Notícias

Banca de DEFESA: ROSANA RODRIGUES DE SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROSANA RODRIGUES DE SOUSA
DATA: 26/08/2019
HORA: 15:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO
TÍTULO: INDICADORES ANTROPOMÉTRICOS NA PREDIÇÃO DA ELEVAÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL EM ADULTOS
PALAVRAS-CHAVES: pressão arterial, antropometria, composição corporal, adiposidade, adultos
PÁGINAS: 58
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Nutrição
RESUMO:

SOUSA, R.R. Indicadores antropométricos na predição da elevação da pressão arterial
em adultos. Dissertação – Mestrado em Alimentos e Nutrição; Universidade Federal do Piauí,
Teresina-PI, 2019.
INTRODUÇÃO: O presente trabalho objetivou avaliar a capacidade de indicadores
antropométricos de gordura corporal em predizer elevação da pressão arterial em indivíduos
adultos. METODOLOGIA: Trata-se de estudo transversal domiciliar, cuja amostra foi
composta por 784 indivíduos de ambos os sexos, com idade entre 20 e 59 anos, residentes nas
cidades de Teresina e Picos-Piauí. Foram coletados dados demográficos, socioeconômicos, de
estilo de vida e de morbidade autorreferida. Aferiu-se a pressão arterial (PA), em duplicata,
utilizando-se esfigmomanômetro aneroide. A avaliação antropométrica incluiu medidas de
peso, estatura, circunferência da cintura e dobras cutâneas. Para a seleção dos indicadores
antropométricos, realizou-se análises de correlação com a gordura corporal estimada pela
densitometria por dupla emissão de raios-X (DEXA) em uma população americana de
referência. Os indicadores antropométricos selecionados neste estudo foram o Índice de Massa
Corporal (IMC), Circunferência da Cintura (CC), Relação Cintura-Altura (RCA) e a Soma das
Dobras Cutâneas Tricipital e Subescapular (ΣPCT+PSE). A regressão linear foi utilizada para
determinar a relação entre os parâmetros antropométricos e a pressão arterial sistólica (PAS) e
diastólica (PAD). Curvas ROC foram construídas para determinar a acurácia dos indicadores
antropométricos para predizer risco de elevação dos níveis pressóricos. RESULTADOS: Todos
os indicadores antropométricos apresentaram diferença significativa com relação ao desfecho e
se associaram com a PAS e PAD. Após os ajustes, os indicadores que apresentaram maior
associação com a PA foram a CC e o IMC, quando comparados aos outros parâmetros
antropométricos (RCA e Σ PCT+PSE), tanto com a PAS quanto a PAD. O IMC e CC se
associaram mais fortemente e de forma semelhante à PA elevada e mostraram sensibilidade e
especificidade aceitável para identificar o aumento da pressão arterial, apresentaram-se como
melhores preditores do risco na população estudada, em ambos os sexos. CONCLUSÃO:
Considerando-se os percentuais de área sob a curva, sensibilidade e especificidade aceitáveis,
sugere-se o uso do IMC e CC como ferramentas de triagem na elevação da pressão arterial em
adultos, os quais podem ser facilmente aplicados à prática clínica e pesquisas de saúde.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1794569 - ADRIANA DE AZEVEDO PAIVA
Interno - 1167579 - CECILIA MARIA RESENDE GONCALVES DE CARVALHO
Interno - 1642393 - KAROLINE DE MACEDO GONCALVES FROTA
Externo à Instituição - WOLNEY LISBOA CONDE - USP
Notícia cadastrada em: 20/08/2019 11:15
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.instancia1 13/08/2020 03:09