Notícias

Banca de DEFESA: MELISSA CARVALHO FRANÇA ROCHA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MELISSA CARVALHO FRANÇA ROCHA
DATA: 12/02/2020
HORA: 13:00
LOCAL: NTF
TÍTULO: AVALIAÇÃO DO POTENCIAL TOXICOGENÉTICO DO ÁCIDO ASCÓRBICO ISOLADO E EM ASSOCIAÇÃO COM A DOXORRUBICINA EM ESTUDOS IN VITRO
PALAVRAS-CHAVES: Cell culture, DNA damage, Oxidative stress, Cytotoxicity
PÁGINAS: 84
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

O câncer é conjunto de doenças caracterizado pela proliferação anormal de células, devido a uma série de mutações, sendo, atualmente, um problema de saúde pública. Dentre os tratamentos disponíveis, a quimioterapia tem um papel de destaque, porém, sua eficiência é limitada devido a resistência tumoral. Sendo, portanto, um fator importante da falha terapêutica, o que leva ao interesse contínuo pela busca e desenvolvimento de novas terapias para superar ou contornar a resistência aos antineoplásicos. Alguns compostos geralmente considerados como antioxidantes, como o ácido ascórbico (AA), também podem exibir propriedades pró-oxidativas, e tem sido utilizado no tratamento do câncer para induzir a produção de EROs e citotoxicidade. Como ainda existem muitas discussões sobre a utilização do AA, como terapia do câncer ou adjuvante à quimioterápica convencional, o presente estudo teve como objetivos avaliar os efeitos citotóxicos e toxicogenéticos do ácido ascórbico (AA) isolado e em associação com a doxorrubicina em diferentes culturas de células tumorais murinas. O Capítulo I teve como objetivo realizar uma revisão sistemática sobre a utilização do ácido ascórbico (AA) como potencial pró-oxidante e agente antitumoral no tratamento do câncer em estudos clínicos e não clínicos (in vitro e in vivo), no período de 2015 a 2019. Foram identificados 36 artigos que apontavam o AA como agente pró-oxidante no tratamento do câncer. Constatou-se o AA pode exercer seus efeitos pró-oxidantes e antitumorais de maneira segura e racional, contudo existe uma variedade de mecanismos de ação pelo qual o AA pode exercer seu efeito anticarcinogênico.O Capitulo II avaliou o potencial citotóxico e oxidativo do ácido ascórbico (AA) em linhagens celulares de câncer e Saccharomyces cerevisae. No estudo, foram realizados testes de viabilidade do MTT em três linhas celulares de tumores murinos, incluindo S-180, CT26WT, 4T1 e a linha celular L929 não tumorigênica, para avaliar o potencial de AA e Doxorrubicina (DOX) isolados e em combinação. A avaliação citotóxica do AA pelo azul de tripano nas linhas celulares S-180 e L929 apresentou uma morte celular dependente da dose. A avaliação oxidativa em cepas de Saccharomyces cereviseae revelou que o AA é um potente agente pró-oxidante em concentrações milimolares e, quando associado ao DOX, aumentou o dano oxidativo em todas as cepas de leveduras, ajudando a melhorar a ação dos agentes antineoplásicos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2128442 - FELIPE CAVALCANTI CARNEIRO DA SILVA
Interno - 1731057 - JOAO MARCELO DE CASTRO E SOUSA
Notícia cadastrada em: 06/02/2020 14:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 23/10/2021 10:43