Notícias

Banca de DEFESA: LUCIO FERNANDES PIRES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUCIO FERNANDES PIRES
DATA: 11/10/2013
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório CCS
TÍTULO:

ESTUDO DAS PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS DO ACETATO DE CARVACRILA SOBRE O SISTEMA NERVOSO CENTRAL DE CAMUNDONGOS




PALAVRAS-CHAVES:

 

Acetato de carvacrila. Ansiedade. Antioxidante. Camundongo. Epilepsia.


PÁGINAS: 39
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Farmacologia
RESUMO:

A atribuição do estresse oxidativo na fisiopatologia de doenças neuropsiquiátricas tem crescido de forma considerável. Concomitantemente, vem aumentando o número estudos que visam novas alternativas para tratar essas moléstias, incluindo produtos naturais. O acetato de carvacrila (AC) começou a ser estudado recentemente, embora seu precursor - o carvacrol - já tenha sido objeto de pesquisas que apontam diversas propriedades terapêuticas. Diante do exposto, este trabalho objetivou estabelecer os potenciais ansiolítico-símile, antiepiléptico-símile e antioxidante do AC. A fim de ser testada a atividade ansiolítica-símile, camundongos Swiss foram tratados com 25; 50; 75 ou 100 mg/kg de AC e submetidos aos testes do compartimento claro-escuro, labirinto em cruz elevado e de esconder esferas. Para avaliação da atividade antiepiléptica-símile com as mesmas doses de AC, foram utilizados os modelos de epilepsia induzidos por Pilocarpina, Pentilenotetrazol e Picrotoxina, avaliada a ação sobre a atividade da Na+, K+-ATPase e da δ-aminolevulínico desidratase, bem como a capacidade de reequilibrar os níveis de glutamato, ácido -aminobutírico, aspartato e glutamina nos hipocampos de camundongos com epilepsia. Os testes do campo aberto e do Rota-rod foram aplicados para avaliar o efeito sobre a atividade psicomotora. Para atividade antioxidante, foram feitos testes in vitro com concentrações de 0,9; 1,8; 3,6; 5,4 e 7,2 g/mL de AC - para analisar a capacidade redutora do conteúdo de substâncias reativas com o ácido tiobarbitúrico (TBARS), de óxido nítrico e do radical hidroxila - bem como in vivo, com doses de 25; 50; 75 e 100 mg/kg de AC, em hipocampos de camundongos - mensuração da capacidade de reduzir os conteúdos de TBARS, nitrito, e aumentar os de Glutationa reduzida e a atividade da Glutationa peroxidase (GPx), da Superóxido dismutase e da Catalase. Em todos os testes de ansiedade, o AC, ao agir provavelmente de forma agonista sobre o sistema GABAérgico, demonstrou efeito ansiolítico-símile. Sua atividade antiepiléptica-símile teve menos efeitos adversos sobre a psicomotricidade quando comparado ao fármaco padrão. Houve também reequilíbrio dos níveis de aminoácidos e das atividades enzimáticas envolvidos nas crises epilépticas. O AC também demonstrou atividade antioxidante em todos os três parâmetros in vitro,com uma concentração necessária para inibir 50% da formação de TBARS, nitrito e hidroxila bem inferior à de Trolox, e um efeito antioxidante in vivo contra a peroxidação lipídica e o conteúdo de nitrito mais eficaz e mais potente do que o ácido ascórbico. O AC também aumentou a concentração de glutationa reduzida e a atividade da GPx e da catalase. Os resultados sugerem que o AC apresenta potencial para desenvolvimento de estudos futuros que visam novas alternativas para o tratamento de doenças neuropsiquiátricas e relacionadas ao estresse oxidativo.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - DAMIÃO PERGENTINO DE SOUSA - UFPB
Interno - 423551 - RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
Presidente - 1638285 - RIVELILSON MENDES DE FREITAS
Notícia cadastrada em: 11/10/2013 10:13
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 24/02/2021 17:30