Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: VALERIA LIMA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VALERIA LIMA SILVA
DATA: 05/08/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Núcleo de Tecnologia Farmacêutica
TÍTULO:

Atividades farmacológicas da guatteriopsiscina, composto isolado da espécie Guatteria friesiana (Annonaceae), na terapia da doença de Alzheimer


PALAVRAS-CHAVES:

Guatteriopsiscina; Atividade anticolinesterásica; Complexo de inclusão


PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A doença de Alzheimer (DA) é uma afecção neurodegenerativa irreversível e progressiva. É um dos grandes problemas de demência conhecido e que mais atinge a população mundial, principalmente, idosos. A patogênese da doença ainda não está completamente elucidada, mas se sabe que envolve a formação de placas de peptídeo β-amiloide no tecido nervoso. Além disso, na DA ocorre uma deficiência de alguns neurotransmissores, o principal deles é a acetilcolina. Apesar de a DA não ter cura, um tratamento que tem sido bastante eficaz em diminuir os sintomas desta doença é o uso de fármacos inibidores da enzima acetilcolinesterase.  A espécie Guatteria friesiana (W. A. Rodrigues) Erkens & Maas, conhecida como “envireira”, é uma planta nativa do Brasil, encontrada particularmente na região Amazônica. Pertence à família Annonaceae, conhecida por possuir espécies com conteúdo rico em alcaloides. Um desses alcaloides, guatteriopsiscina, apresentou significativa atividade anticolinesterásica in vitro. Nesse contexto, o objetivo deste estudo foi verificar as atividades anticolinesterásica e antioxidante do alcaloide guatteriopsiscina isolado da espécie G. friesiana e propor uma possível formulação farmacêutica através da elaboração de complexos de inclusão desse alcaloide, visando sua futura aplicação na terapêutica da doença de Alzheimer. O primeiro capítulo trata de uma prospecção científica e tecnológica sobre a espécie G. friesiana. O segundo capítulo mostra os resultados dos testes para as atividades anticolinesterásica e antioxidantes in vitro para a guatteriopsiscina. A atividade anticolinesterásica foi testada de acordo com a metodologia proposta por Ellman (1961), sendo constituída pelos ensaios de inibição qualitativa e quantitativa. Foram obtidos resultados positivos de inibição da enzima acetilcolinesterase quando comparados a uma substância padrão de referência. A atividade antioxidante in vitro do alcaloide foi verificada frente ao DPPH (2,2-difenil-1-picrilhidrazil), potencial redutor, produção de radicais nitrito e eliminação do radical ABTS (2,2-azinobis-[3-etil-benzotiazolina-6-ácido sulfônico]). Os testes antioxidantes foram realizados nas concentrações de 280 µM; 140 µM; 70 µM; 35 µM e 17,5 µM de guatteriopsiscina. O terceiro capítulo apresenta um estudo para uma possível elaboração de uma formulação farmacêutica a partir de um complexo de inclusão de guatteriopsiscina com β-ciclodextrina. O complexo foi obtido pela técnica de malaxagem e a caracterização foi realizada através das seguintes análises, a saber: espectroscopia na região do infravermelho; Ressonância Magnética Nuclear de hidrogênio, difração de raios X; análise termogravimétrica e microscopia eletrônica de varredura. Os testes ex vivo em camundongos Swiss constitui uma perspectiva deste estudo para avaliar a ação antioxidante e anticolinesterásica nas principais áreas cerebrais da memória e do raciocínio: córtex, hipocampo e cerebelo. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1551616 - CHISTIANE MENDES FEITOSA
Externo à Instituição - LIDIANE DA SILVA ARAÚJO - UFPI
Interno - 1638239 - PAULO MICHEL PINHEIRO FERREIRA
Notícia cadastrada em: 16/07/2015 09:01
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 19/10/2019 21:50