie a ruminação da COVID-19de forma adequada e precisa. Assim, espera-se preencher uma lacuna percebida no cenário nacional referente a esta temática, além ajudar na compreensão de seus correlatos. Fundamentação Teórica.O fenômeno da ruminação é caracterizado por uma série de pensamentos repetitivos, persistentes e focados em eventos ou sentimentos negativos, desagradáveis ou ameaçadores ao indivíduo, bem como nas causas ou consequências destes(González, Ibáñez, &Barrera, 2017). Ademais, a ruminação é considerada uma vulnerabilidade cognitiva para distúrbios de ansiedade, humor e alimentação.A percepção da gravidade de situações de desastre, associada a posterior ruminação da experiência, é considerada como um importante preditor do Transtorno de Estresse Pós-traumático e da depressão. A ruminação ainda pode ser classificada em dois tipos, positiva ou negativa, a depender dos seus efeitos nas emoções e nos sintomas psicopatológicos, do contexto intrapessoal e situacional em que ocorre, do foco do conteúdo ruminativo e da sua duração. Entre as principais consequências na ruminação negativa estão: a) depressão, b) ansiedade e c) dificuldades na saúde física. Positivamente, a ruminação pode atuar: a) na recuperação de eventos traumáticos, b) na preparação adaptativa e planejamento antecipatório, c) na recuperação de episódios depressivos e d) na adesão de comportamentos promotores de saúde (Ricarte et al., 2020).A ruminação ainda se apresenta em situações estressantes cuja solução esteja além do controle do indivíduo ou que o sobrecarregue, como tende a ser o caso com a pandemia de COVID-19. Dito isso, o conceito de Locus de Controle se refere a percepção que o indivíduo tem sobre se as recompensas ou resultados dependem ou não do seu próprio comportamento. Índices elevados de locus de controle interno estão associados negativamente a ruminação da raiva e depressão. Apesar de o stress e a 23 preocupação serem respostas comuns em situações ameaçadoras e marcadas pela incerteza, pensamentos ruminativos sustentados por um período longo de tempo podem impedir a recuperação dos indivíduosou sobrecarregar seu bem-estar. Além disso, estudos demonstram que o foco da atenção na pandemia de COVID-19 impactou significativamente as emoções, intensificando asemoções negativas epor consequência, a diminuição de positivas, mesmo em pessoas saudáveis e em isolamento doméstico (Wang et al., 2021). Objetivos. Este estudo tem como objetivo adaptar as medidas COVID‐ 19 RuminationScale (C‐ 19RS; Nikolova, 2021), a COVID-19 Perceived Risk Scale(CPRS;Yıldırım, M., &Güler, A., 2020) e a LocusofControlScaleSpecifictoWellBeing (WB-LOC12; Farnier et al., 2021), buscando averiguar evidências de validade (construto e convergente) e de precisão das medidas. E como objetivos específicos: (1) adaptar as medidas C‐ 19RS, CPRSe WB-LOC12 para o contexto brasileiro, (2) reunir evidências de validade interna e precisão dos instrumentos, além de (3) verificar evidências de validade convergente para medidas externas, por meio das Escalas de Medo e de Ansiedade ao Coronavírus, da Escala de Bem-Estar Mental de Warwick-Edinburgh e da Escala de Depressão, Ansiedade e Estresse(DASS- 21), fenômenos relacionados a ruminação na literatura. Método.Inicialmente, o projeto será submetido à Plataforma Brasil e, em seguida, ao Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Federal do Piauí e seguirá as normas e as recomendações das resoluções 466/12 e 510/16 do Conselho Nacional de Saúde, referentes a realização de pesquisas com seres humanos. Em seguida, a coleta acontecerá no formato eletrônico, por meio do Google Forms, sendo disponibilizado aos participantes um link em redes sociais e aplicativos de mensagens e e-mails. Nesse caso, se terá em conta a técnica de bola de neve para participação na pesquisa. Ressalta-se que os participantes que aceitarem contribuir com a pesquisa, iniciarão os procedimentos de coleta de dados mediante o consentimento voluntário, através do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, no qual será assegurado o caráter anônimo e confidencial das respostas, enfatizando que a participação será voluntária e não trará nenhum prejuízo ou bônus aos participantes, podendo desistir da mesma a qualquer momento sem ônus; ainda buscar-se-á indicar que as análises serão tomadas no conjunto e somente terão acesso aos dados os pesquisadores diretamente envolvidos. O pesquisador explicará que o questionário não tem a finalidade de diagnosticar os participantes e não tem essência de certo e errado. Aqueles que concordarem com o termo deverão clicar no botão “avançar”, o qual dará acesso aos instrumentos que serão respondidos. Serão realizados dois estudos, com ênfase 24 psicométrica. Espera-se contar com uma amostra não probabilística (de conveniência) de no mínimo 400 pessoas, de ambos os gêneros, de diferentes estados brasileiros, que serão convidadas aleatoriamente e divididos de forma equivalente na composição dos dois estudos distintos, não experimentais (correlacionais) do tipo ex-post-facto. Como critério de inclusão, os indivíduos deverão ter 18 anos de idade ou mais e estarem vivenciando a pandemia da COVID-19 no Brasil.O Estudo 1, objetivará reunir evidências de validade fatorial e precisão das medidas C‐ 19RS, CPRSe WB-LOC12 no contexto brasileiro. Na oportunidade, os participantes responderão as três escalas (que serão traduzidas e adaptadas para o Brasil meio do método de tradução reversa), além de um Questionário Sociodemográfico. Para a análise de dados, será utilizado o softwareSPSS, versão 23, visandoaveriguar estatísticas descritivas para caracterizar a amostra. O software Factor 9,2 será utilizado para proceder a Análise Fatorial Exploratória (AFE), a fim de investigar a dimensionalidade das medidas, por meio do método Hull Comparative Fit Index de retenção fatorial tendo em vista ser um dos mais indicados métodos disponíveis, UnweightedLeastSquares(ULS), com correlações policóricase o teste MinimumAveragePartial para averiguar o número de fatores retidos que compartilham a variância comum. Ademais, será calculado o alfa de Cronbache o Ômega de McDonald objetivando verificar a consistência interna dos instrumentos.OEstudo 2 terá por objetivo de reunir evidências complementares sobre a estrutura fatorial das medidas C‐ 19RS, CPRSe WB-LOC12 no contexto brasileiro, com o intento de comprovar sua dimensionalidade dos instrumentos, serão realizadas análises fatoriais confirmatórias (AFCs), além de reunir evidências de validade convergente. Para tanto, serão aplicadas as versões adaptadas dos instrumentos do Estudo 1, além de um questionário com características sociodemográficas. Ademais, serão acrescidas as medidas: DASS 21, Escala de Bem-Estar Mental de Warwick-Edinburgh, Escala de Medo da COVID-19 e Escala de Ansiedade ao Coronavírus. A coleta de dados seguirá procedimentos similares ao do estudo 1. Para a análise dos dados, o software R será utilizado por meio do pacote Lavaan, para realização dasAFCs. Para avaliar a adequação do modelo, serão empregados os seguintes indicadores: (1) Comparative Fit Index (CFI), é o índice comparativo dos modelos, o qual considera modelo ajustado, valores iguais ou superiores a 0,90; (2) Tucker-Lewis Index (TLI), é o índice de adequação do modelo, valores acima de 0,90 são considerados adequados; e (3) Root-Mean-Square ErrorofApproximation(RMSEA) diz respeito ao ajuste do modelo, com intervalo de confiança de 90% (IC90%), que recomenda valores entre 0,05 e 0,08, admitindo-os até 0,10. O software SPSS, versão 23, 25 também será utilizado para os procedimentos de análise dos dados, possibilitando análises descritivas para fins de caracterização das amostras, bem como a consistência interna, além da correlação de Pearson a fim de conhecer as relações entre as medidas, que possibilitarão reunir evidências de validade convergente.Resultados. Espera-se apresentar três medidas adaptadas e que apresentem qualidades métricas aceitáveis para o contexto brasileiro, além de conhecer em que medida os instrumentos supracitados estão relacionados a ansiedade, depressão, estresse, além de medo e ansiedade com relação à COVID-19. Acredita-se que os resultados dessa pesquisa permitam que pesquisadores possam compreender melhor os mecanismos envolvidos na ruminação de COVID-19 e seus correlatos, possibilitando o desenvolvimento de métodos de intervenção durante e posteriormente a crise de saúde acarretada pela pandemia. Por fim, estima-se que os resultados dessa pesquisa possam subsidiar e aumentar o escopo de evidências empíricas sobre a temáticas e possibilitem outros pesquisadores ao plano nacional, que poderão se munir de ferramentas valiosas para execução de pesquisas que tenham a ruminação da COVID 19 como variáveis de interesse


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA KARLA SILVA SOARES - UFMS
Interno - 1398721 - ANA RAQUEL DE OLIVEIRA
Presidente - 2730053 - EMERSON DIÓGENES DE MEDEIROS
Notícia cadastrada em: 03/12/2021 08:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 25/09/2022 23:52