Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: GLÁUCIA LAÍS NUNES LOPES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GLÁUCIA LAÍS NUNES LOPES
DATA: 18/10/2018
HORA: 08:00
LOCAL: Auditório do bloco de Farmácia
TÍTULO: DESENVOLVIMENTO DE MICROEMULSÕES DE SULFATO DE MINOXIDIL OBTIDAS DE ÓLEO DE ABÓBORA (Cucurbita pepo L.) PARA O TRATAMENTO DA ALOPECIA ANDROGENÉTICA
PALAVRAS-CHAVES: Controle de Qualidade, Estabilidade de Medicamentos, Formulações de Liberação Controlada, Nanotecnologia.
PÁGINAS: 96
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A alopecia androgenética (AGA), ou perda de cabelo padrão masculina, é a forma mais comum de alopecia nos homens
e dependem de uma interação de fatores endócrinos e predisposição genética. Atualmente, somente o minoxidil e a
finasterida são aprovados pela FDA para o tratamento da AGA, com isso, novas tecnologias para tratar esses pacientes
estão em alta. Novos sistemas de liberação de fármacos são desenvolvidos com o a intenção de melhorar a eficácia do
fármaco já utilizado. Frente a isso, o trabalho teve como objetivo desenvolver microemulsões de MXS a base de óleo
vegetal de semente de abóbora (Cucurbita pepo L.). Nessa perspectiva, para obtenção das microemulsões foram
construídos diagramas de fases pseuternários, e após incorporação do sulfato de minoxidil (MXS) as microemulsões
foram caracterizadas (características organolépticas, análise por microscopia de luz polarizada, análise reológica,
determinação de tamanho (DLS), determinação do potencial zeta, SAXS e determinação da densidade relativa). Foi
realizado estudo de estabilidade preliminar (teste de centrifugação, estresse térmico e ciclo gelo-degelo) e ensaio de
liberação in vitro. O doseamento do MXS foi realizado a partir do método analítico validado por espectrofotometria UV-
Vis. As microemulsões obtidas apresentaram-se transparentes (característica desses sistemas), amareladas com a
presença do fármaco, na microscopia de luz polarizada as amostras não refletiram a luz, apresentou comportamento
Newtoniano, tamanho de gotícula de 191,3 ± 28,3 nm a 375,8 ± 26,5 nm, com potencial zeta variando de -27,8 a -45,7.

Após o estudo do ciclo gelo-degelo apresentaram escurecimento nas formulações com MXS e diferença estatística
significativa na condutividade, porém não apresentou inversão de fases. As formulações apresentaram modelo cinético
de liberação compatível com sistemas de liberação controlada (modelo de Higuchi). A partir da análise de regressão
linear da curva analítica do MXS obteve-se a equação da reta y = 0,0555x - 0,0622, no qual o coeficiente de
determinação (r 2 ) para a curva foi de 0,9974. O método demonstrou-se específico sem a presença de interferentes com
limite de detecção 0,4715 µg/mL e limite de quantificação 0,7144 µg/mL. O método foi preciso e exato com valor de
recuperação (%) de 100,82 (concentração baixa), 103,84 (concentração normal) e 98,16 (concentração alta). Apresentou
robustez satisfatória, onde não houve diferença estatística significativa para análise com mudança de marca de solvente e
mudança de pH da solução, com DPR% menor que 5%. As microemulsões a base do óleo de semente de abóbora
apresentaram boa estabilidade, e demonstraram ter grande potencial para utilização no tratamento da alopecia
androgenética.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1668358 - ANDRE LUIS MENEZES CARVALHO
Externo ao Programa - 2351542 - CICERO ALVES LOPES JUNIOR
Interno - 2199134 - MARCILIA PINHEIRO DA COSTA
Notícia cadastrada em: 08/10/2018 08:54
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 20/11/2019 04:40