Notícias

Banca de DEFESA: JÔNATAS FERNANDES DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JÔNATAS FERNANDES DA SILVA
DATA: 28/06/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Aula do Núcleo de Tecnologia Farmacêutica – NTF / UFPI
TÍTULO: Avaliação da capacidade toxicogenética da antraquinona marinha hirsutatina a
PALAVRAS-CHAVES: Hirsutatina a, Ciclohexadepsipeptideos, Citotoxidade, Toxicogenética, Genotoxicidade, Mutagenicidade.
PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

O grupo de substancias hirsustatina foi isolado inicialmente em 2005, juntamente com outros compostos, onde, inicialmente, os estudos com estas substancias mostraram que algumas delas apresentavam função antiparasitária no tratamento contra a malária. Diversos agentes parasitários já foram descritos com potencial ação anticancerígena, devido aos seus efeitos altamente tóxicos. Nesse sentido o presente estudo teve como objetivo avaliar o potencial toxico, citotóxico e mutagênico da hirsutatina.  Os[f1]  resultados obtidos a partir da exposição dos náuplios das artêmias a ação da hirsutatina a nos períodos de 24 e 48 horas, demonstram que a mesma possui elevada toxicidade, A atividade antimitótica foi avaliada utilizando o modelo de meristema de raiz de Allium cepa, O tratamento com hirsutatina a apresentou mudanças significativas no índice mitótico das raízes, quanto maior a dose testada maior foi a inibição ocasionada, demonstrando atividade dependente da concentração utilizada. O presente estudo também demonstrou que todas as concentrações da hirsutatina a apresentaram efeito citotóxico nas células de S180 conforme revelado pelo ensaio MTT, A genotoxicidade da hirsutatina a também foi avaliada no estudo através do ensaio de cometa, através dos resultados obtidos observou-se que a genotoxicidade da hirsutatina a pode estar associada a processos de estresse oxidativo. Através das avaliações realizadas no teste de CBMN, pode-se supor que os possíveis mecanismos de morte celular correlacionados com a hirsutatina são provocados por danos ao material genético das células. Os resultados dessa avaliação demonstram a necessidade de uma avaliação mais ampla da capacidade antitumoral dessa substância, porem a mesma se mostrou promissora para eventuais formulações antitumorais no futuRO.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2157495 - ANDERSON NOGUEIRA MENDES
Presidente - 2128442 - FELIPE CAVALCANTI CARNEIRO DA SILVA
Interno - 1731057 - JOAO MARCELO DE CASTRO E SOUSA
Notícia cadastrada em: 20/06/2018 10:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 19/10/2019 02:27