Notícias

Banca de DEFESA: NAIZA CARVALHO RODRIGUES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NAIZA CARVALHO RODRIGUES
DATA: 27/06/2018
HORA: 08:00
LOCAL: AUDITÓRIO PROFª FRANCISCA ELIMA CAVALCANTE LUZ
TÍTULO: SENTIMENTOS DE ADOLESCENTES APÓS A INGESTÃO ALIMENTAR –ESTUDO ERICA
PALAVRAS-CHAVES: Adolescentes. Alimentação Escolar. Sentimentos. Aversões e Desejos Alimentares
PÁGINAS: 89
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Nutrição
RESUMO:

RODRIGUES, N. C. Sentimentos de adolescentes após a ingestão alimentar-Estudo ERICA. 2018. Dissertação (Mestrado em Alimentos e Nutrição)- Programa de Mestrado em Alimentos e Nutrição, Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2018.

Introdução: O ato de alimentar-se possui ricos significados pessoal, social, psicológico e cultural, havendo evidências de que certas preferências ou aversões alimentares podem comprometer a saúde humana. Os alimentos são consumidos por razões diferentes da fome, com motivos relacionados à regulação emocional. Objetivo: Analisar os sentimentos e sua relação com os tipos de alimentos ingeridos por adolescentes de escolas públicas e privadas da cidade de Teresina. Metodologia: Utilizou-se o banco de dados do ERICA referente ao Projeto Suplementar realizado em Teresina. A amostra incluiu 995 adolescentes, ambos os sexos, idade de 12 a 17 anos, cursando o 7º, 8º e 9º ano do ensino fundamental e 1º, 2º e 3º ano do ensino médio, de 33 escolas públicas e privadas. Elegeu-se a variável I do questionário cuja pergunta era “o que você sente quando come...?”, com 14 itens alimentares, os quais permitiam as opções de respostas: bem-estar/satisfação, mal-estar e aversão (cor, cheiro, aspecto e gosto) ou nada. Para análise dos dados, foi usado o software Stata, e as variáveis foram apresentadas por meio de estatística descritiva. Foram usados o Qui-quadrado de Pearson (²) ou teste exato de Fisher quando apropriado. Foram calculadas razões de prevalência utilizando-se modelo de regressão de Poisson, com variância robusta. Considerou-se significativo os valores de p < 0,05. Resultados: A média de idade dos adolescentes foi 14,6 anos, (IC95%14,5 – 14,7 anos), com predomínio do sexo feminino (56,6%) e da rede pública (59,3%). Os resultados mostraram associação significativa entre os sentimentos relatados e o tipo de escola para metade dos alimentos incluídos no estudo. O bem-estar foi maior para o consumo de quase todos os alimentos, sendo a fruta ou suco natural os alimentos mais mencionados (88,6%), principalmente na rede privada. Os alimentos que tiveram associação significativa com o sexo foram os lanches e a carne vermelha gordurosa, com maior frequência para os meninos em relação ao sentimento de bem-estar. Na análise sobre os diferentes tipos de carnes, o sentimento de bem-estar foi maior para o frango e o de mal-estar para a carne vermelha, em ambos os sexos, com diferença significativa (p<0,001). A maioria dos adolescentes não revelou aversão aos alimentos. A chance de sentir aversão foi maior para a carne vermelha gordurosa e o refrigerante entre os escolares da rede privada. Em relação ao sexo, os meninos apresentaram menor chance de aversão ao lanche natural e a carne vermelha gordurosa. O gosto foi o aspecto sensorial mais destacado das aversões alimentares. Conclusão: Houve associação entre sentimentos e consumo alimentar, sendo as variáveis sexo e tipo de escola importantes nesta relação. Além disso, os dados sugerem que os sentimentos não estão direcionados apenas a um alimento específico.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1167579 - CECILIA MARIA RESENDE GONCALVES DE CARVALHO
Externo à Instituição - KARIN LOUISE LENZ DUNKER - USP
Interno - 1167710 - MARIA DO CARMO DE CARVALHO E MARTINS
Externo ao Programa - 3342622 - SUZANA MARIA REBELO SAMPAIO DA PAZ
Notícia cadastrada em: 25/06/2018 11:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 03/06/2020 23:38