Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LETICIA XIMENES FURTADO MARQUES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LETICIA XIMENES FURTADO MARQUES
DATA: 30/11/2018
HORA: 08:30
LOCAL: Sala 127 – SG 11
TÍTULO: AVALIAÇÃO DA FARMACOTERAPIA PRESCRITA PARA IDOSOS SEGUNDO CRITÉRIOS EXPLÍCITOS EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO
PALAVRAS-CHAVES: Lista de medicamentos potencialmente inapropriados; Idoso; Critério de Beers
PÁGINAS: 101
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Uma prescrição potencialmente inapropriada (PPI) em pessoas idosas, inclui tanto erros comissivos quanto omissivos. A primeira refere-se a prescrição de medicamentos potencialmente inadequados (MPIs), os quais apresentam riscos de uso que superam os benefícios ou onde existe uma alternativa mais segura ou melhor. Dentre as ferramentas de medição para estimar a prevalência geral de prescrição inadequada destacam-se os critérios de Beers, que têm sido usados principalmente para examinar a prevalência e as tendências na prescrição de medicamentos potencialmente inapropriados para pessoas idosas No Brasil, o Consenso Brasileiro de Medicamentos Potencialmente Inapropriados para Idosos foi desenvolvido para adaptar para a realidade nacional, critérios explícitos provenientes de listas já consagradas internacionalmente. Os critérios de Beers 2015 e Consenso Brasileiro foram aplicados a 3584 prescrições de 300 pacientes com idade de 65 anos ou mais. A prevalência de pacientes identificados utilizando pelo menos 1 MIP de acordo com Beers 2015 durante a internação foi de 58,7%, sendo maior que a prevalência de pacientes com prescrição inadequada encontrada através do Consenso Brasileiro, 37,7% dos idosos analisados. Os medicamentos/classes de medicamentos mais prevalentes nas prescrições de pacientes idosos com pelo menos um MPI foram: insulina (sliding scale) com 127 (42,3%) pacientes, benzodiazepínicos de longa duração com 34 (11,3%), antipsicóticos 27 (9%), antieméticos (metoclopramida) 24 (8%) e 20 (6,6%) pacientes com anti-histamínicos de 1ª geração. Os medicamentos/classe de medicamentos inapropriados mais prescritos foram os benzodiazepínicos 37 (32,7%), antipsicóticos 27(23,9%), metoclopramida 24 (21,2%), anti-histamínicos de 1ª geração 20(17,7%) e antiespasmódicos 19 (16,8%), pela análise através do critério brasileiro. A prevalência de pacientes que receberam MIP foi superior ao analisar as prescrições pelos critérios de Beers 2015, em comparação com o Consenso Brasileiro de medicamentos potencialmente inapropriados para idosos.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 4546016 - HILRIS ROCHA E SILVA
Externo à Instituição - JEAMILE LIMA BEZERRA - UFPI
Externo ao Programa - 665.904.343-87 - LORENA CITO LOPES RESENDE SANTANA - UFPI
Interno - 1350350 - MARIA DAS GRACAS FREIRE DE MEDEIROS
Notícia cadastrada em: 22/11/2018 09:23
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 13/11/2019 10:17