Notícias

Banca de DEFESA: VINÍCIUS RODRIGUES DE BRITO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VINÍCIUS RODRIGUES DE BRITO
DATA: 26/07/2022
HORA: 15:00
LOCAL: Sala virtual (on-line)
TÍTULO: Jornalismo e memória em fluxos digitais: incorporações mnemônicas na cobertura on-line da pandemia de covid-19 dos jornais O Globo e Folha de São Paulo
PALAVRAS-CHAVES: Memória; Jornalismo Digital; Pandemia de Covid-19; Brasil.
PÁGINAS: 167
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Comunicação
RESUMO:

O presente estudo se adereça às relações entre jornalismo e memória, sobretudo no tocante aos
modos em que essas dinâmicas se constituem – e são modificadas – pelo caráter pervasivo e
atualizável de tecnologias digitais na atualidade. A delimitação desses contornos, por sua vez, ganha
ímpeto quando se considera a emergência do contexto pandêmico iniciado em 2020. Nesse
momento, para além de as mediações tecnológicas se tornarem mais presentes em diversas esferas
do cotidiano, o jornalismo reforça seus papeis enquanto instituição necessária para a veiculação e
verificação de informações, bem como enquanto repositório de registros sobre esse período. Diante
dessas premissas, a dissertação tem por objetivo analisar incorporações mnemônicas no jornalismo
on-line brasileiro a partir da cobertura da pandemia de Covid-19 nos jornais O Globo e Folha de
São Paulo. A intenção é identificar como a memória integra narrativas noticiosas por meio de
menções referenciais a informações e acontecimentos relativos a outras temporalidades que não
aquela na qual as publicações, originalmente, se inserem. A investigação, então, se baseia em
alguns critérios norteadores, como: a categorização de camadas temporais presentes nas notícias, o
reconhecimento de tipologias de acionamento memorial, a classificação de abordagens temáticas e a
verificação de elementos comuns a arquiteturas hipertextuais. Para tanto, o estudo se baseia, em
nível metodológico, no Estudo de Caso (YIN, 2015) e na Análise de Conteúdo (BARDIN, 2010),

além de adotar a técnica de amostragem não probabilística de semanas compostas (FONSECA JR.,
2009) enquanto estratégia de coleta de dados. Como resultado, foi possível a constatação de
elementos comuns aos usos da memória implementados pelos observáveis, tanto em níveis
tipológicos quanto no que se refere aos formatos de apresentação. Do mesmo modo, identificou-se
que, afora o emprego da memória em atividades comemorativas ou por propósitos não-
comemorativos em níveis contextuais e comparativos, as inferências mnemônicas também se
constituíram como ferramentas de caráter autorreferencial aos veículos analisados.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALLYSSON VIANA MARTINS - UFRO
Presidente - 1213357 - JULIANA FERNANDES TEIXEIRA
Interno - 2575484 - NILSANGELA CARDOSO LIMA
Notícia cadastrada em: 30/06/2022 08:51
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 13/08/2022 12:36