Notícias

Banca de DEFESA: GIULIANO ANDRÉ SILVA SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GIULIANO ANDRÉ SILVA SANTOS
DATA: 30/11/2012
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA/UFPI
TÍTULO:

Desenvolvimento de formulação líquida do tipo spray a base de pilocarpina e avaliação da atividade silagoga


PALAVRAS-CHAVES:

Boca Seca; Síndrome de Sjögren; Agonista colinérgico; Radioterapia; Câncer de cabeça e pescoço; Saliva.


PÁGINAS: 99
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
SUBÁREA: Análise e Controle de Medicamentos
RESUMO:

A xerostomia tem diversas etiologias, dentre elas síndromes autoimunes, radioterapia e uso de fármacos anticolinérgicos, podendo ocasionar redução da qualidade de vida de muitos pacientes. A conhecida atividade agonista colinérgica da pilocarpina tem sido explorada de diversas formas ao longo dos anos e as pesquisas com o fármaco geraram patentes de produtos para uso no tratamento desse problema. Em busca pelos produtos patenteados com o princípio ativo pilocarpina foram encontradas treze diferentes formulações inovadoras patenteadas, que vão desde comprimidos a formulações líquidas. A forma comercializada no mercado pela Eisai Inc. foi aprovada pelo FDA em 1994 e trata-se da única forma disponível no mercado para uso em xerostomia. Outras formas de aplicação como bioadesivos, chicletes e soluções para gargarejo, embora tenham se mostrado promissoras, não estão disponíveis no mercado. A inexistência da apresentação do tipo Spray contendo a pilocarpina, nas buscas de patentes, além da necessidade de um tratamento de fácil adesão, aquisição e com redução de efeitos colaterais, nortearam o desenvolvimento do trabalho. Para tanto, foram realizados estudos de pré-formulação, desenvolvimento e controle de qualidade. A formulação desenvolvida foi avaliada quanto à capacidade de salivação em ratos adultos, com metodologia de sialometria descrita por Takakura e colaboradores (2009) modificada, resultando em aumento significativo (p<0,05) na salivação comparado à solução oral. O uso de um polímero (Hidroxipropilcelulose) reconhecidamente bioadesivo, prevê uma liberação regular e lenta do princípio ativo, diminuindo a deglutição do princípio ativo e assim, os efeitos sistêmicos indesejáveis. Dessa forma, conclui-se que a formulação desenvolvida constitui importante ferramenta para tratamento e auxílio de pacientes que sofrem de xerostomia. A otimização desse estudo preliminar será realizada com base em aprimoramento da metodologia de sialometria, em que se busca reduzir a variação nos resultados intergrupo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1512631 - LIVIO CESAR CUNHA NUNES
Interno - 1350350 - MARIA DAS GRACAS FREIRE DE MEDEIROS
Notícia cadastrada em: 02/10/2012 15:15
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.instancia1 21/09/2019 08:19