Notícias

Banca de DEFESA: CARULINA CARDOSO BATISTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CARULINA CARDOSO BATISTA
DATA: 29/08/2018
HORA: 08:00
LOCAL: AUDITÓRIO PROFª FRANCISCA ELIMA CAVALCANTE LUZ
TÍTULO: SÍNDROME METABÓLICA E SUA ASSOCIAÇÃO COM O CONSUMO ALIMENTAR DE NUTRIENTES ANTIOXIDANTES EM ADOLESCENTES
PALAVRAS-CHAVES: adolescentes; síndrome metabólica; nutrientes antioxidantes.
PÁGINAS: 68
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Nutrição
RESUMO:

BATISTA, C.C. Síndrome metabólica e sua associação com o consumo alimentar de nutrientes antioxidantes em adolescentes. Dissertação (mestrado). Programa de Pós-Graduação em Alimentos e Nutrição. Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2018.

Introdução: A síndrome metabólica (SM) é um conjunto de alterações cardiometabólicas associada com o acúmulo central de gordura, resistência à insulina, dislipidemias e aumento da pressão arterial. A sua prevalência é crescente em adolescentes, sendo essencial identificar os fatores de risco que predispõem a ocorrência dessa síndrome e o consumo de substâncias antioxidantes, resultando em uma ação protetora e efetiva contra os processos oxidativos. Objetivo: Analisar a associação entre os componentes da síndrome metabólica e o consumo alimentar de nutrientes antioxidantes em adolescentes. Métodos: Estudo transversal, realizado com 327 adolescentes, matriculados na rede pública e particular de ensino de Teresina-PI. Avaliaram-se os dados socioeconômicos, antropométricos, pressóricos, bioquímicos e de consumo alimentar. Além disso, os adolescentes foram classificados quanto à síndrome metabólica, segundo critérios propostos pelo NCEP. Foi verificada a associação (odds ratio) entre as variáveis dependentes (síndrome metabólica e seus componentes) e os nutrientes antioxidantes (selênio, cobre, zinco, vitamina A, vitamina C e Vitamina E), os quais foram expressos segundo tercil. O nível de significância adotado foi de p<0,05. Resultados: A prevalência de SM no presente estudo foi de 7,03%, apresentando associação significativa com IMC e pressão arterial. Os menores tercis de consumo de cobre, vitaminas A e E foram associados com os níveis mais elevados de triglicerídeos e glicose. Após o ajuste por sexo, renda, escolaridade materna, atividade física e consumo de bebida alcoólica, apenas o menor tercil de consumo da vitamina A manteve-se associado aos níveis elevados de triglicerídeos (OR: 9,23; IC:2,4135,39) e glicemia (OR: 3,65; IC:1,26-10,51), bem como para a vitamina E, triglicerídeos (OR: 4,89; IC:1,40-17,04) e glicemia (OR: 4,25; IC:1,17-15,49). Conclusão: Foi possível observar a presença da SM na população e as associações significativas de alguns componentes da síndrome com os baixos

consumos de vitamina A e E, os quais apontam riscos e corroboram a hipótese de que esses nutrientes em deficiência no organismo contribuem para a síndrome. Os resultados da presente pesquisa colaboram para propor estratégias de intervenção na saúde, com ênfase nos hábitos alimentares saudáveis em adolescentes.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 423582 - BETANIA DE JESUS E SILVA DE ALMENDRA FREITAS
Presidente - 1642393 - KAROLINE DE MACEDO GONCALVES FROTA
Externo à Instituição - LÍGIA ARAÚJO MARTINI - USP
Interno - 1167710 - MARIA DO CARMO DE CARVALHO E MARTINS
Notícia cadastrada em: 20/08/2018 16:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 14/08/2020 16:46