Notícias

Banca de DEFESA: BRUNO DE SOUSA BARBOSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BRUNO DE SOUSA BARBOSA
DATA: 15/02/2024
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do NPPM
TÍTULO: EFEITO DO MONOTERPENO α-PINENO SOBRE PARAMETROS TECIDUAIS E SISTÊMICOS EM MUCOSITE INTESTINAL INDUZIDA POR 5-FU EM CAMUNDONGOS
PALAVRAS-CHAVES: Inflamação; TGI; Quimioterapia
PÁGINAS: 96
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Farmacologia
RESUMO:

A mucosite intestinal resulta de ulcerações nas mucosas do trato gastrointestinal, causadas por tratamentos quimioterápicos, como o 5-fluorouracil (5-FU). A alta taxa proliferativa das mucosas torna-as suscetíveis a danos induzidos pelo 5-FU, que age causando danos ao DNA, levando à necrose e apoptose das células da mucosa intestinal, principalmente no intestino delgado. Atualmente, as abordagens terapêuticas disponíveis não conseguem efetivamente tratar ou prevenir a mucosite. Dessa forma os compostos naturais surgem como uma grande fonte de biomoléculas, para o desenvolvimento de fármacos. O monoterpeno α-Pineno se destaca, com suas propriedades benéficas, destacando-se por apresentar atividades antibacteriana, anti-inflamatória, antioxidante, antiulcerogênica e antiapoptótica.. Diante dessa premissa, o presente estudo avaliou o efeito do monoterpeno α-Pineno na mucosite intestinal induzida por 5-FU em camundongos. Foram utilizados camundongos swiss machos (30 - 40g). Os parâmetros ponderais, histopatológicos e morfométricos foram avaliados por análise às cegas e/ou técnicas de processamento de imagens, e os parâmetros bioquímicos foram avaliados por reações cromogênicas doseáveis espectrofotometricamente, e parâmetros imunológicos foram avaliados
por imunoturbidimetria. Os dados foram analisados por ANOVA, seguido de teste de comparações múltiplas de Bonferroni, significâncias foram calculadas para p<0,05*. Na análise ponderal, o α-Pineno foi capaz de atenuar a perda de massa corporal de 7 gramas (g) para 5g aproximadamente, na dose de 10 mg/kg. Na avaliação da morfologia intestinal, o α-Pineno foi capaz de atenuar a perda da arquitetura intestinal nas doses de 50 e 100 mg/kg. Para as análises morfometricas, o α-Pineno conseguiu atenuar a redução da morfometria das vilosidades de 500 µm para aproximadamente 1000 µm, nas doses de 50 e 100 mg/kg. Na análise das criptas intestinais, o tratamento com α-Pineno atenuou a redução do tamanho das criptas de 500 µm para aproximadamente 800 µm nas doses de 0.1, 1, 10, 50, 100 mg/kg. Para a disrruptura epitelial, avaliada através da liberação luminal da enzima Lactato Desidrogenase (LDH), o tratamento com α-Pineno exibiu redução de 38,48+/- 34,11; 65,02 +/- 14,81; 75,50 +/- 10,77 e 78,83 +/- 14,82 % para as doses 0,1; 1,0; 10; 50 e 100 mg/kg. O aumento dos níveis séricos de Proteína C Reativa (PCR) também foram atenuados pela administração de α-Pineno (22,93±0,5; 85,56±0,1; 79,29±; 82,56±0,1 e 86,10±0,1 µg/ml) para as doses 0.1, 1, 10, 50 e 100 mg/kg. Para leucopenia induzida pelo 5-FU, o α-Pineno elevou a leucometria em 50 mg/kg (9488±824 células/mm³) e 100 mg/kg e (14758±1627). O α-Pineno se mostrou capaz também de atenuar o aumento dos níveis de MPO de 22,93±2,8 para 11,24±2 uMPO/mg nas doses de 1, 10, 50 e 100 mg/kg
respectivamente. Na avaliação in sílico ADMET, foi demonstrado que o α-Pineno apresenta uma boa absorção gastrointestinal, biodisponibilidade favorável, não se mostrou substrato nem inibidor previsto para as enzimas da superfamília do citocromo P450 (CYP450), além de demonstrar baixa toxicidade. A molécula respeitou todos os parâmetros da regra de lipinski, favorecendo-o como um possível fármaco a ser administrado pela via oral. O docking molecular foi realizado com os receptores (TNF-α, TNFR1, IL-1β, IL-1R1, IL-6, IL-6R, COX-2, iNOS, MMP-2, MMP-9, MMP-12), onde foi observado que o α-Pineno é capaz de interagir com o sítio ativo de quase todos os receptores, com ligações entre os resíduos do sítio ativo ou próximo a eles. Dessa forma, o α-Pineno se mostra como uma molécula promissora a ser um possível fármaco ou adjuvante no tratamento da mucosite intestinal induzida por 5-FU, mediante suas características ADMET e físico químicas, assim como sua capacidade de interagir com os principais alvos mediadores da progressão da mucosite, e exibir um efeito protetor contra o quadro inflamatório e dano oxidativo presente nessa patologia.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423551 - RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
Externo ao Programa - 2667625 - FRANCISCO DAS CHAGAS ALVES FILHO
Externo ao Programa - 7422077 - PAULO HUMBERTO MOREIRA NUNES
Notícia cadastrada em: 14/02/2024 18:01
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 18/04/2024 17:06