Notícias

Banca de DEFESA: LEIDE MARIA SOARES DE SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LEIDE MARIA SOARES DE SOUSA
DATA: 12/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Sala, 129 Coordenação do Curso de Farmácia
TÍTULO: Estudo de pré-formulação e avaliação toxicológica de extrato seco de flores de Poincianella pyramidalis (catingueira) obtido por spray drying.
PALAVRAS-CHAVES: Poincianella pyramidalis. Planejamento fatorial. Spray drying. Resistência antimicrobiana. Toxicidade aguda.
PÁGINAS: 162
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Poincianella pyramidalis (Tul.) L.P. Queiroz é uma árvore endêmica e nativa da região Nordeste do Brasil, com grande importância econômica, desde a exploração da madeira para diversos fins, bem como a sua inserção na matriz energética, na produção de carvão. Na medicina popular tem sido utilizada no tratamento de doenças respiratórias, digestivas, diarreia, dores de estômago e febre. O objetivo deste estudo foi obter um produto a partir do extrato padronizado das flores de Poincianella pyramidalis com aplicabilidade farmacêutica.  Inicialmente foi realizado uma revisão da literatura para avaliar estudos científicos que contemplaram essa espécie, nas bases de dados PubMed, Science Direct, Scopus, Web of Science, Google scholar. Esse estudo utilizou as flores de Poincianella pyramidalis (Tul.) L.P. Queiroz coletada no Munícipio de Parnaíba, PI, as quais foram submetidas ao processo extrativo com padronização, sob condições pré-definidas por planejamento fatorial 23, seguida da caracterização física e química, com quantificação de teor de metabólitos secundários. A quantificação de fenóis e flavonoides totais foi realizada por espectrofotometria UV e o perfil cromatográfico em Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE). A tecnologia de secagem por aspersão (spray drying) foi utilizada para obtenção dos extratos secos, com e sem adição de adjuvantes tecnológicos de secagem (dióxido de silício coloidal e maltodextrina). Os extratos secos foram caracterizados quanto ao perfil de umidade residual, higroscopicidade e análises térmicas, difração de RX, infravermelho e avaliados quanto à atividade antimicrobiana, toxicológica e citotóxica. A atividade antimicrobiana utilizou cepas de bactérias Gram positivas, Gram negativas e fungos com determinação da Concentração Inibitória Mínima (CIM) e a atividade moduladora da resistência à norfloxacina. A avaliação da toxicidade aguda seguiu o Guia 423 da OECD (Organization for Economic Cooperation and Development) e avaliou a citotoxicidade em macrófagos de camundongos, utilizando o MTT (brometo de 3-(4,5) -dimetiltialzolil-2,5 difeniltetrazólio). A literatura relata estudos químicos e farmacológicos de extratos e constituintes isolados com atividades comprovados in vitro e in vivo, incluindo atividade antimicrobiana, antinociceptiva, anti-inflamatória, gastroprotetora e neuroprotetora. A parte experimental otimizou o processo de extração, sendo a misturaetanol:água (1:1), em agitação, por 48h os parâmetros que possibilitou o melhor rendimento. A caracterização química confirmou a presença de fenóis e flavonoides e a análise cromatográfica identificou o marcador químico ácido gálico, nos extratos, evidenciado pela similaridade do perfil cromatográfico. A adição do Aerosil 200® ao extrato contribuiu na obtenção de extratos secos com propriedade físico-químicas mais adequadas, maior rendimento e maior estabilidade, validados no estudo de análises térmicas, difração de RX e espectro de infravermelho. A atividade antimicrobiana intrínseca não foi detectada para as cepas testadas, com exceção de C. parapsilosis, com CIM 128 μg/mL. Por outro lado, o extrato mostrou capacidade de modular a resistência à norfloxacina. Não foram identificados sinais de toxicidade quanto aos parâmetros estudados. A concentração citotoxidade CC50 de 75,79µg/mL, com 32,76% ±1,57 nas doses testadas. O estudo disponibiliza um extrato seco de Poincianella pyramidalis, com padronização e definição de marcador químico, contribui com tecnologia de obtenção de extrato hidroalcoólico, com perspectiva de aplicabilidade na modulação de resistência antimicrobiana.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 3107604 - ANA CRISTINA SOUSA GRAMOZA VILARINHO
Externo à Instituição - LINA CLARA GAYOSO E ALMENDRA IBIAPINA MORENO - UFPI
Presidente - 1512631 - LIVIO CESAR CUNHA NUNES
Interno - 1350350 - MARIA DAS GRACAS FREIRE DE MEDEIROS
Notícia cadastrada em: 10/02/2020 10:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb02.ufpi.br.timers 25/10/2021 03:31