Notícias

Banca de DEFESA: ANTÔNIO FRANCISCO VERAS DE CARVALHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANTÔNIO FRANCISCO VERAS DE CARVALHO
DATA: 23/08/2018
HORA: 15:30
LOCAL: AUDITÓRIO PROFª FRANCISCA ELIMA CAVALCANTE LUZ
TÍTULO: SUPLEMENTOS PROTEICOS PARA ATLETAS (WHEY PROTEIN): ANÁLISE DE ROTULAGEM, QUALIDADE HIGIÊNICA, MICROSCÓPICA E MICOTOXICOLÓGICA
PALAVRAS-CHAVES: aflatoxina, Aspergillus, cafeína, LCMS, Staphylococcus, sujidades
PÁGINAS: 67
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Nutrição
RESUMO:

CARVALHO, A. F. V. Suplementos proteicos para atletas (whey protein): análise de rotulagem, qualidade higiênica, microscópica e micotoxicológica. 2018. 67 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Alimentos e Nutrição, Centro de Ciência da Saúde, Universidade Federal do Piauí, Teresina, PI.

O mercado de suplementos alimentares está em expansão mundial sendo o whey protein o mais consumido por praticantes de exercícios físicos, sua indicação na maioria das vezes não é realizada por nutricionistas. Com este trabalho objetivou-se: analisar a qualidade de suplementos proteicos para atletas (whey protein) comercializados em embalagem individualizada ou sachês em Teresina, PI. Adquiram-se sachês de diferentes marcas em lojas de suplementos. As seguintes análises foram realizadas: elementos de rotulagem; contagens de: Staphylococcus coagulase positiva, bactérias heterotróficas mesófilas e fungos filamentosos e leveduriformes, atividade de água; isolamento e identificação destes fungos filamentosos; pesquisa de: sujidades, cafeína e aflatoxinas. As marcas de whey protein atendem parcialmente aos requisitos obrigatórios de rotulagem e omitem substâncias estimulantes do sistema nervoso (cafeína nas marcas sabor chocolate) e alérgenos (ovos e peixes). Não indicam responsável técnico nem informam sobre restrições quanto ao consumo excessivo de proteínas, necessidade de orientação de nutricionista e tipo de whey. As contagens máximas obtidas para os micro-organismos pesquisados foram: Staphylococcus coagulase positiva 2,73 UFC/g em log10; bactérias heterotróficas mesófilas 1,21 UFC/g em log10; fungos filamentosos e leveduriformes 1,64 UFC/g em log10. Fungos como Aspergillus flavus, A. parasiticus e Aspergillus agregados niger foram isolados das amostras analisadas, apesar dos resultados para atividade de água (entre 0,30 a 0,60) não favorecerem a multiplicação dos fungos e dos demais micro-organismos presentes na embalagem. Não foram encontrados fungos dos gêneros Penicillium e Fusarium. Os sachês possuíam as seguintes matérias estranhas indicativas de falhas das boas práticas: fragmentos, fezes e ovos de insetos; hifas; fios de plástico e fragmentos de madeira. As duas (100%) marcas de amostras sabor chocolate continham cafeína entre 329,0 a 851,8 μg por porção de 25 g. As amostras B2 e D4 apresentaram AFB1, AFB2, AFG1 e AFG2, sendo que a maior quantidade encontrada em B2 foi AFG2 com 177,6 μg/25g, na D4 AFG1 76,1 μg/25g. Consumidores de whey protein em sachês estão expostos a quantidades de aflatoxinas que os tornem susceptíveis a micotoxicoses, efeitos teratogênicos, mutagênicos e carcinogênicos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423411 - MARIA CHRISTINA SANCHES MURATORI
Externo ao Programa - 423661 - MARIA MARLUCIA GOMES PEREIRA NOBREGA
Externo à Instituição - ODARA MARIA DE SOUSA SÁ - FSA
Externo ao Programa - 876.013.973-00 - RODRIGO MACIEL CALVET - IFMA
Notícia cadastrada em: 20/08/2018 11:35
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.instancia1 14/08/2020 17:24