Notícias

Banca de DEFESA: THALLITA CASTELO BRANCO DE ANDRADE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THALLITA CASTELO BRANCO DE ANDRADE
DATA: 13/11/2013
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Curso de Farmácia
TÍTULO:

Ensaios pré-clínicos com estragol, obtido a partir do óleo essencial de Croton zehntneri, como ferramenta para o delineamento de novos fármacos.


PALAVRAS-CHAVES:

Croton zehntneri, Óleo Essencial, Estragol, Atividade Antimicrobiana, citotoxicidade, toxicidade aguda.


PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
SUBÁREA: Análise e Controle de Medicamentos
RESUMO:

O estragol (monoterpenóide) é um dos principais componentes do óleo essencial de Croton zehntneri (OECz), que apresenta, entre outras, propriedades antimicrobiana, anti-inflamatória, anti-parasitária, conferindo a esse composto uma possível utilização como fármaco. O presente trabalho teve como objetivo isolar e caracterizar o estragol (EST), obtido a partir do OECz, bem como investigar seu potencial antioxidante e efeitos toxicológico em camundongos e, ainda, avaliar sua atividade antimicrobiana e citotóxica. Para tanto a presente dissertação foi divida em quatros capítulos. No primeiro capítulo foi realizada uma prospecção tecnológica sobre o uso do estragol no tratamento de doenças negligenciadas e transtornos psicossociais. O segundo capítulo, trata-se da obtenção do óleo essencial a partir das folhas frescas de C. zehntneri, isolamento e caracterização do estragol por CG-EM. O rendimento do óleo foi de cerca de 2%. A análise por CG-EM permitiu a identificação de 100% dos constituintes integrados. Os principais componentes identificados foram: eucaliptol, estragol (constituintes majoritário), espatulenol.  O terceiro capítulo trata-se da avaliação da toxidade aguda e o potencial antioxidante in vitro do EST. A administração aguda com as doses selecionadas do EST, não induziu modificações nos parâmetros hematológicos, porém nos parâmetros bioquímicos houve um significativo aumento das enzimas AST e ALT. O estragol demonstrou um forte potencial antioxidante in vitro, por meio da capacidade de remoção contra radicais hidroxilas e óxido nítrico, bem como preveniu a formação de TBARS, de forma semelhante ao Trolox (controle positivo). No quarto capítulo, as atividades antibacterianas e antifúngicas da estragol foram avaliados pelo método de difusão em disco  em quatro bactérias  Gram-positivas e sete bactérias Gram-negativas patogênicas e sete fungos usando ciprofloxacina  e fluconazol  como padrões para bactérias e fungos, respectivamente. A dosagem de 50 μg/ disco mostrou um amplo espectro de atividade  durante os testes de sensibilidade antibacterianos e antifúngicos, em comparação com a ciprofloxacina e fluconazol respectivamente. A atividade citotóxica do estragol foi testada através do teste de letalidade com Artemia Salina, produzindo CL50 e CL90 de 4,54 e 8,47 μg mL-1 em comparação com o padrão de sulfato de vincristina(VS) CL50 e CL90 de 0,37 e 0,71 mg mL-1. Diante dos resultados expostos podemos inferir que o estragol, nas doses testadas, apresentou significante  atividade antimicrobiana. Em relação a atividade anticâncer, não foram encontrados resultados promissores, fato que exclui o uso dessa substância para finalidade quimioterápica.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1167629 - FERNANDA REGINA DE CASTRO ALMEIDA
Externo à Instituição - JOSE LAMARTINE SOARES SOBRINHO - UFPE
Interno - 1638285 - RIVELILSON MENDES DE FREITAS
Presidente - 1549302 - SIDNEY GONCALO DE LIMA
Notícia cadastrada em: 21/10/2013 09:41
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 18/09/2019 00:06