Notícias

Banca de DEFESA: FELIPE GIOVANNI DE SOUSA E SILVA SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FELIPE GIOVANNI DE SOUSA E SILVA SANTOS
DATA: 24/08/2018
HORA: 08:30
LOCAL: AUDITÓRIO PROFª FRANCISCA ELIMA CAVALCANTE LUZ
TÍTULO: EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS DA SUPLEMENTAÇÃO COM WHEY PROTEIN SOBRE A HOMEOSTASE DA GLICOSE EM DIABÉTICOS TIPO 2: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA E METANÁLISE
PALAVRAS-CHAVES: Whey protein. Homeostase da glicose. Diabetes tipo 2
PÁGINAS: 48
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
SUBÁREA: Ciência de Alimentos
RESUMO:

SANTOS, F. G. S. S. Efeitos agudos e crônicos da suplementação com whey

protein sobre a homeostase da glicose em diabéticos tipo 2: uma revisão

sistemática e metanálise. 2018. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-

Graduação em Alimentos e Nutrição, Universidade Federal do Piauí, Teresina, Piauí.

Atualmente diversos trabalhos vêm destacando o efeito benéfico do whey protein (WP)

na glicemia pós-prandial em indivíduos saudáveis e diabéticos, porém existem achados

controversos acerca do tema, não deixando claro o real efeito do WP na homeostase

glicêmica. Nesse sentido, desenvolvemos uma revisão sistemática e metanálise de

todos os estudos ensaios clínicos, sobre os potenciais efeitos benéficos do WP sobre a

glicose e a insulina pós-prandial. Foram inclusos na metanálise trabalhos do tipo ensaio

clinico, cross-over envolvendo um total 104 pacientes diabetes tipo 2, tendo em comum

os tratamentos agudo e/ou crônico com WP e que avaliaram a área sob a curva (AUC)

e/ou área sob a curva incremental (AUCi) de glicose e de insulina. Foram extraídos de

sete estudos as seguintes informações: ano de publicação, autor, tipos de WP,

dosagens de WP, refeição pré-teste, n amostral, AUC e AUCi de glicose e insulina.

Para avaliação da qualidade metodológica utilizou-se o “Oxford Quality Scoring

System”. Os principais desfechos incluíam glicemia e insulinemia pós consumo do WP.

As análises agrupadas dos estudos mostraram que não há redução da média de AUC

de glicose em pacientes diabéticos que consumiram WP. Não obstante, verificou-se que

o grupo controle apresentou menores médias de glicose apesar da ausência de

significância (SMD= -1,59, 95% IC -2,26 à – 0,92, p = 0,01), embora apresentasse

valores significativos para a heterogeneidade (p para heterogeneidade < 0,001, I²=

89,4%). As análises das médias de AUC de insulina não apresentaram diferenças

significativas entre os grupos controle vs WP (SMD= 0,37, 95% IC, -1,09 a 1,83, p=

0,01) (p para heterogeneidade < 0,001, I² = 96,7%). Nossos achados sugerem que o

consumo de WP não reduz a glicemia e a insulinemia pós-prandial em população

diabética, possivelmente devido a grande heterogeneidade das refeições pré-teste que

podem representar diferentes cargas glicêmicas e desse modo, comprometer os

possíveis efeitos do WP sobre a glicemia e a insulinemia pós-prandial. Em conjunto

nossos achados indicam que essa estratégia não apresenta evidências suficientes para

sugeri-la como proposta eficaz no controle da homeostase glicêmica nessa população.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2950101 - FRANCISCO LEONARDO TORRES LEAL
Interno - 1356863 - DILINA DO NASCIMENTO MARREIRO
Externo ao Programa - 2402109 - FABRICIO EDUARDO ROSSI
Externo ao Programa - 3891690 - MARA JORDANA MAGALHAES COSTA
Notícia cadastrada em: 20/08/2018 17:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.instancia1 03/06/2020 23:35