Notícias

Banca de DEFESA: PALLYSSON PAULO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PALLYSSON PAULO DA SILVA
DATA: 28/03/2024
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de aula - Campus Senador Helvídio Nunes de Barros/UFPI, Picos-PI
TÍTULO: ANÁLISE DA COBERTURA VACINAL DE CRIANÇAS AOS 24 MESES EM TERESINA-PI: Inquérito Domiciliar
PALAVRAS-CHAVES: Cobertura Vacinal. Saúde da Criança. Esquemas de Imunização. Inquérito Epidemiológico. Fatores Socioeconômicos.
PÁGINAS: 86
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
SUBÁREA: Saúde Pública
RESUMO:

Introdução: A cobertura vacinal é um indicador fundamental para a avaliação da efetividade dos programas de vacinação, e historicamente, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) manteve por longos anos taxas de vacinação superiores a 95%, o que permitiu conquistas exitosas. Contudo, desde 2016, identifica-se declínio nas coberturas, fato que, nenhuma das metas previstas para a vacinação infantil foram alcançadas pelos estados brasileiros no período de 2016-2021. Entretanto, estimar as coberturas vacinais adequadamente, depende de quão próximos os dados estão da realidade. Para isso, inquéritos domiciliares surgem como uma alternativa eficaz, pois proporcionam a extração de informações mais acuradas, e possibilitam compreender fatores e determinantes sociais associados a não vacinação. Objetivo: Analisar a cobertura vacinal aos 24 meses de crianças nascidas na coorte de 2017 e 2018 e residentes em Teresina-PI. Métodos: Estudo analítico, transversal, do tipo inquérito domiciliar, com amostragem por conglomerado de setores censitários, estratificados segundo condições socioeconômicas (A: nível alto, B: médio, C: baixo e D: muito baixo). Foram coletadas informações socioeconômicas da criança, mãe, responsável, família e domicílio, mediante entrevista estruturada, e dados vacinais através da fotografia da caderneta vacinal. Estimou-se os indicadores de cobertura, acesso, adesão e abandono vacinal, por frequências percentuais e intervalo de confiança de 95% (IC95%), com pesos amostrais atribuídos aos estratos de residência. Realizou-se regressão logística uni e multivariada com razão de chances bruta (OR-b) e ajustada (OR-a) ao modelo, para associar a incompletude vacinal para o esquema básico e completo, com as características socioeconômicas da criança, mãe e família. Resultados: Amostra final, de 899 crianças, apresentou cobertura completa de 63,6% (IC95%=55,49;71,07%). Entre os estratos, a maior cobertura foi observada no estrato B [74,9% (IC95%=60,65;85,31%), e as menores entre os estratos mais extremos, 57,7% (IC95%=36,7;76,27%) no A, e 60,5% (IC95%=50,81;69,46%) no D. A incompletude vacinal para o esquema básico associou-se a crianças que frequentaram berçário ou creche (OR-b=1,47), que foram o segundo, terceiro, quarto ou mais filho na ordem de nascimento (OR-b=1,51; 1,73; 1,82, respectivamente), e consequentemente, às mães em média mais de um filho (OR-b=1,29; OR-a=1,21), escolaridade materna entre 9-12 anos (OR-a=1,55), e ao estrato B (OR-b=1,59; OR-a=1,41). Para o esquema completo, associou-se à incompletude a crianças que foram o segundo filho na ordem de nascimento (OR-b=1,38), às mães com média superior a um filho (OR-b-a=1,17), e a famílias com renda superior a 8.000 reais (OR-b=2,22; OR-a=2,81) ou que não informaram a renda (OR-a=1,68). Enquanto houve menor chance de associação em crianças que utilizaram o serviço privado para vacinação (OR-b=0,70), escolaridade materna >=16 anos (OR-a=0,64) e aos estratos mais baixos: B, C e D (OR-b=0,61). Conclusão: Evidenciou-se coberturas ineficazes e heterogêneas para as vacinas analisadas, divergências entre os estratos socioeconômicos e entre o esquema básico e completo. Houve considerável acesso ao serviço, contudo, com altas taxas de abandono para os esquemas multidoses. Portanto, suscita-se melhorias na interoperabilidade entre os sistemas de informação, maiores investimentos para qualificação dos profissionais, e que os resultados apontados sirvam de base para melhoria efetiva nas coberturas vacinais.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA PAULA FRANÇA - FACIME
Interno - 1552848 - ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
Externo ao Programa - 2601436 - EDINA ARAUJO RODRIGUES OLIVEIRA
Presidente - 2730060 - LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
Notícia cadastrada em: 18/03/2024 17:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 24/06/2024 12:58