Notícias

Banca de DEFESA: JOSÉ VICTOR DE OLIVEIRA SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSÉ VICTOR DE OLIVEIRA SANTOS
DATA: 26/02/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de aula do NTF
TÍTULO: AVALIAÇÃO TOXICOGENÉTICA DO Ω-HIDROXIEMODINA ISOLADA DE FUNGOS ENDOFÍTICOS DE ALGAS MARINHAS PARA FORMULAÇÕES ANTITUMORAIS
PALAVRAS-CHAVES: Toxicogenética. Penicillium citrinum. Genotoxicidade. Mutagenicidade.
PÁGINAS: 96
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

O câncer é uma patologia genética que tem como base as alterações ao material genético que podem culminar em
mutações, principalmente em genes envolvidos no ciclo de divisão celular. A busca por novos fármacos ainda é alternativa
para as terapias do câncer, uma vez que ainda existem controvérsias sobre os efeitos dos quimioterápicos em células não
tumorais. Assim, os estudos com metabólitos de fungos derivados de algas marinhas continuam a ser uma fonte prolífica
de compostos bioativos devido suas diversas propriedades farmacológicas. O estudo teve por objetivo a avaliação
toxicogenética e antitumoral da ω-hidroxiemodina obtida do fungo Penicillium critrinum isolado da alga marinha
Dichotomaria marginata, com aplicação de biomarcadores citogenéticos. A citotoxicidade, toxicidade e mutagenicidade da
ω-hidroxiemodina foi avaliada nas concentrações de 1,7; 3,4 e 6,9 µM/mL em Artemia salina e Allium cepa, tendo como
controle positivo o sulfato de cobre (6,9 µM/mL). Estudos de atividades antitumorais foram feitos em células de Sarcoma
180, linhagens leucêmicas, adenocarcinoma gástrico, melanoma e fibroblastos de pulmão. Em Sarcoma 180 foram
avaliados os parâmetros citogenéticos indicativos de genotoxicidade, mutagenicidade e apoptoses com aplicação dos testes
cometa e de micronúcleos com bloqueio de citocinese. A CL50 em 24 h em A. salina foi de 4,6 µM/mL e em 48 h de 3,6
µgM/mL. A elevada toxicidade observada em náuplios de A. salina assim como a inibição concentração dependente de
mitose em A. cepa apontam apenas para toxi/citotoxicidade da ω-hidroxiemodina, fato que contribui para a não
significância das alterações cromossômicas e formação de micronúcleos em meristemas de raízes de A. cepa. A CI50 da ω-
hidroxiemodina foi de 6,068 µM/mL (Sarcoma 180), 16,55 µm/mL (linhagens leucêmicas), 2,93 µM/mL (adenocarcinoma
gástrico), 4,51 µM/mL (melanoma) e 12,99 µM/mL (fribroblastos de pulmão). Mecanismos citogenéticos podem ser
sugeridos para Sarcoma 180, tais como indução de genotoxicidade, alterações nucleares do tipo broto, pontes
nucleoplasmáticas e micronúcleos, bem como por morte celular (apoptose e necrose) com baixos índices de divisão
nuclear, com e sem morte celular. Os dados sugerem que a ω-hidroxiemodina apresenta mecanismos citogenéticos
indicativos de compostos antitumorais, a exemplo da doxorrubicina e pode ser testada em formulações farmacêuticas para a

terapia oncológica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 130.036.743-15 - ANA AMELIA DE CARVALHO MELO CAVALCANTE - UFPI
Interno - 1731057 - JOAO MARCELO DE CASTRO E SOUSA
Externo à Instituição - MARCUS VINÍCIUS OLIVEIRA BARROS DE ALENCAR - UFPI
Notícia cadastrada em: 16/02/2018 08:16
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 22/10/2019 07:00