Notícias

Banca de DEFESA: DANIELLE FERNANDA FERNANDES VIEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANIELLE FERNANDA FERNANDES VIEIRA
DATA: 02/07/2018
HORA: 14:30
LOCAL: Sala de aula do NTF
TÍTULO: AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTICONVULSIVANTE E ANTIOXIDANTE DO CARDANOL EM ROEDORES
PALAVRAS-CHAVES: Líquido da castanha do Caju. Cardanol. Antidepressivos. Sistema Nervoso Central.
PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

As convulsões são causadas por descargas elétricas repentinas, excessivas e recorrentes das células cerebrais, causando
um desequilíbrio no sistema oxidante e antioxidante do cérebro. A farmacoterapia é o principal suporte do tratamento
para pacientes epilépticos, porém 30% deles estão incorretamente curados, justificando a busca de novos agentes
terapêuticos, como produtos naturais por exemplo. O cajueiro contém em sua fruta o líquido da castanha do caju, uma
fonte natural de fenóis como ácidos anacárdicos, cardanol, cardóis, que possuem atividades biológicas consideráveis:
atividade moluscicida, antitumoral, antimicrobiana e antioxidante. Existem poucos estudos que avaliam o efeito do
cardanol sobre a atividade elétrica cerebral, dessa forma, o presente estudo tem por objetivo avaliar a atividade
anticonvulsivante e antioxidante de cardanol alquilado em modelos experimentais não clínicos, bem como investigar seu
perfil de toxicidade aguda e os possíveis mecanismos de ação envolvidos. Os efeitos anticonvulsivantes do cardanol nas
doses de 75, 150 e 300mg/kg, foram investigados em modelos animais de pentilenotetrazol, picrotoxina e pilocarpina. A
maior dose do cardanol aumentou significativamente (p<0,05) a latência da primeira convulsão induzida pelo
pentilenotetrazol (PTZ), e todas as doses zeraram a porcentagem de mortalidade quando comparados com o veículo
neste modelo. Demonstrou-se através do mecanismo de ação com o flumazenil que o cardanol atua sobre os receptores
gabaérgicos. Os efeitos da administração aguda do cardanol foram investigados sobre parâmetros comportamentais,

hematológicos e histológicos em camundongos Swiss machos (n=3/grupo) nas doses de 300 e 2000mg/kg i.p durante 7
dias. O tratamento não alterou o peso corporal e não causou toxicidade ou morte nos animais. A administração do
cardanol (2000 mg/kg) produziu uma redução significativa da atividade locomotora em camundongos no teste campo
aberto quando comparados com o grupo controle, e um déficit significativo na coordenação motora dos animais no teste
rota-rod. Este estudo investigou os efeitos do cardanol nos níveis de peroxidação lipídica, teor de nitrito, concentração
de glutationa reduzida (GSH) em homogenatos cerebrais de camundongos, que foram medidos através de métodos
espectrofotométricos e os resultados comparados com os valores obtidos do grupo controle. O tratamento com cardanol
reduziu significativamente o nível de peroxidação lipídica e conteúdo de nitrito e aumentou os níveis de GSH no
hipocampo e córtex frontal de camundongos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2157495 - ANDERSON NOGUEIRA MENDES
Interno - 2714919 - DANIEL DIAS RUFINO ARCANJO
Presidente - 3302639 - LUCIANO DA SILVA LOPES
Notícia cadastrada em: 20/06/2018 09:44
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 19/10/2019 21:52