Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: Ana Cristina Sousa Gramoza Vilarinho

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: Ana Cristina Sousa Gramoza Vilarinho
DATA: 15/08/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Curso de Farmácia
TÍTULO:

Utilização de compósitos paligorsquita/quitosana para a liberação modificada de fármacos


PALAVRAS-CHAVES:

Compósitos. Prospecção Tecnológica. Vetorização de fármacos. Paligorsquita. Quitosana.


PÁGINAS: 61
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
SUBÁREA: Análise e Controle de Medicamentos
RESUMO:

Compósitos de polimero/argila geram uma ordem de atributos, incluindo propriedades mecânicas, térmicas e biodegradáveis que são superiores aos compósitos convencionais. Tais compósitos podem ser utilizados em aplicações médicas e/ou biomédicas. Embora sejam muito utilizados na forma pura, um único polímero ou argilomineral muitas vezes não possui características necessárias aos fins desejados. Neste contexto, esta pesquisa visou a busca por anterioridade de compósitos a base de quitosana (QTS) e paligorsquita (PLG) para o desenvolvimento de materiais com intuito de vetorização de fármacos, obtendo-se, posteriormente, estes compósitos de diferentes formas. A partir disso, inicialmente realizou-se a busca de pedidos de patentes no período de maio a junho de 2014 no banco de dados do European Patent Office (EPO), na World Intellectual Property Organization (WIPO), no United States Patent and Trademark Office (USPTO), no Instituto Nacional de Propriedade Industrial do Brasil (INPI) e Web of Science (WOS), utilizando os termos chitosan, palygorskite, attapulgite, composite e a combinações entre estes presentes no título ou resumo das patentes. Posteriormente, obteve-se três materiais com distintas metodologias, sendo estes: paligorsquita/quitosana/pH 5,0 (1P:Q), paligorsquita/quitosana/pH 11 (P:Q) e paligorsquita/quitosana/ glutaraldeído (P:Q-G). Os materiais obtidos foram analisados por análise térmica, difração de raio-X (DRX) e espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier (FITR). Com os resultados, observou-se que quando os descritores foram utilizados de forma combinada, o número de patentes reduziu consideravelmente. Para chitosan and palygorskite and composite foram localizadas apenas 3 patentes no EPO, 2 no WIPO e 10 no WOS, e pesquisando-se por chitosan and attapulgite and composite, obteve-se 12 (EPO), 7 (WIPO) e 10 (WOS) patentes. Destas, apenas 3 eram direcionadas para a utilização de compósitos no controle de liberação substâncias de uso terapêutico, tendo sido depositadas por pesquisadores chineses nos anos de 2010 e 2011, as demais estão relacionadas à produção de absorventes utilizados na indústria automobilística, de capacitores, fertilizantes e à produção de materiais destinados ao tratamento da água. Em relação à obtenção de compósitos, pode-se perceber que o material 1P:Q não apresentou diferenças significativas em relação à PLG natural. Já nos materiais P:Q e P:Q-G, houve a interação de QTS em PLG caracterizando a formação de compósitos. Conclui-se que o número de patentes envolvendo esses compósitos com aplicação farmacêutica ainda é pequeno, sendo necessária ainda dedicação ao desenvolvimento de excipientes para vetorização de fármacos, valorizando a produção de bioprodutos e favorecendo o uso adequado e seguro de formulações. Além disso, foram obtidos dois diferentes compósitos a partir das metodologias utilizadas com perfil promissor para o utilização como excipiente funcional na liberação modificada de fármacos.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1057341 - CLEIDE MARIA DA SILVA LEITE
Externo à Instituição - DAVYSON DE LIMA MOREIRA - Fiocruz - RJ
Externo ao Programa - 1722880 - JOSY ANTEVELI OSAJIMA
Presidente - 1512631 - LIVIO CESAR CUNHA NUNES
Notícia cadastrada em: 16/07/2014 13:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.instancia1 19/10/2019 02:14