Notícias

Banca de DEFESA: DIEGO SAVIO VASCONCELOS DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DIEGO SAVIO VASCONCELOS DE OLIVEIRA
DATA: 17/08/2016
HORA: 07:30
LOCAL: Auditório do Departamento de Nutrição da UFPI
TÍTULO:

ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE DE FERRO E ZINCO, CARACTERIZAÇÃO QUÍMICA, TEMPO DE COCÇÃO E PRODUTIVIDADE DE LINHAGENS DE FEIJÃO-CAUPI.


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chave: Vigna unguiculata, qualidade nutricional, biofortificação, interação genótipos x ambientes, GGE biplot.


PÁGINAS: 119
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
SUBÁREA: Ciência de Alimentos
RESUMO:

O feijão-caupi é uma cultura de grande importância socioeconômica na região semiárida do Nordeste do Brasil, onde se constitui na principal fonte de proteína vegetal. A composição química do grão pode se modificar em consequência de mudanças relacionadas a fatores ambientais (nutrição) e aqueles ligados à planta (genética). Portanto, existe um desafio constante na seleção de linhagens mais nutritivas e produtivas para que o conteúdo de nutrientes do feijão-caupi seja capaz de atender as principais recomendações dietéticas. A biofortificação é uma estratégia que tem sido aplicada para melhorar a qualidade nutricional de alguns alimentos básicos de alto consumo pela população, como é o feijão-caupi, visando o combate à desnutrição em populações carentes. Os micronutrientes de estudo da biofortificação em feijão-caupi tem sido o ferro e o zinco e os programas de melhoramento genético visam aumentar as concentrações desses minerais nos grãos. Neste sentido, este trabalho objetivou avaliar a adaptabilidade e estabilidade das concentrações de ferro e zinco e verificar a qualidade química, o tempo de cocção e a produtividade de grãos de linhagens de feijão-caupi. Foram avaliadas 10 linhagens e dois cultivares de feijão-caupi. Os experimentos foram conduzidos em condições de sequeiro/irrigação, nos locais São João do Piauí-PI, Campo Grande do Piauí-PI, Parnaíba-PI e Balsas-MA, no ano de 2015. Adotou-se o delineamento de blocos completos casualizados, com quatro repetições. Foram realizadas análises de variâncias individuais e conjuntas e as médias foram comparadas pelo teste de Tukey (p≤0,05). As análises de adaptabilidade e estabilidade para as concentrações de ferro e zinco foram realizadas via método GGE biplot. Os grãos dos genótipos foram analisados quanto ao teor de carboidratos, proteínas, lipídios, umidade, cinzas, valor energético total, ferro, zinco, potássio, magnésio, sódio, cálcio, fósforo, cobre, manganês, tempo de cocção e produtividade de grãos. Observaram-se as seguintes variações na composição centesimal: carboidratos: 61,36 a 64,46 g.100g-1; proteínas: 23,99 a 25,69 g.100g-1; lipídios: 2,54 a 3,66 g.100g-1; umidade: 5,49 a 5,83%; cinzas: 3,17 a 3,44 g.100g-1 e VET: 377,45 a 381,07 kcal.100g-1. As linhagens identificadas com bons atributos nutricionais no grão foram MNC04-795F-158, MNC04-774F-90, MNC04-769-45 e MNC04-769F-31, pois apresentaram melhor desempenho para as concentrações de cinzas e proteínas, e a MNC04-792F-146 por apresentar boas combinações de baixa concentração de lipídios e altos teores de carboidratos e VET, apresentando comportamento semelhante às cultivares BRS Tumucumaque e BRS Xiquexique. As concentrações de minerais apresentaram as seguintes variações: ferro: 4,85 a 5,54 mg.100g-1; zinco: 4,24 a 4,84 mg.100g-1; potássio: 1.623,06 a 1.762,40 mg.100g-1; magnésio: 186,96 a 202,63 mg.100g-1; sódio: 4,62 a 6,75 mg.100g-1; cálcio: 46,86 a 63,75 mg.100g-1; fósforo: 409,42 a 433,79 mg.100g-1; cobre: 0,39 a 0,51 mg.100g-1e manganês: 1,80 a 2,18 mg.100g-1. A linhagem MNC04-774F-90 apresentou bons níveis de fósforo, potássio e cobre. A linhagem MNC04-792F-146 obteve maiores teores de manganês e cobre. As linhagens MNC04-795F-158 e MNC04-769F-26 foram as melhores em potássio e sódio. A cultivar BRS Xiquexique e as linhagens MNC04-762F-9, MNC04-774F-78 e MNC04-774F-90 apresentaram as maiores concentrações de ferro e zinco no grão, sendo promissoras como cultivares biofortificados em ferro e zinco. Os genótipos e os ambientes diferiram entre si (p≤0,05) e os genótipos se comportaram diferencialmente com os ambientes. O tempo de cocção apresentou uma variação de 14 a 20 minutos, com média geral de 16 min. As cultivares diferiram estatisticamente das linhagens, com estas apresentando menor tempo de cocção (14, 32 min. a 16,47 min.), sendo adequadas para atender a demanda atual dos consumidores. Com relação à produtividade, a maior média por ambiente ocorreu em São João do Piauí-PI, com 1.642 kg.ha-1, enquanto a menor foi em Campo Grande do Piauí-PI, com 863 kg.ha-1, sendo a média geral de 1.169 kg.ha-1; os genótipos avaliados não diferiram estatisticamente entre si (p≤0,05), com as linhagens apresentando comportamento produtivo semelhante ao das testemunhas BRS Xiquexique e BRS Tumucumaque; todas as médias dos genótipos foram acima de 1000 kg.ha-1, com a linhagem MNC04-795F-158 obtendo a maior média (1.449 kg.ha-1). Os resultados evidenciaram que as linhagens MNC04-762F-9, MNC04-774F-78 e MNC04-774F-90 podem ser recomendadas como cultivares biofortificadas em ferro e zinco e com excelentes características químicas, de cozimento e de produtividade de grãos.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 879.350.829-87 - JORGE MINORU HASHIMOTO - UNICAMP
Presidente - 300.580.403-82 - MAURISRAEL DE MOURA ROCHA - EMBRAPA
Externo à Instituição - RAIMUNDO WILANE DE FIGUEIREDO - UFC
Interno - 1167746 - REGILDA SARAIVA DOS REIS MOREIRA ARAUJO
Notícia cadastrada em: 27/07/2016 17:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 13/08/2020 03:05