Notícias

Banca de DEFESA: LARISSA CRISTINA FONTENELLE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LARISSA CRISTINA FONTENELLE
DATA: 04/08/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Auditorio do Departamento de Nutrição
TÍTULO:

BIOMARCADORES DO SELÊNIO E SUA RELAÇÃO COM O METABOLISMO DOS HORMÔNIOS TIREOIDIANOS EM MULHERES OBESAS


PALAVRAS-CHAVES:

Obesidade. Selênio. Hormônios tireoidianos.


PÁGINAS: 85
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
SUBÁREA: Ciência de Alimentos
RESUMO:

INTRODUÇÃO: Estudos têm mostrado a participação de micronutrientes na função da glândula tireoide e no metabolismo dos hormônios tireoidianos na obesidade. O selênio, em particular, por ser componente estrutural das enzimas deiodinases exerce papel importante na função dessa glândula. Além disso, têm sido evidenciado concentrações plasmáticas reduzidas desse mineral em indivíduos obesos. OBJETIVO: O estudo avaliou a relação existente entre marcadores do estado nutricional relativo ao selênio e as concentrações séricas dos hormônios tireoidianos em mulheres obesas. MÉTODOS: Estudo transversal, envolvendo 75 mulheres, com idade entre 18 e 50 anos, sendo distribuídas em dois grupos: grupo caso (obesas, n=38) e grupo controle (mulheres eutróficas, n=37). Foram realizadas medidas do índice de massa corpórea e da circunferência da cintura, bem como analisadas a ingestão de selênio, as concentrações plasmáticas, eritrocitárias e urinárias desse mineral, e as concentrações séricas dos hormônios tireoidianos (TSH, T3 e T4 livres) e anticorpos antitireoidianos (TPOAb e TgAb). A análise da ingestão de selênio foi realizada por meio do registro alimentar de três dias, utilizando o programa Nutwin versão 1.5. As concentrações do selênio plasmático, eritrocitário e urinário foram determinadas segundo o método de espectrometria de emissão óptica com plasma acoplado indutivamente. Os hormônios tireoidianos e anticorpos antitireoidianos foram determinados por meio de quimioluminescência. Os dados foram analisados no programa estatístico SPSS for Windows 20.0. RESULTADOS: Os valores médios da ingestão dietética de selênio estavam adequados segundo as recomendações, sem diferença estatística entre os grupos estudados (p>0,05). As mulheres obesas possuíam concentrações plasmáticas e eritrocitárias de selênio reduzidas quando comparadas ao grupo controle (p<0,05). Não houve diferença significativa entre as concentrações de selênio urinário nas mulheres avaliadas, entretanto o clearance do mineral estava elevado no grupo de obesas (p<0,05). As concentrações médias dos hormônios tireoidianos séricos não apresentaram diferença estatística significativa entre os grupos (p>0,05). Houve correlação negativa entre o selênio eritrocitário e o T4 livre sérico (p<0,05). CONCLUSÃO: A partir dos resultados deste estudo, pode-se concluir que as mulheres obesas apresentam comprometimento no estado nutricional relativo ao selênio, constatado pelas concentrações reduzidas no plasma e maior clearance. Entretanto, as concentrações desse mineral prioritariamente mantidas adequadas nos eritrócitos favoreceram a conversão de T4 em T3 a fim de induzir o gasto energético e controlar a adiposidade, em especial, nas mulheres com obesidade grau II.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1356863 - DILINA DO NASCIMENTO MARREIRO
Interno - 2950101 - FRANCISCO LEONARDO TORRES LEAL
Externo à Instituição - Gilberto Simeone Henriques - UFMG
Interno - 2457259 - MOISES TOLENTINO BENTO DA SILVA
Notícia cadastrada em: 28/07/2016 19:53
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 13/08/2020 02:51