Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: VERÔNICA MENDES SOARES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VERÔNICA MENDES SOARES
DATA: 22/08/2023
HORA: 14:00
LOCAL: Sala Virtual
TÍTULO: RISCO DE TROMBOSE VASCULAR NA TERAPIA DE REPOSIÇÃO HORMONAL NA MENOPAUSA AVALIADO PELA ANCORAGEM MOLECULAR
PALAVRAS-CHAVES: Receptores plaquetários; Trombose vascular ; tratamento da menopausa; Docking molecular.
PÁGINAS: 231
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

A literatura é discordante sobre o risco de TEV pelo uso de estrógenos na menopausa, risco que é potencializado pela presença de fatores adicionais. As plaquetas são ativadas por meio de vários receptores agonistas carreados pelo sangue, e uma variedade de respostas plaquetárias tem sido testada usando medidas de agregação plaquetária a partir de estudos in vitro, onde receptores plaquetários puderam ser identificados e fortemente influenciado por bioativos. Consequentemente, o conhecimento profundo da estrutura e função das plaquetas está se tornando importante em muitos campos da medicina, sendo a trombo-inflamação um importante impulsionador da pesquisa de plaquetas com funções que envolvem seus receptores. Ferramentas de bioinformática tem sido empregada para caracterizar e identificar sítio ativo de substancias em estudos pré-clínico com uma abordagem baseada em ancoragem molecular revelando alvos moleculares. Neste estudo, realizamos uma estratégia viável de bioinformática combinando farmacologia de rede e docking molecular para identificar potenciais riscos de trombose em pacientes na menopausa pelo mecanismo terapêutico dos ligantes estradiol e isoflavonas. Usando o banco de dados disponível online, receptores plaquetários acoplados à proteína G e tirosina quinase envolvidos no processo de coagulação foram rastreados e identificados. Pelo processo de ancoragem molecular foram identificados a afinidade dos ligantes pelos receptores, assim como os resíduos de aminoácidos responsáveis pela interação. Resultados: Os receptores plaquetários e os resíduos de aminoácidos da interação com os ligantes foram determinados por intensidade de ligação. Os achados de docking molecular indicaram que o estradiol e as isoflavonas tiveram boa interação com os receptores revelando risco de trombose. Curiosamente, o estradiol apresentou interação com receptores tanto de ativação como de inibição no processo de ativação plaquetária o que pode ser usado como alvo farmacológico. Conclusão: Em análise de bioinformáticaidentificou-se os sítios dos mecanismos terapêuticos do estradiol e das isoflavonas individualmente, assim como a intensidade de cada interação, que podem ser usados para redução do risco de trombose vascular no tratamento dos sintomas da menopausa.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1512631 - LIVIO CESAR CUNHA NUNES
Externo ao Programa - 3373256 - PEDRO VITOR LOPES COSTA
Externo à Instituição - RICARDO MARTINS RAMOS - IFPI
Notícia cadastrada em: 03/08/2023 16:00
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 22/02/2024 07:04