Notícias

Banca de DEFESA: HAYLANE NUNES DA CONCEICAO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HAYLANE NUNES DA CONCEICAO
DATA: 05/02/2024
HORA: 14:00
LOCAL: SALA DO PPGSC
TÍTULO: RELAÇÃO ENTRE DESRESPEITO E ABUSO DURANTE O PARTO E DEPRESSÃO PÓS-PARTO
PALAVRAS-CHAVES: Violência obstétrica. Parto. Depressão pós-parto. Violência contra a mulher. Saúde materna.
PÁGINAS: 89
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
SUBÁREA: Saúde Pública
RESUMO:

Introdução: O desrespeito e abuso no parto (DAP) constitui uma grave violação dos direitos humanos, afetando muitas mulheres nas instituições de saúde em todo o mundo. Mulheres expostas ao DAP podem apresentar maiores probabilidades de problemas de saúde mental, como a depressão pós-parto (DPP). Entretanto, há escassez de estudos sobre a temática. Objetivo: Analisar a relação entre desrespeito e abuso durante o parto e depressão pós-parto. Métodos: Trata-se de estudo transversal, realizado com mulheres residentes na zona rural e urbana de Caxias, Maranhão, e que receberam atendimento durante o trabalho de parto e parto na maternidade pública do município. Considerou-se a DPP como variável dependente, sendo avaliada pela Escala de Depressão Pós-Natal de Edimburgo. As variáveis independentes foram características sociodemográficas, antecedente de saúde mental, aspectos comportamentais relacionados à saúde no período gestacional, características obstétricas e autopercepção do DAP (abuso físico; abuso verbal; abuso sexual; discriminação; não cumprimento de normas profissionais recomendadas; relações inadequadas entre mulheres e profissionais de saúde; e condições do sistema de saúde e restrições). O teste do qui-quadrado de Pearson foi empregado para avaliar a associação entre o desfecho (DPP) e a ocorrência de DAP. Além disso, utilizou-se a regressão logística múltipla, com cálculo de odds ratio ajustada (ORaj) e intervalos de confiança de 95% (IC95%). O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí. Resultados: Foram entrevistadas 190 mulheres. A DPP apresentou prevalência de 16,6%.  A ocorrência de pelo menos um tipo de DAP foi de 97,4%, com predomínio das condições do sistema de saúde e restrições (94,7%). Mais da metade das mulheres (66,3%), foram submetidas simultaneamente a dois tipos de DAP, enquanto três ou mais formas foram relatadas por aproximadamente um quarto das entrevistadas (22,6%).Sofrer dois (ORaj=3,01; IC95% 1,08-8,33) ou três ou mais formas de DAP (ORaj=3,41; IC95% 1,68-24,40) aumentaram de 3 a 3,4 vezes a chance da ocorrência de DPP, respectivamenteConclusões: A experiência de dois ou três ou mais tipos de DAP aumentou em aproximadamente 3 vezes a chance de desenvolver DPP, evidenciando associação significativa entre DAP e DPP. Nesse sentido, é necessário a elaboração de estratégias institucionais locais para melhorar a assistência durante o parto, para garantir atendimento digno e respeitoso às mulheres e reduzir a chance de desenvolver DPP. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 662.467.844-53 - ALBERTO PEREIRA MADEIRO - UESPI
Interno - 287.434.743-49 - ANDREA CRONEMBERGER RUFINO - UESPI
Interno - 3367697 - MARCIO DENIS MEDEIROS MASCARENHAS
Externo à Instituição - MARIA DAS DORES SOUSA NUNES - UNINOVAFAPI
Notícia cadastrada em: 17/01/2024 08:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 19/06/2024 08:13