Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: DOUGLAS SOARES DA COSTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DOUGLAS SOARES DA COSTA
DATA: 22/01/2016
HORA: 09:30
LOCAL: Auditório do NPPM
TÍTULO:

ATIVIDADE ANTIDIARREICA DE UMA FRAÇÃO POLISSACARÍDICA SULFATADA EXTRAÍDA DE Gracilaria caudata (J Agardh) EM ROEDORES


PALAVRAS-CHAVES:

Gracilaria caudata; polissacarídeo sulfatado; diarreia; trânsito gastrointestinal; cólera


PÁGINAS: 103
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Farmacologia
RESUMO:

A diarreia é uma condição patológica de origem diversa caracterizada pelo aumento do número de evacuações diárias, com mudança na consistência das fezes, geralmente de pastosas a líquidas. Em todo mundo, principalmente nos países em desenvolvimento, milhões de pessoas são afetadas e o número de óbitos é crescente, sendo considerada um dos principais problemas de saúde pública a ser solucionado. Recentemente, a OMS e a UNICEF lançaram um relatório, o qual estimula as pesquisas com produtos de origem natural para o tratamento da diarreia, já que a mesma não possui um tratamento farmacológico específico. Dentre os produtos naturais mais promissores, destaca-se principalmente os oriundos de algas marinhas e entre as mais estudadas, a espécie Gracilaria caudata J Agardh (Filo Rodophyta) através de seus polissacarídeos sulfatados (PLS) exibe diversas atividades farmacológicas entre elas anti-inflamatória, antinociceptiva e gastroprotetora, no entanto os relatos sobre atividades no trato gastrointestinal inferior são escassos. Sendo assim, o objetivo do presente estudo foi avaliar a atividade antidiarreica do PLS da G. caudata em diferentes modelos. Inicialmente, a atividade antidiarreica do PLS foi avaliada no modelo de diarreia aguda e enteropooling induzido por óleo de rícino, onde ratos Wistar foram pré-tratados com PLS (10, 30 e 90 mg/kg, v.o.), e depois de 1 h receberam óleo de rícino (10 ml/kg, v.o.). Os animais foram então colocados em gaiolas forradas com papel absorvente e observados durante 3 h para a presença de diarreia e ao final do tempo, houve a contagem de escores de severidade diarreica. Em sequência, os animais foram eutanasiados, o intestino delgado do piloro ao ceco foi isolado e o volume do conteúdo intestinal foi medido em tubo graduado, com a análise da atividade das bombas Na+K+ATPase. Para avaliar o trânsito gastrointestinal, os camundongos receberam óleo de rícino e 1 h depois foram tratados com PLS (90 mg/kg, v.o.). Após 1 h, todos os animais receberam 0,2 ml de carvão ativado por via oral. Vinte minutos mais tarde, os animais foram eutanasiados e a distância percorrida pelo carvão no intestino a partir do piloro até o ceco foi medida. A participação opióide e/ou anticolinérgica no trânsito gastrointestinal foi também investigada usando naloxona (2 mg/kg, s.c.; antagonista opióide) e betanecol (3 mg/kg, i.p.; agonista colinérgico), respectivamente. Para estudo do esvaziamento gástrico, camundongos foram tratados com PLS (90 mg/kg, v.o.) e 1 h depois receberam uma solução glicosada (5%) contendo vermelho de fenol (0,75 mg/ml). Após 20 minutos os animais foram eutanasiados e o esvaziamento gástrico foi mensurado por espectrofotometria. Na diarreia induzida por PGE2, os animais foram pré-tratados com PLS (90 mg/kg, v.o.) e imediatamente após a administração, PGE2 foi administrada (100 µg/kg, v.o.). Após 30 minutos os amimais foram eutanasiados e o volume do conteúdo intestinal foi mensurado. Além disso, o efeito do PLS (90 mg/kg, v.o.) na diarreia secretora foi investigado utilizando o modelo de secreção de fluido em alças intestinais isoladas de camundongos vivos tratados com toxina da cólera. O PLS foi avaliado quanto à sua capacidade em absorver fluidos em alças intestinais isoladas e interagir com receptores GM1 utilizando ELISA. O PLS (10, 30 e 90 mg/kg, v.o.) mostrou significativo (p<0,05) efeito antidiarreico na diarreia induzida por óleo de rícino em ratos, inibindo a quantidade total de fezes e fezes diarreicas. A dose de 90 mg/kg do PLS exibiu os melhores resultados frente a severidade da diarreia (escores de diarreia) e o volume de secreção de fluido intestinal (enteropooling) no modelo induzido por óleo de rícino, sendo adotada como dose padrão para os testes seguintes. A dose de 90 mg/kg aumentou a atividade das bombas Na+K+ATPase e também reduziu o trânsito gastrointestinal, a partir de mecanismos anticolinérgicos, sem interferir no esvaziamento gástrico. O PLS não exerceu ação significativa no modelo de diarreia induzida por PGE2, no entanto, o mesmo obteve resultados significativos ao reduzir a geração de fluidos e perdas de íons Cl-, ao interagir diretamente com os receptores GM1 e a toxina da cólera no modelo de diarreia secretora. Diante dos resultados apresentados, comprova-se a atividade antidiarreica do PLS de G. caudata por meio de redução da motilidade gastrointestinal na diarreia aguda por meio de ação anticolinérgica e na diarreia induzida pela toxina da cólera, a partir da interação entre PLS-Toxina-GM1, reduzindo a perda de fluidos e íons para o lúmen intestinal, o que pode tornar o PLS um forte candidato à fármaco para tratamento de doenças diarreicas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1680593 - JAND VENES ROLIM MEDEIROS
Interno - 423551 - RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
Interno - 1560969 - ROSIMEIRE FERREIRA DOS SANTOS
Notícia cadastrada em: 01/02/2016 14:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 24/02/2021 18:17