Notícias

Banca de DEFESA: PRISCILA DE SOUSA VIEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PRISCILA DE SOUSA VIEIRA
DATA: 28/06/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do curso de Farmácia
TÍTULO: Avaliação do potencial cicatrizante de formulações de uso tópico contendo (-)-α-bisabolol no modelo experimental de ferida cutânea em camundongos.
PALAVRAS-CHAVES: (-)-α-bisabolol, Cicatrização, formulações farmacêuticas.
PÁGINAS: 137
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
SUBÁREA: Análise e Controle de Medicamentos
RESUMO:

As feridas são caracterizadas por danos na epiderme, podendo levar a exposição das camadas internas dos tecidos. O processo de cicatrização de feridas é dinâmico e consiste em fases contínuas, sobrepostas e precisamente programadas. O uso de produtos naturais para tratamentos dermatológicos é crescente e podem ser destacados os de ação tópica incorporados nas formas farmacêuticas a base de polímeros, uma vez que permitem o restabelecimento da integridade da pele após possíveis agressões. Assim, (-)-α-bisabolol tem apresentado resultados promissores em distúrbios inflamatórios e utilizado em formulações farmacêuticas/cosméticas de uso tópico no tratamento de afecções de pele. O presente estudo teve por objetivo investigar o efeito cicatrizante in vivo de formulações tópicas contendo o (-)-α-bisabolol no modelo de ferida cutânea experimental em camundongos. Este trabalho foi estruturado em quatro capítulos. O Capítulo I trata de uma revisão bibliográfica sobre as atividades do composto (-)-α-bisabolol, por meio do levantamento de artigos científicos e nos bancos de patentes nacionais e internacionais. Do ponto de vista científico, foi possível constatar um extenso número de publicações no que se refere à suas propriedades farmacológicas como: antimicrobiana, gastroprotetora, anticâncer, leishimanicida, antioxidante e se destaca como composto potencialmente ativo sobre distúrbios inflamatórios. Do ponto de vista tecnológico, o caráter inovador concentra-se, em sua maioria, em formulações cosméticas e/ou farmacêuticas para tratamento de afecções de pele. O capítulo II apresenta o delineamento de curativos biológicos de quitosana 1% para veiculação do (-)-α-bisabolol. Foram preparados três lotes através da técnica de casting, alterando as concentrações do plastificante (glicerina 0,5%, 2,5% e 5%), e analisados quanto aos seus aspectos macroscópicos, pH de superfície, uniformidade de peso, força de adesão e resistência à ruptura. Os resultados do lote de curativo com glicerina 5% apresentou os melhores resultados para as propriedades macroscópicas, físicas e mecânicas avaliadas, apresentando-se com características adequadas para a aplicação tópica, sendo então selecionado para a veiculação do ativo, bem como para análises da incorporação do fármaco por meio de calorimetria exploratória diferencial (DSC) e pela espectroscopia de infravermelho. O capítulo III avaliou a atividade cicatrizante tópica do (-)-α-bisabolol, veiculado nos curativos biológicos de quitosana delineados. Os resultados das análises apontam que o composto foi introduzido de modo satisfatório nas feridas apresentando eficácia no processo de cicatrização nas concentrações utilizadas (0,5 e 1,5%). O tratamento com (-)-α-bisabolol acelerou esse evento e melhorou a remodelação dos tecidos, por meio da redução dos parâmetros inflamatórios, aumento da espessura da derme e epiderme, e diminuição do número de mastocitos da lesão. E o capítulo IV avaliou o efeito cicatrizante tópico do gel de (-)-α-bisabolol. As formulações em gel foram caracterizadas quanto aos parâmetros organolépticos e físico-químicos. Os resultados da análise macroscópica e histológica das feridas sugerem que o tratamento com (-)-α-bisabolol nas duas concentrações testadas (1,5 e 7%) apresentaram contração e reparação mais precoces quando comparados ao grupo salina e veículo, bem como redução dos parâmetros inflamatórios avaliados (infiltração inflamatória, edema, hemorragia e fibrose). Nas análises de imunohistoquímica, o composto foi capaz de reduzir a expressão das enzimas iNOS e COX-2 contribuindo para o controle da resposta inflamatória, podendo ser um dos mecanismos que explique seu potencial cicatrizante.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 130.036.743-15 - ANA AMELIA DE CARVALHO MELO CAVALCANTE - UFPI
Presidente - 1439403 - GILBERTO SANTOS CERQUEIRA
Externo ao Programa - 1680593 - JAND VENES ROLIM MEDEIROS
Interno - 1512631 - LIVIO CESAR CUNHA NUNES
Externo à Instituição - MIRNA LUCIANO DE GOIS DA SILVA - UFPI
Interno - 1638239 - PAULO MICHEL PINHEIRO FERREIRA
Notícia cadastrada em: 27/06/2017 14:02
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 19/09/2019 16:05