Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MELISSA CARVALHO FRANÇA ROCHA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MELISSA CARVALHO FRANÇA ROCHA
DATA: 30/08/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Curso de Farmácia
TÍTULO: AVALIAÇÃO DO POTENCIAL TOXICOGENÉTICO DO ÁCIDO ASCÓRBICO EM ASSOCIAÇÃO COM A CISPLATINA EM CULTURAS DE CÉLULAS TUMORAIS
PALAVRAS-CHAVES: Câncer. Quimioterapia. Quimiorresistência. Vitamina C. Genotoxicidade
PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

O câncer é uma doença caracterizada pela proliferação anormal de células, devido a uma série de mutações, sendo
atualmente um problema de saúde pública principalmente nos países em desenvolvimento. Dentro dos tratamentos
disponíveis, a quimioterapia tem um papel de destaque, porém, a eficiência da quimioterapia é, hoje, limitada devido a
resistência as drogas antitumorais utilizadas. Sendo, portanto, um fator importante na falha terapêutica, o que leva ao
interesse contínuo pela busca e desenvolvimento de novas terapias anticâncer para superar ou contornar a resistência aos
antineoplásicos. Alguns compostos geralmente considerados como antioxidantes, como o ácido ascórbico (AA), também
podem exibir propriedades pró-oxidativas, e tem sido utilizado no tratamento do câncer podendo induzir a produção de
ROS e citotoxicidade em altas concentrações induzindo apoptose em linhagens de células tumorais. Nesse sentido, o
presente trabalho tem como objetivos caracterizar os efeitos citotóxicos e genotóxicos do ácido ascórbico (AA) em
associação com a cisplatina em diferentes culturas de células. As linhagens celulares serão tradadas com o com AA em
altas concentrações(2,0; 1,0; 0,5; 0,25, 0,125 mM) e em associação com o antineoplásico cisplatina(AA 2mM + Cis 5µM;
AA 1mM + Cis 5µM). Os danos citotóxicos, toxicogenéticos e antitumorais serão avaliados em linhagem de células
tumorais por meio dos bioensaios do MTT (brometo de 3-[4,5-dimetil-tiazol-2-il-2,5-difenil), com aplicação do teste de
micronúcleo com bloqueio de citocinese (CBMN), teste cometa e fragmentação de DNA em gel de agarose. Como ainda
existem muitas discussões sobre a utilização do AA, como terapia do câncer ou adjuvante à quimioterápica convencional, o
Capítulo I teve como objetivo realizar uma revisão sistemática sobre a utilização do ácido ascórbico (AA) como potencial
pró-oxidante e agente antitumoral no tratamento do câncer em estudos não clínicos (in vitro e in vivo), no período de 2015 a
2019. Espera-se mostrar que o uso do AA utilizado em concentrações farmacológicas e combinada com quimioterapia
possa ser um aliado no combate ao câncer, diminuindo os efeitos adversos e abandono do tratamento, e assim, aumentando
a eficiência do tratamento quimioterápico, podendo o uso da Vitamina C auxiliar na eficiência da ação oxidante da
cisplatina em provocar morte celular.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2128442 - FELIPE CAVALCANTI CARNEIRO DA SILVA
Interno - 1731057 - JOAO MARCELO DE CASTRO E SOUSA
Externo ao Programa - 3107513 - DALTON DITTZ JUNIOR
Notícia cadastrada em: 21/08/2019 14:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 21/09/2019 08:24