Notícias

Banca de DEFESA: BRUNA GRAZIELLE MENDES RODRIGUES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BRUNA GRAZIELLE MENDES RODRIGUES
DATA: 07/02/2024
HORA: 14:30
LOCAL: SALA DO PPGSC
TÍTULO: ASSOCIAÇÃO ENTRE O CONSUMO DE ALIMENTOS IN NATURA/ MINIMAMENTE PROCESSADOS E ULTRAPROCESSADOS COM A SÍNDROME METABÓLICA: ESTUDO DE BASE POPULACIONAL ISAD-PI
PALAVRAS-CHAVES: Consumo Alimentar. Alimentos in natura. Alimento Processado. Síndrome Metabólica. Doenças Não Transmissíveis.
PÁGINAS: 54
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
SUBÁREA: Saúde Pública
RESUMO:

INTRODUÇÃO: O comportamento alimentar inadequado é um dos principais fatores etiológicos para a síndrome metabólica (SM). Diante disso, o maior risco para desenvolver a SM está associado a ingestão excessiva de gorduras saturadas, carboidratos simples, açúcares, sódio, os quais estão presentes nos alimentos ultraprocessados (AUP). Em contrapartida, a dieta rica em alimentos in natura e minimante processados atua de forma benéfica nessa patologia. OBJETIVO:Verificar a associação entre consumo de alimentos in natura/minimamente processados e ultraprocessados com a síndrome metabólica em adultos e idosos. METODOLOGIA: Estudo de natureza transversal, de base populacional e domiciliar, realizado com a subamostra do Inquérito de Saúde Domiciliar nos municípios de Teresina e Picos (ISAD – PI). Participaram deste estudo 262 indivíduos com idade ≥ 20 anos, de ambos os sexos residentes em Teresina, Piauí. Foram coletados dados demográficos, socioeconômicos, estilo de vida, antropométricos, bioquímicos e de pressão arterial. O consumo alimentar foi obtido por meio da aplicação de Recordatório 24 horas (R24h). O diagnóstico da SM foi realizado conforme os critérios do National Cholesterol Education Program Adult Treatment Panel III (NCEP-ATP III). O teste do qui-quadrado e a regressão de Poisson, expressa em Razão de Prevalência (RP), foram utilizados para verificar as associações. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (nº 2.552.426). RESULTADOS: Dos 262 participantes, 38,2% (n=100) dos indivíduos possuíam idade de 20 a 39 anos e 61,8% (n=162) com ≥ 40 anos, sendo a maior parte do sexo feminino (72,5%). Em relação ao diagnóstico da SM e seus componentes, observou-se que os indivíduos de ≥ 40 anos possuíam maior prevalência de SM (57,4%), bem como apresentaram elevada a glicemia (13,0%), a pressão arterial (54,9%) e a circunferência da cintura. Em indivíduos de ≥ 40 anos que possuíam maior prevalência do diagnóstico de SM (54,3%), estavam com maior CC (50,6%) e PA (54,9%). Com relação ao consumo alimentar, a ingestão calórica de AUP foi de 20% das calorias totais e a ingestão energética total de AUP foi maior entre o grupo mais jovem (24,4%). Verificou-se que indivíduos com ≥ 40 anos apresentaram 35% maior prevalência de SM, enquanto os que consumiam quantidades de alimentos in natura/ minimamente processados tinham proteção de 34% para o diagnóstico de SM. CONCLUSÃO: A prevalência de SM no municipio foi elevada e mais comum em individuos de maior faixa etária. O maior consumo de AUP e alimentos in natura/minimamente processados encontra-se associado a individuos com maior e menor risco de diagnóstico da SM, respectivamente. Desse modo, ressalta-se a importância de monitorar esse consumo, estimular a criação de politicas públicas que desestimulem o consumo de AUP, através da disseminação de informações sobre seu conteúdo e conscientização para adoção de estilo de vida mais saudável, visando tratamento e prevenção das DCNT e melhora na qualidade de vida.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1642393 - KAROLINE DE MACEDO GONCALVES FROTA
Interno - 3367697 - MARCIO DENIS MEDEIROS MASCARENHAS
Externo à Instituição - PAULO VÍCTOR DE LIMA SOUSA - NASSAU
Externo ao Programa - 1421291 - POLIANA CRISTINA DE ALMEIDA FONSECA
Notícia cadastrada em: 25/01/2024 09:07
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 19/06/2024 06:43